Derrotado ao governo, Coronel Ulysses diz que já pensa em disputar Prefeitura de Rio Branco

O coronel da Polícia Militar do Acre, Ulysses Araújo, terceiro colocado na corrida pelo Palácio Rio Branco, conversou com a imprensa na manhã desta segunda-feira, dia 08, e comentou acerca das Eleições 2018, ocorridas no último domingo, dia 07, em todo o país. Além disso, comentou sobre o futuro político que pode buscar pelos próximos meses.

Enquanto agradecia o apoio nas redes sociais, Ulysses foi questionado sobre a análise que faz do cenário político e da derrota do Partido dos Trabalhadores e da Frente Popular do Acre nas urnas, tendo baixas importantes na Câmara Federal, Assembleia Legislativa e, ainda, no Palácio Rio Branco.

“A derrota do PT é fruto daquilo que eles plantaram. Semearam uma política econômica totalmente equivocada, que foi a política da florestania, na verdade, um disfarce do nome comunismo. O anseio de tirar o PT era tão grande que as pessoas tentaram terminar isso já no primeiro turno. Nós fizemos o PT sangrar”, pontua.

Ulysses também avaliou que no acumulado dos votos para Gladson Cameli e para ele, o total chega a quase 70% dos votos válidos registrados pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE/AC), e disse acreditar que caso não fosse candidato, Marcus Viana poderia ter sido eleito já no primeiro turno. “Nós temos uma militância muito forte nas redes sociais”, comentou.

O coronel, que só deve voltar ao serviço após um período de férias com a família, revelou já pensar em comandar a Capital acreana, mas que essa ideia ainda passará por um filtro do partido e da Direção Nacional do PSL, partido ao qual está filiado. “Temos total interesse em continuar essa caminhada. Temos interesse de colocar o nome nome è prefeitura, mas isso não depende unicamente de mim”, completou.

Sistema biométrico deixou votação mais lenta no Vale do Juruá, diz técnico judiciário

Mesmo assim, votação seguiu tranquila na avaliação da Justiça Eleitoral. Seis pessoas foram conduzidas à delegacia na região

Nos cinco municípios do Vale do Juruá a eleição deste domingo (7) foi considerada tranquila pelo juiz da 4ª Zona Eleitoral. Mesmo com a reclamação de eleitores pela demora em algumas urnas de Cruzeiro do Sul, a condução de seis pessoas para a delegacia e substituição de seis urnas que apresentaram problemas, o TRE considera que a votação transcorreu dentro da normalidade.

Na maioria das sessões da zona eleitoral que compreende os municípios de Cruzeiro do Sul, Rodrigues Alves, Mâncio Lima, Porto Walter e Marechal Thaumaturgo, a movimentação de eleitores foi maior durante o período da manhã. À tarde, na maioria dos locais de votação, as filas se encerram antes das 17h.

No entanto, em algumas sessões, as filas só encerram depois da 19h. Em um dos locais de votação, os eleitores reclamaram da demora na fila. Na sessão de número 10, teve eleitor que chegou às 13h e, quando os portões foram fechados às 17h, teve que pegar uma ficha com uma senha, pois ainda estava distante para chegar na urna.

“Cheguei aqui 1h da tarde e a fila está do mesmo jeito. Tem idosos, mulheres grávidas e esse povo todo esperando. Poderiam dar mais valor para o eleitor, porque estamos aqui votando com alegria”, reclamou o vendedor Sames Alves.

O técnico judiciário Fernando Souza explicou que a demora se deu por conta da mudança para o sistema biométrico. “O único problema que tivemos foi com a demora com a abertura da digital e isso causou um transtorno para os eleitores e retardou um pouco a votação em algumas sessões eleitorais”, explicou Souza.

Em toda 4ª zona, nove urnas tiveram que ser substituídas. De acordo com a equipe técnica, a reposição do equipamento foi feito de forma imediata, sem prejuízos para o andamento da votação e não houve necessidade recorrer ao voto em cédulas.

De acordo com o juiz Hugo Torquato, houve um trabalho preventivo para evitar os crimes eleitores e o resultado foi que o número de detenções foi um dos menores já registrados na 4ª zona. Apenas seis pessoas foram conduzidas pela polícia. Uma delas, o prefeito Sebastião Correia, de Rodrigues Alves, que foi detido sob suspeita de transportar eleitores, mas foi liberado depois que a polícia apurou que não se configurou como crime eleitoral.

