“Elas Fazem Acontecer” empodera e incentiva empreendedoras no Acre

Mais de 50 acreanas, dos diferentes ramos comerciais, participam do coletivo

Apesar da pandemia ter contribuído significativamente para o crescimento do desemprego no país, que tem batido recordes, em 2020, as mulheres fecharam o ano com um crescimento de 40% no empreendedorismo feminino – dados da Rede de Mulheres Empreendedoras.

No Acre, o coletivo “Elas Fazem Acontecer” surgiu a partir da sororidade entre mulheres empreendedoras. “Essa pandemia gera crise em todos nós, especialmente, em nós mulheres sobrecarregadas. E durante uma crise de ansiedade, fiz publicações no Instagram sobre o trabalho de mulheres que eu conhecia. Fui marcando e indicando os perfis aos meus seguidores, e isso foi incentivando outras mulheres”, relembra Lidianne Cabral, uma das fundadoras do grupo.

O primeiro encontro híbrido do grupo foi realizado na semana passada (Foto: Hugo Costa)

O movimento de Lidianne resultou numa série de lives, que atraiu ainda mais empreendedoras e culminou na criação do Elas Fazem Acontecer. Atualmente, mais de 50 mulheres, dos diferentes ramos comerciais, participam do coletivo.

“É um ato político de resistência, de vida, de amor a todas nós e ao que a gente sabe fazer. Não é um grupo apenas para incentivar o empreendedorismo, mas para partilhamos experiências, nos acolhermos e saudarmos às nossas vidas”, observa Lidianne, que abriu sua hamburgueria delivery (@hamburguerrb40) no início da pandemia.

O primeiro encontro híbrido do grupo foi realizado na semana passada, na casa da artesã Jô Braga (@jobragadecor) que, devido o isolamento social e as medidas de prevenção contra a Covid-19, teve que fechar a loja de roupas.

“Eu não tinha como abrir as portas e colocar a minha família em risco. Foi quando decidi fazer artesanato. Comecei com os sinos dos ventos e filtros dos sonhos, e para a minha surpresa tive muita aceitação. Hoje, sou blogueira do meu próprio negócio”, relembra Jô que, por sua experiência e dedicação, é tida como exemplo para outras muitas mulheres.

Devido a pandemia, os encontros do coletivo em sua maioria são online. Tão logo a vacinação avance, as participantes devem realizar a sua primeira feira, que vai unir inúmeros segmentos de empreendedorismo feminino.

Jô Braga consolidou a loja virtual e a marca durante a pandemia (Foto: Hugo Costa)

Renascimento

Abrir o próprio negócio ou ter uma renda extra, utilizando os dons e conhecimentos empíricos, é um verdadeiro renascimento para muitas mulheres. Após ficar desempregada, Laina Cacela transformou o hobby de outrora em empreendedorismo.

“Eu sempre fiz pudim. Em todos os eventos que eu ia, eu levava o pudim. Então, decidi empreender e foi aí que nasceu o Pudim da Laina [@pudimdalaina]. Com a pandemia, o meu negócio explodiu”, contou Laina, que também é membro do Elas Fazem Acontecer.

A história de Laina se assemelha a da assistente social Melissa Braga, que atualmente atua na produção de doces, criando e despertando memórias degustativas por meio do seu empreendimento Brigadeiros Melissa Braga (@brigadeirosmelissabraga).

Produtos do Brigadeiro da Melissa Braga (Foto: Arquivo Pessoal)

“Em 2013 pedi exoneração de um cargo público para assumir uma outra função em um município, mas não deu certo. Para gerar renda, pois já empreendo por hobby desde os 12 anos de idade, busquei ideias na internet de algo que fosse simples, prático e diferente do que eu já havia feito antes. Então, surgiu a Brigadeiro da Mel que encerrou as atividades em 2014, quando retornei para o mercado formal de trabalho”, relembra Melissa, que em 2019 volta ao ramo do empreendedorismo de doces com o Brigadeiros Melissa Braga.

Sororidade

Lidianne Cabral é uma das fundadoras do grupo (Foto Hugo Costa)

De acordo com o dicionário, sororidade é a união e a aliança entre mulheres, baseadas na empatia e no companheirismo, em busca de alcançar objetivos em comum. E é com esse propósito que o Elas Fazem Acontecer se consolida no Acre.

“Juntas, saudamos o universo que é ser mulher, que é mais do ser empreendedora. Antes de tudo, somos mulheres na nossa diversidade e na nossa singularidade, que é o que nos faz diferente e tão parecida. O Elas Fazem Acontecer é a busca coletiva pelo autoconhecimento, não julgamento e acolhimento.”

Lidianne Cabral