Aleac promove treinamento a assessores parlamentares

Na manhã desta segunda-feira (17), representantes dos setores técnicos da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) promoveram um treinamento aos assessores parlamentares. O encontro aconteceu no auditório da casa e durante a explanação foram apresentadas as principais proposições utilizadas durante o processo legislativo.

O encontro foi idealizado pela da Mesa Diretora da Aleac, junto à Secretaria Executiva. Ele é realizado no início de toda legislatura, onde é promovido um treinamento aos assessores dos deputados estaduais eleitos e apresentados os setores que irão oferecer suporte técnico aos mandatos e também seus respectivos representantes que irão auxiliar os assessores.

A analista legislativa Márcia Abreu, que foi a responsável pela explanação, destacou que o intuito do treinamento é oferecer um suporte inicial aos assessores e destacar quais setores do Poder Legislativo são responsáveis por auxiliá-los na confecção dos documentos que podem ser apresentados pelos deputados no decorrer do mandato.

“O objetivo é passarmos todas as informações sobre os trâmites para que os assessores tenham uma noção básica sobre tudo que envolve o processo legislativo de um mandato. Falamos sobre a elaboração de projetos de lei ordinárias e complementares, proposta de emenda constitucional e apresentamos os servidores da casa que ficam à disposição para auxiliá-los nesses trabalhos”, explicou.

Participaram do treinamento aos assessores parlamentares, representantes da Secretaria Executiva da Aleac, Consultoria-Geral da Mesa Diretora, Subsecretaria de Atividades Legislativas e Consultoria Técnica.

Em assembleia os sindicatos da saúde definem ações

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Acre (Sintesac), Spate e Sindiconam, realizou uma assembleia geral no auditório do Conselho Regional de Enfermagem, Coren/AC. Cerca de 300 servidores participaram da reunião. Uma agenda foi deliberada pela categoria para tratar das negociações com a equipe de governo de Gladson Cameli.

A luta para efetivação dos servidores do Pró-saúde continua. O embate ocorre desde a gestão passada, quando o SINTESAC tenta um acordo com o governo. Um estudo de viabilidade econômica foi feito pelos sindicatos e encaminhado ao executivo. A solução para evitar as demissões era transformar a fundação paraestatal de direito privado, criada em 2008, em autarquia. Além dessa regularização, há a necessidade de reintegrar os servidores que já foram demitidos do Pró-saúde.

O atual governador utilizou essa pauta de regularização como uma de suas bandeiras de campanha, mas o fato não se concretizou até o momento. Os sindicatos não foram convidados para uma conversa. Vale lembrar que, de acordo com o que foi apurado por esse estudo, os servidores do pró-saúde gerariam um impacto somente de 0,3% do orçamento geral do estado.

“Esse valor não vai quebrar o estado do Acre. O impacto na folha seria de 1,8%. Com a reforma administrativa realizada por Gladson Cameli, a economia anual é de R$ 100 milhões. Os servidores do Pró-Saúde precisariam apenas de 4 milhões de reais. Ou seja, daria para manter esse pessoal”, pontuou presidente do Sintesac, Adailton Cruz, em sua fala de abertura na assembleia.

O mês de março ficou marcado para iniciar as demissões. Por isso, os sindicatos querem uma resposta emergencial para evitar que mais de mil famílias fiquem desempregadas injustamente, mesmo após concurso público. “Não há mais o que esperar, precisamos de uma decisão”, afirmou Cruz.

Ficou decido que representantes da Procuradoria Geral do Estado, Casa Civil, Secretaria da Fazenda e Secretaria da Saúde recebam os sindicalistas na próxima segunda-feira, 18, para uma reunião na Casa Civil, a partir de 14h. Todos os servidores pretendem acompanhar essa reunião.

“O governo já sinalizou que vai nos receber, porque eles sabem a nossa força. Mas para isso, é necessário que todos participem das reuniões e pautas do movimento a partir de agora”, orientou Rosa Nogueira, presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Acre (Spate/AC).

Na assembleia também ficou decidido que será realizada a primeira manifestação pública desse ano, no centro da cidade, a partir de 8h de terça-feira, 19. Todos os servidores foram convocados para um ato público, a fim de chamar a atenção das autoridades e resolver, efetivamente e definitivamente, a situação do Pró-saúde.

Sindicatos de saúde convocam servidores para assembleia geral amanhã

Em comunicado, Adailton Cruz, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Acre, Sintesac, convoca servidores da categoria para uma assembleia geral na próxima quinta-feira, dia 14. O encontro será realizado no auditório do Conselho regional de enfermagem, Coren/AC, a partir das 17h.

A pauta principal da assembleia está relacionada a efetivação dos servidores do Pró-saúde, ameaçados de demissão a partir do mês de março. Os sindicatos da categoria querem que a empresa se transforme em autarquia. Assim, cada trabalhador que passou em concurso público seria efetivado em sua função.

Até o momento, a equipe administrativa do governo Gladson Cameli não chamou os sindicatos para tratar sobre o assunto. Essa efetivação foi uma das bandeiras de campanha do atual gestor do estado. Depois dessa assembleia é que será deliberada as ações para chamar a atenção do governo. O principal objetivo é evitar as demissões e um caos na saúde pública do Acre.

Ministério Público investiga falta de concurso público na Assembleia Legislativa do Acre

Órgão instaurou inquérito civil nesta quarta-feira (14). Presidente da Aleac disse que ainda não foi informado sobre investigação e afirmou que não houve concurso público durante seu mandato

O Ministério Público do Estado do Acre (MP-AC) vai investigar a ausência de concurso público na Assembleia Legislativa do estado (Aleac). A portaria com a instauração do inquérito Civil foi publicada na edição de quarta-feira (14) do diário eletrônico do órgão.

Ao G1, o presidente da Aleac, deputado estadual Ney Amorim, informou que não foi informado a respeito do inquérito e que vai se pronunciar posteriormente. Amorim afirmou que este ano concluiu seu segundo mandato como presidente da Casa.

“Na segunda-feira (19), devo ter acesso a essas informações, porque se deu entrada na Aleac, não chegou até a mim ainda. Não teve concurso nenhum na Aleac por enquanto”, disse Amorim.

Conforme a portaria, o MP-AC recebeu uma denúncia, no Centro de Apoio Operacional de Defesa do Patrimônio Público, de possíveis violações aos princípios da administração pública, principalmente sobre a ausência de concurso público na Aleac. Segundo o órgão, a situação caracteriza ato de improbidade administrativa.

Aleac promove sessão em homenagem a cerimonialistas

A Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) realizou na manhã desta quinta-feira (25) uma sessão solene em alusão ao Dia Nacional do Cerimonialista, comemorado no próximo dia 29. A solenidade é fruto do requerimento do deputado Daniel Zen (PT) e contou com a presença de cerimonialistas de várias instituições do estado.