“Houve uma condução do prefeito sob suspeita de transporte irregular de eleitor. A informação que eu tive é que o prefeito foi liberado. Em razão de não ter se configurado de fato esse transporte irregular. Tudo indica que ele estaria levando parentes, não era nada com intuito eleitoral”, afirmou Torquato.

TSE registra 1.695 trocas de urnas e 51 prisões até 17h em eleições no País

As eleições terminaram às 17 horas na maior parte do Brasil com 1.695 urnas substituídas, o que representa 0,33 por cento do total de equipamentos instalados país afora, e com 51 casos de prisões, mostraram dados divulgados neste domingo pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Em apenas uma seção, no município de Três Coroas (RS), foi necessário realizar votação manual. De acordo com o TSE, no pleito deste ano foram utilizadas quase 454,5 mil urnas.

Entre as ocorrências, o Tribunal informou que o total de prisões de não candidatos somou 49, puxadas por Alagoas (12) e Mato Grosso do Sul (11).

Já as ocorrências envolvendo candidatos terminaram com duas prisões, sendo uma em São Paulo e outra no Rio Grande do Sul.

O TSE relatou que, no total, foram registradas 183 ocorrências, considerando-se casos envolvendo candidatos e não candidatos e com ou sem prisão.

No Acre

No Acre, segundo o boletim divulgado pelo Tribunal Regional Eleitoral, até as 15 horas 26 urnas eletrônicas haviam sido substituídas.

Com informações da Agência Reuters e do TRE/AC

Marcus Alexandre deseja sucesso aos eleitos e diz que é preciso saber perder

Em coletiva no Comitê Central da Frente Popular na noite de ontem (7), o candidato Marcus Alexandre, falou dos próximos passos. Disse que irá de dedicar mais a família e continuará morando em Rio Branco com sua família.

“O pensamento agora é estar com a família e com a cabeça fria. Depois desses dias vamos decidir o futuro. Não sou refém da política, volto para o meu trabalho como engenheiro civil, tenho uma vida simples, não dependo da política para viver. Vou continuar minha vida normal morando em Rio Branco”, argumentou.

Ao falar do companheiro de chapa, Emylson Farias, Marcus agradeço o empenho do colega durante toda a campanha: “Foram seis meses desde o dia que me afastei da Prefeitura de Rio Branco dedicado integralmente a esse processo ao lado Emylson, grande companheiro, companheiro de todas as horas”, disse o ex-prefeito de Rio Branco.

Finalizando, Marcus Alexandre agradeceu a militância, aos partidos da Frente Popular do Acre e desejou sucesso aos eleitos. “A gente reconhece o resultado e deseja sucesso aos eleitos. Que Deus possa abençoar os eleitos e que eles façam um bom trabalho. Quem estar em um ambiente democrático sabe ganhar e perder. Faz parte do jogo”, pontua.

Na hora do voto: “Tenho convicção que posso fazer as mudanças necessárias”, afirma Kinpara

O candidato ao Senado (Rede), Minoru Kinpara, votou hoje pela manhã, 7, na escola Padre Diogo Feijó, no bairro Abraão Alab. Acompanhado de correligionários e da família, Minoru Kinpara recebeu apoio e cumprimento de populares.

Minoru destaca que sua campanha foi pautada por propostas e pelo diálogo franco com as pessoas. “Apesar do tempo curto no rádio e na TV, acredito que conseguimos levar nossos projetos e nossas ideias a toda população acreana. Vejo nos olhos das pessoas que elas querem mudança. Tenho convicção que posso fazer as mudanças necessárias que a nossa população almeja e quer”, frisou.

Márcio Bittar vota acompanhado de Gladson Cameli, Rocha e Petecão

O candidato ao Senado Márcio Bittar (MDB) votou por volta das 13h20, deste domingo, 07 de outubro, na Faculdade Unopar, no Aviário.

Bittar votou acompanhado do candidato ao governo pelo PP, Gladson Cameli, do vice Major Rocha (PSDB) e do colega de disputa ao Senado Sérgio Petecão (PSD).

Mulheres avançam e conquistam quatro das oito vagas do Acre na Câmara

Das oitos vagas para Câmara Federal no Acre eleitos ontem (7), quatro serão ocupadas por mulheres. As mulheres ocupam as duas primeiras vagas para a Câmara Federal, a mais votada foi a candidata do PSDB Mara Rocha, com 39.768 votos. A segunda foi Jéssica Sales do (MDB) com 28.702 votos, Vanda Millane (Solidariedade) 22.099 votos e Perpétua Almeida (PC do B) 18.326 votos.

