Curso de Ciências Contábeis da FAAO abre parceria com a Fieac e amplia campos de estágio

O coordenador do curso de Ciências Contábeis da Faculdade da Amazônia Ocidental (FAAO), especialista Rogério Campos, reuniu-se na última semana com o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Acre (Fieac), José Adriano, para celebrar a criação de uma parceria entre as instituições.

O encontro, que foi marcado por longas conversas sobre o mercado de trabalho, a importância do profissional de contabilidade nas grandes e pequenas empresas, teve como objetivo principal a criação de uma relação que proporcione crescimento, tanto aos acadêmicos em formação da FAAO, que buscam campos de estágio para o cumprimento de parte da carga-horária curricular, quanto para os servidores da Fieac, que almejam qualificação.

Durante o diálogo, Campos pontuou que a busca por ampliar as fronteiras é constante na FAAO, tendo em vista sua luta por formar excelentes profissionais.

“Estamos aqui hoje porque entendemos que todas as instituições, sejam ela privadas ou públicas, funcionam a partir dos acordos que constroem, na direção do sucesso. A Fieac, nossa parceira, tem um princípio que comunga com o estilo FAAO de ser: a busca pela qualidade”, explicou.

Assessoria

 

Acadêmicos do curso de Direito da FAAO realizam visita à FOC

A visita dos acadêmicos de Direito (2º NB) da Faculdade da Amazônia Ocidental – FAAO, ao Complexo Penitenciário Francisco d’Oliveira Conde, em novembro passado, foi uma proposta pelo Prof. Msc. Marcos Paulo Pereira Gomes, sendo uma experiência que decerto, reorganizou impressões e conceitos de muitos acadêmicos.

Sabemos que a prisão é um “castigo” imposto pelo Estado ao condenado pela prática de infração penal, para que este possa se reabilitar visando restabelecer a ordem jurídica violada. Conforme lição do doutrinador Fernando Capez, “prisão é a privação de liberdade de locomoção determinada por ordem escrita da autoridade competente ou em caso de flagrante delito”.

No entanto, a entrada no Complexo Penitenciário, que a priori, parecia a travessia de uma fronteira entre o “bem” e o “mal”, mostrou que os dispositivos de segurança (detectores de metal, body cabe, Raio X), existem e funcionam, apesar dos recorrentes registros de entrada de materiais “proibidos”.

Sob escolta de grupo tático, a turma adentrou ao complexo penitenciário, que acomoda aproximadamente, 3.800 (três mil e oitocentos presos), distribuídos em 17 pavilhões, 3 destes, recém construídos, obedecendo padrões de segurança inovadores e aguardando inauguração.

Fatos impactantes foram surgindo, a medida que os questionamentos eram feitos durante a visita. Alguns foram destacados: quanto à seleção de presos pertencentes a organizações criminosas. Cabe a autodeclaração para ser encaminhado ao pavilhão dos seus pares.

Quanto ao atendimento de assistência social, foram relatados: são 11 (onze), profissionais para atendimento de todas as demandas. Segundo o depoimento da Assistente Social, que recebeu a turma, apesar do grande esforço para satisfazer as demandas recebidas, procuram selecionar os casos prioritários como o atendimento aos que não possuem assistência familiar e os que possuem sentença vencida. Lembrando ainda, que o número de profissionais são insuficientes para toda a população carcerária.

Do atendimento psicológico, apenas um psicólogo presta serviço naquela unidade, o que leva a crer que tal assistência possui eficácia impossível.

Já dos Projetos Educacionais e profissionais, nos foi informado que, devido aos motins ocorridos este ano, não houve oferta de cursos como em anos anteriores. Porém, para reeducandos do regime fechado, e no momento, estão sendo ministrado um curso profissionalizante, de refrigeração e manutenção de ar condicionados.

Cumpre lembrar ainda, que os termos socialização e ressocialização derivam de social e estes, não obstante, remetem a ambiente e relações vivenciadas por oportunidades ou a falta delas.

Sendo necessária a transformação do radical aos derivados, ou vice-versa, atividades profissionalizantes, qualificação profissional e ensino, através de cooperação técnica com outras instituições estatais ou privadas, que poderiam ser um viés alternativo para tal objetivo.

Quanto às atividades de produção interna, referência específica para o trabalho remunerado com remissão de pena, foi apresentada a cozinha industrial, administrada por empresa terceirizada, que tem em seu quadro efetivo, 15 funcionários, e admite como quadro complementar, 50 (cinquenta) presos, que são selecionados pela coordenação do setor a partir da avaliação dos seguintes critérios: Jurídico (ter cumprido três anos de reclusão) e Administrativo (bom comportamento) e não ser participante de organização criminosa.