O Dia do Cerimonialista foi sancionado pelo saudoso ex-vice-presidente da República, José de Alencar, em 16 de novembro de 2009. O papel do cerimonialista é essencial para a organização de um evento, uma vez que tem como objetivo principal promover tranquilidade e segurança para anfitriões e convidados.

Lina Grasiela, representante do Comitê Nacional de Cerimonial Público e Protocolo na Região Norte, destacou os 25 anos de existência da instituição e os trabalhos realizados pela mesma. “Neste ano em que o Comitê comemora seu jubileu de prata, com 25 anos de atuação, muito me honra fazer parte deste evento, o primeiro que homenageia essa profissão, que existe no Brasil desde a era colonial. Temos por finalidade estimular a participação e integração de todos os profissionais de Cerimonial de todo o nosso país, facilitando também as trocas de informações no mundo todo.”

O deputado Jenilson Leite (PCdoB) destacou o importante papel do cerimonialista para que um evento seja bem-sucedido. O parlamentar parabenizou os profissionais presentes na solenidade e colocou seu mandato à disposição dos mesmos. “A importância do papel que vocês têm em nossa sociedade, organizando as reuniões, sociais faz toda uma diferença. É muito bom realizar um ato e obter sucesso no desenrolar do evento. Estamos à disposição para outras sessões e momentos importantes na vida profissional de vocês”, destacou.

Jackie Pinheiro, representando o cerimonial da vice-governadora, agradeceu a homenagem e falou do orgulho que sente ao ter escolhido a profissão. “Estou muito feliz com essa iniciativa, agradeço ao deputado Daniel Zen por ter apresentado esse requerimento, hoje é um dia muito especial. Iniciei a profissão de cerimonialista na década de 80, e confesso que foi uma decisão mais que acertada. Trabalhei no Tribunal Regional Eleitoral, no Tribunal de Justiça, no Poder Executivo municipal e depois no estadual. Hoje, me sinto emocionada em fazer parte dessa homenagem”, disse.

Daniel Zen, autor do requerimento para a realização da sessão solene, falou sobre o papel importante que os cerimonialistas desempenham. O parlamentar reiterou que além de trabalhar em todas as atividades legislativas, os deputados têm buscado fazer o justo reconhecimento das profissões.

“Muitas das nossas atividades dependem do trabalho de vocês. Aqui, no Poder Legislativo, é algo essencial para o bom funcionamento das sessões. Temos nos dedicado, além dos debates e todas as atividades legislativas, a também fazer o justo reconhecimento a diversos setores da sociedade e entidades que prestam serviços relevantes. Reconhecer a importância das mais diversas categorias profissionais é ter percepção do papel de cada um deles”, finalizou.

Ao final da solenidade, as cerimonialistas Lina Grasiela e Terezinha Mascarenhas, que é fundadora do Cerimonial do Poder Legislativo, receberam das mãos do deputado Daniel Zen, acompanhado dos deputados Nelson Sales (PP), Whendy Lima (PSL), Gehlen Diniz (PP) e Jenilson Leite, a comenda da Ordem do Mérito Legislativo do Acre. A honraria é concedida a personalidades ou instituições que prestaram relevantes serviços ao estado.

Assembleia Legislativa comemora aniversário de obras sociais da Diocese de Rio Branco

Através de requerimento da deputada estadual Eliane Sinhasique (MDB), a Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) homenageou a Diocese de Rio Branco, nesta quinta-feira (27), pelos 50 anos de fundação do Hospital Santa Juliana e de administração diocesana da Casa de Acolhimento Souza Araújo.

Participaram da sessão, o Bispo da Diocese de Rio Branco, Dom Joaquim Pertiñes, o diretor do Hospital Santa Juliana, Marcos Paulo, a diretora da Colônia de Acolhimento Souza Araújo, Irmã Francisca Vieira, o Economo da Diocese de Rio Branco, Padre Jairo Coelho e o administrador da Galeria Meta e membro da Diocese, Marcio Santos.

O Hospital Santa Juliana começou a ser construído no ano de 1969 por iniciativa de Dom Giocondo e da Ordem dos Servos de Maria. “Eram tempos difíceis para a saúde pública, e a Igreja, sempre atenta às necessidades dos seus filhos, soube dar uma resposta sumamente valiosa com sua presença ao lado dos mais pobres e desprotegidos da sociedade”, frisou Sinhasique.

Hoje, também comemora-se os 50 anos em que a Colônia Souza Araújo passou a ser mantida pela Diocese de Rio Branco. “Fundada em 1927, a Colônia abriga os hansenianos que viveram uma época sombria da doença, são pessoas que foram afastadas do convívio da sociedade e de seus familiares, e encontraram naquele lugar, todo o acolhimento e amor necessários para lidar com um problema tão difícil para a época”.

Por esses e outros trabalhos sociais, a deputada Eliane parabenizou a Diocese de Rio Branco. “Parabéns por todo o trabalho social e humanitário que realiza em nosso Estado. Receba o nosso reconhecimento e eterna gratidão”.

“Estamos comemorando a celebração de 50 anos dessas duas importantes obras da nossa Igreja. Não foi fácil e não continua sendo fácil manter o Hospital e a Casa de Acolhimento, mas agradecemos às pessoas que voluntariamente se dedicaram a fazer essas obras”, declarou o Bispo Dom Joaquim Pertiñes.

Durante a sessão, o Bispo Dom Joaquim Pertiñes foi agraciado com a Comenda da Ordem do Mérito Legislativo, maior honraria da Casa Legislativa. A Irmã Maria Inês e para o médico Jessé Câmara foram homenageados com moção de aplauso.

A sessão teve recorde de público, mais de 160 pessoas prestigiaram. O plenário e a galeria da Casa ficaram lotados.

Empresa investigada por fraude em licitações de publicidade na Aleac cobrava mais de R$ 100 mil por 2h de filmagem, diz PF

Empresária Charlene Lima foi presa junto com outras seis pessoas e mais dois servidores da Aleac em Operações da Polícia Federal. Reportagem teve acesso exclusivo às notas fiscais que comprovariam superfaturamento de mais de 155%.

A empresa CL Publicidade, contratada para prestação de serviços de publicidade para a Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) e investigada por fraudes em licitações, cobrava mais de R$ 100 mil por duas horas de filmagem.

A informação é da Polícia Federal que analisou notas fiscais apreendidas e comparou com preço cobrado no mercado. Conforme o levantamento da PF, a empresa de Charlene Lima, presa no último dia 13 na Operação Hefesto, cobrava três vezes mais que o valor de mercado.