Os demais deputados federais eleitos foram; Alan Rick do (DEM) com 22.172 votos, Flaviano Melo (MDB) 18.581 votos, Jesus Sérgio 9.526 votos, Manuel Marcos 7.450 votos.

“Serei governador de todos”

Gladson desbanca hegemonia do PT e vence corrida ao Palácio Rio Branco

Os militantes da oposição à Frente Popular do Acre se reuniram em frente ao Palacio Rio Branco para festejar a vitória de Gladson Cameli, eleito governador do Acre com 53,70% dos votos. Uma votação estrondosa levando-se em conta que o PT, partido do candidato Marcus Alexandre, derrotado em 1º turno, estava no Governo do Acre há mais de vinte anos. “Serei governador de todos”, repetiu Gladson Cameli. O bordão foi usado durante a fase final da campanha quando as pesquisas mostravam que a oposição seria vitoriosa no Acre.

gladson governador5

Filho de Eládio Messias Cameli e Maria Lindomar de Lima Cameli, Gladson de Lima Cameli é natural do município de Cruzeiro do Sul, é casado com a advogada Ana Paula Correia da Silva Cameli e pai de Guilherme Correia Cameli, de 5 anos.

Nasceu em 26 de março de 1978. É bacharel em Engenharia civil desde 2001, formado pelo Instituto Luterano de Ensino Superior de Manaus Ulbra, no Amazonas. Membro do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA/AC), exerceu atividades profissionais como sócio da empresa pertencente à família.

Pelo lado paterno é sobrinho do ex-governador do estado do Acre Orleir Cameli.Em seu segundo mandato, se destacou à frente da Comissão da Amazônia. Através da indicação da Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia (CINDRA), o deputado federal Gladson Cameli (PP-AC) foi designado o relator do Projeto de Lei 5957-2013, que propõe a regulamentação da legislação referente a criação e instalação das Zonas de Processamento e Exportação (ZPE´s) em todo país. A proposta é considerada uma das mais importantes em discussão na área econômica do Congresso Nacional. Em julho de 2012, Gladson Cameli foi destaque nacional como um dos campeões de liberação de emendas parlamentares no primeiro semestre de 2012. As informações são do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi)

Foi filiado ao PFL durante (2000-2003) e ao PPS durante (2003-2005). É filiado ao Progressistas desde 2005 permanecendo até os dias atuais. No pleito de 2014, elegeu-se senador com 218 mil votos, 58,36% dos votos válidos, a maior votação dada a um político nos últimos anos.

No Senado Federal, Gladson Cameli é membro de várias comissões, entre elas a Comissão de Serviços de Infraestrutura, Comissão Senado do Futuro, Comissão Especial de Desenvolvimento Nacional, Comissão de Educação, Cultura e Esporte, entre outras. Tem sido um dos maiores articuladores junto ao setor empresarial de debates para saídas da crise econômica que vive o Acre e o país. Na entrevista coletiva concedia na noite deste domingo, Gladson informou que iria comemorar a vitória em Cruzeiro do Sul, cidade de seu nascimento e onde vive boa parte de seus familiares. Sua primeira medida após receber a Faixa Governamental será reordenar administrativamente o Estado. Anuncioiu também que o Major Rocha, seu vice, será o coordenador da área de segurança pública.

gladson governador1

gladson governador2

gladson governador3

{gallery}fotos/2018/10-outubro/08102018/galeria_gladson_governador:::0:0{/gallery}

Tião Viana faz defesa da democracia e anuncia sentimento de dever cumprido

O governador Tião Viana levantou cedo neste domingo, 7, para votar nas eleições 2018. Acompanhado de sua mulher e filhos, o pleito marca sua última votação como chefe do Executivo acreano.

Otimista com o futuro, ele aproveitou para fazer uma defesa do processo democrático, torcer pelo melhor para o Acre e anunciar um sentimento de dever cumprido perante sua vida pública.

“Depois da missão e agradecer imensamente o povo do Acre que me deu dois mandatos de senador da república e dois mandatos de governador, eu penso que a minha missão pública está cumprida e agora é esperar o melhor para o Acre, com um voto de consciência e de amor pelo estado”, declarou o governador.

