Workshop discute concepção de Plano de Ciência, Tecnologia e Inovação para o Acre  

Elaborar e implementar um plano para o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação para o estado do Acre. Essa foi a proposta discutida na manhã desta quinta-feira, 13 de outubro, em workshop realizado pelo governo do Estado, por meio da Secretaria de Indústria, Ciência e Tecnologia (Seict), com apoio da Federação das Indústrias do Estado (FIEAC) e do Fórum Empresarial de Inovação e Desenvolvimento do Acre. 

O evento aconteceu na sede da Casa da Indústria e reuniu representantes de universidades, instituições públicas e privadas e de todo o setor produtivo do estado. De acordo com o titular da Seict, Assurbanípal Mesquita, a tecnologia é a alternativa que existe para o desenvolvimento do Acre.  

“Precisamos de um alinhamento, discutir o papel de cada instituição nesse contexto e o que cada uma pode fazer para potencializar essa proposta para termos resultados em curto e médio prazo. Temos um grande potencial de biodiversidade e demandas que podem tornam-se novos produtos. Temos muitas áreas promissoras e massa intelectual no estado para isso”, ressaltou Mesquita. 

O secretário diz que o grande resultado do plano em discussão será justamente a concepção do Distrito Tecnológico de Rio Branco. “Será a materialização de um espaço físico, com todas as instituições envolvidas nessa proposta inseridas com vistas à formação de profissionais na área de tecnologia, bem como potencializar a criação de um incentivo fiscal para poder atrair empresas de tecnologia ao nosso estado, que necessitarão de mão de obra suprida pelas universidades”, detalhou.  

Representante da Universidade Federal do Acre (Ufac) no workshop, o professor diz que Thiago Augusto da Cunha diz que o propósito é captar demandas convergentes entre os atores envolvidos na concepção de plano. “Assim iremos criar uma sinergia e unir esforços entre as principais instituições e demandas para avançar em eixos como agronegócio, manejo florestal e outros”, acrescentou.  

Já o chefe-geral da Embrapa no Acre, Bruno Pena, afirma que a instituição tem muito a contribuir na criação e fortalecimento do Plano de Ciência, Tecnologia e Inovação. “A Embrapa é parceira do estado há décadas. O Acre é essencialmente agro e como trabalhamos com pesquisa agropecuária, estamos apoiando fortemente essa proposta. Temos uma série de tecnologias e ativos tecnológicos que podem se transformar em inovação para que o produtor tenha acesso a essas tecnologias e assim possamos melhorar a vida do homem do campo”, salientou.  

As instituições envolvidas na iniciativa seguirão trabalhando nos próximos meses na construção do Plano de Ciência, Tecnologia e Inovação e previsão é de que a proposta será concluída até o fim deste ano.