Vítima de covid-19, morre o grande mestre do esporte acreano Maurício Generoso

Manoel Façanha

O esporte acreano perdeu uma das suas grandes referências na tarde desta quinta-feira (8). Faleceuna cidade de João Pessoa-PB, o professor Maurício Generoso, de 67 anos, vítima do novo coronavírus.

O ex-jogador e professor aposentado da área de educação física, após ser hospitalizado para tratamento da covid-19 e receber alta hospitalar dia 18 de março, retornou à unidade hospitalar um dia depois, após sentir forte indisposição e, após nova avaliação médica, foi intubado. O quadro clínico dele apresentou melhoras nas primeiras semanas de tratamento, mas nos últimos dias estava oscilando muito suas taxas e não resistiu as sequelas da doença e veio a óbito.

A família comunicou o falecimento do educador físico nas redes sociais, através do filho Mauricinho. “Informamos aos amigos, familiares que meu pai deixa esta terra para ir ao seio de Abraão. Combateu até seu último fôlego. Família Generoso em luto. Deixo aqui a frase que ele gostava: Mais Vale uma lágrima de uma derrota, do que a vergonha de não ter lutado”. Maurício deixa a esposa Socorro e três filhos: Mauricinho, Maurílio e Messias.

Carreia

Em meados dos anos de 1970, os irmão Maurício e Mário Jorge com a camisa do Juventus. Foto/Acervo Raimundo Fernandes.
JUVENTUS – 1975. Em pé, da esquerda para a direita: Mustafa, Mauro, Emilson, Milton, Maurício e Antônio Maria. Agachados: Valter Prado, Julião, Dadão, Carlinhos Bonamigo e Pitola. Foto/Acervo Francisco Dandão.
Juventus – 1976. Em pé, da esquerda para a direita: Mustafa, Mauro, Xepa, Emilson, Maurício e Antônio Maria. Agachados: Julião,, Carlinhos Bonamigo, Antônio da Loteca, Anísio e Pitola. Foto/Acervo Carlinhos Bonamigo.
Juventus – 1976. Em pé, da esquerda para a direita: Mustafa, Xepa, Emilson, Maurício, Antônio Maria e Otávio. Agachados: Anísio, Carlinhos Bonamigo, Julião, Valter Prado e Pitola. Foto/Acervo FFAC.

Maurício Generoso tinha uma rica folha de serviços prestados ao desporto acreano. Nos gramados jogou grande parte da carreira na equipe do Juventus durante a década de 1970. O vigor físico e espírito de liderança eram suas principais característicaso que o faria com o passar dos anos a ganhar o apelido de Capitão. Maurício, ao deixar os gramados, dedicou-se aos estudos e depois passou a ser preparador físico de vários clubes locais. Outra paixão era o handebol, modalidade essa que foi eleito em diversas oportunidades como o melhor treinador do estado, isso justificado pelas inúmeras conquistas. Maurício também por décadas fez parte da Federação Acreana de Futsal e o último cargo de dirigente esportivo foi na Federação Acreana de Handebol, quando era vice-presidente na gestão da então presidente Maria Rosaídes, a Bolha.

Em meados dos anos de 1990 na construção da quadra do Lindaura Leitão: Manoel Távora, (…), Maurício Generoso, Alex e (…). Foto/Acervo Pessoal Manoel Façanha
Jogos Escolares/1996. Da esquerda para a direita: Coronel França, Marcus Afonso, Jorge Viana, Binho Marques e Maurício Generoso. Foto/Acervo Manoel Façanha.
Equipe infantil de handebol da Escola Diogo Feijó. Foto/Acervo Manoel Façanha
Na Fafs, Maurício Generoso faz entrega de premiação para Flora Diógenes. O repórter M. Costa faz a cobertura. Foto/Manoel Façanha.
O professor Maurício Generoso recebe o Prêmio Campos Pereira de melhor treinador de quadra na temporada 2005. Foto/Acervo Manoel Façanha

Nas redes sociais, centenas de manifestações de pesar pela morte do educador foram postadas pelos amigos e admiradores do seu trabalho. A segunda vice-presidente da Confederação Brasileira de Handebol, Maria Rosaídes, a Bolha, emocionada, lamentou a perda do amigo e dirigente. “Não somente o handebol perde um grande educador/desportista, mas o esporte acreano, seja do atletismo ao futebol, estão chorando a sua perda. Siga na luz, meu amigo Maurício”.

Infantil de handebol da Escola Diogo Feijó/2006 – Olimpíadas Colegiais – Poços de Caldas-MG. Foto/Manoel Façanha
Maurício Generoso tem vasta folha de serviços prestados ao desporto acreano. Foto/Manoel Façanha

Maurício também trabalhou na Fundação Cultural de Desporto e Garibaldi Brasil, onde contribui com atividades esportivas e culturais jovens e adultos.

José Alício fala da perda do amigo Generoso

O ex-secretário de Esportes do Governo José Viana (PT), professor José Alício Martins, amigo de décadas do professor Maurício Generoso, usou as redes sociais para lamentar a perda do educador. “Quero dizer que a Educação Física acreana, o esporte acreano e todos aqueles que tiveram o privilégio de conviver com o professor Maurício Generoso, estão de luto. Ainda nos idos dos anos 80/90, um grupo de jovens talentosos saiu do Acre em busca de formação acadêmica. Lá estava Maurício Generoso. Ao retornar passou todos os dias de sua vida na tarefa de mudar a vida das pessoas através do esporte. Nisso, ele foi um verdadeiro campeão!”

José Alício falou ainda da mudança de vida do educador e da preocupação dos amigos com as condições clínicas de Generoso, após ser acometido pelo novo coronavírus. “Ao se aposentar, o Maurício buscou possibilitar a família uma convivência mais próxima, coisa que não foi possível durante o período ativo de sua função de educador. Infelizmente, ele foi acometido pela covid-19 e todos nós acompanhávamos diariamente os boletins do hospital sobre a evolução da doença no corpo do professor. Hoje recebemos com tristeza a notícia de sua partida. Só nos resta pedi a Deus resiliência. Que abrande o coração dos familiares e amigos. Vá em paz Professor Maurício! Qualquer dia à gente se encontra pra falar de esporte e amor, seja a onde for. . .