Governo e Hospital de Amor firmam parceria que prevê recursos para hospital

Marcelina Freire

Um importante passo para o tratamento e prevenção do câncer de mama e uterino foi dado na manha desta terça-feira, 19. O governo do estado do Acre firmou parceria para assinatura do termo de convênio com o Hospital de Amor (Unidade de Barretos no Acre). A assinatura do convênio será realizada em abril.

“Tivemos uma reunião hoje com o governador e o secretário de Saúde e firmamos a parceria que será oficializado na primeira semana de abril com a assinatura do termo. A importância desse convênio é que nós vamos poder expandir o serviço e a assistência em todo o estado do Acre”, afirmou o diretor do hospital, João Paulo Silva.

Segundo o diretor, a gestão estadual, se mostrou receptiva quanto as parcerias para o desenvolvimento das ações. “Eles foram muito receptíveis nesta parceria , o governador se colocou a disposição, quer trabalhar em parceria com Barretos para avançar os serviços tanto de prevenção, quanto de tratamento dentro do estado do Acre”, destacou Silva.

O convênio tem duração de cinco anos, nos primeiros 12 meses serão repassados pelo governo o valor de 90 mil reais mensais, a partir do segundo ano o valor passa a ser de 143 mil reais mensais. Além deste recurso, o hospital receberá do Ministério da Saúde, de acordo com a produção local, e também será contemplado com valores oriundos de leilões que acontecem com a finalidade de angariar fundos para as unidades de Barretos pelo Brasil.

“Com isso nós estaremos realizando mamografia, coleta de PCCU (preventivo do câncer de colo do útero), tanto na unidade fixa como nas carretas (unidades móveis) em todo o estado do Acre. Estaremos realizando também pequenas cirurgias como de colo uterino e de mama para retirada do câncer em estágio inicial”, explica João Paulo.

O Hospital de Amor foi inaugurado no final de novembro do ano passado. Desde a inauguração, o responsável pela  unidade vinha tentando junto ao governo da gestão passada, a assinatura do convênio, foram diversas tentativas sem sucesso. Com a promessa de assinatura do termo, Silva afirma que será possível levar atendimento a todos os municípios.

“Esse convênio veio justamente para selar essa parceria do estado com a Fundação Pio XII, para podermos levar toda essa estrutura para todos os municípios do Acre. É um grande momento e um grande ato que vai somar significativamente, a princípio, na vida das mulheres do Acre, porque a intenção é que essa unidade possa avançar no tratamento e rastreamento de outros tipos de neoplasias”. Enfatiza.

Além das duas unidades móveis que devem percorrer todo o estado, o município de Cruzeiro do Sul será completado com um mamógrafo fixo, e uma das carretas que irá realizar procedimentos de rastreamento de câncer de mama e colo uterino, percorrendo todo o vale do Juruá.

CGU e Fórum de Prevenção e Combate à Corrupção participam do Natal Solidário

A Controladoria-Geral da União (CGU) e o Fórum Permanente de Prevenção e Combate à Corrupção do Estado do Acre (Focco-AC), participam da 3ª Campanha Natal Solidário, realizada pelo Projeto Olhar Diferente. Atuando há quatro anos em Rio Branco, o Projeto irá promover uma festa em comemoração ao Natal, com o objetivo de presentear crianças carentes dos bairros Papoco, Ivete Vargas, Preventório, Calafate e Favelinha.

As crianças receberão mais de 400 brinquedos, que foram arrecadados pelo Focco-AC na 3ª Corrida Contra a Corrupção, realizada no dia 9 de dezembro, em comemoração ao Dia Internacional Contra a Corrupção. Os presentes foram doados pelos atletas que participaram da prova.

Composto por 14 instituições, dentre elas a Controladoria-Geral da União, o Focco-AC tem como objetivo engajar órgãos públicos e a sociedade no combate e na prevenção de casos de corrupção.

As ações serão realizadas pelos voluntários do Projeto Olhar Diferente, nos dias 21, 22 e 23 de dezembro.

Dengue: Prefeitura de Brasileia intensifica ações de prevenção

A Prefeitura de Brasileia está com 10 agentes de saúde nas ruas do município realizando diretamente o trabalho de combate à dengue. A estratégia, que visa impedir a proliferação do mosquito Aedes aegypti durante o período chuvoso, tem a preocupação de realizar também a prevenção contra o Chikungunya, vírus que também é transmitido pelo mosquito Aedes aegypiti, provocando sintomas ainda mais intensos no organismo humano.

As ações de prevenção e combate à dengue e a febre Chikungunya e zika vírus executadas pela Secretaria Municipal de Saúde visam a obter este ano resultados satisfatórios, a exemplo do ano passado onde conseguiu reduzir os casos de Dengue e o índice de registros graves da doença.

