PF divulga áudios entre presidente do Iteracre e cabo eleitoral sobre compra de votos: ‘manda bala’

Nil Figueiredo aprova compra de votos respondendo ‘que maravilha’ e pede para cabo eleitoral continuar com crimes eleitorais. Presidente e mais sete servidores foram presos nesta sexta (19) na Operação Democracia

Áudios divulgados pela Polícia Federal no Acre (PF-AC), nesta sexta-feira (19), mostram uma conversa entre o presidente do Instituto de Terras do Acre (Iteracre), Nil Figueiredo, e um cabo eleitoral sobre a compra de dez votos. No diálogo, o interlocutor informa a Figueiredo que já entregou o dinheiro aos eleitores.

“Maravilha. Manda bala, manda bala. Tem que ganhar, não pode perder não, meu irmão. Tu é doido? (sic)”, responde o presidente do órgão.

Figueiredo foi preso preventivamente nesta sexta durante a Operação Democracia. Além dele, um servidor do órgão também está com prisão preventiva. Outros seis tiveram a prisão temporária decretada.

A PF também cumpriu 22 mandados de busca e apreensão, além de quatro mandados de condução coercitiva de testemunhas expedido pela Justiça Eleitoral do Acre.

A operação foi deflagrada para combater a prática de crimes eleitorais de compra de votos, transporte irregular de eleitores, uso ilegal de instalações públicas para fins eleitorais, peculato e associação criminosa. Ao todo, 100 policiais federais do Acre e também de fora do estado atuaram na ação.

Os votos, conforme a polícia, eram pagos por sacolões, caronas no dia da eleição e também por R$ 50. O combustível e veículos do Iteracre também foram usados para fazer o transporte irregular de passageiros pelos próprios servidores que faziam campanha para Figueiredo.

Em nota, o governador Tião Viana diz que determinou o afastamento de todos os servidores envolvidos nessa operação “até que a denúncia seja esclarecida, para evitar juízo de valor antecipado sobre quem quer que seja”.

nil figueiredo web
Presidente do Iteracre foi preso preventivamente durante Operação Democracia que apura desvio de verbas e compra de votos — Foto: Reprodução

Reservatório ilegal de combustível

Durante uma coletiva de imprensa na sede da PF-AC, os delegados deram mais detalhes do esquema que funcionava dentro do Iteracre para beneficiar o presidente do órgão durante as Eleições 2018. O candidato recebeu 2.161 votos para o cargo de deputado estadual.

O chefe da Delegacia de Defesa Institucional e responsável pela investigação do caso, Eduardo Maneta, destacou que um reservatório de combustível foi montado na casa da mãe de uma servidora do Iteracre.

O local tinha capacidade para cerca de mil litros de combustível, que era desviado do órgão para abastecer veículos de cabos eleitorais que faziam campanha para Figueiredo.

A PF diz que ainda não fez o levantamento dos valores desviados. Porém, diz que, de setembro até 7 de outubro, quando houve o primeiro turno do pleito, o uso de combustível no Iteracre superou o total usado durante todo o ano de 2017.

“A operação ainda está em andamento, mas, nesta sexta ainda apreendemos combustível desviado. Ainda vamos fazer uma avaliação mais apurada em um segundo momento. Vamos calcular o valor do prejuízo ao erário para que, após as medidas policiais, nós possamos assegurar medidas de ressarcimento do patrimônio público que foi lesado por esse grupo criminoso”, destacou o delegado.

policia federal web
Delegados deram detalhes sobre o esquema de desvio de verbas e compra de votos no Iteracre – Foto/Quésia Melo/G1

Servidora relata ‘medo’ da polícia em áudio

A PF também divulgou o áudio entre uma servidora e um cabo eleitoral em que ela diz que todos os carros estão indo abastecer no reservatório ilegal, pois temem que a polícia acabe descobrindo o esquema.

A mulher, segundo a polícia, já ocupou o cargo de chefe de gabinete da Secretaria de Extensão Agroflorestal e Proteção Familiar (Seaprof).

“É porque tem que tirar tudo hoje, porque ‘tão’ com medo (sic)”, diz a servidora. Em seguida, o cabo eleitoral pergunta se tem pessoas “de olho” na esquina do reservatório e diz que a casa não deve ter adesivos do candidato.

Diárias em troca de votos

Além do combustível, o delegado diz que diárias indevidas como se os trabalhadores estivessem em atividade do órgão, mas, na verdade, os trabalhadores faziam campanha eleitoral. Segundo Maneta, o valor pago em diárias aumentou em mais de 257% no período analisado em que Figueiredo era diretor e deixou a presidência para concorrer ao cargo de deputado estadual.

O delegado responsável pelo caso destacou que um grupo criminoso atuava dentro do Iteracre e tinha até divisões de tarefas para a compra de votos durante o pleito. Inclusive, conforme a polícia, às vésperas da eleição, Figueiredo atuava com os próprios cabos eleitorais na compra de votos.