Votando tradicionalmente em seção eleitoral na Universidade Federal do Acre (Ufac), Tião Viana cumprimentou os presentes entre cidadãos, representantes da justiça eleitoral e aguardou sua vez na fila normalmente por quase 40 minutos.

“Temos a esperança que o voto dado tenha a melhor consequência para as gerações que estão vindo e o futuro desse estado que nós amamos. Espero que a eleição seja a mais democrática possível e reflita o voto de consciência e amor ao Acre. Todos devem dar o melhor de si para o resultado mais democrático possível”, destaca.

O governador ainda fez uma avaliação breve de sua gestão, declarando que ele e sua equipe deram o melhor de si, sendo o governo que mais executou obras no estado com R$ 4,5 bilhões em investimentos, além de alcançar os melhores indicadores da educação da história do Acre e avanços únicos na saúde.

Vice-governadora Nazareth Araújo comemora o poder do voto

A vice-governadora Nazareth Araújo também votou neste domingo, 7, em sua seção eleitoral no Colégio de Aplicação, Centro de Rio Branco. Ela foi votar acompanhada do esposo, da mãe e da filha.

Filha do primeiro governador eleito democraticamente no Acre, José Augusto – mas que foi deposto pela ditadura militar – para ela, esse é sempre um momento de comemoração do poder que emana do povo.

“Com muita honra estamos participando desse processo eleitoral. Vim com minha mãe, meu marido e minha filha, somos uma família que tradicionalmente evoca os bons valores da democracia e da participação. A liberdade que as pessoas têm de fazer escolhas é a coisa mais linda que existe. E nós defendemos essa liberdade”, destacou a vice.

Durante votação no Acre, Marina Silva disse que apresentou o melhor projeto de campanha

A candidata à presidência da República pela Rede Sustentabilidade, Marina Silva, votou pela manhã de domingo, 7, na sede da Superintendência do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), acompanhada do esposo. Na ocasião ela agradeceu aos apoiadores.

“Em primeiro lugar eu quero agradecer a Deus por ter participando desse 1° turno e agradecer a todas as pessoas que estão mobilizadas na minha campanha. O Brasil não precisa ficar entre a cruz da corrupção e a espada da violência das candidaturas do PR e do Bolsonaro” disse.

Marina disse ainda que sua candidatura apresentou a melhor proposta para governar o país. “Nós apresentamos o melhor programa, as melhores propostas, para resolver o problema do desemprego, da saúde, da violência, da Educação em toda as áreas, sobre tudo para que a gente possa restaurar a política brasileira” destacou a candidata.

A candidata destacou ainda a importância do voto para decidir o futuro do país. “O voto de uma pessoa, pode oferecer educação de qualidade ou manter a corrupção, o voto de uma pessoa pode ajudar a resolver o problema da violência, de 63 mil assassinatos por ano ou pode aumentar a violência com a ideia falsa e perigosa de que se vai resolver a segurança pública distribuindo armas para todo”, enfatizou Marina.

Marcus Alexandre: “Tenho só gratidão no meu coração por todos os partidos da FPA”

O candidato ao governo do Acre pela Frente Popular, Marcus Alexandre, chegou ao local de votação na sede do INSS, em Rio Branco, ontem (7), acompanhado da esposa, Gicélia Viana e do filho Gael. Ele também foi acompanhado do candidato a vice Emylson Farias, do senador Jorge Viana, dos deputados Leo de Brito e Angelim, ambos do Partido dos Trabalhadores.

Ao falar com a imprensa, Marcus Alexandre disse que cabe ao eleitor a decisão final e o resultados das urnas devem ser respeitados. Ele comentou também as andanças pelo Acre durante a campanha. “Participei de todos os debates, tivemos andando o Acre todo, quatro vezes. Quem decide é o eleitor. Tenho só gratidão no meu coração por todos os partidos da FPA, todos os dirigentes. Todos os candidatos estaduais e federais. Trabalhamos até o final, fizemos a nossa parte”, disse Marcus Alexandre.

Na fila de espera para votar, o candidato petista recebeu o carinho dos eleitores e simpatizantes do projeto da Frente Popular.

Marcus Alexandre, que já foi prefeito de Rio Branco por dois mandatos, agrega a experiência necessária para governar o Acre.

Janaína Furtado: que prevaleça a vontade da população acreana

Janaína Furtado da Rede Sustentabilidade votou em Tarauacá, na Escola José Augusto de Araújo no começo da manhã de ontem (7). Ela foi acompanhada por familiares e membros da Rede. Janaína recebeu o carinho de eleitores e simpatizantes.