Devido o intenso inverno amazônico o índice de proliferação aumenta o Gerente de Epidemiologia de Brasileia, Francisco Xavier, falou a respeito. “O trabalho dos nossos agentes está sendo realizado de forma rotineira, tanto faz no período de inverno quanto no verão, onde nossa equipe realiza visita nas residências e terrenos baldios tratando os criadores que não podem ser eliminados e eliminando aqueles que são de fácil eliminação”, falou Francisco.

Além de combater, a equipe de endemias realiza o importante papel de conscientizar a população realizando um acompanhamento em todos os bairros com informações, cartazes e larvicida. Segundo a gerência de epidemiologia mais de 90% dos focos são encontrados nos quintais, por isso é importante que a população ajude os agentes a realizarem seus serviços, recepcionado os profissionais da saúde em suas casas e também fazendo vistorias em seus quintais evitando a proliferação dos mosquitos.

A equipe de endemias estará realizando do dia 26 ao dia 30 de novembro a semana contra a dengue, com a realização de palestras, panfletagem, roda de conversas e feira escolar em parcerias com as escolas do município.

Semsa promove programação com ênfase na prevenção

Consultas médicas e de enfermagem, encaminhamento para a realização de mamografia, ultrassonografias, exames de PCCU, palestras informativas, aferição de pressão e glicemia, corte de cabelo, são algumas ações desenvolvidas durante toda esta quinta-feira na Policlínica Barral Y Barral, dentro da programação do Outubro Rosa, que tem o objetivo de incentivar a prevenção ao câncer de mama.

A programação no Barral tem apoio de parceiros como a Fameta, Uninorte e Senac, por meio dos cursos da área de saúde.

A secretária Adjunta de Saúde de Rio Branco, Jesuíta Arruda, explica que as ações de prevenção são contínuas “mas em outubro há a intensificação para que as mulheres realmente façam o autoexame e a mamografia e, em caso de necessidade, façam o tratamento. Quanto mais cedo se descobre um nódulo, mais cedo se faz o tratamento e assim a cura é mais fácil”, destaca.

Quem ouviu atentamente as palestras e pegou encaminhamento para a realização da mamografia no Centro de Apoio ao Diagnóstico – CAD, foi a microempresária, Francisca Lima, de 69 anos. Ela conta que desde os 50 repete o exame: “Se a gente realizar o exame todo ano tem como detectar qualquer problema logo no começo, por isso eu não descuido. Achei ótimo esse movimento aqui no Barral hoje porque esclarece mais ainda a gente”, conta ela.

A programação da prefeitura de Rio Branco, por meio da secretaria Municipal de Saúde foi iniciada no começo de outubro e prossegue durante todo o mês, em várias unidades de saúde.

Entre as ações do mês há consultas com ginecologista, enfermagem, orientações gerais de saúde, coletas de exames preventivos do Câncer do Colo do Útero (PCCU) palestra sobre o assoalho pélvico, atualização de vacinas, agendamento de mamografias na faixa etária preconizada pelo Ministério da Saúde (acima de 50 anos), testes rápidos (detecção de HIV, hepatites B e C e sífilis), distribuição de material educativo e corte de cabelo são os serviços ofertados.

Prevenir é importante

Segundo o Instituto Nacional do Câncer, o tumor mamário é o segundo mais comum entre as brasileiras, respondendo por 28,1% dos novos casos. Acredita-se que 30% dos casos poderiam ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis, como praticar atividades físicas regularmente, evitar o consumo de bebidas alcoólicas, manter peso corporal adequado, alimentar-se adequadamente e amamentar.

São sinais preocupantes o surgimento de caroços (nódulos fixos endurecidos), geralmente indolores, pele de mama avermelhada, alterações no mamilo, pequenos nódulos embaixo dos braços e nas axilas ou pescoço e saída espontânea de líquido dos mamilos.

Sesc promove ações de prevenção ao câncer

Para conscientizar a sociedade sobre a importância da prevenção do câncer de mama, o Serviço Social do Comércio Sesc no Acre promove, durante o mês de outubro, atividades em alusão à campanha Outubro Rosa. A programação alerta sobre a eficácia do diagnóstico precoce e do cuidado com a saúde da mulher. Com início no dia 1º de outubro, as atividades ocorrem em Unidades do Sesc, centros comerciais, instituições e espaços públicos, abrangendo palestras, exposições, atividades esportivas e debates voltados à prevenção do câncer de mama.

Muitas vezes sem sintomas em sua fase inicial, o câncer de mama é o segundo tipo mais frequente entre as mulheres no Brasil, depois do câncer de pele não melanoma, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA). No entanto, as chances de cura chegam a mais de 90%, quando descoberto precocemente.

Durante as ações, o público é sensibilizado sobre o método do autoexame, a necessidade de consulta médica periódica, além de participar de atividades lúdicas e receber brindes e laços cor-de-rosa, símbolo da campanha.