A Rede Amazônica Acre teve acesso com exclusividade às notas fiscais que, segundo a Polícia Federal, comprovariam superfaturamento de mais de 155% em serviços de publicidade entre a empresa e a Aleac.

Os documentos foram apreendidos durante as operações “Hefesto”, deflagrada no último dia 13 de setembro, e “Hora Certa”, deflagrada no dia 18 de setembro. Ao todo, foram cumpridos 30 mandados de busca e apreensão e de prisão.

Preço do serviço acima do praticado no mercado

Entre o material apreendido, a PF teve acesso a documentos que mostram indícios de superfaturamento e sobrepreço, especialmente referentes a filmagens das sessões da Aleac.

Em um processo de cotação de preços para aluguel de uma câmera digital e serviços de filmagens de sessões foram apresentados orçamentos nos valores de R$ 2,5 mil, R$ 2,8 mil e de R$ 3 mil.

Já os preços da Criativa Publicidade Limitada, subcontratada pela empresa CL Publicidade, de Charlene Lima, presa durante a operação da PF, ficaram bem acima dos praticados pelo mercado.

Em uma das notas fiscais, pelo mesmo serviço de filmagem de uma sessão, foi cobrado R$ 92 mil. Tem ainda uma de R$ 93,5 mil e outra no valor de R$ 103,5 mil por 2 horas de filmagem.

Os investigadores da PF fizeram ainda uma comparação. Considerando o valor de R$ 3 mil, o maior entre os orçamentos que não foram contratados, multiplicado por 12 sessões, que é a média por mês, daria um total de R$ 36 mil. Ainda bem inferior aos praticados pela Criativa Publicidade.

Aleac emite nota sobre operação da Polícia Federal

O deputado Ney Amorim, presidente da Assembleia Legislativa do Acre, emitiu nota nesta quinta-feira, 13, para reafirmar ao público a postura ética do Poder Legislativo do Estado ante à investigação da operação da Polícia Federal realizada em Rio Branco e outros municípios.

Ney Amorim convocou os deputados para repassar as informações até agora compartilhadas pelas autoridades e vai solicitar mais detalhes para manter os integrantes do Parlamento informados.  Ney diz que “situações dessa natureza nos entristecem e só reafirmam nossa certeza quanto à necessidade de contínuo desenvolvimento e implementação de ferramentas de aperfeiçoamento da gestão pública”.

Veja a nota na íntegra:

Nota Mesa Diretora Aleac

Aleac emite nota sobre operação da Polícia Federal

O deputado Ney Amorim, presidente da Assembleia Legislativa do Acre, emitiu nota nesta quinta-feira, 13, para reafirmar ao público a postura ética do Poder Legislativo do Estado ante à investigação da operação da Polícia Federal realizada em Rio Branco e outros municípios.

Ney Amorim convocou os deputados para repassar as informações até agora compartilhadas pelas autoridades e vai solicitar mais detalhes para manter os integrantes do Parlamento informados.  Ney diz que “situações dessa natureza nos entristecem e só reafirmam nossa certeza quanto à necessidade de contínuo desenvolvimento e implementação de ferramentas de aperfeiçoamento da gestão pública”.

Veja a nota na íntegra:

Nota Mesa Diretora Aleac

Aleac promove seminário com especialistas em autismo

A Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), por meio do seu presidente, deputado Ney Amorim, promoveu na manhã desta quinta-feira (16) o II Seminário de Educação e Autismo. O evento aconteceu no Teatro Plácido de Castro e contou com a presença da psicóloga mestre em Educação Especial Maria Elisa, e da mestre em Psicologia Social e Educacional Adriana Pereira.

Durante o evento foram abordadas estratégias clínicas e educacionais para pessoas com autismo, com métodos adequados para ensinar e educar crianças e jovens. Também foi elucidada a formação do pedagogo sob múltiplos olhares e como isso se faz necessário para compreender as especificidades de alunos com necessidades especiais.

A pedagoga e equoterapeuta Shirlei Lessa, que trabalha com crianças e jovens autistas, falou sobre a importância da busca constante de novas formas de ensino e tratamento para pessoas que têm autismo. Ela afirma que essa é a verdadeira forma de promover a inclusão, oferecendo melhores condições de vida a essas pessoas e respeitando suas limitações.

“Precisamos estar em constante busca de novas ferramentas de atuação. Esse seminário vem trazer um leque de informações para os pais e familiares dos autistas, como também para professores, pedagogos e todos os demais profissionais que atuam diretamente com essas pessoas. Essa é a verdadeira inclusão, trazer essas pessoas especiais para dentro da sala de aula, para conviver com alunos que não possuem as mesmas condições, promovendo o respeito e aceitação mútuos”, ressaltou.

Participaram do evento pais, familiares e acompanhantes de autistas, pedagogos, professores, psicólogos, dentre outros profissionais que atuam diretamente com esse público.

Leila Galvão enaltece trabalho do prefeito Bira Vasconcelos

A deputada Leila Galvão (PT) falou durante a sessão desta quarta-feira (15) sobre os investimentos que o prefeito de Xapuri, Bira Vasconcelos (PT), tem feito no município. A parlamentar destacou os atendimentos de saúde itinerante que o gestor tem oferecido aos moradores do local.

“Reconheço e parabenizo todo o esforço do prefeito Bira, que tem feito tudo que está ao seu alcance para melhorar diversos setores em Xapuri, principalmente na área rural e da saúde. A gestão municipal tem disponibilizado esse serviço diferenciado a cada dois meses, bancado pelo próprio município. São pessoas de baixa renda que não teriam como vir a capital fazer consultas com dermatologista, nutricionista, oftalmologista, ginecologista, dentre outros”, acrescentou.

Leila Galvão falou também sobre as melhorias nos ramais. Mesmo não recebendo repasses do governo federal, as gestões municipal e estadual têm se unido para beneficiar o maior número possível dessas vias. “Apresentamos essas reivindicações ao Deracre para que os moradores que dependem dos ramais para se locomover não fiquem isolados por falta de beneficiamento na estrada”, finalizou.

Assembleia realiza sessão em homenagem ao Dia da Cultura Ayahuasqueira no Acre

Requerimento é de autoria do deputado Luiz Gonzaga (PSDB)

Com a galeria e o plenário completamente lotados, a Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) realizou na manhã desta quinta-feira (9) uma sessão solene em homenagem ao Dia da Cultura Ayahuasqueira, comemorado em 24 de novembro. A solenidade foi solicitada pelo deputado Luiz Gonzaga (PSDB), através de um requerimento aprovado por unanimidade pelos parlamentares.

