Trabalhadores da saúde decidem por greve geral em abril

Em assembleia geral realizada na sexta-feira, 15, o sindicato dos trabalhadores em saúde do Acre (Sintesac) decidiu que a partir do dia 02 de abril os trabalhadores irão cruzar os braços, caso o governo do estado não atenda às exigências da categoria.

Uma das principais reivindicações é a regularização do Pró-Saúde. “O governador se comprometeu a regularizar e não o fez, e este mês já é para iniciar as demissões. Então nós estamos exigindo que ele cumpra a promessa de campanha que é encaminhar o projeto de lei para a Assembleia e regularizar o pró-saúde”, explica o presidente do Sintesac, Adailton Cruz.

A situação do profissionais do Pró-saúde está em discussão desde a gestão passada, são aproximadamente 4 mil funcionários que poderão perder seus cargos caso o atual governo não regulariza a situação.

Outra reclamação dos trabalhadores é quanto a terceirização do atendimento de saúde, que de acordo com o presidente do sindicato precariza a prestação de serviço, sucateando e explorando os profissionais.

“Neste processo todo mundo perde, perde os pacientes, os usuários porque a qualidade de atendimento não melhora e os trabalhadores são extremamente explorados com jornada de 44 horas, salário mínimo, condições pífias de trabalho e a gente não quer esse retrocesso no nosso estado”, diz Adailton.

A reformulação do Plano de Cargos e Carreiras e Remunerações (PCCR) é outra exigência dos profissionais em saúde do estado. De acordo com Adailton, eles estão há dez anos com salários congelados e acumularam perdas de direitos ao longo dos anos.

“A gente está solicitando uma reformulação integral do Plano e que os direitos que foram retirados sejam restabelecidos”, comenta. Outra exigência é a realização do concurso público, conforme o sindicato, o quadro de profissionais está defasado em 5 mil funcionários.

Participaram da assembleia os sindicatos representantes de todas as categorias, deputados e trabalhadores em geral. O Sintesac afirmou que na segunda-feira, 18, haverá uma reunião com o governo para falar do assunto.

A assessoria de comunicação de secretaria de Saúde informou que a pasta está aguardando novas conversas para negociar as reivindicações com as categorias.

 

Alysson vai entregar ao MPT, e aos sindicatos da Saúde, lista de comissionados

O secretário de Estado de Saúde, Alysson Bestene, anunciou nesta segunda-feira, 18, que vai disponibilizar um levantamento dos cargos dentro do Pró-Saúde, mostrando quem recebia, mas não trabalhava ou que estava ali somente por acomodação política, por não ser profissional de Saúde.

Na tarde de segunda-feira, às 14 horas, aconteceu uma reunião, na Casa Civil do Governador, com os sindicatos, com a Secretaria de Fazenda, a de Gestão Administrativa, a Procuradoria Geral da República e os servidores do Pró-Saúde.

Na ocasião, a Secretaria de Saúde vai disponibilizar os dados que revelam uma série de ingerências do governo anterior, incluindo as acomodações de pessoas em cargos políticos que nada tinham a ver com a Saúde. Essa situação contribuiu para o inchaço financeiro e a consequente inviabilidade de programas como o Pró-Saúde, por exemplo.

“Havia pessoas empregadas que não eram para atender a pasta. Um número de cargos comissionados dentro do Pró-Saúde, colocados pelo governo anterior, que não prestava serviços em saúde. E existe uma ação civil pública que exige que essas pessoas sejam demitidas”, ressalta Bestene.

Nesta manhã, em entrevista ao programa Balanço Geral, da TV Gazeta, o secretário reafirmou a realização de concurso público simplificado para 340 profissionais, entre médicos, biomédicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e técnicos em Saúde. O certame, válido por um ano, faz parte do pacote de medidas contidas no decreto que instituiu calamidade financeira na pasta, assinado pelo governador Gladson Cameli, na semana passada.

Secretário de Saúde, Alysson Bestene, em entrevista à jornalista Chrisna Lima, no programa Balanço Geral, da TV Gazeta: concurso para a Saúde à vista (Foto: Celio Negreiro/TV Gazeta)“Nós já consultamos a Procuradoria Geral do Estado para que procedesse a viabilidade do concurso e ela deu positivo para que Secretaria de Gestão Administrativa lance o edital”, disse Alysson Bestene.

“Então, o Ministério Público do Trabalho e os sindicatos estão cientes dessa situação e vamos ter todo o cuidado [no concurso simplificado] para que entrem as pessoas que realmente estão de acordo com as funções que se exigem delas”, completa o secretário.

Epidemia de dengue obriga a prefeitura a decretar estado de emergência em saúde pública

O Diário Oficial do Estado, em sua edição desta terça-feira, 19, traz o decreto assinado pela prefeita de Rio Branco, Socorro Neri. O documento decreta estado de emergência em saúde pública em virtude de epidemia de dengue que se instalou na capital nesses primeiros dias do ano. Junto com a dengue, também está sendo registrado um surto de caxumba em diversos bairros da cidade.

A situação de emergência é decretada pelo poder público em virtude de desastre ou outra situação anormal que, embora não excedendo a capacidade inicial de resposta do município ou do estado atingido, requer auxílio complementar do Estado ou da União para as ações de socorro e de recuperação.

De acordo com os dados da Vigilância Epidemiológica de Rio Branco, somente nas quatro semanas deste ano foram registrados 1.116 casos suspeitos de dengue na cidade. Em 2018, foram 303 os casos suspeitos nas quatro primeiras semanas e, em 2017, foram 342.

“Já está mais do que caracterizado a epidemia de dengue, o que nos leva a decretar a situação de emergência em Rio Branco”, afirmou Socorro Neri. “A Prefeitura se volta agora para dar toda a atenção ao combate ao mosquito Aedes aegypti, já que todo o trabalho que nós fizemos até aqui não tem apresentado o resultado desejado, pois saímos de um surto de dengue para uma epidemia de dengue”, completou.

A prefeita disse que, a partir de agora, o trabalho de combate ao mosquito transmissor da dengue será intensificado em todas as regionais. Será necessário, inclusive, a contratação de pessoal para a visitação nas residências, de veículos, e aquisição de demais equipamentos e insumos usados na rotina de trabalho das equipes de combate às endemias.

“Será dado prioridade ao trabalho de visitação de casa em casa, que é o trabalho que que de fato tem demonstrado resultado.”

Secretário de Saúde recebe apoio e solidariedade de trabalhadores

O secretário de Saúde, Alysson Bestene, recebeu a solidariedade e o apoio de membros do Partido Progressistas e de Trabalhadores do Sistema de Saúde, depois de receber críticas de forma injusta e por parte do vice-governador, Major Rocha, que ontem (15), tão logo o governador Gladson Cameli se ausentou, fez uma visita surpresa ao Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco.

Em nota, a Juventude do Progressistas afirma que “Alysson Bestene não tem uma varinha mágica para resolver todos os problemas em 34 dias”. Mas, eles afirmam que as melhorias na Saúde já são visíveis, mesmo com toda crise.

Os jovens Progressistas também fazem a seguinte afirmação: “Aos que estão visivelmente com “fogo amigo” Vamos parar de politicagem barata, nosso Estado já tem muitos críticos. Aos que ocupam as pastas principalmente da Segurança Pública, se empenham um pouco mais a População quer ver resultados”.

Já o Sindicato dos Condutores de Ambulâncias do Acre (Sindconam), manifestou, através de nota, apoio e respeito ao secretário Alysson Bestene, destacando a forma humana, respeitosa e cordial com que ele tem tratado os trabalhadores.

Eles afirmam que são conscientes dos muitos problemas acumulados ao longo dos últimos 20 anos, mas renovam a total confiança na determinação e no compromisso de Alysson Bestene.