“Os trabalhos continuam e a fase de análise investigativa começa a pleno vapor a partir da data de hoje [sexta-feira, 19]. Não descartamos nenhuma hipótese de que novas fases sejam deflagradas. São vários crimes que eles respondem e se somarmos as penas máximas desses crimes podem pegar até 30 anos de prisão”, afirma.

pf1 web
PF-AC cumpriu oito mandados de prisão em órgão do governo durante operação que apura compra de votos – Foto/Divulgação/PF-AC

PF apreende mais de 80 quilos de droga em comunidade a duas horas de barco de Cruzeiro do Sul

Carregamento de crack, maconha e cocaína era transportado em pequena embarcação. Dois homens que estavam no barco conseguiram escapar

Durante uma fiscalização no Rio Juruá na manhã desta quinta-feira (18) agentes da Polícia Federal apreenderam 52,2 quilos de cocaína, 22,5 quilos de maconha e 5,8 quilos de crack em uma pequena embarcação que seguia em direção a Cruzeiro do Sul, interior do Acre. A droga estava em um barco que vinha da região de fronteira com o Peru, de onde o carregamento teve origem.

O barco foi interceptado na comunidade Pucalpa, que fica a duas horas de barco da cidade e estava sendo conduzido por dois homens que conseguiram escapar da ação da polícia.

Os agentes da PF subiam pelo rio em direção aos municípios de Porto Walter e Marechal Thaumaturgo e, ao chegarem nas proximidades da comunidade Pulcapa, decidiram abordar dois homens que desciam em direção a Cruzeiro do Sul. Ao receber ordem para ancorar, os condutores do barco seguiram para a margem do rio e abandonaram a canoa com a droga.

A Polícia Federal ainda não divulgou as informações sobre o caso para não prejudicar as investigações que estão em andamento com o objetivo de identificar e prender os responsáveis pelo transporte e os proprietários da droga.

Segundo o delegado Fabrício Silva, as ações de fiscalização no Juruá são realizadas constantemente pela Polícia Federal, que tenta combater o tráfico de drogas, o transporte de carnes de animais silvestres e outros crimes na região de fronteira. O Rio Juruá e seus afluentes são consideradas as principais rotas de acesso dos traficantes peruanos e brasileiros que atuam no narcotráfico entre os dois países.

Esta é a segunda apreensão de droga realizada pela PF em Cruzeiro do Sul em apenas dois dias. Na manhã desta quarta-feira (17), foram apreendidos 14,5 quilos de maconha na zona urbana da cidade. A droga foi encontrada em um local onde traficantes tentam se esconder da polícia no final do bairro da Cohab. Nesta operação, que contou com o apoio de policiais civis e militares, um grupo de pessoas que estava no local da apreensão também conseguiu fugir antes da chegada da polícia.

PF-AC cumpre oito mandados de prisão em órgão do governo durante operação que apura compra de votos

Desvio de recursos públicos ocorria dentro do Instituto de Terras do Acre (Iteracre), segundo a polícia. PF vai dar coletiva sobre o caso

No Instituto de Terras do Acre (Iteracre), a Polícia Federal cumpriu oito mandados de prisão e 22 de busca e apreensão, além de quatro mandados de condução coercitiva de testemunhas, expedidos pela Justiça Eleitoral do Acre na manhã desta sexta-feira (19), em Rio Branco.

A Operação Democracia foi feita para combater a prática de crimes eleitorais de compra de votos, transporte irregular de eleitores, uso ilegal de instalações públicas para fins eleitorais, peculato e associação criminosa.

As investigações começaram, segundo a PF, após ser descoberto um suposto esquema de desvio de recursos públicos que ocorria dentro do Iteracre. Todas as ações seriam para apoiar a candidatura do diretor-presidente do órgão, Nil Figueiredo, que concorreu ao cargo de deputado estadual nessas eleições.

O dinheiro desviado, segundo a denúncia, era para o pagamento de diárias a servidores para custeio de viagens que não eram feitas. Além disso, escolas e outras instalações públicas foram usadas na campanha do diretor.

Entre os envolvidos, estão servidores públicos e ocupantes de cargos em comissão do Iteracre.

pf2 web
Entre os envolvidos, estão servidores públicos e ocupantes de cargos em comissão do Iteracre — Foto: Divulgação/PF-AC

Receita começa a pagar restituições do quinto lote do IRPF

A Receita Federal disponibiliza a partir desta segunda-feira, 15, o pagamento das restituições referentes ao quinto lote do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) de 2018. O lote inclui restituições residuais de 2008 a 2017.

Segundo a Receita Federal, 2.532.716 contribuintes, devem receber o total de R$ 3,3 bilhões, desse valor, R$ 3,157 bilhões referem-se ao quinto lote do IR de 2018, que contemplará 2.459.482 contribuintes.

Ainda de acordo com a Receita Federal, 29.269.987 declarações do Imposto de Renda foram enviadas dentro do prazo legal neste ano. O número superou a estimativa inicial, que era de 28,8 milhões de declarações.

Para acessar o extrato do IR é necessário utilizar o código de acesso gerado na própria página da Receita Federal, ou certificado digital emitido por autoridade habilitada.

Vídeo mostra secretário sendo levado pela PF; governo resolve afastar servidores presos em operação

Um vídeo gravado durante a deflagração da Operação Democracia, da Polícia Federal, no prédio do Instituto de Terras do Acre (Iteracre), nesta sexta-feira, mostra o diretor-presidente Iteracre, Nil Figueiredo, sendo conduzido por agentes em um veículo à Superintendência da Polícia Federal.