Ao falar com jornalistas, a candidata agradeceu a imprensa pelo oportunizar o debate de ideias e levar ao público suas propostas para o Acre.

“Quero agradecer as pessoas que abraçaram a minha campanha. Oferecemos propostas. Fui a primeira mulher candidata ao governo da nossa história. Agradecer a imprensa que abraçou a nossa candidatura e que nos deu a oportunidade de levar as nossas propostas. Que prevaleça a vontade da população. Que possamos seguir firmes na luta”, disse Janaína Furtado.

David Hall diz que sua candidatura ajudou a elevar o nível do debate e quem ganhou foi o eleitor

Após votar no Colégio Meta na manhã de ontem (7), o candidato ao governo do Acre pelo Avante, David Hall, comentou sobre o pleito eleitoral. Disse que sua candidatura enfrentou grandes estruturas e não poupou críticas ao sistema político brasileiro.

“O que nós queremos é o melhor para o nosso Acre. Essa candidatura foi um desafio, uma verdadeira luta de ‘David contra Golias’. Não utilizei nenhum recurso público. Disputei contra grandes estruturas, famílias que se revezam no poder como um carreira profissional. Nós demos o nosso melhor”, enfatiza.

David Hall acrescentou que “estamos com o espírito leve e o sentimento de missão cumprida. Acreditamos que nós demos a nossa contribuição e no final das contas quem decide é o eleitor. O voto é do eleitor”, ponderou.

Finalizando, o candidato do Avante pontuou que deu a sua contribuição para o processo democrático elevando o nível do debate e proporcionando a participação popular. “Nós demos uma contribuição significativa para elevar o nível do debate. A nossa candidatura foi marcada não por ataques e nem por ofensas, mas por apresentar um projeto de Estado e já nos sentimos vitoriosos. Mas, essa vitória é dos acreanos que querem um futuro melhor para si e para seus filhos”.

Ao votar em Cruzeiro do Sul, Gladson defende liberdade e afirma que o Acre é dos acreanos

O candidato ao governo do Acre pela Coligação Mudança e Competência, Gladson Cameli, votou nas primeiras horas de domingo, assim que os portões foram abertos.

Em Cruzeiro do Sul, acompanhado por correligionários, pela mãe Linda Cameli, e pelo filho Guilherme Cameli, Gladson conversou com jornalistas. Disse que fará um governo para todos os acreanos.

“Foram 45 dias de caminhadas nos bairros de Rio Branco e em todos os municípios, reuniões com lideranças políticas, em contato direto, corpo a corpo, com o povo do Acre. Quero aqui agradecer o apoio de todos, a mim e ao Major Rocha. Obrigado por nos receberem e abraçarem as nossas propostas porque acreditam, assim como nós, que o Acre pode ter dias melhores”, disse Gladson.

Ao falar da expectativa, Gladson foi enfático: “Agora, esperamos que saia um resultado de que o povo não tem dono, o povo é livre e o povo sabe o que é melhor para o estado”, pontua ele.

Após o voto, Gladson Cameli retornou à Rio Branco para acompanhar a votação dos candidatos ao Senado Sérgio Petecão (PSD) e Márcio Bittar (MDB). O candidato também acompanhou o vice, Major Rocha, ao local de votação na Secretaria de Estado de Educação, na parte da tarde de ontem.

Ulysses Araújo diz que é preciso resgatar a dignidade dos acreanos, na hora do voto

O Candidato ao governo do Acre pelo PSL, Coronel Ulysses Araújo, votou às 10 horas da manhã na Escola Estadual Glória Perez, em Rio Branco. Acompanhado da família e vestindo blusa amarela, Ulysses falou com a imprensa. Disse acreditar em um segundo turno para o governo do Acre.

“A expectativa é de vitória com Bolsonaro no primeiro turno e nós estaremos no segundo turno também. Quero convidar as pessoas para que possamos reconstruir o nosso estado que está um caos, destruído. Trazer a dignidade, a honra das pessoas e principalmente devolver o Acre aos acreanos que são os verdadeiros donos”, destacou Ulysses.

Regina Ferrari: “tivemos o registro de 27 urnas substituídas”

No final da tarde de ontem (7), a presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE/AC), Regina Ferrari, falou a respeito das eleições no Estado. Ela comentou o total de urnas eletrônicas que foram substituídas, 27 urnas. A magistrada disse, também, que a troca foi estritamente técnica.