“Alysson Bestene vem tratando a todos de forma cordial, sempre disposto a ouvir e encontrar uma solução para os problemas. Temos consciência dos problemas estruturais e humanos, acumulados ao longo desses últimos 20 anos de abandono da nossa Saúde, mas somos testemunha do esforço do secretário nesse curto espaço de tempo”.

As mulheres do Partido Progressistas também manifestaram solidariedade e apoio a Alysson Bestene, lamentando a forma covarde como o mesmo tem sido atacado.

Para elas, nesses primeiros 34 dias, Alysson Bestene, mesmo sem recursos e com muitos problemas herdados, conseguiu bons resultados, melhorando significativamente o atendimento nas Unidades de Saúde.

Alysson Bestene preferiu não comentar as críticas, apenas se limitou a dizer que “enquanto alguns perdem tempo querendo fazer politicagem, dedico minha vida para trabalhar para melhorar a Saúde. Estou aqui pelo nosso povo”.

Secretário de Saúde recebe apoio e solidariedade de trabalhadores

O secretário de Saúde, Alysson Bestene, recebeu a solidariedade e o apoio de membros do Partido Progressistas e de Trabalhadores do Sistema de Saúde, depois de receber críticas de forma injusta e por parte do vice-governador, Major Rocha, que ontem (15), tão logo o governador Gladson Cameli se ausentou, fez uma visita surpresa ao Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco.

Em nota, a Juventude do Progressistas afirma que “Alysson Bestene não tem uma varinha mágica para resolver todos os problemas em 34 dias”. Mas, eles afirmam que as melhorias na Saúde já são visíveis, mesmo com toda crise.

Os jovens Progressistas também fazem a seguinte afirmação: “Aos que estão visivelmente com “fogo amigo” Vamos parar de politicagem barata, nosso Estado já tem muitos críticos. Aos que ocupam as pastas principalmente da Segurança Pública, se empenham um pouco mais a População quer ver resultados”.

Já o Sindicato dos Condutores de Ambulâncias do Acre (Sindconam), manifestou, através de nota, apoio e respeito ao secretário Alysson Bestene, destacando a forma humana, respeitosa e cordial com que ele tem tratado os trabalhadores.

Eles afirmam que são conscientes dos muitos problemas acumulados ao longo dos últimos 20 anos, mas renovam a total confiança na determinação e no compromisso de Alysson Bestene.

“Alysson Bestene vem tratando a todos de forma cordial, sempre disposto a ouvir e encontrar uma solução para os problemas. Temos consciência dos problemas estruturais e humanos, acumulados ao longo desses últimos 20 anos de abandono da nossa Saúde, mas somos testemunha do esforço do secretário nesse curto espaço de tempo”.

As mulheres do Partido Progressistas também manifestaram solidariedade e apoio a Alysson Bestene, lamentando a forma covarde como o mesmo tem sido atacado.

Para elas, nesses primeiros 34 dias, Alysson Bestene, mesmo sem recursos e com muitos problemas herdados, conseguiu bons resultados, melhorando significativamente o atendimento nas Unidades de Saúde.

Alysson Bestene preferiu não comentar as críticas, apenas se limitou a dizer que “enquanto alguns perdem tempo querendo fazer politicagem, dedico minha vida para trabalhar para melhorar a Saúde. Estou aqui pelo nosso povo”.

Secretaria de Saúde anuncia processo seletivo simplificado

O secretário de Estado de Saúde (Sesacre), Alysson Bestene, anunciou nesta sexta-feira, 15, a realização de um processo seletivo simplificado para a contratação de profissionais em todos os municípios do interior do estado e também na capital.

Ao falar sobre o estado de emergência na Saúde, decreto do governador Gladson Cameli, o secretário lembrou que já durante o processo de transição governamental realizado no ano passado foi constatado o déficit de pessoal nas mais diversas unidades.

De acordo com Alysson Bestene, alguns contratos tinham sido realizados de maneira muito precária, o que resultou na atual situação. “Alguns contratos foram aditivados apenas da boca para fora e, mediante isso, tivemos que fazer novos contratos desses profissionais”, afirmou.

Como esses contratos foram assinados por um período de três meses, que é o prazo do decreto da situação de emergência, o processo simplificado deverá disponibilizar em torno de 340 vagas para médicos, técnicos de enfermagem, auxiliares e até algumas vagas para os setores administrativos.

Alysson lembrou que a contratação dos profissionais não irá gerar nenhum impacto financeiro para o Estado. “Nos deparamos com a falta de profissionais, sobretudo nas unidades do interior e precisamos suprir essas necessidades em cima dessas vagas disponíveis”, explicou.

O processo simplificado constará de provas objetivas e também análise de currículos. Segundo o secretário, a expectativa é que o edital de seleção esteja disponível ainda no mês de março. “Precisamos suprir a necessidades de municípios mais distantes, como Porto Walter, Santa Rosa e a própria região do Juruá, onde há dificuldade de fixação desses profissionais”, disse.

Em assembleia os sindicatos da saúde definem ações

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Acre (Sintesac), Spate e Sindiconam, realizou uma assembleia geral no auditório do Conselho Regional de Enfermagem, Coren/AC. Cerca de 300 servidores participaram da reunião. Uma agenda foi deliberada pela categoria para tratar das negociações com a equipe de governo de Gladson Cameli.

A luta para efetivação dos servidores do Pró-saúde continua. O embate ocorre desde a gestão passada, quando o SINTESAC tenta um acordo com o governo. Um estudo de viabilidade econômica foi feito pelos sindicatos e encaminhado ao executivo. A solução para evitar as demissões era transformar a fundação paraestatal de direito privado, criada em 2008, em autarquia. Além dessa regularização, há a necessidade de reintegrar os servidores que já foram demitidos do Pró-saúde.

O atual governador utilizou essa pauta de regularização como uma de suas bandeiras de campanha, mas o fato não se concretizou até o momento. Os sindicatos não foram convidados para uma conversa. Vale lembrar que, de acordo com o que foi apurado por esse estudo, os servidores do pró-saúde gerariam um impacto somente de 0,3% do orçamento geral do estado.

“Esse valor não vai quebrar o estado do Acre. O impacto na folha seria de 1,8%. Com a reforma administrativa realizada por Gladson Cameli, a economia anual é de R$ 100 milhões. Os servidores do Pró-Saúde precisariam apenas de 4 milhões de reais. Ou seja, daria para manter esse pessoal”, pontuou presidente do Sintesac, Adailton Cruz, em sua fala de abertura na assembleia.

O mês de março ficou marcado para iniciar as demissões. Por isso, os sindicatos querem uma resposta emergencial para evitar que mais de mil famílias fiquem desempregadas injustamente, mesmo após concurso público. “Não há mais o que esperar, precisamos de uma decisão”, afirmou Cruz.

Ficou decido que representantes da Procuradoria Geral do Estado, Casa Civil, Secretaria da Fazenda e Secretaria da Saúde recebam os sindicalistas na próxima segunda-feira, 18, para uma reunião na Casa Civil, a partir de 14h. Todos os servidores pretendem acompanhar essa reunião.

“O governo já sinalizou que vai nos receber, porque eles sabem a nossa força. Mas para isso, é necessário que todos participem das reuniões e pautas do movimento a partir de agora”, orientou Rosa Nogueira, presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Acre (Spate/AC).

Na assembleia também ficou decidido que será realizada a primeira manifestação pública desse ano, no centro da cidade, a partir de 8h de terça-feira, 19. Todos os servidores foram convocados para um ato público, a fim de chamar a atenção das autoridades e resolver, efetivamente e definitivamente, a situação do Pró-saúde.