Operação Democracia tem a finalidade de combater a prática de crimes eleitorais de compra de votos, transporte irregular de eleitores, uso ilegal de instalações públicas para fins eleitorais, peculato e associação criminosa.

Foram cumpridos 8 mandados de prisão, 22 mandados de busca e apreensão e 4 mandados de condução coercitiva de testemunhas, expedidos pela Justiça Eleitoral do Acre.

Em nota, o governador Sebastião Viana informou que “determinou pelo afastamento de todos os servidores envolvidos que ocupem função de confiança, até que a denúncia seja esclarecida, para evitar juízo de valor antecipado sobre quem quer que seja”.

“A Controladoria-Geral do Estado, pautada em sua função de realizar o controle interno do Governo, sempre orientou todos os órgãos a tratar seus processos com ética, transparência e lisura”, diz o governo.

Policia Federal registra várias ocorrências por compra de voto, transporte ilegal de eleitor

Segundo boletim da Policia enviado pela comunicação da PF, durante todo o dia de votação, algumas ocorrências de crimes eleitorais foram registradas e várias pessoas envolvidas tanto na capital quanto no interior.

De acordo com a polícia, em Rio Branco algumas dessas ocorrências, envolviam crimes de corrupção eleitoral, boca de urna, transporte irregular, e desobediência eleitoral.

Ainda conforme informou a PF, foram instaurados um inquérito policial sobre compra de votos com um envolvido, com relação a boca de urna foram instaurados 8 inquéritos policiais 12 pessoas estavam envolvidas, e nove pessoas envolvidas em desobediência eleitoral, somente na capital.

Na segunda maior cidade do estado, Cruzeiro do Sul a parcial da PF divulgou que foram instaurados um inquérito policial por compra de voto, uma pessoa e um termo circunstanciados por boca de urna, 12 envolvidos, e por desobediência eleitoral, nove pessoas estiveram envolvidas .

Nos municípios de Epitaciolândia cinco pessoas se envolveram em delitos de boca de urna, duas por desobediência eleitoral, é uma pessoa com envolvida com transporte ilegal de eleitoral.

Polícia Federal terá Central de Comando e Controle para atender ocorrências no AC

Neste domingo de eleição 2018, a Polícia Federal instalou uma Central de Comando e Controle para atender ocorrências mais graves, a central está instalada na sede da Polícia Federal no Estado do Acre, e reúne autoridades dos órgãos envolvidos na organização e na segurança do pleito, com a finalidade de dar pronta resposta estatal em ocorrências de maior complexidade.

Segundo a PF compõe a central as autoridades responsáveis pelo Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC), Ministério Público Eleitoral, Polícias Federal, Militar e Civil, Secretaria de Segurança Pública, Exército Brasileiro, Polícia Rodoviária Federal, Departamento Estadual de Trânsito e outros.

Durante todo o domingo eleitores vão as urnas escolher os seus representantes para os próximos quatro anos. De acordo com superintendente regional da Polícia Federal em exercício, delegado Rafael Francisco França, a ação é fundamental para garantir a lisura e a segurança do pleito eleitoral.

“Essa ação integrada, sob coordenação da Justiça Eleitoral, é vital para o desenvolvimento das atividades da Polícia Federal e das demais instituições para garantir a lisura do processo e a segurança nas eleições. A Central de Comando e Controle é uma inovação que tem o objetivo de dar maior caráter de interoperabilidade entre as agências envolvidas, o que é incentivado pelo TSE”, declarou o superintendente.

Além disso, qualquer cidadão que presenciar atos que configuram crime eleitoral pode fazer a denúncia à Polícia Federal que atenderá flagrantes de crimes eleitorais pelos telefones 68-3212-1229 e 3212-1200.

Mais de 300 mil contribuintes precisam corrigir declaração

A Receita Federal enviará a partir desta semana carta para aproximadamente 383 mil contribuintes em todo o país para corrigirem erros nas Declarações de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (DIRPF), relativas ao exercício 2018, ano-calendário 2017.

De acordo com a Receita, essas declarações apresentam indícios de inconsistências que podem resultar em autuações futuras. Ainda segundo o órgão as cartas somente são enviadas a contribuintes que podem se autorregularizar, ou seja, contribuintes que não foram intimados nem notificados pela Fiscalização da Receita Federal.

O contribuinte que deseja saber a situação da DIRPF apresentada, basta consultar as informações disponíveis no site da Receita, serviço na opção “Extrato da DIRPF”, utilizando código de acesso ou certificado digital.

A declaração que ficar retida em alguma malha da Receita apresenta sempre mensagem de “pendência”. Junto com a pendência, são fornecidas orientações de como proceder no caso de erro na declaração apresentada.

Não é necessário comparecer à Receita Federal para fazer as correções, caso o contribuinte não aproveite a oportunidade de se autorregularizar, poderá ser intimado formalmente para comprovação das divergências.

Nesta hipótese, após receber a intimação, não será mais possível fazer qualquer correção na declaração, e qualquer exigência de imposto pelo Fisco será acrescida de multa de ofício de, no mínimo, 75% do valor do imposto que não foi pago pelo contribuinte, ou que foi pago em valor menor do que o devido, informa a receita.

