Estudo da Fiocruz mostra que o Acre é único Estado fora do cenário de alto risco no combate à pandemia

Um estudo realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e divulgado nesta quarta-feira (9) mostra o cenário atual da pandemia do coronavírus em todos os Estados do Brasil.

Os dados levam em conta, principalmente, a alta taxa de ocupação de leitos UTI COVID-19 no Sistema Único de Saúde (SUS).

O Acre é o único entre todas as unidades do país que está fora da zona de alerta, com 41% no ranking de ocupação.

Onze estados e o Distrito Federal têm taxas de ocupação de UTI iguais ou superiores a 90%, que são: Tocantins, Maranhão, Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul e Goiás.

Segundo o estudo, a combinação do número alto de casos com uma ligeira queda no número de mortes e a maior parte dos estados com alta taxa de ocupação de leitos UTI COVID-19 para adultos no SUS é muito preocupante.

De acordo com a Fiocruz, o lockdown, uma medida considerada mais forte, deve ser adotado para os estados e municípios com taxas de ocupação de leitos UTI COVID-19 de 85% ou mais.

A compilação de dados foi feita entre 31 de maio e 7 de junho.

As poucas quedas mais significativas do indicador aconteceram em Rondônia (de 72% para 62%), Espírito Santo (de 76% para 68%) e Mato Grosso (de 95% para 87%).

Onze estados e o Distrito Federal estão com taxas de ocupação iguais ou superiores a 90%:

Tocantins (94%),
Maranhão (90%),
Ceará (93%),
Rio Grande do Norte (94%),
Pernambuco (97%),
Alagoas (91%),
Sergipe (99%),
Paraná (96%),
Santa Catarina (97%),
Mato Grosso do Sul (107%),
Goiás (90%)
Distrito Federal (90%).

Nove estados apresentam taxas de ocupação de leitos de UTI COVID-19 para adultos entre 80% e 89%:

Roraima (87%),
Piauí (88%),
Paraíba (80%),
Bahia (84%),
Minas Gerais (82%),
Rio de Janeiro (81%),
São Paulo (82%),
Rio Grande do Sul (84%)
Mato Grosso (87%).

Cinco estados estão na zona de alerta intermediário entre 60% e 80%:

Rondônia (62%),
Amazonas (61%),
Pará (78%),
Amapá (68%)
Espírito Santo (68%)

O único que está fora da zona de alerta é o Acre.