Sindicatos de saúde convocam servidores para assembleia geral amanhã

Em comunicado, Adailton Cruz, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Acre, Sintesac, convoca servidores da categoria para uma assembleia geral na próxima quinta-feira, dia 14. O encontro será realizado no auditório do Conselho regional de enfermagem, Coren/AC, a partir das 17h.

A pauta principal da assembleia está relacionada a efetivação dos servidores do Pró-saúde, ameaçados de demissão a partir do mês de março. Os sindicatos da categoria querem que a empresa se transforme em autarquia. Assim, cada trabalhador que passou em concurso público seria efetivado em sua função.

Até o momento, a equipe administrativa do governo Gladson Cameli não chamou os sindicatos para tratar sobre o assunto. Essa efetivação foi uma das bandeiras de campanha do atual gestor do estado. Depois dessa assembleia é que será deliberada as ações para chamar a atenção do governo. O principal objetivo é evitar as demissões e um caos na saúde pública do Acre.

SEMSA convoca médicos aprovados em processo seletivo

A Prefeitura de Rio Branco (PMRB), por meio da Secretaria Municipal de Saúde, divulgou no Diário Oficial do Estado (DOE), desta segunda-feira, 11, a convocação dos aprovados no concurso público simplificado para contratação de médico clínico geral para atuar nas redes municipais de saúde da capital.

Os candidatos classificados deverão comparecer munidos dos exames médicos: Avaliação do Psiquiatra para Sanidade Mental, Avaliação Dermatológica e Raio-X do Tórax com Laudo Médico (todos expedidos por especialistas) até o dia 20 de fevereiro de 2019 (quarta-feira) às 08h, na Junta Médica do Município de Rio Branco, que fica na Rua Manoel Cesário, 450, Capoeira (Antiga Federação de Futebol do Estado do Acre).

Os aprovados deverão apresentar os demais documentos exigidos no edital no dia 26 de fevereiro de 2019 (terça-feira), das 8h às 12h ou 14h às 17h, no Departamento de Gestão de Pessoas da Secretaria Municipal de Saúde de Rio Branco – SEMSA, situado na Avenida Ceará, nº. 3.335, Bairro Abraão Alab.

Após críticas, resolução que permite consulta e cirurgia a distância deve ser revisada pelo CFM

A resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM) que regulamenta a telemedicina e teleconsulta no Brasil, publicada no Diário Oficial da União (DOU) na última quarta-feira, 6, deve passar por uma ampla revisão nos próximos dois meses. A medida, que autoriza médicos brasileiros a realizar consultas on-line, telecirurgias e telediagnóstico, sofreu diversas críticas e observações por entidades médicas, como o Conselho Regional de Medicina do Acre (CRM-AC).

O principal argumento dos que questionam diversos pontos da resolução diz é a possibilidade da autorização de dificultar diagnósticos corretos dos pacientes e aumentar o risco de vazamento de informações que deveriam ficar apenas entre médicos e as pessoas que buscam atendimento nas unidades de saúde. A resolução nº 2.227/18 autoriza médicos brasileiros a realizar consultas online, assim como telecirurgias e telediagnóstico, entre outras formas de atendimento à distância.

Leuda Davalos, presidente do CRM-AC, explica que a possibilidade de alteração foi aberta após uma reunião do CFM com os 27 presidentes de conselhos regionais de medicina no mesmo dia em que a resolução foi publicada. Segundo ela, a medida é polêmica e alguns pontos causam divergência entre os profissionais médicos, já que um dos artigos não estabelece a graduação em Medicina para os profissionais que estarão no local onde o paciente será consultado a distância.

“Quando ele [artigo da resolução] diz ‘profissionais da saúde’ não especifica se tem que ser médico. A gente precisa que a pessoa que estará na outra ponta [no local de atendimento que possui toda a infraestrutura tecnológica para se fazer o atendimento a distância] seja qualificada. Outro ponto é garantir o funcionamento efetivo dessa tecnologia em localidades com dificuldades de acesso pleno a internet e comunidades remotas, principalmente no interior”, enfatiza Leuda.

Para o CFM, a proposta abre “as portas à integralidade do Sistema Único e Saúde (SUS) para milhões de brasileiros, atualmente vítimas da negligência assistencial”, possibilitando acesso à saúde onde normalmente ela não chega, geralmente locais em que o Poder Público não consegue fixar médicos nas unidades. O Conselho também destaca que a telemedicina beneficiará da mesma forma grandes centros urbanos, ajudando a atender a grande demanda do sistema convencional, ocasionada pela migração de pacientes em busca de tratamento, e agilizando atendimentos.

Após a reunião com os 27 presidentes de conselhos regionais de medicina, a entidade federal aceitou a proposta de aperfeiçoamento da resolução pela classe médica. Em nota, o CFM afirmou que “concordou em receber dos CRMs, entidades médicas e da categoria propostas para o aperfeiçoamento da norma, as quais serão analisadas e poderão ser implementadas após deliberação do plenário”. Ainda de acordo com a instituição, o prazo para a autarquia receber as sugestões é de 60 dias. Após isso, elas serão analisadas e debatidas pelos membros do Conselho.

“Outro ponto é o funcionamento eficiente e seguro do sistema que será implantado. Precisamos resguardar ao máximo as informações dos pacientes, são dados preciosos que nunca devem vazar. Ela passa por esse momento de modificações para que seja aperfeiçoada ao máximo. Durante esses próximos 60 dias, médicos e entidades de todo o Brasil podem encaminhar sugestões para essa melhoria. Queremos garantir o bem estar dos pacientes”, enfatiza a presidente do CRM-AC.

Como funciona

A resolução estabelece que a telemedicina é o “o exercício da medicina mediado por tecnologias para fins de assistência, educação, pesquisa, prevenção de doenças e lesões e promoção de saúde”, podendo ser realizada em tempo real (síncrona), ou off-line (assíncrona). Já a teleconsulta é o atendimento médico remoto, mediado por tecnologias, com médico e paciente localizados em diferentes espaços geográficos. A prática pode ser adotada tanto pelo SUS quanto pela rede privada.

A presidente do Conselho Regional de Medicina do Acre explica que a medida determina que todos os pacientes passem por um atendimento presencial antes da teleconsulta. Ela seria adotada em caso de falta de especialista para um problema específico de saúde, como cardiológico por exemplo, no quadro médico do local. Apesar de apontar diversas vantagens que podem ser adquiridas, Leuda observa que a prática pode afastar o contato físico entre médico e paciente.

“Ao mesmo tempo em que a resolução pode ofertar um médico especialistas que não possa ter em Santa Rosa, por exemplo, ela também pode distanciar ainda mais a relação médico-paciente. Uma das nossas grandes preocupações é de que é muito importante que nós médicos possamos tocar no paciente, ouvir ele e olhá-lo. É por isso que ela vai passar por modificações, para evitar situações que podem prejudicar os pacientes, que são o centro do debate”, afirma a presidente do CRM-AC.

Outra determinação da medida publicada na semana passada é de que todos os atendimentos devem ser gravados e arquivados, com envio de um relatório ao paciente. Segundo o CFM, sempre deverá ser mantida a confidencialidade para se ter certeza de que não haverá vazamento das informações trocadas entre médico e paciente. Além disso, será necessária a concordância e autorização do paciente ou seu representante legal − “por meio de consentimento informado, livre e esclarecido, por escrito e assinado” – sobre a transmissão ou gravação das suas imagens e dados.