Diretor do ISE é preso pela PF acusado de compra de votos com recursos desviados de horas extras

A Polícia Federal cumpriu, na manhã desta quinta-feira (27) dois mandados de busca e um mandado de prisão preventiva referente a denúncia de desvios de recursos públicos para fins eleitorais. Vanilson Barbosa, diretor do Centro Socioeducativo de Cruzeiro do Sul, é acusado de realizar compra de votos para Rafael Almeida, ex-diretor presidente do Instituto Socioeducativo do Estado do Acre (ISE/AC), que é candidato a deputado estadual pela Frente Popular.

Segundo nota divulgada pela Polícia Federal, a investigação teria como foco principal a possível ocorrência do delito previsto nos art. 299 do Código Eleitoral e art. 312 do Código Penal, tendo em vista que, conforme conversa gravada nas dependências do Instituto Socioeducativo – ISE, em Cruzeiro do Sul/AC, estaria ocorrendo possível captação ilícita de votos para candidato Rafael Almeida (PDT) que se afastou da direção geral do ISE e tenta ser deputado estadual.

“Verificou-se que o diretor local estaria coagindo os servidores do referido Instituto a colaborarem com a campanha eleitoral. O mecanismo adotado se materializava no acréscimo de horas extras nos pagamentos daqueles que fizessem a doação. O acréscimo de horas extras foi a forma encontrada para a devolução dos valores doados para a campanha. O diretor do ISE em Cruzeiro do Sul/AC foi conduzido para a Delegacia de Polícia Federal em Cruzeiro do Sul/AC, para prestar esclarecimento e depois encaminhado ao Presídio Manoel Nery, onde ficará à disposição da Justiça”, informa a nota da PF

Ex-secretário Gilberto Siqueira é preso pela PF acusado de participar de quadrilha que fraudava licitação no Amapá

O ex-secretário Gilberto Siqueira foi preso pela Polícia Federal, nesta quinta-feira (27), em Rio Branco, acusado de participar de uma quadrilha que fraudava licitação de consultoria no Estado do Amapá. A ação é resultado de um trabalho em conjunto com a Controladoria Geral da União. Gilberto Siqueira foi secretário em gestões petistas anteriores que estiveram à frente do governo do Acre.

O mandado de prisão de Siqueira foi expedido para ser cumprido em Porto Velho, no Estado de Rondônia, mas ele foi preso na cidade de Rio Branco. A Operação Arauto cumpriu 7 mandados de prisão temporária e 14 mandados de busca e apreensão, além do sequestro de bens e valores, nas cidades de Macapá/AP, Belém/PA, Porto Velho/RO, São Paulo/SP e Curitiba/PR.

De acordo com as investigações, duas empresas de consultoria, previamente ajustadas, participavam da licitação, visando dar aparência de concorrência. Contudo, no ato da abertura das propostas da licitação, verificou-se que o representante de uma das empresas concorrentes era um mototaxista, que teria recebido R$ 50 para entregar a proposta, sem participar do certame.

O valor aproximado da licitação objeto da investigação era de R$ 20 milhões, com aporte de recursos do Programa de Apoio ao Investimento dos Estados e Distrito Federal (Proinveste) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Verificou-se a atuação de lobista junto ao BNDES, cuja função principal era obter recursos para o Estado do Amapá. Ele atuava em conluio com empresários e agentes públicos na contratação fraudulenta de empresa de consultoria, com a finalidade de desviar parte dos recursos. Ao menos R$ 2 milhões foram desviados em favor da atuação do lobista. A investigação também apontou o pagamento de vantagens indevidas ao fiscal do contrato.

Os investigados responderão, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de associação criminosa, fraude em licitação, corrupção passiva e peculato. Se condenados, as penas somadas podem chegar a 31 anos reclusão.

O termo arauto significa mensageiro, porta-voz e, no caso, faz alusão ao lobista que atuava como mensageiro entre funcionários do BNDES, empresários e agentes públicos.

Com informações da assessoria da PF

STF cancela 13,5 mil títulos eleitorais no Acre

O Supremo Tribunal Federal decidiu nesta quarta-feira (26) por maioria de votos, manter válidas as normas que autorizam o cancelamento do título do eleitor que não atendeu ao chamado para cadastramento biométrico obrigatório. Com isso, 13.564 acreanos ficarão sem votar nas eleições de outubro deste ano.

A decisão foi tomada no julgamento da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 541, na qual o Partido Socialista Brasileiro (PSB) pedia que o eleitor que teve título cancelado por faltar ao cadastramento biométrico fosse autorizado a votar.

O partido solicitou que o Supremo declarasse não recepcionado pela Constituição Federal de 1988 o disposto no parágrafo 4º do artigo 3º da Lei 7.444/1985 e, por arrastamento, os dispositivos das sucessivas resoluções do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que regulam a matéria. A maioria acompanhou o voto do ministro Luís Roberto Barroso, relator da ação, no sentido de indeferir o pedido da legenda. Ficaram vencidos os ministros Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio. O número elevado de títulos cancelados levanta questionamentos sobre se isso poderá prejudicar mais um ou outro candidato, afetando o resultado das eleições. Para se ter uma ideia da importância que podem ter 3,3 milhões de votos (2,3% dos 146,8 milhões de eleitores brasileiros), vale lembrar que no pleito de 2014, quando Dilma Rousseff (PT) foi reeleita presidente, derrotando Aécio Neves (PSDB) no segundo turno, a diferença entre os dois candidatos foi de apenas 3,5 milhões votos –praticamente o mesmo número de títulos cancelados pelo STF.

