Tião Viana apresenta redução da mortalidade infantil no Acre em congresso internacional

De 22 a 25 de novembro, a Universidade Federal do Acre (Ufac) será palco do IX Congresso Internacional de Saúde da Criança e do Adolescente (Cisca). Recebendo diversas autoridades na área, o encontro sediará discussões acerca do crescimento e desenvolvimento de crianças e adolescentes, promovendo a aproximação de pesquisadores, educadores e iniciantes à pesquisa e educação nessa área.

E nesta quarta-feira, 22, o governador Tião Viana foi um dos convidados para proferir palestra com o tema Redução da Mortalidade Infantil no Acre, uma conquista expressiva no estado após a implantação de importantes políticas públicas na área de saúde e infraestrutura.

Convidado por seu currículo profissional, Tião Viana é médico infectologista e doutor em medicina tropical pela Universidade de Brasília (UnB), além de professor pela Ufac no curso de Medicina.

Segundo os dados apresentados, o Acre possuía uma taxa de mortalidade infantil de 19,06% em 2009, reduzindo para 13,96% em 2017, numa redução total de 26,9%. Em Rio Branco, a redução foi ainda mais expressiva, saindo de 28% em 2000, para 12,8% em 2016, numa queda total de 54%.

Tião Viana destacou que nos últimos oito anos, seu governo foi responsável pelo maior programa de saneamento básico do país, a um investimento de R$ 1,8 bilhão na área, levando inclusive água tratada e rede de esgoto para municípios de difícil acesso, além de rede para aldeias indígenas.

Ele também destacou o fortalecimento da atenção na saúde da criança, fortalecimento da infraestrutura, serviços e programas das maternidades e criação de novas como a Maternidade de Feijó e a UTI Neonatal de Cruzeiro do Sul.

“Que estado reduziu em mais de 26% a sua taxa de mortalidade infantil em tão pouco tempo?”, questionou o governador ao apresentar os resultados.

governador1

O congresso

É a primeira vez que o Cisca é realizado na Região Norte. O congresso sela mais uma etapa da parceria entre o governo do Acre, a Ufac e a Faculdade de Medicina do ABC, que visa a formação continuada dos profissionais de saúde no Estado.

Há dois anos, por iniciativa do governador Tião Viana, o governo do Estado, a Universidade Federal do Acre (Ufac) e a Faculdade de Medicina do ABC (FMABC) iniciaram a parceria para a realização de 40 pesquisas, entre mestrado e doutorado, sobre saúde pública.

O projeto do governo detém investimentos da ordem de mais de R$ 1,3 milhão e representa, além da qualificação para as políticas públicas do estado, um passo importante para a instauração do curso de Medicina na região do Juruá, no Acre. A ação é executada por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), com o intermédio da Secretaria de Ciência e Tecnologia (Sect), em parceria com a FMABC e a Ufac. Foram selecionados 40 médicos e outros profissionais da saúde – 30 fizeram o mestrado e dez, o doutorado.

Um dos organizadores do evento, o médico Júlio Eduardo acredita que é uma obrigação devolver para a sociedade acreana o que foi investido nessa pós-graduação.

“A saúde da criança e do adolescente vai ter nesse congresso várias abordagens de várias especialidades. Temos o dever de devolver para a sociedade o resultado desses cursos de pós-graduação, mestrado e doutorado que o governo do Estado teve a condição de nos oferecer, na condição que tivemos de estudar e apresentação das nossas teses”, ressalta.