Questionada se há uma previsão para que a telemedicina e teleconsulta seja implantada no Sistema Único de Saúde do Acre, Leuda Davalos explica que as unidades de saúde da rede privada e as geridas pela Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre), ou seja, as do Estado, depende do interesse do Poder Público e das empresas privadas do ramo. De acordo com ela, Conselho Regional de Medicina do estado será responsável apenas por fiscalizar o funcionamento do sistema pós-implantação.

A presidente do CRM-AC acrescenta que vários fóruns, seminários e congressos serão realizados por todo país durante os próximos 60 dias para suscitar um amplo debate sobre as divergências da resolução. Ela informa ainda que os médicos do Acre que desejarem encaminhar sugestões de aperfeiçoamento da medida já podem enviar as ideias por meio de um espaço reservado no site da entidade (www.crmac.org.br). “Essa resolução afeta profissionais e população, além de mostrar que nós médicos precisamos estar atentos as mudanças tecnológicas e profissionais”, finaliza.

Saúde alerta para o aumento de casos de caxumba em Rio Branco

A Prefeitura de Rio Branco, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA) alerta para o aumento no número de casos de caxumba na capital. Nos últimos dois meses de 2018 foram notificados 99 casos da doença. Em janeiro de 2019 foram registrados outros 109 casos.

A vacinação é a única maneira de prevenir a caxumba. O Sistema Único de Saúde oferta gratuitamente as vacinas Tríplice Viral, que protegem contra sarampo, caxumba e rubéola, e Treta Viral, que adiciona a proteção contra varicela (catapora). Em Rio Branco, a vacina é ofertada em todas as unidades da rede municipal de saúde, de segunda a sexta, das 7h às 17h.

Adultos que não foram infectados pelo vírus da caxumba na infância ou na adolescência têm indicação de ser imunizados, com exceção de gestantes e imunodeprimidos graves.

Caxumba

A caxumba é uma infecção viral aguda e contagiosa. Pode atingir qualquer tecido glandular e nervoso do corpo humano, mas é mais comum afetar as glândulas parótidas, que produzem a saliva, ou as submandibulares e sublinguais, próximas ao ouvido. A caxumba, também conhecida como Papeira, é uma doença de distribuição universal, de alta morbidade e baixa letalidade, aparecendo sob a forma endêmica ou surtos. É mais comum em crianças no período escolar e em adolescentes, mas também pode afetar adultos em qualquer idade. Normalmente, a caxumba tem evolução benigna, mas em alguns raros casos pode apresentar complicações resultando em internações e até mesmo em morte.

Transmissão

A transmissão se dá pelo contato direto com uma pessoa infectada através das gotículas de secreção da orofaringe. A imunidade é de caráter permanente, sendo adquirida por infecções inaparentes, aparentes ou imunização ativa. O período de incubação é de 12 a 25 dias, sendo em média de 16 a 18 dias. O período de transmissibilidade varia entre 6 a 7 dias antes das manifestações clínicas até 09 dias após o surgimento dos sintomas. A vacinação é a única maneira de evitar o contágio. Por orientação do Ministério da Saúde, mesmo o adulto que não se vacinou quando criança deve se vacinar (a indicação é até 49 anos) para evitar contrair o vírus e propagá-lo. Nesse grupo, a caxumba apresenta complicações, como a infecção nos testículos e ovários. Porém, a caxumba apresenta sintomas geralmente benignos e não é considerada uma doença grave. Na rotina dos serviços de saúde pública, a vacinação contra a caxumba é ofertada para a população a partir de 12 meses.

A quarentena é uma forma de evitar a transmissão. “ É importante que pessoas já acometidas evitem locais de grande circulação, permaneçam em cassa o maior tempo possível e, s precisar sair , que utilize a máscara, uma vez que a caxumba pode ser transmitida pelo ar”, lembra a diretora da Vigilância Epdemiológica da SEMSA, Socorro Martins.

Uma vez infectada e curada da caxumba, a pessoa tem imunidade permanente contra o vírus.

Tratamento

O tratamento da caxumba é baseado nos sintomas clínicos do paciente, com adequação da hidratação e alimentação, já que esses pacientes aceitam mal alimentos ácidos, que podem ocasionar dor, náuseas e até vômitos. Além disso, a boa higiene bucal é fundamental. Por ser uma infecção viral, a caxumba é tratada naturalmente pelo organismo. A indicação é apenas de repouso, medicamentos para dor e temperatura e observação cuidadosa para a possibilidade de aparecimento de complicações. Nos casos que cursam com meningite asséptica, o tratamento também é sintomático. Nas encefalites, a orientação é tratar o edema cerebral e manter as funções vitais. Felizmente, a maioria dos casos da caxumba tem recuperação natural e progressiva, sem grandes complicações, em até duas semanas. O médico deve ser sempre consultado em caso de dúvidas ou surgimento de outros sintomas.

sintomas

Número de clientes de planos de saúde tem primeira elevação

Os planos de saúde fecharam 2018 com alta de 0,4% no número de clientes, em comparação ao ano anterior. Os números são do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS). 

Esta foi a primeira elevação desde 2014. No período compreendido entre 2014 e 2017, o setor de saúde suplementar só registrava perdas. Mais de 3 milhões de consumidores perderam os planos de saúde.

Os planos médico-hospitalares encerraram 2018 com 47,4 milhões de clientes. No total, foram firmados 200,2 mil novos contratos de janeiro a dezembro, segundo o IESS. O instituto atribuiu o impulso para a recuperação do setor às regiões Centro-Oeste e Nordeste. No Centro-Oeste, foram registrados 111,8 mil novos vínculos ao longo de 2018, incremento de 3,6% e um total de 3,2 milhões de pacientes atendidos.

Outro destaque é o Nordeste, onde foram firmados 82,8 mil novos vínculos. A região contabiliza 6,6 milhões de beneficiários, com aumento atingiu 1,3%.

No Sudeste, o destaque foi São Paulo que, mesmo sendo o maior mercado de planos de saúde do Brasil, fechou o ano com evolução de 0,3% no total de planos médico-hospitalares, o que equivale a 58,3 mil novos contratos. “O estado representa mais de um terço, ou o equivalente a 36,3% do total do mercado nacional. Com esse tamanho, é natural que qualquer processo de retomada seja mais lento. Mas, uma vez ‘engatada’, a tendência é que a saúde suplementar volte a apresentar resultados positivos”, avaliou Carneiro.

O Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) é uma entidade sem fins lucrativos que tem como objetivo promover e realizar estudos sobre saúde suplementar baseados em aspectos conceituais e técnicos que colaboram para a implementação de políticas e para a introdução de melhores práticas no país.

Número de clientes de planos de saúde tem primeira elevação

Os planos de saúde fecharam 2018 com alta de 0,4% no número de clientes, em comparação ao ano anterior. Os números são do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS). 

Esta foi a primeira elevação desde 2014. No período compreendido entre 2014 e 2017, o setor de saúde suplementar só registrava perdas. Mais de 3 milhões de consumidores perderam os planos de saúde.

Os planos médico-hospitalares encerraram 2018 com 47,4 milhões de clientes. No total, foram firmados 200,2 mil novos contratos de janeiro a dezembro, segundo o IESS. O instituto atribuiu o impulso para a recuperação do setor às regiões Centro-Oeste e Nordeste. No Centro-Oeste, foram registrados 111,8 mil novos vínculos ao longo de 2018, incremento de 3,6% e um total de 3,2 milhões de pacientes atendidos.

Outro destaque é o Nordeste, onde foram firmados 82,8 mil novos vínculos. A região contabiliza 6,6 milhões de beneficiários, com aumento atingiu 1,3%.