Universidade Federal realiza semana acadêmica de Geografia

A Universidade Federal do Acre (Ufac) abriu nesta segunda-feira, 24, a XXV Semana Acadêmica de Geografia. A programação segue até a próxima quinta-feira, 26.

Com o tema “O Brasil em tempos de crise: uma contribuição da ciência geográfica”, o evento tem como objetivo proporcionar aos acadêmicos e demais interessados na área de Geografia um momento de reflexão e debate sobre a lógica socioespacial da realidade vivida perante o atual cenário político, social, econômico, ambiental, cultural e territorial brasileiro

“Esse é o momento de nós não nos silenciarmos enquanto academia. É nosso papel social e acadêmico discutirmos essa crise e tomar uma posição.  É tempo de não nos calarmos e discutirmos essa crise que não é só econômica, é social, política, educacional, cultural e ética e por isso vocês estão de parabéns. O tema escolhido para a discussão dessa semana não poderia ser mais atual”, elogiou a reitora em exercício, professora Ednaceli Damaseno, durante a abertura do evento.

Em sua fala oficial, o coordenador do evento, professor José Alvez, fez questão de destacar o grau de envolvimento e participação dos alunos de licenciatura e bacharelado em Geografia. “Qualquer atividade fim que a gente realiza, seja de ensino, pesquisa ou extensão, só é possível com a participação da comunidade e alunos do curso.  A participação no concurso do logo, na comissão organizadora e a representação intensa que a gente tem entre os discentes aqui na mesa e na plateia demonstra o caminho que nós do curso de Geografia, tanto do bacharelado como da licenciatura, decidimos seguir”, disse.

A programação preparada pelos organizadores da XXV Semana Acadêmica de Geografia envolve conferências, mesas-redondas, diálogos temáticos e cinema.   “A comissão organizadora sempre trabalha muito, mas é sempre muito gratificante. Cada programação que vai acontecer aqui trará um tema especifico e cada tema especifico vai trazer o conhecimento necessário para entendermos e modificarmos o momento atual e que está por vir”, justificou a presidente do centro acadêmico do curso de licenciatura em Geografia, Ana Cristina Ferraz.

Após a solenidade de abertura, o evento teve início com a conferência ministrada pelo professor convidado Thomas Junior (Unesp/Presidente Prudente), “O Brasil em tempos de crise: uma contribuição da ciência geográfica”. Amanhã (25), a mesa redonda “Ensino de geografia e cartografia escolar”, contará com a presença do também professor convidado, Denis Richter (UFG).

PF prende foragido internacional que teria ligações com o Hezbollah

A Polícia Federal (PF) prendeu hoje (21) o foragido internacional Assad Ahmad Barakat. Ele foi encontrado na cidade de Foz do Iguaçu, no Paraná. Barakat teve a prisão determinada pela Justiça do Paraguai e ratificada pelo Supremo Tribunal Federal há dois dias. A informação foi divulgada pela PF em seu site oficial.

De acordo com a Polícia Federal, o foragido e familiares teriam relação com o grupo político islâmico extremista Hezbollah, baseado no Líbano. Ele foi condenado pela justiça paraguaia por falsidade ideológica e já havia cometido outros crimes na região da tríplice fronteira, segundo órgãos de inteligência e segurança com atuação dos países da área.

Em 2002, Barakat teve prisão autorizada pelo Supremo Tribunal Federal em um processo de extradição a pedido da Justiça do Paraguai. Ele foi acusado de crimes como evasão de divisas e falsificação de produtos.

Em 2006, foi libertado. Mas, segundo a PF, continuou atuando na América do Sul, vivendo no Brasil mas mantendo negócios no Paraguai, Argentina e Chile. A base da atuação do clã era a cidade paraguaia de Ciudad del Este.

Em julho de 2017, a Justiça Argentina congelou os bens da família. A medida foi adotada porque, segundo a Unidade de Informação Financeira do país, integrantes da família Barakat teriam adquirido prêmios em um cassino no país em valor equivalente a US$ 10 milhões sem declarar. A ação teria como objetivo lavar dinheiro para a organização.

Ufac promove Semana Florestal

No período de 17 a 21 de setembro, a Universidade Federal do Acre (Ufac) promove a XII Semana Florestal do Acre. O evento visa a troca de experiências entre estudantes, professores e profissionais da área. A abertura foi realizada na manhã de segunda-feira, 17, no anfiteatro Garibaldi Brasil, com a presença do reitor em exercício, professor Josimar Batista.

A Semana Florestal é um evento de integração acadêmica que se fundamenta nos princípios de inter-relação entre o ensino, a pesquisa e a extensão. O evento tem como objetivo promover a geração e o intercâmbio de informações em ciência florestal, este ano, com foco no tema “Amazônia e suas potencialidades”.