Permeando orientações e palestras preventivas, alcance de mama e alcance de colo do útero, por todo mês de outubro serão atendidas as empresas Hoje Cosmectis, Supermercado Gonçalves, Disdepel, Fiat Comauto, Frigoave entre outras.

Câncer de Mama

Como não tem uma causa única, são diversos os fatores que estão relacionados ao aumento do risco de desenvolver a doença como idade, fatores endócrinos, comportamentais e genéticos. Embora a incidência nas mulheres ocorra, em sua maioria, a partir dos 50 anos de idade, isso não significa que as mais jovens não estejam propensas à doença, já que só 2% dos diagnósticos são realizados em mulheres com menos de 35 anos.

Ainda de acordo com o INCA, cerca de 30% dos casos da doença podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis, entre eles estão a prática de atividade física regularmente, alimentação saudável, amamentação, peso corporal adequado, além de evitar o consumo de bebidas alcoólicas.

Sobre o Outubro Rosa

O Outubro Rosa é uma campanha internacional que acontece desde a década de 90, a fim de estimular a participação da população no controle do câncer de mama, proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade. O laço cor-de-rosa integra o movimento no mundo inteiro como símbolo da campanha, que visa à integração da população na causa.

Prefeitura atua na prevenção à fumaça e aos problemas causados pelas queimadas

A prefeitura de Rio Branco, por meio das secretarias Municipais de Meio Ambiente (SEMEIA) e de Saúde (SEMSA) age no sentido de prevenir as queimadas e também os problemas de saúde causados pela fumaça. Nesta quarta-feira (12), equipes das duas secretarias, foram ao Centro da cidade, na área do Senadinho, para dar orientações sobre os riscos que as queimadas representam para o meio ambiente e a saúde, distribuir material informativo sobre o tema. A equipe da SEMSA ofertou serviços de saúde para quem passava pelo local, como medição de pressão e de glicemia.

De acordo com a secretária adjunta de Saúde, Jesuíta Arruda, nas unidades de saúde, a procura pelos serviços teve aumento significativo por causa de problemas respiratórios causados pela fumaça, o que é agravado pelo tempo seco. Para alcançar um maior número de pessoas com informações, a equipe da saúde se dividiu para dar orientações e atender a população com os exames de glicemia e pressão arterial. “Aqui no Centro alcançamos um grande público. Os enfermeiros e técnicos falam sobre a importância das pessoas tomarem líquidos, não ficarem expostos ao sol, ingerir alimentação leve. E as outras equipes reforçam as orientações e realizam exames”, cita Jesuíta.

Quem passou pelo local aproveitou para aferir as condições de saúde e para se informar mais os problemas ocasionados pela fumaça das queimadas. Depois de medir a pressão e glicemia, o aposentado João Batista, conta que entre as orientações que recebeu, uma vai pôr em prática ainda hoje. “O tempo tá muito seco, e vou pôr uma vasilha com água no meu quarto para aumentar a umidade, como a enfermeira aqui me ensinou”, finaliza.

A secretária de Meio Ambiente, Paola Daniel, explica que a SEMEIA age em dias frentes: com a prevenção e a fiscalização nos bairros para coibir queimadas urbanas. “E em ações como essa, que ampliam as informações para as pessoas no sentido de prevenir a queimada”. Relata ela, lembrando que as denúncias de queimadas podem ser feitas pelo telefone 3228 5765.

II Jornada de Valorização da Vida discute prevenção ao suicídio em evento na FAAO

Em alusão ao mês de prevenção ao suicídio, setembro amarelo, está sendo realizado em Rio Branco, a II Jornada de Valorização da Vida. O evento acontece de 10 a 13 deste mês na FAAO. São três dias de debates sobre o problema que apresenta elevado crescimento no país e no mundo.

A depressão quase sempre é a ponte que para que o pior aconteça. A diretora Geral do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb) Michele Melo falou que o suicídio é um problema de saúde pública.

“O suicídio é um problema de saúde pública, não é apenas um transtorno, ou algo que só existe na cabeça das pessoas que passam por isso”. Na ocasião, Michele pediu desculpas as famílias que já perderam alguém nesta para os altos índices de suicídios.

“Gostaria aqui hoje de pedir desculpas, como médica, porque todos os estudos apontam que 90% das pessoas que se suicidam tem transtornos mentais associados, e se nós estivemos fazendo bem esse trabalho junto com a saúde pública e os poderes, com todas as governanças, nós hoje poderíamos ter reduzido esse número”, enfatizou.

O promotor de Justiça da promotoria de justiça especializada de defesa da saúde do Ministério Público do Acre Glaucio Ney Oshiro falou que o problema precisa ser enfrentado não apenas em setembro, mas durante todo o ano.