No Sudeste, o destaque foi São Paulo que, mesmo sendo o maior mercado de planos de saúde do Brasil, fechou o ano com evolução de 0,3% no total de planos médico-hospitalares, o que equivale a 58,3 mil novos contratos. “O estado representa mais de um terço, ou o equivalente a 36,3% do total do mercado nacional. Com esse tamanho, é natural que qualquer processo de retomada seja mais lento. Mas, uma vez ‘engatada’, a tendência é que a saúde suplementar volte a apresentar resultados positivos”, avaliou Carneiro.

O Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) é uma entidade sem fins lucrativos que tem como objetivo promover e realizar estudos sobre saúde suplementar baseados em aspectos conceituais e técnicos que colaboram para a implementação de políticas e para a introdução de melhores práticas no país.

Secretaria Municipal de Saúde faz Arrastão contra o Aedes no Bairro Placas

Desde que as ações de combate ao Aedes foram intensificadas pela prefeitura de Rio Branco, em outubro do ano passado, as equipes da secretaria de saúde, já alcançaram 50 mil imóveis de Rio Branco só com arrastões, quando os agentes vão de casa em casa na busca ativa e eliminação de focos do mosquito. Nesta quarta-feira, o 11º arrastão do período, foi realizado no Bairro das Placas, a partir da Escola Theodolina Falcão Macêdo.

Os arrastões nos bairros são realizados toda quarta-feira e são complementados por outras ações estratégicas diárias, como blitz educativas e palestras.

A coordenadora da Escola Theodolina, Selma Gama, elogiou as medidas adotadas pela Prefeitura, por meio da SEMSA e diz que o arrastão, que também vasculhou todas as dependências da unidade de ensino, faz a diferença. “Eles já estiveram aqui no bairro em outras ocasiões e realmente, a ida dos agentes de casa em casa é eficaz, porque a gente percebe na escola que os alunos, bem como os pais, ficam mais atentos e tiram dúvidas sobre o mosquito e as doenças causadas por ele”, explica a gestora, que cita que “assim que o ano letivo for iniciado vamos reforçar ainda mais o combate ao mosquito em toda a comunidade, por meio dos alunos”.

O diretor da Vigilância em Saúde da SEMSA, Félix Araújo da Silva, destaca que apesar dos esforços, os casos de notificação de dengue, bem como a positividade, aumentaram. “O que aumenta também nossa responsabilidade e da população, que não deve se descuidar de suas casas e quintais para evitar os focos do Aedes”.

Outras ações

Nesta quinta-feira, 7, a SEMSA realiza blitz educativa de combate ao Aedes na Avenida Getúlio Vargas, em frente ao Teatrão, a partir das 8 horas da manhã. Na sexta-feira, 8, a partir das 8 horas haverá exposição e palestra para o público sobre as fases do Ades e as formas mais eficazes de combate ao mosquito. “Quanto mais gente alcançarmos com informações e conscientização, mais teremos chance de diminuir os focos e os casos das doenças causadas pelo Aedes, por isso todas as estratégias são utilizadas e reforçadas neste período de aumento das chuvas”, conclui o diretor de Vigilância em saúde, Félix Araújo.

No dia de combate ao câncer, entidades defendem rapidez em diagnóstico

A advogada Leide Jane tem 47 anos e descobriu em janeiro de 2017 que tinha câncer de colo de útero. Ela fez o tratamento no Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), que incluiu quimioterapia, radioterapia e braquiterapia até setembro de 2017. “De lá para cá, tenho feito acompanhamento de três em três meses”, disse Leide Jane à Agência Brasil.

O câncer levou a advogada a mudar alguns hábitos. “Passei a buscar a prática de esportes, passei a não levar desaforo para casa. Meu temperamento mudou um pouquinho, porque antigamente eu guardava muita coisa e hoje eu não estou disposta mais. Busco estar próxima de pessoas alegres; de pessoas problemáticas eu me afasto.”

Leide estará presente no Inca hoje (4), Dia Mundial de Combate ao Câncer, quando o instituto vai divulgar estudo inédito sobre os sobreviventes do câncer e suas necessidades especiais. O estudo revela que, como as taxas de sobrevida da doença são cada vez maiores, milhares de pessoas têm sobrevivido ao câncer em todo o mundo. Muitas, entretanto, ficam com sequelas, inclusive emocionais. O estudo do Inca pretende mostrar como lidar com essas pessoas, como elas reagem e adotam hábitos mais saudáveis.

Leide Jane disse que está se sentindo mais forte. O câncer, para ela, “foi um aprendizado em muitos aspectos”.

Diagnóstico útil

A campanha global Eu Sou e Eu Vou, organizada pela União Internacional de Controle do Câncer (UICC), marca o Dia Mundial de Combate ao Câncer colocando cada indivíduo, instituição, empresa, governo ou comunidade como potencial vetor de transformação e redução do impacto do câncer. Anualmente, cerca de 9,6 milhões de pessoas em todo o mundo morrem em decorrência do câncer. A Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer (IARC) estima que, até 2030, o câncer deve ser a principal causa de morte no mundo. Esses números poderiam ser menores se a doença fosse detectada mais cedo, de modo a permitir um tratamento mais eficaz e assertivo, afirma a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama).

Membro da UICC e em comemoração ao Dia Mundial de Combate ao Câncer, a Femama convida os brasileiros a se mobilizarem pela aprovação do Projeto de Lei (PLC) 143/2018, ou PLC dos 30 Dias, que pode contribuir com o aumento de diagnósticos em estágios mais iniciais da doença. O projeto foi aprovado pela Câmara Federal em dezembro do ano passado e tramita no Senado.

A presidente voluntária da Femama, Maira Caleffi, reforça que ações em datas como o Dia Mundial de Combate ao Câncer são fundamentais para que a população e o governo deem mais atenção a projetos com potencial de transformação, como a PEC dos 30 Dias. “À medida que o acesso à informação, ao diagnóstico e ao tratamento melhora, a chance de sobrevida também cresce; por isso, devemos continuar a fortalecer a luta por uma legislação que permita acesso a diagnóstico ágil do câncer e salve vidas”, afirma.

O projeto estabelece que os exames necessários para a descoberta do câncer ou a confirmação em biópsia devem ser feitas em 30 dias no Sistema Único de Saúde (SUS). Hoje não há um prazo definido para a confirmação da doença, o que pode fazer com que o câncer evolua, impedindo que os doentes possam se tratar de forma mais rápida.

Mobilização

As 74 ONGs que integram a rede Femama no Brasil foram mobilizadas para entregar documentos aos senadores de seus estados, com explicações sobre a importância do projeto e para que apoiem a medida na Casa.

Dados da Sociedade Americana do Câncer (ACS) revelam que nos Estados Unidos as chances de sobrevida após cinco anos de uma paciente com câncer de colo de útero, por exemplo, que teve diagnóstico nos estágios iniciais, é de 93%, contra 15% nos casos em que o diagnóstico é feito em estágios mais avançados.

A entidade brasileira defende ainda que o tratamento de pacientes com câncer em estágios iniciais é muito mais barato. Segundo a Femama, no caso do câncer de mama, o investimento feito em uma paciente na rede pública de saúde brasileira era de R$ 49.488, em 2016, quando o diagnóstico era feito no primeiro estágio da doença. Quando diagnosticado no terceiro estágio, esse custo evoluía para R$ 93.241.

A população brasileira pode contribuir para o avanço da PEC dos 30 Dias no Senado pela internet, no portal do Senado E-cidadania, votando de maneira afirmativa à pergunta: “Você Apoia essa Proposição?”.

Campanha de dermatologia será realizada hoje no HC

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre), realiza nesta segunda-feira, 04, uma campanha de atendimento dermatológico, com consultas para as pessoas que apresentem qualquer tipo de manchas na pele. A atividade será realizada no período da manhã no setor de dermatologia, localizado no Hospital das Clínicas (HC).

