Alan Rick e Sérgio Petecão negam manobra política para assumir o comando do PSL no Acre

O senador Sérgio Petecão também negou articulação para tomar o comando da legenda. Petecão, em entrevista a site local, ressaltou que não conversou com ninguém da sigla, nem no Acre e nem em Brasília.

“Jamais fiz tratativas nesse sentido. O que ocorreu foi um convite feito pelo presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, para que eu fosse candidato a deputado federal pela legenda”. A frase é do deputado Alan Rick (DEM) ao comentar as declarações do presidente regional do PSL, Pedro Valério, de que teria tentado, junto a executiva nacional, assumir o comando do partido no Acre.

 “O partido [DEM] tem pretensões a nível local tendo em vista que para formar chapa de federal é preciso ter candidatura a senador. A legenda a nível regional deliberou, como sou único deputado federal, me lançar senador, então, eu disse ao Bivar, existe uma tentativa de me lançar senador, vou conversar com a nacional, mas gostaria de ter o PSL como aliado, caso a conversa não desse certo, abriríamos uma nova conversa, eu Bivar e Valeiro. Em nenhum momento eu pedi ao Bivar, ele me ligou e fez uma consulta se eu queria ser candidato no PSL”, destacou.

E acrescentou: “Estou muito bem no Democratas e não pretendo sair do partido. Conto com o apoio do ACM Neto, presidente nacional do DEM. Ele está fechado com minha pré-candidatura ao Senado da República. No momento estou focado nas ações do mandato, ajudando povo do Acre e o governo do Estado com as demandas pendentes”, frisou.

O senador Sérgio Petecão também negou articulação para tomar o comando da legenda. Petecão, em entrevista a site local, ressaltou que não conversou com ninguém da sigla, nem no Acre e nem em Brasília. “Eu nunca tratei desse assunto com ninguém, não conheço a direção do PSL, estou muito bem no meu PSD, gosto do partido, sou fundador do partido e faço parte da direção nacional”, explicou.

Disse mais: “o único partido que quero estruturar é o 55, esse eu trabalho todos os dias para fortalecer. Se o PSL quiser vir me ajudar será bem-vindo, mas, não tenho interesse em tomar partido de ninguém, não faço isso, sou contra e acho que é jogo sujo”.

Entrevista coletiva

Durante entrevista coletiva na manhã de sexta-feira, 4, o presidente do Partido Social Liberal (PSL) declarou que a sigla iria apoiar a reeleição de Gladson Cameli (Progressista) na eleição de 2022. Na oportunidade, o dirigente afirmou que apesar das tentativas de Alan Rick e Sérgio Petecão, de “tomar” o comando da legenda, ele permaneceria a frente.

 passa a fazer parte, oficialmente, da base do governo de Gladson Cameli (Progressistas), visando as eleições do próximo ano. Segundo ele, a decisão faz parte de um acordo com a direção nacional da sigla. “O PSL faz parte da base do governo. Vamos apoiar a reeleição do governador. Está decidido”, ressaltou.

Sobre o senador, Pedro Valério disse: “ele tentou levar o partido para sua horta. Ele tentou fazer isso como provável candidato a governador, mas coube a direção nacional decidir pelo caminho a seguir”.

Sobre Alan, Valério disse que recebeu uma ligação do parlamentar afirmando que jamais teria tentado tomar o partido. “O Alan me ligou, explicou isso. E eu tenho como verdade. Em um primeiro momento existia uma insatisfação dele com o DEM, mas isso já foi resolvido e ele vai ficar lá”, explicou.