Asfury, ex-zagueiro clássico e bicampeão acreano, é mais uma das vítimas da Covid-19

Asfury pendurou as chuteiras aos 24 anos, pois enxergava o futebol apenas como uma atividade de lazer, assim resolvendo ingressar nas fileiras da Polícia Militar do Acre e, posteriormente, se graduou em Economia e foi trabalhar como economista na Universidade Federal do Acre (Ufac), onde permaneceu até se aposentar.

MANOEL FAÇANHA

Mais um craque da seleção passado perdeu a vida por complicações ocasionadas pelo novo coronavírus. Trata-se do taraucaense Antônio Asfury da Costa, 72 anos, que se mudou com a família para Rio Branco ainda na infância.

Na carreira futebolística, Asfury jogou pelo Rio Branco (1966 – 1968/1972), Grêmio Atlético Sampaio-GAS (1967) e Internacional (1973). Ele atuava de lateral-direito ou ainda de quarto-zagueiro, mas era considerado um jogador clássico, tanto que esteve entre os presentes na Seleção da Federação Acreana de Desporto (FAD) na temporada de 1973. Ele também foi campeão acreano nos anos de 1967 e 1971 e vice-campeão em 1973.

Asfury pendurou as chuteiras aos 24 anos, pois enxergava o futebol apenas como uma atividade de lazer, assim resolvendo ingressar nas fileiras da Polícia Militar do Acre e, posteriormente, se graduou em Economia e foi trabalhar como economista na Universidade Federal do Acre (Ufac), onde permaneceu até se aposentar.

Falecido nessa quarta-feira (13), o personagem, ano passado, esteve entre os escolhidos para ilustrar o site “NA MARCA DA CAL” e página de Esportes do Jornal Opinião, em texto escrito pelo cronista esportivo Francisco Pinheiro “Dandão”. 

CONFIRA A MATÉRIA COMPLETA.