Segundo depoimento do administrador da referida empresa, muitos reeducandos, ao saírem da prisão continuam atuando no setor gastronômico e alguns até abriram seu próprio negócio.

Também, são desenvolvidas outras atividades produtivas para redução de pena, como: horticultura com 10 estufas, que apesar de não gerar produção para suprimento interno, é auto sustentável, visto que a venda dos produtos é revertida para a compra de insumos e promove ocupação aos selecionados; Marcenaria: a instituição recebe madeiras apreendidas do IBAMA/IMAC e que são produzidos móveis para as instituições solicitantes, a custo zero. O excedente produzido é vendido externamente, garantindo a manutenção dos equipamentos.

Acadêmicos de Direito da FAAO realizaram ação social com idoso do Lar dos Vicentinos

Os estudantes das turmas 2NA e 3NA do curso de Direito da Faculdade da Amazônia Ocidental – FAAO, em Rio Branco dedicaram à tarde do domingo (25) para visita, entrega de doações e análise de direitos e garantias dos idosos atendidos pelo Lar dos Vicentinos em Rio Branco.

A ação aconteceu através da Disciplina de Direito Constitucional, ministrada nas turmas pelo professor advogado Emerson Costa, que com os alunos arrecadaram donativos de material de higiene pessoal, organizaram lanches, conversas com os idosos e fizeram a entrega das doações.

Uma programação cultural também foi idealizada com falas, danças, cantores e a presença de artistas de desenho animado, tudo isso idealizado pelo professor e os próprios alunos como contrapartida social pelo ano de realizações que tiveram em 2018.

“É um momento de gratidão pelo ano que tivemos, essa ação social é uma recomendação do nosso mantenedor da FAAO e da direção acadêmica, por isso sinto-me honrado com os alunos pelo desenvolvimento desse projeto”, avaliou o professor Emerson Costa.

No final do projeto, os estudantes também fizeram análise do atendimento pelo abrigo aos idosos, observando direitos e garantias fundamentais, expressos na Constituição Federal. Ao concluírem o trabalho, os estudantes observaram que o estado, as famílias e a própria comunidade acadêmica tem uma divida singular com os idosos, aqueles que tanto já contribuíram com o desenvolvimento do estado.

Deputado Heitor Júnior é homenageado em solenidade na FAAO

Durante cerimônia realizada na última terça-feira (25) pela Faculdade da Amazônia Ocidental (FAAO) pelos 20 anos do curso de Administração, o deputado estadual Heitor Júnior (Podemos) foi um dos homenageados. Heitor Júnior fez parte da primeira turma do curso, em 1998.

O parlamentar, que também é professor universitário, administrador e na Assembleia Legislativa do Acre preside a mais importante comissão que é a de Constituição e Justiça, disse que este é um momento ímpar da sua carreira profissional. “Sinto-me muito honrado de fazer parte desta turma pioneira. Isso nos fortalece para seguir nosso trabalho no Parlamento e na carreira profissional!”, completa.

O Curso tem se destacado, pela tradição e pioneirismo demonstrado através do “Selo de qualidade 20 Anos de Credenciamento”, formando os melhores profissionais no mercado de trabalho desde 1998. O Curso de Administração da FAAO é o mais bem avaliado do Acre, de acordo com o RUF – Ranking Universitário da Folha de São Paulo.

Acadêmicos de Direito e professores FAAO discutem a importância do meio ambiente

O Dia da Amazônia comemorado nesta quarta-feira, 5, tem como um dos principais objetivos induzir à reflexão sobre os rumos que a sociedade tem tomado referente aos cuidados com o meio ambiente. A preocupação com o desmatamento e com práticas cotidianas nocivas a essa grande riqueza levou um grupo de acadêmicos de Direito e professores da Faculdade da Amazônia Ocidental (FAAO) a criar o projeto “Meio Ambiente: Educar para Viver”.

O grupo é composto por Brenna Amâncio, Clécia Karen, Nicole Cordeiro e Tiago Maia. A ideia partiu do professor e advogado Igor Clem, que recebeu todo o apoio da FAAO e da coordenação do curso de Direito da instituição. Juntos e com a orientação da professora e mestre em Ecologia e Manejo de Recursos Naturais pela Universidade Federal do Acre (Ufac), Iracema Moll, os componentes pretendem publicar ainda este ano um artigo científico com dados atuais do desmatamento, da poluição no Acre e práticas alternativas.

O projeto Meio Ambiente: Educar para Viver começa a partir deste Dia da Amazônia e estenderá suas atividades até o Dia do Meio Ambiente (comemorado no dia 5 de junho) do próximo ano. O ato final será a apresentação para estudantes do ensino fundamental.