Em pronunciamento, o deputado Luiz Gonzaga, que há 39 anos faz uso do chá, falou da sua alegria em homenagear um dia tão importante para a comunidade ayahuasqueira. Ele também agradeceu ao presidente da Aleac, deputado Ney Amorim (PT), pelo apoio para a realização da solenidade.

“Para nós, que somos ayahuasqueiros, este é um momento histórico, é uma alegria imensa recebê-los neste Parlamento. Agradeço demais ao presidente Ney Amorim por nos proporcionar este momento tão mágico. Eu já tinha tentado fazer esta homenagem em outras oportunidades, mas não tive êxito. Ney tem sido parceiro de todos os parlamentares, ele nunca fez divisão entre oposição e situação, esse é o seu diferencial”, destacou.

O deputado também agradeceu ao presidente Ney Amorim por ter sido autor do projeto de lei que criou o Dia da Cultura Ayahuasqueira. O PL foi sancionado pelo governador Tião Viana (PT) em 31 de julho deste ano. “Esse projeto reconheceu, sem dúvida, a seriedade do trabalho das entidades que fazem o uso religioso da ayahuasca. Agradeço demais ao presidente desta casa por ter sido autor de um projeto tão importante como esse”, frisou.

O parlamentar falou ainda dos obstáculos que a comunidade ayahuasqueira enfrentou para ser reconhecida. “Para chegarmos a este momento bonito e sem dúvida histórico tivemos que fazer uma longa caminhada. Lembro que teve um período em que deixamos de beber o chá por conta de uma lei que proibiu a distribuição. Graças a Deus, após vários estudos, o produto foi liberado e voltamos a comungar o chá. Hoje, graças ao trabalho realizado em 1992 pelo seu Ademir, a união entre os três troncos aconteceu. As três comunidades que comungam o chá atualmente se respeitam e convivem em harmonia”, salientou.

Onides Bonaccorsi, articuladora da Câmara Temática das Culturas Ayahuasqueiras de Rio Branco, falou sobre a importância da religião para promover a cultura de paz e respeito ao próximo. Disse também que o chá da ayahuasca tem um papel fundamental no tratamento contra a depressão e que várias pessoas buscaram a cultura para tratar problemas semelhantes a esse.

“A Câmara Temática de Culturas Ayahuasqueiras constitui um fórum de debates de diversas entidades, promovendo políticas públicas para o segmento e reafirmando o uso responsável da ayahuasca. Temos um profundo respeito pelos povos indígenas, representantes originais da cultura ayahuasqueira, guardiões desse tesouro espiritual que tem beneficiado inúmeras pessoas. Mesmo com o preconceito que infelizmente ainda existe, temos sido ensinados que serenidade, amorosidade e paciência são ferramentas valiosas para nos colocarmos com dignidade perante o mundo. Hoje é um dia feliz para nós” afirmou.

Para Jair Facundes, juiz federal e representante da Igreja Rainha da Floresta, a homenagem prestada pela Aleac à comunidade ayahuasqueira é um passo importante no combate ao preconceito. “Antigamente, parte da sociedade perseguia as pessoas que tomavam o chá. Infelizmente ainda vivenciamos esse tipo de coisa. Vencemos muitos obstáculos, mas o preconceito ainda existe. Receber essa homenagem de uma casa que representa a democracia é muito gratificante. Promover e proteger a diversidade da cultura é necessário e importante. O respeito é necessário, nós somos defensores do mesmo respeito, vontade e igualdade que as demais manifestações culturais têm”, destacou.

O desembargador Laudivon Nogueira, no ato representando a desembargadora Denise Bonfim, presidente do Tribunal de Justiça do Acre, falou da importância de se promover atos contra a discriminação. “Um estado constitucional contemporâneo precisa defender os direitos fundamentais. Mas não só defender, é preciso muito mais, temos que reconhecer, promover. Promover atos contra o preconceito é necessário, a cultura de um povo precisa ser reconhecida e respeitada. Com o poder público atuando nesse sentido, garantiremos o respeito às diferenças”, complementou.

Edson Lodi, jornalista e escritor, que participou do evento representando o Centro Espírita Beneficente União do Vegetal, agradeceu a homenagem feita à cultura ayahuasqueira e destacou sua alegria em receber o Título de Cidadão Benemérito do Acre durante a sessão solene.

“Hoje é um dia de luz e alegria, pelo lançamento do Dia Estadual da Cultura Ayahuasqueira. Daqui há alguns anos as pessoas verão o quanto essa data é importante. Com esse sentimento de alegria recebo também o Título de Cidadão Benemérito do Acre. A hospitalidade acreana é de um valor incalculável. Esse povo bondoso e fraterno, que sempre me acolheu e amparou. As virtudes que cultivo, devo à sinceridade e exemplo de homens e mulheres notáveis que pregam a paz e o respeito”, relatou.

Perpétua Almeida, ex-deputada federal, parabenizou o presidente da Aleac, deputado Ney Amorim, pela homenagem e reconhecimento da importância da cultura ayahuasqueira. Ela destacou o papel fundamental da religião para a disseminação da cultura de paz.

“Gosto de dizer que ajudei a contribuir para que chegássemos até aqui. Há uns 10 anos demos entrada no Congresso Nacional com um pedido de reconhecimento do uso da ayahuasca como cultura brasileira. Conversando com membros da UDV, chegamos à conclusão de que deveríamos celebrar os 50 anos da instituição. A cultura de paz disseminada por membros da ayahuasca é essencial até mesmo nas casas e na união das famílias. Saúdo o presidente Ney Amorim por este momento tão rico em nossa história”, saudou.

Zezinho Kaxinawá, representando os 16 povos indígenas que comungam a ayahuasca no Acre, frisou que mesmo que o chá tenha se expandido mundialmente o mesmo ainda não é visto com bons olhos pela sociedade. “A ayahuasca criou vários segmentos no mundo inteiro, mas o preconceito ainda é um problema para nós. Nós precisamos de mais respeito, o chá significa cura para o mundo, para a sociedade. Sobre o reconhecimento da cultura ainda temos um longo caminha a percorrer”, disse.

Emater completa 50 anos e é homenageada na Assembleia

A Empresa de Assistência Técnica Extrativista Rural do Acre (EMATER), completa neste ano, cinquenta anos de sua criação e serviços voltados ao homem do campo.

Em sessão solene, nesta quinta (02), a Assembleia Legislativa do Estado do Acre (Aleac), por meio de requerimento do deputado estadual, Lourival Marques (PT), destinou o dia a recordar a história da entidade, das superações e avanços no trabalho dos profissionais, assim como dos produtores acreanos.

O representante da Câmara de Rio Branco e da prefeitura, vereador Mamed Dankar (PT) recordou um pouco das dificuldades da entidade e seus profissionais.