“Um problema de saúde pública que precisa ser enfrentado não apenas no mês setembro amarelo, mas em todo o ano. Desejo a todos que nos próximos três que possamos discutir estratégias, possamos trazer conscientização e alertas a respeito de como lidar com esse tema durante o ano todo”, disse o promotor.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) até 2020 a doença será responsável pela maioria dos afastamentos do trabalho. O Brasil, tem a maior número de casos de pessoas com depressão da América Latina cerca de 5,8% da população tem a doença.

O representante da Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre) João Paulo Silva falou da importância da integração dos demais profissionais de saúde na prevenção ao suicídio e a depressão.

“A saúde mental não pode está presa, quando falamos em mental, estamos falando de várias causas, porque saúde mental envolve tudo, quando falamos em saúde mental falamos em várias mãos, o agente comunitário de saúde é importante, o enfermeiro, o médico são importantes para saúde mental do indivíduo” afirmou.

A segunda jornada acontece de segunda a quarta-feira,12. Participam do evento profissionais de diversas áreas da saúde, educação, segurança além de profissionais diretamente ligados ao tema.

Trabalho da Emurb garante manutenção e prevenção

As ações da Empresa Municipal de Urbanização de Rio Branco (Emurb) vão além da manutenção viária de corredores de ônibus e vias estruturantes. Com o objetivo de garantir a boa condição da vias da cidade, a prevenção também é prioridade.

O principal objetivo do trabalho preventivo é evitar o surgimento de buracos ou ´borrachudos´ no pavimento. Borrachudos são imperfeições causadas pelo tráfego constante e pesado no pavimento das ruas da capital –problemas que só vão aumentando até se transformar em buraco, causando sérios transtornos à mobilidade social.

Nesse contexto, de acordo com a Diretoria Operacional da Emurb, as frentes de serviço tem realizado um trabalho profundo, que começa com a remoção do trecho a ser recapeado. Em seguida, a piçarra bruta é aplicada e aguarda secagem por quatro dias ou mais, a depender do caso. Só depois desse processo é aplicado o asfalto. “Com isso, estamos fazendo também a prevenção para evitar o surgimento de novos problemas no pavimento”, disso diretor Operacional da Emurb, Humberto Hadad.

Com essas ações, a Prefeitura avança no trabalho de manutenção viária nas vias estruturantes e corredores de ônibus como também nas ruas menores ou secundárias, como a Rua Raimundo de Farias, no bairro Montanhês, que faz ligação com a Avenida Flaviano Melo, o grande corredor de ônibus daquela região –ou como a Rua Isaura Parente, que promove o acesso à Avenida Ceará, por exemplo.

{gallery}fotos/2018/08-agosto/11082018/galeria_emurb:::0:0{/gallery}

Ministério Público lança projeto para prevenir criminalidade

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) lançou, nesta quarta-feira (8), o Projeto ‘Escola e Família — espaço interativo’ na escola Padre Carlos Casavecchia com o objetivo de fortalecer a prevenção contra a violência e a promoção de direitos. A cerimônia aconteceu na quadra poliesportiva da escola, localizada no bairro Xavier Maia, em Rio Branco, e contou a presença da procuradora-geral de Justiça, Kátia Rejane de Araújo Rodrigues, e várias autoridades.

O projeto é coordenado pela 1ª Promotoria de Justiça Especializada de Defesa de Infância e Juventude em parceria com várias instituições públicas. Com a iniciativa, o MPAC quer garantir o direito à vida dos adolescentes e jovens em situação de risco a partir do enfrentamento e prevenção do abandono e evasão escolar.

“O projeto tem esse nome para demonstrar que somente juntos vamos conseguir resolver o problema de violência nas escolas, juntos com a direção de escola, equipe técnica, Secretaria de Educação, família. Somente quando a escola for um espaço integrado em que todos estejam presentes, é que vamos conseguir diminuir a violência na escola”, disse a promotora de Justiça Diana Soraia Pimentel.

A procuradora-geral de Justiça, Kátia Rejane, desejou êxito ao projeto e disse que a integração na comunidade escolar só traz benefícios. “Desejo que esse projeto seja mais uma ação exitosa do Ministério Público, e que possa alcançar o número máximo de crianças, adolescentes e jovens através da interação com a escola, família e a comunidade”, destacou.

O projeto

Várias ações serão desenvolvidas durante o ano na escola Padre Carlos Casavecchia, que será a primeira experiência do projeto. Para isso, foram escolhidos alunos do 9º ano do ensino fundamental, com idade entre 14 e 15 anos, os quais serão acompanhados, bem como a família, por uma equipe de psicólogos, profissionais do direito, assistentes sociais e pedagogos.

A proposta também contempla a inserção dos adolescentes em cursos de profissionalização, no intuito de ampliar as oportunidades profissionais.