“Nós vivemos uma crescente necessidade de discussão sobre a Amazônia nos mais variados aspectos. Economia, saúde, pesquisa, tecnologia, empreendedorismo. O tema deste não poderia ser mais contemporâneo. É possível buscar o empreendedorismo, buscar alternativas para o desenvolvimento de toda a cadeia produtiva e isso pode se dá no transcorrer da graduação seja em atividades de iniciação científica, seja através da extensão em atividades como essa”, destacou Batista

Para a presidente do Centro Acadêmico do curso de Engenharia Florestal, Taís de Sousa, “o evento é muito significativo para os alunos e uma oportunidade para estar e interagir com profissionais da área, vendo todo o potencial que o Estado do Acre tem a oferecer aos futuros engenheiros florestais”.

A programação inclui palestras, minicursos e apresentação de trabalhos de pesquisadores de diferentes instituições. “Não é qualquer curso que consegue organizar doze semanas acadêmicas, buscando sempre convidados renomados e atentos às inovações do mercado. Aproveitem não só as atividades complementarem, mas a presença desses participantes. Suguem informações, sanem dúvidas, semana acadêmica é sinônimo de troca de conhecimento”, destacou a coordenadora do evento, professora Keiti Roseani Mendes. O encerramento da Semana Florestal será na sexta-feira, às 17h.

Servidores da Assembleia são presos na Operação Hora Extra por obstruir Justiça

A Polícia Federal realizou na manhã de terça-feira, 18, a prisão de dois servidores da Assembleia legislativa do Acre (Aleac). A operação Hora Extra deflagrada na manhã de ontem é um desdobramento da operação Hefesto que resultou na prisão de sete pessoas no último dia 13, por fraude em contratos de publicidades na Assembleia legislativa do Acre.

Segundo a PF a operação Hora Extra visa apurar crimes de corrupção, peculato, lavagem de dinheiro, organização criminosa e fraudes em licitação. Foram cumpridos dois mandados de prisão preventiva e dois mandados de busca e apreensão.

A operação foi denominada Hora Extra pelo fato dos envolvidos mesmo estando afastados um por licença e o outro de férias, terem entrado no prédio da Assembleia fora do horário de expediente e saírem levando mochilas, no dia que a operação Hefesto foi deflagrada.

Segundo informou a Polícia Federal, há indícios de que os servidores presos ontem, mantinham contato com a empresária presa na semana passada, e de que participavam dos pagamentos indevidos.

“Esses servidores são suspeitos de obstrução de Justiça e de ocultarem provas dos desvios no contrato de publicidade. Um dos envolvidos está afastado, em licença, e o outro está em férias. Entretanto, no mesmo dia da deflagração da operação Hefesto, foram até a ALEAC, em horário fora do expediente, de onde saíram levando volumes e mochilas da repartição pública” informou a PF.

Justiça Federal confirma participação direta de servidores em esquema fraudulento

Em nota publicada e assinada pelo Juiz Federal da 2ª Vara e Diretor do Foro em exercício, Haley da Luz Brasil, datada de segunda-feira ,17, confirma a participação direta de servidores da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) no esquema fraudulento que envolve contratos, licitações, corrupção, desvio de recursos públicos, e obstrução da Justiça na Assembleia.

O esquema foi divulgado na última semana, dia 13, com a deflagração da Operação Hefesto da Polícia Federal. Na ocasião, sete pessoas foram por envolvimento na fraude. Naquele dia a Justiça Federal emitiu a informação de que a Aleac havia sofrido ação de terceiros, mas fatos novos surgiram ao longo das investigações.

“Naquele dia, a Justiça Federal emitiu informação, tornada pública, de que, possivelmente, a ALEAC estava sendo alvo da ação de terceiros. Entretanto, após o cumprimento de mandados de prisão e buscas e apreensões, inclusive naquela Casa Legislativa, surgiram fatos novos”, diz um trecho da nota.

Por fim o juiz confirmou a participação dos servidores. “Dessa forma, a fim de prestar esclarecimentos à população e dar transparência a suas ações, a Justiça Federal informa que foram encontrados indícios de participação direta de servidores daquela Casa nos fatos investigados, tendo sido decretada a prisão preventiva dos envolvidos”, enfatiza o magistrado em nota encaminhada à imprensa na tarde de ontem (18).

Receita e PF apreendem dólares com delegação da Guiné Equatorial

Uma ação conjunta da Polícia Federal e da Receita Federal, no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), apreendeu malas de dinheiro e relógios da comitiva do vice-presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Mang. A delegação carregava cerca de US$ 1,5 milhão e R$ 55 mil, em espécie, e relógios de luxo avaliados em US$ 15 milhões.

Em nota, o Ministério das Relações Exteriores informou que “se manteve em coordenação permanente com a Polícia Federal e a Receita Federal no acompanhamento do caso, inclusive quanto à adoção de medidas cabíveis”. A investigação do caso está sob sigilo diplomático.

Além do vice-presidente, mais dez pessoas estavam a bordo. A delegação não veio ao Brasil em missão oficial. Em visitas oficiais, a bagagem diplomática, com documentos do país de origem, não passam pela fiscalização. A comitiva da Guiné Equatorial, no entanto, tinha malas sem conteúdo diplomático.