“Esse não é só uma sessão solene, é uma sessão histórica, pois destaca a importância e transformação da história de famílias com a participação da Emater, com sua atuação na área do homem do campo e enfrentando as dificuldades para buscar realizar sonhos. Por vezes ouvimos pessoas sem conhecimento descredenciarem o trabalho dessas pessoas, mas sabemos da nossa vocação, devoção e objetivo. Com a rápida passagem na presidência da entidade vi de perto a garra de cada profissional em querer atingir o nível que chegamos e ainda queremos alcançar. Cumprimento o deputado Lourival pelo carinho e atenção ao nosso setor produtivo e extensão orgânica”, disse Dankar.

A diretora presidente da entidade, Socorro Ribeiro destacou a semelhança entre a extensão rural com a participação dos extensionistas.

“Nós da Emater temos duas fases, antes de 99 e após esse ano. Lembro que não eram destinados investimentos a esse setor, que tínhamos que comprar fichas para usar o orelhão e tentar realizar um planejamento com o produtor. Após o Jorge Viana assumir, foi um setor que de fato surgiu, cresceu e vive até hoje, possibilitando melhorias e dignidade de vida ao homem do campo, e qualificando os profissionais. E me orgulho de fazer parte desse sistema”, afirmou Socorro.

Para o autor do requerimento, as comemorações são um misto de sua pessoa e seu profissionalismo.

“Minha história profissional e de vida se misturam ao trabalho e etapas de existência da Emater, que este ano completa cinquenta anos de apoio ao produtor Acreano e seu quadro de profissionais altamente qualificados. Agradeço a sensibilidade dos demais parlamentares em aprovar o meu pedido de sessão solene para esse momento tão especial para todos nós. Viva Emater!”, enfatizou Lourival.

Assembleia promove seminário e defende mais inclusão social

Mais de 1,3 mil pessoas, entre especialistas em saúde, técnicos, estudantes universitários e representantes do Poder Legislativo prestigiaram a abertura do ‘3º Seminário da Assembleia Legislativa de Inclusão da Pessoa com Deficiência, em sua Trajetória de Vida’, nesta sexta-feira, 27, no Teatro da Universidade Federal do Acre (UFAC).

O evento é uma forma encontrada pela Assembleia Legislativa do Estado do Acre (Aleac) de ampliar o debate em torno da necessidade de oferecer mais qualidade de vida e inclusão social a crianças, jovens e adolescentes com deficiência.

Neste sentido, a Aleac já é pioneira com projetos de lei, como, por exemplo, os apresentados pelo presidente da Mesa Diretora, deputado Ney Amorim, que permitem a inclusão dessas pessoas no mercado de trabalho e que ajudam mães de crianças especiais a ter mais celeridade em exames clínicos.

A primeira palestra do dia foi sobre ‘Deficiência Intelectual e Letramento’, com a especialista Hadhianne Peres de Lima, que tem mestrado no tema. Em seguida, foi a vez do médico oftalmologista Renaldo Moreno discorrer sobre ‘As Peculiaridades da Visão na Perspectiva Clínico-Funcional’.

O encerramento se deu com a palestra da professora doutora Nina Rosa Araújo, com o tema ‘A Visibilidade da Pessoa Surda enquanto Minoria Linguística’.

Neste sábado, acontece o ponto alto do evento com o professor doutor Zan Mustacchi, que é especialista no sistema endócrino-metabólico da Trissomia 21, o cromossoma da Síndrome de Down. Ele finaliza o ciclo de palestra com um segundo tema, ‘Trissomia 21: Nutrição, Educação e Saúde’.

Assembleia Legislativa do Acre é a que menos consome verba pública, diz estudo

O deputado estadual do Acre é que consome a menor verba entre as assembleias legislativas do País. Um membro da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) custa ao contribuinte R$5,9 milhões ao ano, quase quatro vezes que o deputado mais caro, o de Minas Gerais, onde o gasto per capita do parlamento chega a R$17,5 milhões. Os dados são da plataforma Contabilizando Para o Cidadão, do Conselho Regional de Contabilidade de Santa Catarina.

A Aleac está também entre as Casas Legislativas de menor custo do País. Com gasto de R$140.554.627,53 em 2017, a Aleac é a última no ranking de gastos por assembleia um feito relevante nestes tempos de crise. O Poder Legislativo de Minas Gerais é o que mais consome recursos: R$1.349.804.519,65 de gastos em 2017.

O gasto médio anual de cada deputado acreano é de R$5.856.442,81, três vezes menos que um deputado distrital de Brasília, por exemplo, mas um dos mais alto quando se calcula o per capita proporcional à população do Estado. A Câmara do DF possui o mesmo número de parlamentares da Aleac, 24 deputados.

Sinhasique preside Fórum e apresenta soluções na Assembleia

A Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), através da Comissão dos Direitos Humanos e Cidadania, presidida pela deputada Eliane Sinhasique (MDB), realizou ontem (29), o primeiro Fórum de Debates Soluções para a Violência sob o Olhar da Vítima.

O objetivo do encontro era debater a violência com todas as esferas do poder público e sociedade para encontrar soluções que serão encaminhadas para os Governos Federal, Estadual e municipais.

O Acre é o estado em que a violência mais cresce no país. Nos últimos três anos a taxa nacional foi de 26,8 mortes por 100 mil habitantes, enquanto a do Estado foi de 60,7, três vezes maior. Na capital, essa taxa é ainda pior, 80,1%, em 2017.

Participaram do evento Instituições como Tribunal de Justiça do Acre, Ministério Público do Estado, Tribunal de Contas do Estado, Procuradoria Geral do Estado, Secretaria de Segurança Pública e Direitos Humanos do Estado, Ordem dos Advogados do Brasil, Diocese de Rio Branco, Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal, Exército, dentre outras.

O Fórum foi dividido em quatro painéis: Proteção à vítima e rede de assistência ao dependente químico, Combate ao crime e Fronteira, Mulheres e Jovens no Tráfico e Crimes e Punições.

O deputado Raimundinho da Saúde (PODEMOS), presidente em exercício do Poder Legislativo, frisou que a Casa não poderia deixar de debater esse assunto. “Precisamos, enquanto parlamentares e cidadãos, encontrar soluções para esse problema”.

A presidente do Fórum e da Comissão dos Direitos Humanos, Eliane Sinhasique (MDB), frisou que o debate precisa ser feito com toda a sociedade civil organizada. “Como diz o art. 144 da Constituição Federal: a Segurança Pública é dever do Estado, mas é obrigação de todos nós. Toda a sociedade civil organizada precisa dar as mãos e procurar soluções em conjunto para que possamos reduzir esses índices alarmantes”.