Para se consultar, não precisa fazer agendamento, é necessário apenas levar documento oficial com foto e o cartão do SUS. A ação é promovida por meio do Serviço Estadual de Dermatologia e o do Programa Estadual de Controle da Hanseníase.

De acordo com Franciely Gonçalves, gerente do Serviço Estadual de Dermatologia e do Programa Estadual de Controle da Hanseníase, em comparação com a década de 80, o estado do Acre apresenta uma redução na prevalência de Hanseníase de 98,2%. Entretanto a cada ano, houveram descobertas de novos casos, por isso, é necessário unir forças para fortalecer o enfrentamento dessa doença.

“Mancha dormente na pele pode ser hanseníase e para saúde estadual isso é uma prioridade, portanto, as pessoas com manchas suspeitas de hanseníase, não precisam de agendamento de consultas, basta levar o cartão do SUS ao Serviço de Dermatologia no HC para avaliação médica”, destaca a gerente.

Prevenção

É importante que as pessoas se auto examinem, e ao encontrar manchas dormentes na pele, procurem o Serviço de Dermatologia para realizar a avaliação. Todos que moram na casa de quem está tratando ou já tratou de hanseníase, devem tomar a 2ª dose da vacina BCG, como forma de proteção. O Serviço de Dermatologia realiza na última sexta-feira de cada mês essa vacinação.

Semsa encontra vetor da doença de Chagas em açaí e convoca população

Quem tomou açaí deve fazer exames no Lacen

Após constatar a presença do vetor da doença de Chagas em amostras de açaí comercializado no Mercado Municipal Elias Mansour, localizado no Centro de Rio Branco, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) convocou na sexta-feira, 1, a população da capital que comprou e consumiu o produto dos fornecedores do local a fazerem o exame preventivo para diagnóstico da doença.

A orientação vale para os populares que adquiriram a polpa da fruta entre novembro do ano passado e janeiro deste ano. De acordo com a Semsa, os exames podem ser feitos no Centro de Apoio e Diagnóstico (CAD), ao lado do Laboratório Central de Saúde Pública Dr. Djalma da Cunha Batista (Lacen) que fica localizado na Avenida Getúlio Vargas, Travessa do Hemoacre.

Durante coletiva em que anunciou a convocação, Oteniel Almeida, secretário de Saúde de Rio Branco, explicou que a constatação de fragmentos de DNA de Trypanosoma cruzi, protozoário causador da doença de Chagas, veio após fiscalização da Vigilância Sanitária nos mercados do Manoel Julião, Ceasa, Quinze e Elias Mansour. Quase todos apresentaram resultados negativos.

Entretanto, as amostras de açaí coletadas no Mercado Elias Mansour e entorno apresentaram resultados positivos da doença. Com isso, a Prefeitura retirou de comercialização o açaí de procedência desconhecida. Na coletiva, o secretário explicou que a fiscalização é realizada periodicamente nos mercados e que nos últimos anos não foram encontradas inconsistências.

“As unidades do Município vão fazer a coleta das amostras da população e o Lacen irá realizar o diagnóstico, é uma parceria entre Prefeitura e Estado. A partir de segunda-feira até o dia 18 deste mês, das 7h às 12h e das 14h às 17h, serão realizados os exames voltados à população. Os resultados serão apresentados as pessoas em até três dias úteis”, explicou o gestor municipal.

Segundo Almeida, os produtores e comerciantes que atuam no Mercado Elias Mansour também passarão por exames como medida preventiva e início imediato de tratamento diante resultados positivos. Ele ressaltou que é importante que esse grupo comunique o Poder Público se teve ou não contato com o açaí ou outros produtos derivados da fruta que são comercializados na região.

Fiscalização

A Secretaria Municipal de Agricultura de Rio Branco destacou que até 2010 a comercialização e o processamento do açaí eram feitos nos boxes do Mercado Elias Mansour, a última prática foi banida após o local passar por reforma. “Foi orientado que o processamento fosse feito em locais apropriados. Então ficou apenas a comercialização”, disse o gestor da pasta Elysson de Souza.

O secretário explicou que o processamento da fruta é feito em agroindústrias ou até mesmo de forma artesanal. Porém, é preciso de que um certificado de autorização para que o processo seja realizado. “A gente sabe que o açaí é um produto feito de forma artesanal, mas deve ser expedido uma certificação que apresenta a origem do produto”. Souza reforçou que é importante que os comerciantes procurem a Secretaria de Agricultura para verificar o registro de fornecedores

Com 21 casos em 2018, Saúde alerta para risco de leptospirose durante cheia em cidade no AC

Entre 2017 e 2018, o número dos casos de doença caíram 78%. Doença é mais comum em épocas de inundações

A cheia do rio Juruá tem preocupado a Secretaria Municipal de Saúde de Cruzeiro do Sul. Isso porque o período é mais propício para casos de leptospirose – transmitida pela urina do rato. Os registros da doença caíram, entre 2017 e 2018, 78% – saindo de 96 para 21 casos.

O Setor de Epidemiologia Municipal alerta que no período de cheia é preciso adotar as medidas de prevenção para evitar contrair a doença. O contato com a urina do rato e de outros animais infectados é a principal forma de transmissão da leptospirose que teve um maior número de casos registrados no ano de 2018, no período de novembro a dezembro. Nesse período foi confirmada uma morte por leptospirose, o último óbito tinha sido confirmado em 2014.

Nesses meses, o rio Juruá aumentou seu volume de água invadindo vários bairros da cidade, onde a doença esteve mais presente, como na Lagoa, Várzea e Miritizal.

“O cidadão precisa cuidar do lixo na sua casa, porque é no lixo que o roedor fica lá e serve de alimentação. Não pode jogar o lixo em qualquer canto. Muitas vezes, a pessoa faz uma construção e deixa os entulhos em seu quintal, aí o ratinho vai fazer sua urina lá e quando a água passa, essa urina se espalha e contamina as pessoas”, alerta o coordenador da Vigilância Epidemiológica, Nicolau Abdalah.

Em 2019, apenas dois casos da doença estão sendo investigados e o diagnóstico só será divulgado em fevereiro. Mesmo assim, a gestão garante que vai desenvolver ações preventivas para evitar novos casos de leptospirose.

“Nossa preocupação é poque esse é o período sazonal com enchente, muita chuva e se sabe o que contamina é a urina do roedor que ele faz num local pequeno e a água espalha para um local maior. Então, alertamos a população que se tiver os sintomas não fique em casa, procure uma unidade de saúde. Estamos agora visitando essas áreas fazendo esse trabalho de orientação que é o melhor caminho”, garante Abdalah.Como se pega a leptospirose?

Em situações de enchentes e inundações, a urina dos ratos, presente em esgotos e bueiros, mistura-se à enxurrada e à lama das enchentes. Qualquer pessoa que tiver contato com a água ou lama contaminadas poderá se infectar. A Leptospira penetra no corpo pela pele, principalmente se houver algum ferimento ou arranhão.

Quais os sintomas?

Os sintomas mais freqüentes são parecidos com os de outras doenças, como a gripe. Os principais são: febre, dor de cabeça, dores pelo corpo, principalmente nas panturrilhas (batata-da-perna), podendo também ocorrer icterícia (coloração amarelada da pele e das mucosas).

Quanto tempo demora para a doença aparecer?

Os primeiros sintomas podem aparecer de um a 30 dias depois do contato com a enchente. Na maior parte dos casos, aparece 7 a 14 dias após o contato.

Como é feito o tratamento da leptospirose?O tratamento é baseado no uso de antibióticos, hidratação e suporte clínico, orientado sempre por um médico, de acordo com os sintomas apresentados. Os casos leves podem ser tratados em ambulatório, mas os casos graves precisam ser internados.

