Trabalhadores da CME da Fundação Hospitalar denunciam falta de local para descanso

Servidores da Central de Material Esterilizado (CME) da Fundação Hospitalar do Acre denunciaram ao Opinião que, sem local adequado para o descanso, estão tendo que dormir no chão.

Por plantão, o setor tem sete técnicos de enfermagem e um enfermeiro responsável. A CME foi um dos serviços terceirizados no Governo de Gladson Cameli.

“Depois da terceirização do setor tudo ficou diferente. Não temos um local especifico para o descanso e por isso dormimos na sala da CME com lençóis que são oferecidos aos pacientes da unidade”, disse um servidor, que não quis se identificar por medo que perder o emprego.

Dentro de hospitais, o CME é onde são processados os artigos médicos, como utensílios e roupas cirúrgicas, por exemplo. Na Central de Material de Esterilização os procedimentos variam entre: limpeza, preparo da carga de esterilização e do equipamento médico, esterilização de material cirúrgico, entre outros.

“Esse espaço que repousando é que preparamos todo o material para esterilizar. É um descaso total que estão fazendo com os servidores desse setor”, disse.

Entramos em contato com a empresa R&S Grupo Bringel, do Amazonas, mas até a publicação da matéria não houve um retorno.

Entenda o que é CME

Para entender melhor a importância do CME no âmbito hospitalar, esse local é específico para o preparo de materiais para esterilização e a higienização dos equipamentos e suprimentos médicos. Trata-se de uma assistência indireta essencial para que os pacientes estejam seguros e recebam um atendimento adequado.

Com a central de material esterilizado, é possível que o equipamento de saúde tenha as devidas condições para oferecer atendimento e assistência à saúde dos pacientes infectados por vírus e bactérias e também dos sadios. Sem esse cuidado, muitas pessoas, incluindo os próprios profissionais de saúde, poderiam se infectar.