A parlamentar garante que há solução para a violência e mostra vídeo da Ciudad Juárez, no México, que já foi a mais violenta do mundo e conseguiu através de adoção de medidas sociais, sair dessa situação de risco e reduzir de 271 para 19 a cada 100 mil habitantes, a taxa de mortes violentas, em cinco anos.

“Se não sabemos fazer, precisamos aprender com quem fez. Podemos buscar modelos de outras cidades, outros países, para desenvolver a cultura da paz que tanto queremos”, declarou.

Debate

O senador Gladson Cameli (PP) frisou que esse debate é importantíssimo e ressaltou que é com união que os índices poderão ser reduzidos. “Precisamos que o Estado faça parceria com as Igrejas que já desempenham um importante trabalho social. Se cada um de nós fizer a sua parte conseguiremos vencer o crime. Não me conformo com esses números que temos hoje”.

A desembargadora Eva Evangelista, presidente em exercício do Tribunal de Justiça, ressaltou que é importante o envolvimento de todos. “Somos um Estado extremamente violento. Não adianta nós que temos mais condições elevarmos os nossos muros e deixarmos o restante da população à mercê da violência. A solução é investir em educação”.

O procurador Sammy Barbosa, representante da Procuradoria Geral do Estado, declarou que as soluções precisam ser construídas coletivamente. “Precisamos unir forças. Isso está preconizado no texto da Constituição Federal quando fala da Segurança Pública. Ela afirma que Segurança Pública é direito e responsabilidade de todos nós. Só é possível vencer esses obstáculos com a união de toda a sociedade”.

O representante da Secretaria de Direitos Humanos, ouvidor Valdecir Nicácio, disse que o Estado perdeu a batalha contra a violência. “Estamos numa batalha e perdemos! O Estado não briga com o crime, ele trabalha em outra esfera. Todos nós somos vítimas, quem sofre e quem comete a violência. É um problema de todos nós”.

O Tenente Coronel Atahualpa Batista garantiu que é preciso investir na Polícia Militar. “Precisamos fortalecer a Segurança Pública, valorizar seus profissionais em vários sentidos, não sendo exclusivamente salarial. Precisamos de reconhecimento profissional e aquisição de equipamentos. A Polícia Militar é uma defensora dos Direitos Humanos”.

Cesar Henrique, Superintendente da Polícia Rodoviária Federal do Acre, falou da importância da formação de pessoas que respeitem os policiais e dos investimentos em educação. “A Insegurança que vivemos vem da falta de políticas educacionais sérias”.

Aleac realiza sessão solene em alusão à Campanha de Prevenção da VI Semana Estadual Sobre Drogas

Através de um requerimento de autoria do deputado Lourival Marques (PT), a Assembleia Legislativa realizou na manhã desta quinta-feira (28) uma sessão solene em alusão à Campanha de Prevenção da VI Semana Estadual Sobre Drogas. Dando início à sessão, o presidente em exercício do Poder Legislativo, deputado Eber Machado (PDT), destacou a importância do debate para a sociedade.

“É nossa responsabilidade enquanto gestor, educador, defensor e parlamentar lutar contra esse mal, que atinge principalmente a nossa juventude. Esta casa também abraça essa discussão. Nós temos que encontrar meios que garantam o bem-estar das nossas famílias”, disse.

Em pronunciamento, o deputado Lourival Marques (PT) frisou que o governo do Estado tem se mostrado sensível a todas as famílias que convivem com o problema, inclusive, com os que residem nas comunidades mais distantes, como os jovens agricultores, extrativistas e ribeirinhos, onde segundo ele, o problema também já se instalou.

“A VI Semana Estadual Sobre Drogas, que será realizada este ano de 25 a 29 de junho, se trata de uma campanha de prevenção. É na verdade um chamado para que governo, municípios e sociedade civil caminhem juntos num debate tão importante. Vivemos numa rota que precisa de certo controle devido às nossas fronteiras, por isso precisamos fortalecer as ações de combate e é dessa maneira que o governo do Acre tem trabalhado”, salientou o parlamentar.

Susie Lamas, coordenadora da VI Semana Estadual Sobre Drogas, parabenizou Lourival Marques pela iniciativa de realizar a sessão. Ela falou ainda sobre a importância da Semana Estadual Sobre Drogas.

“Sabemos que o consumo de substâncias psicoativas afeta de maneira profunda amplos aspectos da vida das pessoas que as utilizam e dos grupos nos quais elas estão inseridas. Campanhas de prevenção como esta são de suma importância, pois vem a somar com os esforços dos setores público e privado no enfrentamento às violências causadas pelo abuso e o tráfico de drogas. Agradeço demais ao presidente desta casa, deputado Ney Amorim, e aos deputados Lourival Marques e Manoel Moraes, pelo apoio que eles têm dado para a realização desse evento”, enfatizou.

A coordenadora destacou ainda que a cada ano a Semana Estadual vem crescendo. “Este ano ela está bem ampla. Dentre outras atividades já tivemos a formatura de três mil alunos que participaram do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), coordenado pela Polícia Militar; tivemos a incineração de drogas por parte da Polícia Civil e da Polícia Federal, por meio do Tribunal de Justiça, o qual está neste exato momento no Palácio da Justiça, realizando uma atividade que também faz parte da Semana Estadual, que é uma conversa com reeducandos do sistema prisional, envolvendo a temática álcool e outras drogas. Estão acontecendo também rodas de conversa dentro dos institutos socioeducativos sobre o uso problemático de álcool e drogas”, frisou.

A prefeita de Rio Branco, Socorro Neri (PSB), destacou o conjunto de ações que estão sendo desenvolvidas para o combate às drogas. Falou também sobre o impacto negativo que as drogas causam numa sociedade e pediu que o governo federal invista mais na segurança das fronteiras do Estado.

“Há um conjunto de ações que estão sendo desenvolvidas no Estado inteiro, com várias instituições, com o intuito de promover a reflexão e o balanço do que tem sido feito para inibir o consumo de drogas. A dependência química é muito grave e atinge não somente os usuários, mas toda a sua família e até mesmo a sociedade como um todo. As forças de segurança do Estado, em atuação com as polícias, têm feito para além das suas possibilidades atuais. Deve haver um combate mais efetivo e nós temos buscado isso. Não podemos politizar esse debate, mas precisamos cobrar uma atuação mais intensa do governo federal nessa causa”, reiterou.

Maria Lúcia Barbosa, delegada de Polícia Civil, representando a Secretaria de Segurança do Estado, relatou os problemas que resultam do consumo de drogas e como isso afeta toda a sociedade. Disse ainda que é importante discutir meios que minimizem esse impacto negativo.