O vice-presidente, filho mais velho do presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, estaria no Brasil para fazer um tratamento de saúde. O avião que trouxe a delegação é do governo da Guiné Equatorial e chegou a Viracopos na noite de sexta-feira (14).

Há pouco mais de três anos, o vice-presidente acompanhou, no Rio de Janeiro, o desfile da escola de samba Beija-Flor, que homenageou a Guiné Equatorial. Conhecido como Teodorín, é apontado como sucessor natural do pai, que tem 76 anos e está no poder há mais de três décadas. Foi ministro da Agricultura e de Florestas antes de assumir o posto em que está.

Desigualdade

Na África Ocidental, a Guiné Equatorial é um dos países com maior desigualdade social e econômica do mundo. Também está entre as nações que mais desrespeitam os direitos humanos. A história do país é marcada por ditaduras e violência. O atual presidente depôs o anterior, que foi condenado à morte.

Oficialmente, o país tem três idiomas português, espanhol e francês, assim como dialetos. Guiné Equatorial faz parte da Comunidade de Língua Portuguesa ao lado de Brasil, Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique, Portugal, Tomé e Príncipe, além do Timor-Leste.

É o terceiro maior produtor de petróleo do mundo. A fortuna do presidente Nguema Mbasogo está entre as dez maiores do mundo, apesar da pobreza da Guiné Equatorial. No país, não há acesso à água potável e muitas crianças não sobrevivem além da primeira infância.

Organizações não governamentais denunciam ainda uma elevada incidência de tráfico de pessoas, inclusive de crianças, para fins sexuais e de trabalho escravo.

Aleac emite nota sobre operação da Polícia Federal

O deputado Ney Amorim, presidente da Assembleia Legislativa do Acre, emitiu nota nesta quinta-feira, 13, para reafirmar ao público a postura ética do Poder Legislativo do Estado ante à investigação da operação da Polícia Federal realizada em Rio Branco e outros municípios.

Ney Amorim convocou os deputados para repassar as informações até agora compartilhadas pelas autoridades e vai solicitar mais detalhes para manter os integrantes do Parlamento informados.  Ney diz que “situações dessa natureza nos entristecem e só reafirmam nossa certeza quanto à necessidade de contínuo desenvolvimento e implementação de ferramentas de aperfeiçoamento da gestão pública”.

Veja a nota na íntegra:

Nota Mesa Diretora Aleac

Aleac emite nota sobre operação da Polícia Federal

O deputado Ney Amorim, presidente da Assembleia Legislativa do Acre, emitiu nota nesta quinta-feira, 13, para reafirmar ao público a postura ética do Poder Legislativo do Estado ante à investigação da operação da Polícia Federal realizada em Rio Branco e outros municípios.

Ney Amorim convocou os deputados para repassar as informações até agora compartilhadas pelas autoridades e vai solicitar mais detalhes para manter os integrantes do Parlamento informados.  Ney diz que “situações dessa natureza nos entristecem e só reafirmam nossa certeza quanto à necessidade de contínuo desenvolvimento e implementação de ferramentas de aperfeiçoamento da gestão pública”.

Veja a nota na íntegra:

Nota Mesa Diretora Aleac

Operação Hefesto da Polícia Federal investiga corrupção em contratos no Acre

Uma operação deflagrada na manhã de quinta-feira, 13, pela Polícia Federal, investiga a atuação de grupo criminoso que fraudava contratos públicos na Assembleia Legislativa do estado do Acre (Aleac), e desvio de recursos, além de tentativa de suborno a servidores da Justiça do Trabalho.

Sete pessoas foram presas, e outros 17 mandados de buscas e apreensão foram cumpridos nos municípios de Rio Branco, Xapuri e Sena Madureira. Mais de 80 policiais federais estão participando da fase ostensiva da investigação.

De acordo com o delegado responsável pelo investigação Vitor Negrais o grupo criminoso tentou subornar agentes da Justiça do Trabalho para evitar que a prática fosse investigada por órgãos fiscalizadores.

“A investigação é de fatos específicos, sobretudo relacionado a tentativa de corrupção na Justiça do Trabalho. Esse grupo investigado tentou subornar um agente público da Justiça do Trabalho para que os fatos não viessem ao conhecimento das autoridades”, afirma Negrais.

Ainda segundo o delegado, por enquanto não há indícios da participação de parlamentares no caso. “Não temos notícia sobre envolvimento de entes políticos, nossa atuação foi especifica em relação ao pessoal trazidos hoje à Polícia Federal”, disse.

De acordo com a PF os investigados poderão responder pelas práticas de peculato, corrupção, lavagem de dinheiro, organização criminosa, fraude à licitação e falsidade ideológica.

A Operação foi batizada de Hefesto, em alusão na mitologia grega, é tido como Deus do Trabalho, faz uma referência direta ao local onde surgiu a informação que desencadeou a apuração dos atos ilícitos investigados.

