Atolados na lama: moradores do Ramal da Uga, abandonados pela prefeitura, clamam por melhorias

Essa é a situação das famílias que tem propriedades no Ramal da Uga, localizado no Belo Jardim III, no Segundo Distrito de Rio Branco.

Abandonados e com muita lama. Essa é a situação das famílias que tem propriedades no Ramal da Uga, localizado no Belo Jardim III, no Segundo Distrito de Rio Branco. O local está praticamente intrafegável e que acaba impossibilitando o escoamento da produção dos agricultores.

Moradores cobram melhorias no ramal. Fotos: Antônio José Souza

Antônio José, mais conhecido como Zezé, mora no ramal há mais de 12 anos e disse que todo o inverno a estrada fica em péssimas condições. Ele lembrou que mais de 100 famílias vivem ao longo de mais de oito quilômetros de ramal e que nessa época fica quase impossível escoar a produção.

“Essa é a situação que vivemos aqui no ramal quando chega o inverno. Não podemos escoar a produção, não podemos tirar alguém que está doente porque não tem condições”, disse o morador.

Zezé lembrou que dias atrás um morador do ramal ficou doente e precisou de atendimento, mas a ambulância não conseguiu entrar no ramal.

Moradores cobram melhorias no ramal. Fotos: Antônio José Souza

“Alguns dias atrás um morador precisou de atendimento, mas a ambulância não conseguiu chegar a casa dele por causa da condição do ramal. Precisamos que o poder público, o nosso prefeito Bocalom olhem pra gente”, pediu.

Outro morador que pede melhorias no ramal é o aposentado Saraiva de Souza, de 82 anos. 

Moradores cobram melhorias no ramal. Fotos: Antônio José Souza

“Vivemos desse jeito. Lama na frente de casa e em todo esse ramal. Precisamos de ajuda. Não podemos viver dessa maneira. Espero que o prefeito possa mandar alguém para verificar e melhorar nosso ramal”, disse.

Ruas e ramais intrafegáveis são comuns na gestão do atual prefeito Tião Bocalom. O Opinião percorreu a parte alta da cidade e noticiou a situação de algumas ruas. Nos últimos dias, a morte de uma moça de 26 anos que trafegava em uma motocicleta e acabou morrendo em um acidente causado por causa de um buraco na Estrada do Calafate gerou protestos de moradores.

Mas para contornar os problemas dos buracos, a prefeitura de Rio Branco, por meio da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (RBTrans), lançou nesta quarta-feira, 28, nas redes sociais uma cartilha contendo quatro dicas para os condutores trafegarem nas vias esburacadas do município. Na cartilha, a RBtrans destaca que os buracos nas ruas e estradas são um problema, pois podem danificar peças como pneus.

Nota da Prefeitura

Devido a matéria publicada em sites de Rio Branco, na tarde desta quarta-feira, 28, após uma postagem feita no Instagram da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito – RBTRANS, esta autarquia esclarece que:

– A publicação feita não é uma cartilha ensinando motoristas a trafegar em ruas esburacadas que, por maldade, relacionaram ao acidente ocorrido na estrada do Calafate.

– A RBTrans fez uma única postagem que faz parte de uma conscientização nacional contra acidentes de trânsito no âmbito do Maio Amarelo, recomendado pelo Conselho Nacional de Trânsito – CONTRAN.

– Após tomarmos conhecimento da reportagem deturpada que circula nas redes sociais, entramos em contato com um site para esclarecer os fatos e mesmo assim, não tivemos uma resposta que mostrasse a verdade.

– Infelizmente há situações que são distorcidas e usadas para denegrir a atual gestão que, de maneira alguma, se rebaixará a esse tipo de conteúdo.

– Por fim, lamentamos que uma ação que visa a prevenir acidentes tenha sido usada de má fé para atingir os trabalhos que foram iniciados com respeito e zelo para a população rio-branquense.