“De fato, a questão das drogas afeta toda a sociedade, em todas as faixas etárias. Enquanto cidadãos não podemos nos furtar de buscar meios para tentar minimizar essa problemática que afeta o mundo inteiro. Como delegada, há 15 anos vivencio isso e percebo o quanto esse problema tem destruído famílias. O Estado do Acre, por meio da Secretaria de Segurança, tem levantado esse debate e alertado sobre os problemas que as drogas podem trazer. Todos pagamos a conta e sofremos as consequências”, relatou.

Já Gabriel Maia, secretário de Assistência Social do Estado, que participou do ato representando o governador Tião Viana (PT), falou sobre a importância da prevenção às drogas. Falou ainda que não adianta trabalhar apenas a repressão do tráfico, mas é necessário investir mais na prevenção para que os jovens não sejam levados a consumir esse tipo de substância.

“Nosso governador tem trabalhado continuamente, criando uma rede de debate sobre os principais temas que afligem nossa população. Temos feito trabalhos incansáveis, mas ainda precisamos fazer mais e queremos que o governo federal invista mais para que possamos controlar nossas fronteiras. Não adianta termos a repressão ao tráfico se não tivermos também a conscientização dos nossos jovens, pois dados mostram que 24% dos adolescentes até os 17 anos já tiveram contato com algum tipo de droga”, afirmou.

Quem também fez questão de subir à tribuna para contar um pouco de sua história foi Jonas Gomes, um ex-dependente químico que atualmente está em tratamento. Ele garantiu que a repressão não é a melhor maneira de se combater as drogas.

“Usei drogas por cinco anos, roubei, fui preso e posso garantir que a repressão não é a melhor maneira de combater este mal. Eu posso garantir que a prevenção é a melhor saída, pois estou há um ano e cinco meses longe das drogas devido aos programas de prevenção. Infelizmente, ainda existem muitos Jonas nas ruas se drogando e eles precisam muito da ajuda dos nossos gestores e da sociedade em geral. De nada adianta encher os presídios de traficantes se nós ainda sofremos com a carência de políticas públicas para combater as drogas. Nós precisamos de mais ações voltadas para este tema”, afirmou.

A importância da prevenção também foi abordada pela deputada Eliane Sinhasique (MDB). “Eu sei o que é ter um dependente químico na família, eu já vivi essa experiência. E eu sei que só a prevenção pode evitar que as pessoas entrem no mundo das drogas. Do que adianta prender traficantes se não ouvimos falar em prevenção? Não existe por parte da administração estadual e municipal nenhum envolvimento com projetos relacionados a esporte e a educação, por exemplo. É preciso sair do discurso e executar de fato ações de políticas públicas voltadas para este tema”, frisou a parlamentar.

Assembleia realiza sessão solene em alusão à Semana do Quadrilheiro Junino

Em meio à muita diversão, dança e cantoria, a Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) realizou nesta quinta-feira (7) a primeira sessão solene em alusão à Semana do Quadrilheiro Junino. A solenidade foi proposta pelo primeiro-secretário do Parlamento acreano, deputado Manoel Moraes (PSB), através de um requerimento aprovado por unanimidade pelos deputados. Em pronunciamento, Manoel Moraes falou da importância de se manter a tradição dos quadrilheiros juninos.

“É a primeira vez que realizamos uma sessão solene para homenagear os quadrilheiros juninos e eu estou muito feliz com a presença de vocês. O Parlamento está mais bonito e colorido hoje. Acredito que ao dedicarmos uma semana ao quadrilheiro junino estamos oficialmente incorporando essa tradição das manifestações culturais brasileiras e homenageando todos que fazem com que se preserve esse legado nacional, disseminado nos estados e municípios. Estamos não só reconhecendo os cantares e falares da nossa gente, mas também tirando jovens da ociosidade e consequentemente evitando que muitos entrem para o mundo do crime”, enfatizou.

Jimy Silva, presidente da Liga de Quadrilhas Juninas do Acre, falou do papel social que o movimento de quadrilhas juninas cumpre no Estado. “A Semana do Quadrilheiro Junino é muito importante para nós, é nesse período que a gente consegue ser reconhecido como fazedor de cultura. Eu não poderia deixar de frisar também o trabalho extraordinário que o movimento junino realiza dentro das comunidades. A gente consegue, sim, mesmo diante das dificuldades, fazer um trabalho social incrível. Quero agradecer ainda ao apoio do Marcus Alexandre, que quando estava na prefeitura de Rio Branco sempre teve um olhar carinhoso com a gente, e ao governo do Estado que mesmo diante da crise financeira sempre tem nos ajudado”, disse.

Karla Martins, diretora-presidente da Fundação de Cultura Garibaldi Brasil, destacou o crescimento do movimento cultural representado pelas quadrilhas juninas no Estado do Acre.

“Estamos falando de um movimento forte, de afirmação social, é assim que as quadrilhas de Rio Branco trabalham. É de uma beleza tão impactante que a plateia chega a se assustar. Os festivais de hoje são assim. Hoje, as quadrilhas juninas realizam seus próprios nos próprios bairros, nas suas próprias comunidades. Um trabalho importante, que tem um elemento que não é palpável que é a integração. Um pertencimento cultural que nos cabe reconhecer, apoiar e aplaudir. Este ano, completamos vinte anos de arraial com muitas dificuldades, mas a retração financeira do país tem nos penalizado, mas a importância e a resistência desse movimento continuam e prevalecerão”, enfatizou.

O diretor-presidente da Fundação Municipal de Cultura Garibaldi, Sérgio de Carvalho, destacou a importância da valorização da cultura para atravessar as dificuldades referentes à segurança em todo o país. Disse ainda que a inclusão que esses programas oferecem é essencial para espalhar o respeito mútuo.

“Ontem estava revendo um trabalho que estou fazendo sobre os companheiros de Chico Mendes, de Xapuri, onde eles relataram que antes não conseguiam ter acesso a Assembleia Legislativa, mas agora a Aleac abriu suas portas para eles. Isso ocorre hoje com o movimento cultural. Estamos ocupando espaços políticos, é um momento histórico, de afirmação da cultura junina. Dessa forma conseguiremos transformar esse quadro de violência pelo qual o Brasil tem passado. Só conseguiremos fazer essa travessia valorizando nossa cultura”, afirmou.

O membro fundador da Liga de Quadrilhas Juninas e diretor de Arte da Fundação Garibaldi Brasil, Cimar dos Santos, falou sobre as oportunidades que o movimento oferece a jovens que vivem em bairros periféricos. Ele afirma que a cultura amplia e melhora a visão de mundo das pessoas.

“Quando começamos esse movimento das quadrilhas enfrentamos muitas dificuldades, mas a energia e o amor pelo movimento eram o mesmo. Com a criação da Liga de Quadrilhas, nós avançamos muito, pois ela realiza todo um trabalho social dentro das comunidades. Pegar um menino de um bairro periférico e levar ele a Brasília, e oferecer oportunidades para ele, faz com que ele tenha uma outra visão de futuro”, ressaltou.