“Tivemos o registro de 27 urnas substituídas por problemas técnicos operacionais isso é normal em todo o Brasil. Em termos de ocorrência registradas pela Polícia Civil e Polícia Federal, tivemos em torno de 20 a 25 ocorrências. Estivemos em toso os locais de votação. A última parcial que tivemos teve o registro do comparecimento de 66% dos eleitores às urnas, ou seja, dos 547 mil, 361 mil já haviam votado.

Regina Ferrari explicou que a lentidão em alguns locais de votação se deu pelo fato de ser seis candidatos a serem votados pelo eleitor. “A votação é lenta. São seis votos. Normalmente se espera que termine mais tarde. Acredito que até às 19h30 tenha encerrado a votação.

Quantos às informações veiculadas nas redes sociais do não aparecimento da foto de determinados candidatos, ela relatou que são ‘boatos’. “Isso diz respeito à fake News. Todos os senhores que tentou-se fazer uma lavagem cerebral para que os eleitores desacreditassem nas urnas eletrônicas. Eu lhes digo que muito mais fraudes registramos em tempos remotos é quando votávamos em cédulas. Nós reafirmamos a confiança do voto depositado na urna eletrônica, na legitimidade do voto ali depositado, ele sim transparece e positiva o exercício democrático do candidato da sua preferência”, pontua a presidente do TRE/AC.

Policia Federal registra várias ocorrências por compra de voto, transporte ilegal de eleitor

Segundo boletim da Policia enviado pela comunicação da PF, durante todo o dia de votação, algumas ocorrências de crimes eleitorais foram registradas e várias pessoas envolvidas tanto na capital quanto no interior.

De acordo com a polícia, em Rio Branco algumas dessas ocorrências, envolviam crimes de corrupção eleitoral, boca de urna, transporte irregular, e desobediência eleitoral.

Ainda conforme informou a PF, foram instaurados um inquérito policial sobre compra de votos com um envolvido, com relação a boca de urna foram instaurados 8 inquéritos policiais 12 pessoas estavam envolvidas, e nove pessoas envolvidas em desobediência eleitoral, somente na capital.

Na segunda maior cidade do estado, Cruzeiro do Sul a parcial da PF divulgou que foram instaurados um inquérito policial por compra de voto, uma pessoa e um termo circunstanciados por boca de urna, 12 envolvidos, e por desobediência eleitoral, nove pessoas estiveram envolvidas .

Nos municípios de Epitaciolândia cinco pessoas se envolveram em delitos de boca de urna, duas por desobediência eleitoral, é uma pessoa com envolvida com transporte ilegal de eleitoral.

Gladson Cameli, do PP, é eleito governador do Acre

Progressista superou outros quatro candidatos. Marcus Alexandre e Coronel Ulysses aparecem na sequência na lista dos mais votados

Gladson Cameli, do PP, foi eleito neste domingo (7) governador do Acre para os próximos quatro anos. Com 53,66% dos votos válidos apurados por volta das 20h40, o progressista tinha 217.594 mil votos, contra 140.110, o que corresponde a 34,54% dos votos válidos, de Marcus Alexandre, PT, (confira a apuração completa no estado).

Logo após saber o resultado, o novo governador falou à Rede Amazônica, no Residencial Van Gogh, em Rio Branco. Emocionado, ele disse que pretende governar para o povo e não para um partido.

“É uma responsabilidade muito grande, estou desarmado, desci do palanque, serei um governador de todos, e sei do compromisso que tenho com o estado e com as famílias. Espero governar e repito aqui, primeiramente honrando todos os compromissos, que vou cumprir com as nossas promessas de campanha e, segundo, governar para todos, governarei para as pessoas, sem perseguir ninguém”, disse.

No comitê do PT, o candidato derrotado Marcus Alexandre, disse que aceita o resultado da votação e agradeceu aos apoiadores. Disse também que vai tirar uns dias para ficar com a família e deve seguir carreira como engenheiro civil.

“A primeira coisa que tenho a dizer é gratidão a todos que nos acompanharam. A gente reconhece o resultado, deseja sucesso e que Deus possa abençoar os eleitos, porque a preocupação maior é a nossa população. Quem vive num ambiente democrático como o nosso tem que saber ganhar e perder e o que tenho agora é só gratidão no meu coração e desejar sucesso aos eleitos. Eu não tenho planos agora, vou ficar uns dias com minha família, foram seis meses dedicado integralmente com a campanha, então, o pensamento é estar com família. Não sou refém da política”, destacou.