Como evitar a doença?

Evite o contato com água ou lama de enchentes e impeça que crianças nadem ou brinquem em ambientes que possam estar contaminados pela urina dos ratos. Pessoas que trabalham na limpeza de lamas, entulhos e desentupimento de esgoto devem usar botas e luvas de borracha (se isto for possível, usar sacos plásticos duplos amarrados nas mãos e nos pés).

Hospital do amor deve começar a funcionar em março

O hospital do Amor destinado a prevenção e tratamento do câncer de mama e de colo uterino deve começar a funcionar no mês de março, e para dar funcionalidade a estrutura que já está pronta, a unidade abriu processo seletivo para contratação de profissionais de diversos áreas no intuito de compor o quadro funcionários.

As vagas são destinadas para enfermeiro, técnicos em enfermagem, técnico de radiologia e auxiliar administrativo. A seletiva é dividida em três etapas: envio de currículos, prova e entrevista.

  Interessados em participar da seleção devem enviar currículo em formato PDF, entre os dias 30 de janeiro a 04 de fevereiro para o e-mail: [email protected] A prova acontecerá em 10 de fevereiro e a entrevista nos dias 18 e 19 deste mesmo mês.

“Esta prova é específica por categoria, para medir o nível de conhecimento de cada profissional”, explicou o diretor do hospital João Paulo Silva. De acordo com o diretor, os aprovados no processo seletivo passarão por capacitação em Barretos.

“Todo mundo que for aprovado no processo seletivo, vai ter que ir para Barretos para passar por um treinamento, eles são muitos rigorosos. A gente vai começar a atender em março, mas ainda de forma meio tímida, porque a equipe estará em capacitação”, garantiu.

Ainda segundo o diretor da unidade de Barretos no Acre não um número definido de vagas, o hospital irá criar um banco de reserva para chamar os profissionais de acordo com a necessidade.

“O hospital vai abrir um banco de dados de RH (recursos humanos) todas as pessoas que fizerem o processo seletivo e forem aprovadas vão migrar para o banco i informativo do RH e serão chamadas de acordo com a demanda”, esclareceu.

Além da unidade fixa, o hospital conta ainda com mais unidades móveis que devem percorrer os municípios acreanos realizando exames de mamografia e exames preventivos do Câncer do Colo do Útero (PCCU), segundo Silva, cada carreta (unidade móvel) terá uma equipe.

Porém, neste primeiro momento não há previsão para essas carretas, que são as unidades móveis, comecem a atender. Cada unidade móvel contará com uma equipe que acompanhará os trabalhos nos municípios acreanos.

1ª ação de saúde em homenagem ao Dr. Baba fez mais de cinco mil atendimentos

A primeira edição da ação de saúde solidária em homenagem ao médico Rosaldo Firmo Aguiar (Dr. Baba) foi encerrada neste domingo, 27. Ao todo, foram contabilizados 5.581 atendimentos com consultas médicas, odontológica, psicológica, além dos exames de ultrassonografia e eletrocardiograma. A ação tinha como objetivo levar serviços médicos as comunidades ribeirinhas entre os municípios de Tarauacá à Jordão.

Foram realizados atendimentos em cinco comunidades (Alagoas, São Luiz, União, Santa Luzia e Joacyr), sendo que os moradores das comunidades próximas se deslocavam para os locais aonde era executado os trabalhos para serem consultados.

Além do serviço médico, também foram realizadas doações de roupas, sapatos, brinquedos e materiais esportivos.

A ação foi planejada por Dr. Baba e pelo colega de profissão e deputado estadual, Dr. Jenilson Leite, que decidiu dar continuidade as atividades, mesmo após a morte de Baba, ocorrida em 2018.

O atendimento teve início no dia 19 de janeiro em Jordão. Neste ato, profissionais da área de saúde do município se uniram aos componentes do barco Raimundo Ferreira para descerem o rio e atender à população rural.

Na comunidade Santa Luzia, local de nascimento do Dr. Baba, além dos serviços médicos, foi realizado um ato ecumênico com a presença dos familiares, na qual eles puderam prestar homenagens.

saude002

saude004Já no seringal Joacyr, local do último atendimento, o dono da propriedade Raimundo Damasceno ofereceu um churrasco à equipe da ação de saúde e aos moradores que foram participar das atividades.

Vale destacar, que às vezes o Estado demora cerca de um ano para realizar um exame desses com os pacientes na fila do Sistema Único de Saúde. Muito diferente do que ocorreu com os cidadãos atendidos pela ação que puderam fazer o exame e receber o laudo na mesma hora.

A tripulação do barco Raimundo Ferreira é composta de 23 pessoas. Sendo que a equipe da área de saúde tinha três médicos, enfermeiros, odontólogo, biomédica, psicóloga e técnicos de enfermagens. Todos voluntários.

“Me sinto com a sensação do dever cumprido, porque sei que o Baba estaria muito feliz no final dessa ação, pela quantidade de pessoas atendidas, mais do que isso, por ver a felicidade das pessoas estampadas no rosto por ter seus problemas de saúde solucionados”, comentou o médico. “Quem conheceu o Baba sabe o quanto ele praticava a medicina com amor, sua causa maior era poder atender as pessoas mais necessitadas, foi o que fizemos e vamos continuar fazendo. Porque tiraram a vida de um homem digno, mas suas ideias jamais poderão ficar esquecidas”, destacou Jenilson Leite.

Ele também expressou sua gratidão às pessoas que fizeram parte dessa corrente de solidariedade. “Quero ser grato a todos que contribuíram para a execução desse trabalho, sem essa equipe maravilhosa era quase impossível termos feito essa ação. Minha gratidão e peço a Deus que abençoe a todos para que continue fazendo o bem. Muito obrigado!”, disse o médico, emocionado.

saude003

12 alimentos para combater a depressão

Ricos em nutrientes, eles garantem bem-estar e ajudam no tratamento da doença

A depressão é um transtorno mental bastante comum atualmente. Segundo o Ministério da saúde, estima-se que, na América Latina, 24 milhões de pessoas sofram com a doença. Num episódio depressivo a pessoa pode se sentir sem energia, com o humor afetado, sem interesse e sem vontade de fazer tarefas comuns da sua rotina, além dos sintomas físicos como dor de cabeça e dor de estômago. Nosso cérebro produz substâncias chamadas de neurotransmissores que controlam inúmeras funções cerebrais. Um destes neurotransmissores, a serotonina, é capaz de dar ao cérebro sensação de bem-estar, regulando nosso humor e também dando sensação de “saciedade”.

A alimentação pode ajudar a produzir mais serotonina, aumentando o bom humor e ajudando no combate da depressão, entretanto, vale lembrar que ela não substitui o tratamento da doença, com a intervenção medicamentosa e terapia. “Para a produção cerebral da serotonina há necessidade de “matérias primas” (chamadas de cofatores) fundamentais para sua síntese, como exemplos: triptofano (aminoácido), magnésio, cálcio (minerais), vitamina B6, ácido fólico (vitaminas)”. A seguir, conheça alguns alimentos que melhorar o seu humor e são excelentes coadjuvantes para dar uma “forcinha” no combate da doença.

Castanha-do-pará, nozes e amêndoas: elas são ricas em selênio, um poderoso agente antioxidante. Elas colaboram para a melhoria dos sintomas de depressão, auxiliando na redução do estresse. As quantidades diárias recomendadas são duas a três unidades de castanha-do-pará ou cinco unidades de nozes ou 10 a 12 unidades de amêndoas. Mas também dá para fazer um mix saboroso dessas oleaginosas.

