Médicos recebem segunda parte do salário de setembro e encerram greve no interior do AC

Enfermeiros do Hospital do Juruá, em Cruzeiro do Sul, pressionam governo. Apenas casos graves estavam sendo atendidos na cidade

Os médicos do Hospital do Juruá, em Cruzeiro do Sul, interior do Acre, decidiram retomar os trabalhos neste sábado (17) após o pagamento da segunda parte do salário do mês de setembro. Os profissionais entraram em greve desde a última segunda-feira (12) e atendiam apenas casos emergenciais na cidade.

Agora, os enfermeiros também pressionam o governo exigindo o pagamento de outubro, que ainda não receberam. A empresa que administra a unidade alegou que o governo não fez os repasses mensais, por isso, o pagamento não foi efetuado.

Neste sábado pela manhã, após receberem a metade do salário de setembro, a categoria decidiu encerrar a paralisação. No entanto, o representante do Sindicato dos Médicos na região (Sindmed), Theobaldo Dantas, alertou que os profissionais podem voltar a reduzir o atendimento, caso não recebam o salário do mês de outubro.

“Continua o mês de outubro pendente, mas tem um indicativo que, provavelmente, a partir do dia 22, caso não seja efetuado esse pagamento, novamente nós faremos a suspensão dos serviços não essenciais”, alertou Dantas.

Os enfermeiros que trabalham na unidade decidiram, em assembleia realizada na tarde desta sexta-feira (16), que vão entrar em greve a partir deste domingo (18), para exigir o pagamento do mês de outubro.

“Toda classe optou pela greve, então, amanhã [domingo,18], a partir das 17 horas, todos os enfermeiros do Hospital do Juruá vão está em greve. Vamos manter apenas os 30% do nosso efetivo trabalhando. E, como os enfermeiros são responsáveis pela classificação, vamos continuar apenas com o atendimento dos serviços emergenciais, assim como estava com a greve dos médicos”, disse a representante do Sindicato dos enfermeiros, Marjane Pedroza.

Com a greve dos médicos, todos os atendimentos no ambulatório do Hospital do Juruá deixaram de ser feitos durante esta semana e, no Pronto-Socorro, 70% dos pacientes voltaram para casa sem uma consulta. Nesta sexta-feira (16), de 100 pacientes que chegaram ao PS, apenas 30 foram atendidos.