Antes de concorrer à vaga de governador, Gladson, que tem 40 anos, ocupava o cargo de Senador da República. Ele entrou na vida pública aos 28 anos, quando foi eleito pela primeira vez deputado federal com 18.886 votos. Em 2010, foi eleito pela segunda vez deputado federal com 32.623 votos. A vitória do progressista tira a hegemonia do PT, que governava o estado há 20 anos.

Filho de Eládio Messias Cameli e Maria Lindomar de Lima Cameli, Gladson de Lima Cameli é natural de Cruzeiro do Sul, segunda maior cidade do Acre, é casado com a advogada Ana Paula Correia da Silva Cameli e pai de Guilherme Correia Cameli, de 5 anos.

O novo governador nasceu no dia 26 de março de 1978. É bacharel em engenharia civil desde 2001 e formado pelo Instituto Luterano de Ensino Superior de Manaus Ulbra, no Amazonas. Sua trajetória política vem de família, já que é sobrinho do ex-governador do estado Orleir Cameli.

Em seu segundo mandato como deputado federal, se destacou à frente da Comissão da Amazônia, através da indicação da Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia (Cindra).

Foi filiado ao PFL durante (2000-2003) e ao PPS durante (2003-2005). É filiado ao Progressistas desde 2005 permanecendo até os dias atuais.

No Senado Federal, Gladson Cameli é membro de várias comissões, entre elas a Comissão de Serviços de Infraestrutura, Comissão Senado do Futuro, Comissão Especial de Desenvolvimento Nacional, Comissão de Educação, Cultura e Esporte, entre outras. Tem sido um dos maiores articuladores junto ao setor empresarial de debates para saídas da crise econômica que vive o Acre e o país.

Campanha

Gladson se afastou do Senado para concorrer à vaga para o governo do Acre. Dentre as suas propostas, ele prometeu que ia dar um “choque de gestão” e abrir concurso público para dois mil policiais e afirmou também que vai cortar secretarias, mas não informou quantas.

Os temas que centralizaram a campanha foram aumento do efetivo de policiais, valorização do policial e compromisso com a segurança. Em relação ao sistema prisional, ele disse que vai construir novas unidades, fazer ações sociais e geração de oportunidades de empregos para que os jovens não ingressem no crime. Pelos adversários, foi criticado por ter votado a favor da reforma trabalhista. Ele também disse que vai “abrir o estado para o desenvolvimento” e investir no agronegócio.

Propostas de Gladson

Economia e gestão eficiente: combater o desperdício, enxugar a estrutura e valorizar o servidor que trabalha.

Saúde: focar na educação, assistência social e investir em educação, acompanhamento social e planejamento familiar.

Educação: garantir o acesso nos ramais, proporcionar educação que estimule o aprendizado e acompanhamento social das famílias.

Segurança: Em resumo vai aumentar o efetivo, valorizar os policiais e vai se comprometer com a segurança.

Sistema prisional: construção de novos presídios, ação social e geração de oportunidades de empregos para que os jovens não ingressem no crime.

Infraestrutura: de acordo com cada caso específico, estabelecer planos para utilização de ramais, acesso fluvial ou recuperação de aeroportos.

Meio ambiente: através de conscientização, fiscalização e investimento em atividades ambientalmente sustentáveis.

Falta de médicos: atração e valorização de profissionais, regionalização de determinadas especialidades e atendimentos periódicos itinerantes.

Mobilidade urbana: Vai trabalhar na recuperação da BR-364 junto ao DNIT, e lutar pela ponte sobre o Rio Madeira, em Rondônia, para integrar o Acre com o resto do país via terrestre.

Emprego: vai abrir o estado para investimentos do agronegócio, expansão da infraestrutura, educação profissional e apoio a novos negócios.

Apuração no AC

Atualização em 20h50 com 1892 seções apuradas do total de 1924:

Gladson Cameli (PP) – 53,66% – VOTOS

Marcus Alexandre (PT) – 34,54% – VOTOS

Cel. Ulysses (PSL) – 10,83% – VOTOS

Janaína Furtado (Rede) – 0,67% – VOTOS

David Hall (Avante) – 0,29% – VOTOS

Número de urnas eletrônicas substituídas chega a 1.695, informa TSE

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou às 17h45 que chegou a 1.695 o número de urnas eletrônicas que apresentaram defeito e precisaram ser substituídas em todo o país. Isso representa 0,33% do total de urnas utilizadas no pleito deste ano.