Segundo a diretora Renildes Silva Novaes, as atividades vão propiciar condições de acesso e permanência do aluno na escola. “Como é um projeto-piloto, estamos bem esperançosos que que vai dar certo, é a maneira de a gente trazer a família para a escola, desenvolver um projeto junto com os pais e os alunos, abordando indisciplina, criminalidade, para tentar ver se essas crianças não vão se perder por aí. E vamos desenvolver um trabalho durante o ano todo”, comentou a diretora.

Depasa adota novas medidas de prevenção no sistema de abastecimento do Bujari

Com o início do período de estiagem, o Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento (Depasa) adota novas medidas de contingência para garantir o fluxo de distribuição de água para a cidade de Bujari, que fica localizada a 22 quilômetros de Rio Branco, na BR-364, sentido Juruá, e conta com 9.500 habitantes.

No ano passado, o município enfrentou graves consequências do segundo pior ciclo de seca em décadas, de acordo com os órgãos ambientais do Acre, que provocaram a redução drástica nos níveis de rios e mananciais como exemplo, o Igarapé Redenção, que abastece o reservatório do município do Bujari.

Como forma de evitar o desabastecimento repentino aos consumidores, a autarquia iniciará na próxima segunda-feira, 9, uma redução nos processo de distribuição de água tratada.

“Cotidianamente monitoramos o nosso açude que fica interligado ao Igarapé Redenção. Na última quinta-feira, detectamos que o manancial diminuiu consideravelmente o nível de água que alimenta o nosso reservatório. Então, para mantermos uma segurança na etapa de abastecimento, aplicaremos uma distribuição intermitente, que normalmente é de 1 dia passará para 2”, relata o diretor de operações do Depasa, David Bussons.

O gestor ressalva que no inicio do ano, a barragem do Igarapé Redenção, foram aumentadas em 50 centímetros para que o reservatório tivesse capacidade de captar mais água da chuva.

“Outras medidas que adotaremos na cidade contarão com o suporte de agentes técnicos do Depasa na intensificação da campanha “Nós Contra o Desperdício”, com ações educativas em prol do uso racional da água, além de reforçarem os reparos nas redes de abastecimento dos consumidores”, informa Bussons.

Seca de 2017

A estiagem do corrente ano agravou as dificuldades no processo de captação de água, pois o açude da Estação de Água (ETA) diminuiu de 5 metros para 30 centímetros em seu ponto mais profundo e consequentemente provocou a implantação de medidas de racionamento na cidade.

Bujari foi uma das regiões onde foi decretada situação de emergência por causa da estiagem. A publicação consta na edição do Diário Oficial do Estado do Acre (DOE) e foi decretada pelo governador Tião Viana no dia 25 de agosto. Para superar os desafios garantir o fluxo de abastecimento de Bujari, a autarquia recebeu o auxílio de carros-pipa para atender as mais de 1.500 ligações domiciliares na área urbana.

Elzinha fala sobre número 188 de prevenção ao suicídio

A vereadora Elzinha Mendonça (PDT) usou a tribuna da Câmara, durante o grande expediente, para falar sobre o número 188 que está liberado desde o dia 1º de julho gratuitamente em todo país, disponibilizado pelo Centro de Valorização da Vida que tem como objetivo a prevenção do suicídio.

A vereadora ressalta que o suicídio é uma tristeza para toda sociedade e que os agentes políticos precisam estar mais atentos a esta temática já que se trata de uma questão de saúde pública.

“Fiquei feliz em saber que está liberado de forma gratuita. A ferramenta já existia no nosso estado, desde setembro do ano passado, mas ainda não era gratuito, mas agora foi dado mais este passo. Por isso ficamos muito contentes”, disse Elzinha.

Só no primeiro semestre desse ano, já foram registrados, no Hospital de Urgência e Emergência (Huerb) 182 casos de tentativas de suicídio. Esse dado não tem o balanço das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), ou seja, é bem maior.

É um crescimento significativo, se comparado ao mesmo período do ano passado que teve 108 casos de tentativas registrados, de acordo com o Núcleo de Prevenção ao Suicídio, coordenado pela psicóloga Andreia Vilas Boas.

Além do número 188, também tem o chat e o email para quem quiser conversar, sob total sigilo. “Faço essa ressalva aqui porque precisamos divulgar, os números estão aí e essa é uma preocupação nossa com o bem-estar social.”

“Nesse final de semana estava acompanhando uma pessoa, no Pronto Socorro da capital, e nesse pequeno espaço de tempo deram entrada duas pessoas que haviam tentado o suicídio. É preciso que se faça algo para evitar que tragédias como estas sejam tão recorrentes”, completou a vereadora.

