Acre recebe primeiras doses da vacina Pfizer e mais de 19 mil da AstraZeneca

O Estado do Acre recebeu nesta segunda-feira, 3, quase 30 mil doses para seguir a imunização dos grupos prioritários.

O Acre recebeu nesta segunda-feira, 3, em Rio Branco, as primeiras 1.700 doses da vacina da Pfizer. Na mesma remessa, o Ministério da Saúde também enviou 19.750 doses da vacina produzida pela Fiocruz, a Oxford/AstraZeneca, que serão utilizadas para dar continuidade à vacinação dos grupos prioritários.

“Estamos ansiosos para que em breve possamos voltar às nossas atividades, mas para isso, precisamos estar imunizados. E neste momento a vacina é a nossa maior proteção, associada aos cuidados como uso de máscara, álcool em gel e o distanciamento social”, afirmou o governador Gladson Cameli.

Acompanhado do secretário de Estado de Saúde, Alysson Bestene, o governador foi pessoalmente receber os novos dos imunizantes. “A chegada de mais lote de vacinas representa a nossa esperança de dias melhores”, destacou Cameli.

Os imunizantes serão utilizados para a primeira dose dos seguintes grupos prioritários: comorbidades de 55 a 59 anos de idade com decréscimo de faixa etária, gestantes e puérperas acima de 18 anos com comorbidades, pessoas com doença renal crônica em hemodiálise e diálise acima de 18 anos, deficiência permanente cadastrado no Benefício de Prestação Continuada (BPC), acima de 18 anos, e Síndrome de Down acima de 18 anos.

Os imunizantes chegaram nesta segunda-feira, 3 (Foto: Júnior Lima/Secom)

As vacinas da Pfizer ficarão armazenadas nos freezers da Redes de Frio Estadual e serão distribuídas ao município de Rio Branco conforme forem acabando as doses. 

“Não haverá necessidade do ultrafreezer que seria enviado pelo Ministério da Saúde, tendo em vista a quantidade de doses. Então, armazenaremos no freezer que já temos e que alcança a temperatura de -25 graus”, explicou a coordenadora do Programa Nacional de Imunização, no Acre, Renata Quiles.

Segurança Pública

Do total de vacinas recebidas, 7% serão utilizadas para dar continuidade das Forças de Segurança e Salvamento e 6% para a segunda dose deste mesmo grupo.