• Leite e iogurte desnatado: eles são ótimas fontes de cálcio, mineral que elimina a tensão e depressão. “O cálcio ajuda a reduzir e controlar o nervosismo e a irritabilidade. Ele participa também das contrações musculares, dos batimentos cardíacos e da transmissão de impulsos nervosos e regulariza a pressão arterial”. É recomendado o consumo de 2 a 3 porções por dia.

• Frutas: Melancia, abacate, mamão, banana, tangerina e limão são conhecidos como agentes do bom humor. “Todas estas frutas são ricas em triptofano, aminoácido que ajuda na produção de serotonina”. É recomendado o consumo de três a cinco porções de frutas todos os dias.

• Laranja e maçã: elas ganham destaque porque fornecem ácido fólico, cujo consumo está associado a menor prevalência de sintomas depressivos. Além disso, por ser rica em vitamina C, a laranja promove o melhor funcionamento do sistema nervoso, garante energia, ajuda a combater o estresse e previne a fadiga.

• Banana e abacate: a banana é rica em carboidrato (hidratos de carbono), potássio e magnésio. Também é fonte de vitamina B6, que produz energia. “A fruta diminui a ansiedade e ajuda a ter um sono tranquilo”. Tão bom quanto, o abacate é outra ótima opção, e antes de dormir. Consuma duas colheres de chá da fruta pura (sem açúcar ou adoçante) todos os dias antes de se deitar.

• Mel: esse alimento estimula a produção de serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de prazer e bem-estar. Para usufruir dos benefícios, duas colheres de sobremesa, ao dia, são suficientes.

• Ovos: “Eles são uma boa fonte de tiamina e a niacina (vitaminas do complexo B), que colaboram com o bom humor”. O recomendado é uma unidade por dia, no máximo. Quem tem colesterol alto deve se preocupar com o consumo em excesso, e evitar, principalmente a versão frita.

• Carnes magras e peixes: “O triptofano, presentes nestas fontes de proteína, ajuda no combate da depressão e melhora o humor, pois aumenta a produção de serotonina, que exerce grande influência no estado de humor, pois é capaz de reduzir a sensação de dor, diminuir o apetite, relaxar, criar a sensação de prazer e bem-estar e até induzir e melhorar o sono”. Ela recomenda entre uma e duas porções por dia, principalmente de peixes como atum e salmão.

• Carboidratos complexos: eles ajudam o organismo a absorver triptofano e estimulam a produção do neurotransmissor serotonina, que ajuda a reduzir as sensações de depressão. “Uma alimentação pobre em carboidratos, por vários dias, pode levar a alterações de humor e depressão. Alimentos fontes de carboidratos: pães, cereais integrais (trigo, arroz)”. A recomendação é de 6 a 9 porções diárias.
Aveia e centeio: os dois são ricos em vitaminas do complexo B e vitamina E. “Estes nutrientes possuem grande importância, pois, melhoram o funcionamento do intestino, combatem a ansiedade e a depressão”. A recomendação é de, pelo menos, três colheres de sopa cheia por dia.

• Folhas verdes: estudos mostram que uma alimentação com consumo elevado de folato (importante vitamina do complexo B) está associada a menor prevalência de sintomas depressivos. Um dos alimentos ricos em folato são as hortaliças folhosas verde-escuras (espinafre, brócolis, alface). «Algumas pesquisas mostram que indivíduos deprimidos podem apresentar baixos níveis de vitamina B12, levando a diminuição do folato e o desequilíbrio do metabolismo dos neurotransmissores do cérebro associados ao controle do humor”. O recomendado é a ingestão diária de três a cinco porções por dia.

• Soja: ela é rica em magnésio que é o segundo mineral mais abundante no nosso organismo e desempenha um papel fundamental na energia das células. Sua deficiência pode resultar em falta de energia. “O magnésio ajuda a reduzir a fadiga e aumentar os níveis de energia. Esse mineral combate o estresse porque tem propriedades tranqüilizantes naturais, principalmente quando combinadas com cálcio”.

Cresce casos de caxumba registrados nas unidades de saúde em Rio Branco

Dores na região do pescoço e febre são alguns dos sintomas que muitos pacientes tem se queixado, ao procurar as unidades de pronto atendimento em Rio Branco. Nos últimos dias a Capital, vem registrando um surto de caxumba.

A parotidite infecciosa, popularmente conhecida como caxumba ou papeira é uma inflamação de uma ou mais glândulas salivares. A doença é viral causada pelo paramyxovirus, o contágio acontece através do contato entre pessoas infectadas.

Somente na UPA Franco Silva, no bairro Sobral, foram notificados 102 casos de caxumba do dia 1° até o dia 21 de Janeiro deste ano. Em dezembro do ano passado, foram registrados 95 casos durante todo o mês.

Os casos tem chegado cada vez mais nas unidades de saúde. O médico Eduardo Formiga, atende na UPA do 2° Distrito, segundo o profissional houve um aumento considerável do número de pacientes com sintomas da doença, ele tem atendido uma média de 5 a 10 casos por plantão.

“É uma doença comum geralmente na infância, mas hoje está dando um surto, que a procura nas unidade de pronto atendimento está grande, tem plantões meus que eu chego atender dez pacientes por dia”, conta.

caxumba 002

Sintomas e cuidados

A parotidite, causa além do inchaço da glândulas salivares, geralmente a parótida e, às vezes, glândulas sublinguais ou submandibulares, também dores e febre. A transmissão ocorre por via aérea, disseminação de gotículas, ou por contato direto com saliva de pessoas infectadas.

Segundo o Ministério da Saúde, o período de incubação do vírus é de 12 a 25 dias, sendo, em média, de 16 a 18 dias. O período de transmissibilidade varia entre 6 a 7 dias antes das manifestações clínicas até 09 dias após o surgimento dos sintomas. 

“É uma doença viral que a pessoa tem tomar muito cuidado, existem algumas características que as pessoas pensam que é mito. Os homens chegam na unidade preocupados, doutor, é verdade que a caxumba desce? Não é totalmente mentira. Porque essa descida para região do testículos é uma das complicações da doença”, responde Eduardo.

Segundo o Ministério da Saúde, a orquite, que é uma inflamação aguda ou crônica dos testículos (uni ou bilateral) que, se não tratada adequadamente ou a tempo, pode levar à impotência ou à esterilidade. 

De acordo com o médico, quando isso ocorre, o paciente pode ficar infértil. “Quando isso acontece pode levar a infertilidade, tanto no homem, quanto na mulher. Por isso é muito importante, sentiu sintomas como: Dores no pescoço, na região abaixo da orelha, procure um médico”, recomenda.

Para evitar maiores problemas ocasionadas pela patologia, o médico destaca.” É uma doença que requer repouso absoluto, por isso, nos primeiros sintomas procure um médico, pega um atestado, recebe a medicação adequada e repouso, o tratamento é basicamente isso, antiflamatório e repouso”, alerta.

caxumba 003

Baixa cobertura vacinal pode ser a causa do surto

Segundo relatório enviado pela secretaria estadual de saúde, em 2018 foram aplicadas 44.404 doses aplicadas em pessoas de 1 a 29 anos. A meta populacional nesta faixa etária era de 438.329. E 2.077 doses aplicadas de 30 a 49 anos com meta de 175.206 pessoas a serem vacinadas.

De acordo com os dados apresentados pela Sesacre, durante todo o ano de 2018, foi cumprido apenas 10,13% da cobertura para o grupo etário de 1 a 29 anos de idade. O grupo de pessoas com idade entre 30 a 49 anos, o alcance foi ainda menor, apenas 1,18%.

Tabela – Cobertura Vacinal de Janeiro a Dezembro de 2018 no Estado do Acre, distribuído por grupos etários, doses e meta populacional.

tabela