PF deflagra operação no Acre e em outros estados contra abuso sexual infantil

Agentes federais amanheceram esta terça-feira (22) nas ruas das principais cidades e capitais de 26 estados e do Distrito Federal, cumprindo 23 mandados de prisão, que resultaram na prisão de mais de 100 pessoas, acusadas de envolvimento em crimes de pedofilia.

A operação foi batizada de “Guardiões da Infância” e tem por o objetivo de cumprir mandados de prisão decorrentes de decisões judiciais condenatórias por crimes relacionados ao abuso sexual infantil em todo o país, inclusive em Rio Branco, no Acre.

As investigações que resultaram nas operações de hoje foram iniciadas em agosto deste ano, com cumprimento de mandados de prisão de criminosos que já constavam do Banco Nacional de Monitoramento de Prisões (BNMP), mas ainda estavam em liberdade.

Nesta terça-feira foram cumpridos, simultaneamente, 23 mandados de prisão, totalizando, assim, mais de 100 foragidos detidos nos 26 estados e no DF desde o início das ações. As prisões seguem em andamento.

De acordo com a Polícia Federal, o objetivo primordial da operação é retirar do convívio social indivíduos que já haviam sido investigados, processados criminalmente e condenados, dando efetividade ao sistema de justiça criminal e impedindo que novos crimes contra crianças e adolescentes sejam cometidos.

O combate ao abuso sexual infantil é uma prioridade na Polícia Federal, com um trabalho amplo e complexo, tendo uma Unidade especializada no tema, o Serviço de Repressão a Crimes de Ódio e Pornografia Infantil.

Iniciativas como a Operação Guardiões da Infância têm identificado e impedido a ação de centenas de abusadores e o resgate de um número relevante de crianças vítimas. A Polícia Federal, além realizar de um número expressivo de Operações Policiais combatendo essa modalidade criminosa, também atua na identificação de vítimas de abuso sexual infantil, por meio da Força-Tarefa de Identificação de Vítimas, composta por policiais federais e civis especializados na tarefa de identificar vítimas a partir de imagens e vídeos, com a finalidade de resgatá-las e identificar e prender seus agressores. (Tião Maia para o Contilnet)