A professora Iracema Moll destaca que a biodiversidade é decisiva para a vida humana. “Ela permeia tudo, pois precisamos de alimentos, de qualidade no ar e na água, serviços ambientais que temos de graça e, acima de tudo, é preciso saber que o ser humano faz parte. Daí a necessidade de reconectar as pessoas à natureza. Queremos mais uma geração que só explora os recursos naturais? Precisamos mudar padrões de consumo, renovar essa geração, para que a próxima, quem sabe, quebre esse ciclo. Educação ambiental na educação formal é o melhor caminho, mas não só como um tema a mais, mas como tema principal. É a nossa vida, fazemos parte do meio ambiente”, afirma.

O artigo científico, que está em fase de conclusão, destaca os principais crimes ambientais praticados no Acre. Entre eles, segundo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semeia), estão a poluição dos rios, a poluição sonora e do solo, a disposição inadequada de resíduos, atividades não licenciadas e corte de árvores. As queimadas aparecem na liderança do ranking dos maiores problemas no estado.

Um trecho extraído do artigo científico aponta que, segundo uma pesquisa realizada no site INPE e BDQ (Banco de Queimadas), entre o dia primeiro de julho até 31 de agosto de 2018, o estado do Acre teve mais de sete mil e quinhentos focos de incêndio, sendo os municípios que mais queimam Feijó e Tarauacá, distribuídos entre zona urbana, zona rural e terras indígenas.

Socorro Neri é homenageada em solenidade na FAAO

A prefeita de Rio Branco, Socorro Neri, recebeu nesta segunda-feira (27) o título Amigo FAAO. A distinção foi concedida à chefe do executivo municipal de Rio Branco durante a cerimônia de abertura da VII Semana Acadêmica da FAAO, no Teatro da faculdade da Amazônia Ocidental.

A distinção homenageia pessoas e instituições parceiras que, de alguma maneira, contribuem com a FAAO para o desenvolvimento pessoal e profissional dos alunos, egressos, e professores da instituição. A prefeita Socorro Neri recebeu a homenagem das mãos da diretora acadêmica da FAAO, Andrea Gastaldi Del Borgo. “Por formação pessoal, acadêmica tenho buscado seguir na gestão pública os princípios constitucionais de legalidade, da impessoalidade, da moralidade, da publicidade e eficiência. A partir de hoje me sinto no dever de continuar seguindo esses princípios e fazendo por merecer essa distinção”, disse a prefeita Socorro Neri ao agradecer a homenagem da FAAO.

Além da prefeita Socorro Neri receberam a homenagem Amigo FAAO, a assistente social, Adnízia Felix do Rego, que foi professora da FAAO por 11 anos; a assistente social do INSS, que também foi coordenadora do curso de Assistente Social da FAAO por 6 anos, Imairô Salete Dalla Costa de Oliveira; os gestores da Casa Lar dos Vicentinos, Simone D’ávila e Claudio Roberto; a secretária de Estado de Gestão Administrativa, Sawana Carvalho; o presidente da OAB/AC, Marcus Vinícius Jardim Rodrigues; o presidente da Escola Superior do Judiciário, desembargador Roberto Barros; os empresários Camila Barbosa, Steverson de Araújo e Aden Araújo; o coordenador do Ifac, Leandro Coradin; o superintendente do SEBRAE, naquele ato representado pela senhora Sídia Maria Cordeiro de Souza Gomes; o gestor de projetos de startups, Alex Lima de Souza e diretor presidente do Instituto de Tecnologia do município de Rio Branco (ITEC), Mafran Oliveira.

A parceria ITEC/FAAO objetiva aproximar os alunos do mercado de trabalho. A FAAO entra com a teoria e o ITEC com a prática. “Para nós, é uma honra receber a homenagem de uma instituição de ensino superior como a FAAO, que tem uma história de mais de 10 anos de serviços prestados, formando novos profissionais. Ser Amigo da FAAO é coroar o trabalho que vem sendo realizado e a certeza de que estamos no caminho certo, estimulando a economia criativa digital no âmbito do município de Rio Branco.

Semana Acadêmica

Logos após as homenagens, os organizadores da VII Semana Acadêmica da FAAO deram continuidade à programação com a palestra do evento proferida pelo professor doutor em Ciência da Computação, Alberto César Cavalcanti França, que abordou o tema ‘Os desafios da educação superior na era digital’.

Com programação variada, a Semana Acadêmica da FAAO segue até esta quarta-feira (29). O evento oportuniza aos participantes, palestras, minicursos, oficinas e exposições com intuito de proporcionar aos acadêmicos uma formação complementar qualificada e a integração entre os acadêmicos de todos os cursos da FAAO e a comunidade.