Aleac realiza sessão solene em alusão à Campanha de Prevenção da VI Semana Estadual Sobre Drogas

Através de um requerimento de autoria do deputado Lourival Marques (PT), a Assembleia Legislativa realizou na manhã desta quinta-feira (28) uma sessão solene em alusão à Campanha de Prevenção da VI Semana Estadual Sobre Drogas. Dando início à sessão, o presidente em exercício do Poder Legislativo, deputado Eber Machado (PDT), destacou a importância do debate para a sociedade.

“É nossa responsabilidade enquanto gestor, educador, defensor e parlamentar lutar contra esse mal, que atinge principalmente a nossa juventude. Esta casa também abraça essa discussão. Nós temos que encontrar meios que garantam o bem-estar das nossas famílias”, disse.

Em pronunciamento, o deputado Lourival Marques (PT) frisou que o governo do Estado tem se mostrado sensível a todas as famílias que convivem com o problema, inclusive, com os que residem nas comunidades mais distantes, como os jovens agricultores, extrativistas e ribeirinhos, onde segundo ele, o problema também já se instalou.

“A VI Semana Estadual Sobre Drogas, que será realizada este ano de 25 a 29 de junho, se trata de uma campanha de prevenção. É na verdade um chamado para que governo, municípios e sociedade civil caminhem juntos num debate tão importante. Vivemos numa rota que precisa de certo controle devido às nossas fronteiras, por isso precisamos fortalecer as ações de combate e é dessa maneira que o governo do Acre tem trabalhado”, salientou o parlamentar.

Susie Lamas, coordenadora da VI Semana Estadual Sobre Drogas, parabenizou Lourival Marques pela iniciativa de realizar a sessão. Ela falou ainda sobre a importância da Semana Estadual Sobre Drogas.

“Sabemos que o consumo de substâncias psicoativas afeta de maneira profunda amplos aspectos da vida das pessoas que as utilizam e dos grupos nos quais elas estão inseridas. Campanhas de prevenção como esta são de suma importância, pois vem a somar com os esforços dos setores público e privado no enfrentamento às violências causadas pelo abuso e o tráfico de drogas. Agradeço demais ao presidente desta casa, deputado Ney Amorim, e aos deputados Lourival Marques e Manoel Moraes, pelo apoio que eles têm dado para a realização desse evento”, enfatizou.

A coordenadora destacou ainda que a cada ano a Semana Estadual vem crescendo. “Este ano ela está bem ampla. Dentre outras atividades já tivemos a formatura de três mil alunos que participaram do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), coordenado pela Polícia Militar; tivemos a incineração de drogas por parte da Polícia Civil e da Polícia Federal, por meio do Tribunal de Justiça, o qual está neste exato momento no Palácio da Justiça, realizando uma atividade que também faz parte da Semana Estadual, que é uma conversa com reeducandos do sistema prisional, envolvendo a temática álcool e outras drogas. Estão acontecendo também rodas de conversa dentro dos institutos socioeducativos sobre o uso problemático de álcool e drogas”, frisou.

A prefeita de Rio Branco, Socorro Neri (PSB), destacou o conjunto de ações que estão sendo desenvolvidas para o combate às drogas. Falou também sobre o impacto negativo que as drogas causam numa sociedade e pediu que o governo federal invista mais na segurança das fronteiras do Estado.

“Há um conjunto de ações que estão sendo desenvolvidas no Estado inteiro, com várias instituições, com o intuito de promover a reflexão e o balanço do que tem sido feito para inibir o consumo de drogas. A dependência química é muito grave e atinge não somente os usuários, mas toda a sua família e até mesmo a sociedade como um todo. As forças de segurança do Estado, em atuação com as polícias, têm feito para além das suas possibilidades atuais. Deve haver um combate mais efetivo e nós temos buscado isso. Não podemos politizar esse debate, mas precisamos cobrar uma atuação mais intensa do governo federal nessa causa”, reiterou.

Maria Lúcia Barbosa, delegada de Polícia Civil, representando a Secretaria de Segurança do Estado, relatou os problemas que resultam do consumo de drogas e como isso afeta toda a sociedade. Disse ainda que é importante discutir meios que minimizem esse impacto negativo.

“De fato, a questão das drogas afeta toda a sociedade, em todas as faixas etárias. Enquanto cidadãos não podemos nos furtar de buscar meios para tentar minimizar essa problemática que afeta o mundo inteiro. Como delegada, há 15 anos vivencio isso e percebo o quanto esse problema tem destruído famílias. O Estado do Acre, por meio da Secretaria de Segurança, tem levantado esse debate e alertado sobre os problemas que as drogas podem trazer. Todos pagamos a conta e sofremos as consequências”, relatou.

Já Gabriel Maia, secretário de Assistência Social do Estado, que participou do ato representando o governador Tião Viana (PT), falou sobre a importância da prevenção às drogas. Falou ainda que não adianta trabalhar apenas a repressão do tráfico, mas é necessário investir mais na prevenção para que os jovens não sejam levados a consumir esse tipo de substância.

