Casos de dengue são mais de cinco vezes maiores, mesmo com subnotificação

O NDTV faz um apelo às prefeituras, que insiram os dados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), para que seja possível avaliar corretamente a situação.

Os casos de dengue explodiram no último mês de dezembro e já preocupam os órgãos responsáveis. De acordo com dados revelados pelo Departamento de Vigilância Epidemiológica e Ambiental de Rio Branco, o último mês de 2021 apresentou mais de 500% de aumento em relação ao mesmo período do ano anterior, mesmo com uma possível subnotificação, segundo o Núcleo de Doenças de Transmissão Vetorial do Estado (NDTV).

O NDTV faz um apelo às prefeituras, que insiram os dados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), para que seja possível avaliar corretamente a situação. Mesmo com a subnotificação, os dados coletados até então já mostram um cenário preocupante, já que as infecções saíram de 940 para 5.750 casos em apenas um ano, além deles, também foram registrados quatro casos de Zika e cinco de Chikungunya.

Ao todo, mais de 50 bairros da capital acreana estão sendo atingidos pelo surto do mosquito, sendo os mais afetados o Calafate e o Belo Jardim. 

A secretária municipal de saúde falou sobre o assunto, e disse que a população precisa estar alerta. “Estamos bastante preocupados com o número de locais com focos, estamos com mais de 50 bairros dentro do município de Rio Branco que estão com focos de dengue. Então, quero despertar nos munícipes que se preocupem também com a dengue, que é uma doença grave e pode, sim, matar. Além disso, esse mesmo mosquito, além de causar dengue, ele causa Chikungunya e Zika”, explica ela.

Além disso, fala sobre a importância da população se engajar nas ações preventivas em relação ao inseto. “A prefeitura de Rio Branco, infelizmente, não tem como ir até todos os domicílios e também nos locais comerciais, mas os moradores podem nos ajudar, já que são os principais colaboradores neste momento, para que a gente não venha sofrer com epidemia de dengue agora em janeiro e fevereiro”, ressalta ela.

Sintomas

A dengue tem sintomas comuns a outras doenças, como a gripe, porém, ainda é possível observar certos sintomas mais característicos dela, entre eles  estão as dores de cabeça, náuseas e vômitos, cansaço extremo, manchas vermelhas no corpo e dores ao movimentar os olhos, além destes, outros sintomas que também podem aparecer são febre, dores musculares, mal-estar, falta de apetite e dores de cabeça.

Além disso, existe a possibilidade do quadro do paciente se transformar em uma dengue hemorrágica, após o fim da febre, dentre esses sintomas, os mais comuns são as dores abdominais fortes e contínuas, acúmulo de líquidos, sangramentos em regiões mucosas, aumento na quantidade de células vermelhas, queda das plaquetas, pele pálida, fria e úmida, sonolência, agitação e confusão mental, sede excessiva, boca seca, pulso rápido, porém fraco, dificuldades de respiração e perda de consciência.

Em quaisquer sinais de sintomas, é recomendado que a população se dirija aos locais de atendimento, para que os exames devidos sejam realizados e o diagnóstico final seja feito.