Investigação isenta Mesa Diretora e deputados

“A Assembleia Legislativa do Acre é vítima do esquema criminoso”. A declaração é do delegado Vitor Negrais, que comandou a Operação Hefesto, deflagrada nesta quinta-feira, pela Polícia Federal.  As suspeitas não envolvem a Mesa Diretora, deputados, deputados ou servidores da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), segundo a própria PF.

A PF não forneceu maiores detalhes da operação e nem os nomes dos presos e o delegado Negrais apenas afirmou não há membros da Mesa Diretora da nem servidores da Aleac ou candidatos políticos entre os envolvidos.

Foram cumpridos 24 mandados, sendo 7 de prisão e 17 de buscas e apreensão, nos municípios de Rio Branco, Xapuri e Sena Madureira.  A operação é fruto de meses de investigação, que teve início quando membros do esquema criminoso, que agiam fraudando licitações de publicidade da Aleac buscaram aliciar servidores públicos para que impedissem a atuação dos órgãos fiscalizadores.

Federação das Indústrias e Caixa Econômica firmam convênio

Instituição financeira irá ofertar linhas de crédito, além de outros produtos e serviços às empresas filiadas aos sindicatos patronais ligados à FIEAC

A Caixa Econômica Federal no Acre irá ofertar linhas de crédito e diversos outros produtos e serviços às empresas filiadas aos sindicatos patronais da indústria ligados à FIEAC. É o que prevê o convênio assinado nesta segunda-feira, 10, pela presidente em exercício da Federação das Indústrias do Estado, Adelaide de Fátima, e pelo superintendente regional da Caixa, Victoram Costa.

Os empresários do setor industrial poderão ter acesso, por exemplo, a linhas financiamentos, capital de giro, aplicações financeiras, seguros, entre outros. “Temos capital de giro que varia de 0.8% a 0.95% ao mês para empresas que são pertencentes ao ramo do cliente verde, uma linha que a Caixa lançou e que consiste em trabalhar esse capital de giro a empreendimentos que apresentam uma responsabilidade social ambiental, o que favorece a capitalização do empresário para desenvolver suas atividades com um ganho em escala pelo capital aportado”, detalha Costa.

Segundo o superintendente regional da Caixa, os benefícios contemplam tanto os empresários como os empregados. “O empregado recebe em conta salário na Caixa e já passa a ter acesso as linhas de crédito ofertadas à pessoa física. Temos exemplos de empresas que trabalham conosco há um bom tempo e que o colaborador já conseguiu, através do crédito salário na Caixa, fazer sua casa, ter acesso ao financiamento, comprar material de construção, ou seja, realizar sonhos que antes não era possível, pois esse trabalhador não era visto pelo sistema financeiro. Um simples convênio de folha de pagamento favorece um amplo serviço ao beneficiário final, que é o empregado da empresa”, ressalta.

De acordo com a presidente em exercício da FIEAC, Adelaide de Fátima, a Federação das Indústrias, por meio dos sindicatos patronais, irá orientar os interessados sobre as opções ofertadas pela Caixa Econômica Federal e o que é necessário para que as empresas possam contratar esses produtos e serviços.

“Sem dúvida alguma, trata-se de um importante convênio em benefício da nossa classe industrial. Sabemos das dificuldades que todos os empreendedores enfrentam hoje em virtude da crise econômica e justamente por isso temos buscado alternativas para superarmos esse momento delicado para quem atua no ramo dos negócios no Acre e no país”, assinala a presidente em exercício da FIEAC.

2 fieac
Adelaide de Fátima, presidente em exercício da FIEAC, e Victoram Costa, superintendente regional da Caixa, assinaram o convênio – Foto/Assessoria FIEAC

Receita diz que mais de 20 mil contribuintes são suspeitos de sonegação

A Receita Federal informou na quarta-feira,5, que 22.299 contribuintes são suspeitos de sonegação fiscal, o órgão irá enviar carta para quem está nesta condição de indícios de sonegação no período de setembro de 2013 a dezembro de 2017. O valor sonegado é de aproximadamente R$ 1,6 bilhão.

De acordo com a Receita, foram encontradas inconsistências entre informações prestadas por empresas na Guia de Recolhimento do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e de Informações à Previdência Social (Gfip) e as apuradas pela fiscalização.

Ainda de acordo com o órgão, se as inconsistências forem confirmadas, os contribuintes terão que encaminhar Gfip retificadora e efetuar o recolhimento das diferenças de valores de Contribuição Previdenciária, com acréscimos legais.

Segundo a receita, mesmo as empresas que não receberem as cartas, ao identificar equívoco na prestação de informações ao Fisco, podem também fazer a autorregularização, para evitar autuações com multas que chegam a 225%, além de representação ao Ministério Público Federal por crimes de sonegação fiscal, entre outros.

A autoregularização pode ser feita até o dia 31 de outubro de 2018. O contribuinte que desejar saber se consta nas lista de inconsistência e também orientações para a autorregulação podem consultar na carta enviada

As inconsistências encontradas pelo Fisco, bem como orientações para a autorregularização, podem ser consultadas na carta enviada pela Receita Federal para o endereço cadastral constante do sistema de Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ).

Ainda segundo informa a receita, para confirmar a veracidade das cartas enviadas, foi encaminhada mensagem para a caixa postal dos contribuintes, que podem ser acessadas por meio do Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte (e-CAC).