“Nosso governador tem trabalhado continuamente, criando uma rede de debate sobre os principais temas que afligem nossa população. Temos feito trabalhos incansáveis, mas ainda precisamos fazer mais e queremos que o governo federal invista mais para que possamos controlar nossas fronteiras. Não adianta termos a repressão ao tráfico se não tivermos também a conscientização dos nossos jovens, pois dados mostram que 24% dos adolescentes até os 17 anos já tiveram contato com algum tipo de droga”, afirmou.

Quem também fez questão de subir à tribuna para contar um pouco de sua história foi Jonas Gomes, um ex-dependente químico que atualmente está em tratamento. Ele garantiu que a repressão não é a melhor maneira de se combater as drogas.

“Usei drogas por cinco anos, roubei, fui preso e posso garantir que a repressão não é a melhor maneira de combater este mal. Eu posso garantir que a prevenção é a melhor saída, pois estou há um ano e cinco meses longe das drogas devido aos programas de prevenção. Infelizmente, ainda existem muitos Jonas nas ruas se drogando e eles precisam muito da ajuda dos nossos gestores e da sociedade em geral. De nada adianta encher os presídios de traficantes se nós ainda sofremos com a carência de políticas públicas para combater as drogas. Nós precisamos de mais ações voltadas para este tema”, afirmou.

A importância da prevenção também foi abordada pela deputada Eliane Sinhasique (MDB). “Eu sei o que é ter um dependente químico na família, eu já vivi essa experiência. E eu sei que só a prevenção pode evitar que as pessoas entrem no mundo das drogas. Do que adianta prender traficantes se não ouvimos falar em prevenção? Não existe por parte da administração estadual e municipal nenhum envolvimento com projetos relacionados a esporte e a educação, por exemplo. É preciso sair do discurso e executar de fato ações de políticas públicas voltadas para este tema”, frisou a parlamentar.

Acre e outros três Estados iniciam debates sobre o Plano Estratégico de Prevenção

Durante dois dias equipes do Ministério da Agricultura, Pecuária e abastecimento (MAPA), órgãos de Defesa Animal do Acre, Rondônia, Amazonas e Mato Grosso e pecuaristas estarão reunidos, em Rio Branco, para debater as ações do Plano Nacional Estratégico de Prevenção e Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA).

A 3ª Reunião do Bloco I, composto por Acre e Rondônia, visa principalmente tratar da retirada da vacinação contra Aftosa a partir de 2019. Até lá, o Acre ainda deve cumprir suas duas últimas etapas de imunização de bovinos e bubalinos, uma em novembro deste ano e a última em maio de 2019.

“Acre e Rondônia fizeram o dever de casa e, por isso, estão sendo contemplados neste Bloco I. A partir de agora, o trabalho da Defesa Animal torna-se ainda mais essencial e cauteloso, porque nossas e equipes deverão garantir a sanidade do rebanho acreano. Tenho certeza que nossa equipe fará um excelente trabalho porque nós temos uma história de 20 anos no combate à febre aftosa e há 13 anos conquistamos o reconhecimento de zona livre”, destaca Ronaldo Queiroz, diretor-presidente do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (Idaf/AC) e anfitrião do evento.

O coordenador do PNEFA, Plínio Lopes, explica que foi elaborada uma organização geopolítica do território brasileiro para implementar o plano que tem mais de 100 ações. “Nós teremos avanços significativos e seguros. O primeiro bloco reúne os Estados que devem ter a evolução mais breve, daí a importância de estarmos reunindo com todos os interessados dos Estados e aí incluímos tanto o setor público, quanto o privado”, afirmou Plínio Lopes.

Anselmo de Jesus, presidente da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron), observou que a reunião do Bloco I é um momento oportuno para alinhar as estratégias. “Essa não é mais uma ação de governo, mas universalizada entre toda a cadeia pecuarista. Nós já erradicamos a doença e partimos para esse novo momento, com rebanho com alta segurança e, com certeza, buscando grandes mercados”, frisa o representante do Idaron.

Assuero Veronez, presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Acre (FAEAC), revela que a retirada da vacina era um passo esperado pelos pecuaristas acreanos. “Viemos de um trabalho longo, em busca dessa meta. Há mais de 20 anos estamos trabalhando, no começo foi um intenso processo de conscientização dos pecuaristas, houve um engajamento de pecuaristas e do governo pra arrecadar recursos e chegar no ponto que estamos hoje”, relembrou o presidente da FAEAC.

Veronez frisou ainda que a retirada da vacina trará ganhos para os pecuaristas na venda da carne bovina e bubalina no mercado interno, mas principalmente no mercado externo.