Até o momento, apenas um município, Três Coroas (RS), passou a adotar a votação manual, segundo o tribunal.

Os estados com o maior número de urnas substituídas até agora são Minas Gerais (438), Pernambuco (192), São Paulo (163), Rio de Janeiro (145), Sergipe (90), Rio Grande do Sul (82) e Rio Grande do Norte (53).

Prisões

A Justiça Eleitoral também registrou a prisão de dois candidatos: um em São Paulo, por propaganda eleitoral, que é proibida no dia da eleição; outro no Rio Grande do Sul, por fazer boca de urna. no total, 177 pessoas foram pessoas foram presas até o momento.

Ao todo, 147.302.357 brasileiros estiveram aptos a escolher o presidente da República, os governadores de 26 estados e do Distrito Federal, 54 senadores, 513 deputados federais, 1.035 deputados estaduais e 24 deputados distritais.

Urnas apresentam problemas e eleitores desistem de votar

Várias foram as reclamações por parte dos eleitores por conta de problemas nas urnas eletrônicas em vários locais do Acre. Em Rio Branco, por exemplo, na Escola Teodolina Falcão Macedo, no bairro Placas, alguns eleitores desistiram de votar em consequência da demora para solucionar os problemas nas urnas.

Marcos de Almeida disse que chegou às 11h30 no local de votação e ficou esperando por mais de três horas para poder votar.

“Tudo que vamos fazer enfrentamos fila e, até para exercer nosso dever de escolher o candidato, também temos de esperar”, disse.

A principal reclamação no local é que, no momento do voto, a urna não mostrava a foto do candidato a presidente escolhido pelo eleitor.

Porém, a Justiça Eleitoral esclareceu que os casos sobre a ausência de processamento de todos os votos na urna eletrônica é falsa.

“A informação falsa trata principalmente do voto para presidente, como se a urna não estivesse processando o voto”, diz trecho da nota.

Com segurança reforçada, Bolsonaro vota no Rio

O candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) votou às 9h de hoje (7) no Rio de Janeiro. Ele chegou à seção eleitoral na Escola Municipal Rosa da Fonseca, na Vila Militar, acompanhado do filho Flávio Bolsonaro, que é candidato ao Senado. Agentes da Polícia Federal e militares do Exército fizeram a segurança do candidato.

“Dia 28, vamos à praia”, disse ele ao chegar à escola. “Não haverá negociação partidária. Temos 350 parlamentares”, acrescentou Bolsonaro.

Após digitar os números na urna, Bolsonaro posou para fotos e fez o sinal de positivo.

Bolsonaro saiu da escola sem falar com a imprensa e foi para casa na Barra da Tijuca. Ele deve passar o domingo em casa. Segundo o candidato, sua situação de saúde ainda é delicada, devido à facada que levou no início de setembro, por isso não pode ter tanto contato com as pessoas como antes.

É esperado, no entanto, que ele dê uma entrevista coletiva depois do resultado das eleições, no Hotel Windsor Barra, que fica próximo ao condomínio onde Bolsonaro mora. Grades foram colocadas em frente ao hotel, que também, conta com segurança de guardas municipais.

Promessa

Diferentemente do que ocorreu nos últimos dias do uso contínuo das redes sociais, Bolsonaro e os filhos Carlos e Flávio não postaram mensagens, vídeos nem imagens nas contas do Twitter e nos perfis do Facebook e Instagram, depois de terem votado.

Ontem (6), Bolsonaro e os filhos intensificaram a campanha nas redes sociais. Em um banner nas cores verde e amarelo, o candidato fez uma série de promessas que disse que irá cumprir, caso seja eleito.

“Se vencermos, já começaremos diferentes dos outros. Estamos livres para escolher nossa equipe pelo critério técnico e pela eficiência. Não devemos cargos nem favores que coloquem em xeque a autonomia do nosso governo nem a soberania do nosso país.”

Flávio Bolsonaro (PSL), candidato ao Senado, colocou um vídeo do lutador José Aldo, capeão mundial de UFC, em que ele declara apoio à família. Ele chama Bolsonaro de “nosso capitão”.