Caso Henry: babá volta atrás e diz que Monique pediu que ela mentisse à Polícia

A babá de Henry Borel, Thayná Oliveira Ferreira, confessou que mentiu em seu primeiro depoimento prestado à polícia a pedido de Monique Medeiros, mãe da criança. Em mais de sete horas de depoimento nessa segunda-feira, 12, no 16º DP do Rio de Janeiro, ela admitiu que sabia das agressões e que Monique pediu que ela mentisse há duas semanas.

Segundo informações do G1, Thayná disse ainda que a empregada da casa, Leila Rosângela, a Rose, também mentiu. A polícia sabe que no dia 12 de fevereiro, quando o vereador Dr. Jairinho (expulso do Solidariedade) teria agredido o menino no final da tarde, as duas estavam dentro do apartamento.

Naquela tarde Thayná mandou mensagens para Monique relatando as agressões, reveladas pelo próprio Henry, depois que saiu do quarto de Dr. Jairinho. O menino disse à babá que o padrasto o pegou pelo braço, deu uma rasteira e o chutou.

Segundo informações do G1, Thayná disse ainda que a empregada da casa, Leila Rosângela, a Rose, também mentiu. A polícia sabe que no dia 12 de fevereiro, quando o vereador Dr. Jairinho (expulso do Solidariedade) teria agredido o menino no final da tarde, as duas estavam dentro do apartamento.

Naquela tarde Thayná mandou mensagens para Monique relatando as agressões, reveladas pelo próprio Henry, depois que saiu do quarto de Dr. Jairinho. O menino disse à babá que o padrasto o pegou pelo braço, deu uma rasteira e o chutou.