Apoiador da 3ª Reunião do Bloco I, o Fundo de Desenvolvimento da Pecuária (Fundepec), também tem papel fundamental nas ações realizadas do Acre no aporte ao Idaf, nas atividades de Defesa Animal.

Alcides Teixeira, presidente do Fundepec, conta que são mais de 30 funcionários do Fundo prestando apoio ao Idaf e com aporte de R$ 1,2 milhão. “O Fundepec é o parceiro mais importante nesse momento”, finaliza Teixeira.

O deputado estadual Lourival Marques concluiu destacando que esse é o momento da pecuária acreana que ganha mais qualidade e se torna ainda mais valorizada, graças às políticas públicas implementadas pelo governo do Estado e que são fundamentais para o crescimento da economia do Acre.

Prefeitura promove ações de prevenção e enfrentamento ao trabalho infantil

A Prefeitura de Rio Branco iniciou nesta terça-feira, 12, nova série de ações educativas. O objetivo é conscientizar quanto aos riscos do trabalho infantil em Rio Branco. Agentes da Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social (SEMCAS) percorreram ruas do Centro e pontos de grande fluxo de pedestres distribuindo panfletos e conscientizando a população acerca dos impactos negativos do trabalho durante a infância. “Criança tem de estar estudando e no lazer”, disse a secretária Dora Araújo, titular da SEMCAS.

Por iniciativa da Organização Internacional do Trabalho, em 2002 foi instituído o 12 de junho como o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil. O principal objetivo é alertar a comunidade em geral e os diferentes núcleos do governo sobre a realidade do trabalho infantil, uma prática ainda comum em diversas regiões do Brasil e do mundo.

Em Rio Branco, de acordo com a SEMCAS, o comércio ambulante de castanha-do-Brasil e de doces são as atividades que mais utilizam a mão-de-obra infantil.

Para a SEMCAS, a principal arma contra o trabalho infantil é a intensa sensibilização civil contra a exploração das crianças e adolescentes. O trabalho de conscientização inclui rodas de conversas, palestras e mobilizações ´Pit Stop´, trabalho que será intensificado durante todo o mês de junho em várias partes da capital. As ações são realizadas em parceria com as escolas, associações de moradores, organizações não governamentais, unidades de saúde.

Durante a ação, a Prefeitura de Rio Branco lembra que crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil não usufruem de seus direitos à educação, saúde e lazer. Casos como esse são identificados e crianças e familiares passam a ser acompanhados pelos Centros de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS). “Criança tem de estudar e ser educada”, disse a dona de casa Zulene Sergio após abordagem da assistente social no Calçadão da Benjamim Constant.

{gallery}fotos/2018/06-junho/13062018/galeria_pitstop:::0:0{/gallery}

Fecomércio alerta na prevenção de acidentes de trabalho

Quase 20 mil empresas brasileiras foram autuadas, em 2017, por falhas na prevenção de acidentes, segundo dados do Ministério do Trabalho. Por conta do alto índice, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Acre (Fecomércio/AC) alerta aos empresários locais quanto às normas básicas de segurança para pleno funcionamento dos estabelecimentos.

De acordo com dados divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego no Acre (MTE/AC), em 2017, foram registradas quatro mortes no ambiente de trabalho. O superintendente do MTE/AC, Taumaturgo Lima, explica que o número pode ainda ser superior, visto que algumas empresas não chegam a informar os dados.

“Para se ter uma noção, houve, apenas no Acre, 380 acidentes de trabalho no ano passado. No Brasil, 349.579. Esse número é considerado exorbitante, já que causa transtornos aos empregados, ao empregador e, obviamente, à família do empregado, que passa por situações difíceis enquanto a pessoa está afastada”, enfatiza o superintendente.

De acordo como Ministério do Trabalho, o não cumprimento das exigências do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional, previsto na Norma Regulamentadora nº.7, seria o caso mais frequente registrado pela fiscalização. Em todo o Brasil, foram 9.517 estabelecimentos autuados. “Embora no Acre nós ainda não tenhamos esses dados, verificamos que alguns empresários não tenham, talvez não apenas o cuidado com isso, mas a informação necessária”, complementa Lima.

Parceria entre todos

Para Taumaturgo, deve haver, para evitar acidentes de maiores grandezas, uma verdadeira parceria entre órgãos fiscalizadores, empregadores, empregados e, também, a sociedade civil.

“Todos temos de zelar pelo bem comum: os empregadores tem sim de zelar e estarem atentos às normas; os órgãos fiscalizadores, verificarem e principalmente tirarem as dúvidas de empregados e empregadores; os empregados, devem tomar o devido cuidado ao longo do trabalho e, obviamente, a sociedade civil tem de zelar pelas dependências e instalações da empresa. Ao final, todos tem de estarem juntos”, finaliza.