Para Francilene dos Santos, coordenadora da Quadrilha Junina CL na Roça, a solenidade é uma forma de reconhecimento do Poder Legislativo aos quadrilheiros juninos. Ela destacou ainda o fortalecimento que o movimento adquiriu ao longo dos anos.

“Estar aqui hoje recebendo essa homenagem é muito gratificante, significa que estamos no caminho certo. A Liga de Quadrilhas Juninas do Acre foi fundada em 2001 com o objetivo de unir mais os quadrilheiros juninos, de buscar fortalecimento e valorização. Com muita garra e determinação desse grupo conseguimos nos fortalecer, crescer mais. Adquirimos mais força através das políticas públicas que conseguimos implementar. Isso foi muito importante para o movimento”, frisou.

quadrlha aleac01

Jonas Lima destaca fortalecimento no Setor Produtivo do Acre 

O deputado Jonas Lima (PT) destacou na sessão desta quarta-feira (15) na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) a visita que fez ao município de Porto Acre no último final de semana. O parlamentar que na oportunidade conversou com alguns produtores rurais da região, afirmou que parceria com o governo tem melhorado as condições de vida dos produtores familiares.

“É incrível como a vida desses produtores mudou com a ajuda da produção familiar. Em Porto Acre, os produtores têm como principais fontes de renda o plantio de milho. Só entre os associados da cooperativa que visitei, a estimativa é que a produção da safra atual chegue a 105 mil sacas do grão. Lá eles têm capacidade para armazenar 350 mil sacas, esses resultados me deixam muito feliz. Sem contar que os produtores estão muito satisfeitos com a parceria com o governo do Acre. Não há dúvidas de que a vida dos produtores só tem melhorado nos últimos anos”, disse.

De acordo com o deputado, a Secretaria de Estado de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof) tem sido fundamental para o trabalho dos pequenos produtores. “A Seaprof trabalha diariamente para garantir o bem-estar dos agricultores. A secretaria implantou nos municípios a agricultura familiar e agricultura mecanizada e desde então a produção só aumentou”, complementou.

Eber Machado pede o fim do monopólio das empresas de ônibus em Rio Branco

O 1º vice-presidente da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputado Eber Machado (PSDC), disse que está elaborando um estudo de viabilização acerca da implementação do serviço de transporte alternativo em Rio Branco. Ele também defendeu o fim do monopólio das empresas de ônibus que prestam serviços na capital. Para o deputado, o monopólio não é salutar para a economia popular.

“A primeira coisa é acabar com esse monopólio na nossa capital. O prefeito não tem nada a temer com isso não. É obrigação dos parlamentares investigar mesmo. Ou acabamos com o monopólio ou as discussões não vão avançar. Estamos fazendo um estudo e daqui uns dez dias vamos apresentá-lo”, pontua.

Eber Machado salientou que os rio-branquenses pagam uma das passagens mais cara do país e pediu que a Prefeitura de Rio Branco encaminhe uma lei à Câmara Municipal, senão houver, tratando sobre a livre concorrência.

“Estamos pagando um valor que é muito superior ao que é praticado em capitais maiores que a nossa. Queria propor também ao prefeito Marcus Alexandre uma lei que trate da livre concorrência, caso não exista ainda. Que nós tenhamos transportes alternativos à nossa população, não somente ficar reféns das empresas de ônibus. Isso é de competência, sim, desta casa. Somos eleitos pelo Estado todo. Vans e micro-ônibus. Por que só pode ter ônibus? São discussões assim que nos farão avançar”, pontua.

Deputado Jenilson Leite solicita equipes para atender Tarauacá

Preocupado com a população de Tarauacá que desde o último domingo (29) sofre com a cheia do rio que leva o nome da cidade, o deputado Jenilson Leite (PCdoB) informou que conversou com o secretário estadual de Saúde, Gemil Júnior, sobre a situação em que se encontram as famílias atingidas. O parlamentar solicitou do gestor o envio de uma equipe para a realização de uma ação de saúde itinerante no município.

Segundo dados da Defesa Civil do município, a alagação afetou cinco bairros, 39 ruas e mais de 15 mil moradores, sendo que 120 pessoas estão desabrigadas. Devido a enchente, a Eletrobrás teve que desligar a energia dos bairros afetados, deixando 1.943 moradias sem o serviço.

“Conversei com o secretário Gemil Júnior e ele imediatamente atendeu minha solicitação. A equipe de saúde viajará hoje para Tarauacá e realizará o atendimento à população durante dois dias. Após as enchentes surgem várias doenças, como por exemplo a leptospirose, entre outras, e esta ação de saúde visa combater isso”, complementou.

O parlamentar conversou também com o diretor-presidente da Eletrobrás em Rio Branco, Ricardo Xavier, para intermediar junto a empresa a religação da energia nos bairros afetados de Tarauacá. Jenilson Leite foi comunicado que um técnico da empresa está monitorando junto à Defesa Civil as áreas afetadas. “Ricardo Xavier me garantiu que onde houver possibilidade de religar a energia será feito. Mas antes é feito um diagnóstico, pois a segurança dos consumidores é algo fundamental para a empresa”, explico

Jenilson Leite se reuniu ainda com o presidente do Poder Legislativo, deputado Ney Amorim (PT), e propôs a realização de uma ação solidária para auxiliar os municípios afetados pelas enchentes. “O momento pede a união de todos. As famílias estão passando por uma situação difícil e esta casa oferecerá todo o suporte necessário para garantir o bem-estar das famílias desabrigadas”, concluiu.

Deputado Jairo Carvalho lembra vítimas do holocausto

O Dia Internacional em memória das vítimas do holocausto, celebrado no dia 27 de janeiro e instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) pela resolução 60/7 de 01/11/2015, foi lembrando pelo deputado Jairo Carvalho (PSD) na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac). Na tribuna, o parlamentar fez a leitura do discurso proferido pelo embaixador mundial e mentor dos projetos da Embaixada Mundial dos Ativistas pela Paz, (EMAP), William Soto Santiago, em um evento na Costa Rica.

No discurso, o William Soto explica que a ONU escolheu a data de 27 de janeiro porque foi em 27 de janeiro de 1945 que o exército soviético encurralou as forças militares alemãs e libertou os prisioneiros das condições desumanas em que se encontravam no campo de concentração de Auschwitz.

Ainda de acordo com o discurso de William Soto, o holocausto não foi um crime apenas contra o povo judeu, mas contra a família humana. Para ele o holocausto é uma mancha de indignidade e vergonha na história da família.