Imunidade da vacina diminui em ritmo mais lento em pessoas que tiveram covid-19

Uma pesquisa que integra o maior estudo do mundo sobre anticorpos direcionados à covid-19 publicado na revista New England Journal of Medicine mostra que a imunidade após a vacinação diminui a um ritmo muito mais lento em pessoas que tiveram infecção prévia pelo Sars-CoV-2. A equipe, financiada pelo governo britânico, acompanhou 35 mil profissionais de saúde do Reino Unido, 27% dos quais já haviam tido a doença.

Segundo os pesquisadores, a imunidade contra a infecção diminuiu significativamente para aqueles que receberam os imunizantes da Pfizer ou da AstraZeneca, também entre os não-vacinados que tiveram covid. Porém, o nível de anticorpos permaneceu consistentemente acima de 90% nas pessoas que foram infectadas e, posteriormente, vacinaram-se, durante até 18 meses.

Os participantes não vacinados que haviam sido previamente infectados apresentaram redução de 86% no risco de reinfecção, quando comparados àqueles que não tiveram covid e também não foram imunizados. Essa proteção diminuiu para 69% em um ano.