Balanço da PF aponta 28 conduzidos durante domingo da votação

Eleições no Acre: Balanço da PF aponta 28 conduzidos durante domingo da votação  — Foto: Wisley Vieira/Rede Amazônica Acre

A Polícia Federal, junto com o Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC), fez um balanço deste domingo de votação do 1º turno. Segundo os dados, 28 pessoas foram conduzidas à PF para esclarecer sobre crimes eleitorais. Deste total, quatro foram de candidatos a deputado estadual e um candidato a deputado federal.

Érico Barboza Alves, superintende da PF, avaliou a votação como “sob controle” e disse que não houve ocorrências graves.

“Havia um candidato na PF por compra de votos, preso em flagrante, mas o delegado deliberou pela não prisão, então ele vai responder em liberdade, mas vai responder inquérito policial. Deve ser proposto a transação penal. De modo geral, a eleição foi sob controle, tivemos pequenas ocorrências policiais, como embriaguez, boca de urna, espalhar santinhos, propaganda eleitoral. Duas pessoas permaneceram presas e 16 assinaram TCO [termo circunstanciado de ocorrência], que a pessoa assina e se compromete. 28 conduzidos, 4 são candidatos a deputados estaduais. Começou um pouco tumultuado com o derramamento de santinhos, mas foi acalmando”, disse.

Algumas ocorrências

Durante a operação “Voo da Madrugada”, deflagrada pela Polícia Federal na madrugada deste domingo (2), a Polícia Federal conduziu 13 pessoas à sede pelo derramamento de “santinhos”. A legislação eleitoral permite que até a véspera da eleição os candidatos distribuam material de campanha. Contudo, a distribuição de qualquer tipo de propagando eleitoral, no dia da eleição, é ilegal.

Em Cruzeiro do Sul, como resultado das operações, três pessoas foram presas praticando condutas tipificadas como crimes eleitorais, tais como: “boca de urna”, transporte irregular de eleitores e corrupção eleitoral.

Após as providências de praxe, os presos serão encaminhados à Justiça Eleitoral para audiência de custódia. Uma das pessoas presas por ter praticado um crime de menor potencial ofensivo foi liberada após assinar termo de compromisso de comparecimento.

O deputado estadual do PP, José Bestene, candidato à reeleição, foi conduzido à Polícia Federal para prestar esclarecimentos. Segundo a advogada de defesa, Ângela Ferreira, um assessor dele postou na rede social do candidato e foi considerada boca de urna digital.

“O assessor do Bestene postou um stories na rede social dele. O que acontece, eles consideram como boca de urna digital. O Bestene tem 72 anos, ele não mexe com rede social, ele nem sabia. Ele nem tava no comitê, a polícia chamou, ele veio, fez todo o procedimento. Ele nunca foi preso, porque é deputado. Já fomos liberados e vamos sair e até já tiramos a publicação das redes sociais”, disse.

O candidato a deputado estadual no Acre Francineudo Costa (União Brasil) foi preso suspeito de cometer crime de compra de votos neste domingo (2). O candidato foi flagrado com cerca de R$ 2,3 mil que, possivelmente, seriam usados para compra de voto. Ele foi liberado após assinar um TCO e vai responder em liberdade.

TRE

O desembargador Francisco Djalma, presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC), acredita que o número de abstenção este ano não deve ser tão alto.

“O eleitor acolheu, compareceu em massa às sessões e, salvo engano, teremos uma abstenção dentro daquilo que tradicionalmente vem acontecendo no Acre. Não deve ter abstenção além daquela que a gente deve ter conhecimento das eleições passadas”, disse.

O presidente destacou ainda que, caso haja um segundo turno, tudo está preparado para isso.

“Quando programamos as eleições, no ano passado, a gente já tava com esse segundo plano com a possibilidade, já se trabalha com a hipótese de um segundo turno, a gente está preparado. Muito pequenos os problemas com urnas, um índice que estava dentro daquilo que se havia previsto, que é natural que aconteça e que, no futuro, vamos corrigindo”, destacou.