Rádio Difusora Acreana completa 79 anos de serviço e entretenimento

Fundada em 25 de agosto de 1944, a Rádio Difusora Acreana sustenta uma das trajetórias radiofônicas mais antigas do Acre. Ao longo de seus 79 anos de atuação, desempenha um papel indispensável na disseminação de informações e na oferta de entretenimento à população. Com uma presença que se estende por todo o estado, a rádio tem sido uma companhia constante para várias famílias, mantendo-as informadas e conectadas.

Difusora Acreana é uma das pioneiras entre as rádios da região amazônica e a única que ainda opera utilizando o formato de transmissão AM. Foto: Neto Lucena/Secom

Conhecida como A Voz das Selvas, a Difusora Acreana possui não apenas uma base em Rio Branco, mas também unidades em Feijó, Tarauacá, Sena Madureira e Xapuri, o que auxilia na oferta diária de uma variedade de programas que divulgam notícias locais, além de abordar os âmbitos estadual e federal.

Difusora busca fortalecer seu compromisso com a comunicação precisa e esclarecedora. Foto: Neto Lucena/Secom

Além disso, a programação eclética da rádio abrange uma variedade de programas que abordam música, cultura e esportes. Essa diversidade tem como objetivo enaltecer a identidade e o valor cultural do Acre, desempenhando um papel crucial na preservação e promoção da rica herança cultural da região.

Potencial transformador

A Rádio Difusora também presta o papel de informar a população quanto a importantes serviços e ações sociais, campanhas de imunização, mutirões de lavramento de registros civis e de inscrições no Cadastro Ambiental Rural (CAR), além de uma gama de outros serviços públicos.

Difusora Acreana tem o compromisso de servir como plataforma de utilidade pública, mantendo os cidadãos atualizados e conectados. Foto: Cleiton Lopes/Secom

A rádio serve também como uma valiosa ferramenta de união entre as diversas comunidades locais. Isso é claramente verificado no programa Correspondente Difusora, idealizado para estabelecer conexões e prestar auxílio aos moradores das áreas rurais, que, por meio dos microfones da rádio, enviam notícias a parentes e até mesmo solicitam assistência para questões como cuidados de saúde e oportunidades de trabalho.

O diretor-geral da emissora, Raimundo Fernandes, destaca a relevância social desse tipo de programação ao afirmar: “Dado que muitos habitantes das regiões rurais não têm acesso à internet, essa é uma maneira de conectá-los, compartilhando conhecimentos, promovendo cidadania e integrando-os à sociedade”.

“A Difusora tem um teor histórico e serve de ligação entre a capital e o interior do Acre”, destaca o diretor-geral Raimundo Fernandes. Foto: Neto Lucena/Secom

Com uma jornada de 44 anos dedicados à radiodifusão, Fernandes acumulou experiência em diversas funções, como repórter, comentarista esportivo, apresentador e narrador. E compartilha: “Aqui somos mais do que uma equipe, somos uma família. Considero a Difusora a ‘matriarca’ da comunicação acreana. Para os habitantes das margens dos rios, ela é ‘A Voz das Selvas’, enquanto que, para nós, é uma venerável senhora que está em seu auge”.

Prioridade do Estado

Mesmo diante das tecnologias contemporâneas e das diversas maneiras de consumir mídia, as rádios do Acre continuam a desempenhar um papel de significativa importância e responsabilidade. 

A titular da Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), Nayara Lessa, reconhece a relevância e enaltece: “A Difusora é um motivo de profundo orgulho para nós, acreanos, acumulando quase oito décadas de transmissão, cumprindo um papel vital de informar a sociedade por meio de profissionais altamente qualificados, que se dedicam com comprometimento e carinho”.

Nayara Lessa, secretária de Comunicação do Acre: “agradeço a todos os profissionais que deixaram sua marca na história desse importante veículo de comunicação”. Foto: Cleiton Lopes/Secom

Desde o início de seu primeiro mandato, o governo liderado por Gladson Cameli destacou a Rádio Difusora Acreana como prioridade para investimentos, reconhecendo a significativa necessidade de revitalizar o Sistema Público de Comunicação. Em 2019, a Difusora Acreana esteve ameaçada de sair do ar, pois foi identificada a iminência de interrupção devido à carência de equipamentos essenciais para seu funcionamento.

Ações de revitalização fazem parte do planejamento estratégico de comunicação, proporcionando equipamentos e espaços adequados. Foto: Marcos Vicentti/Secom

Com equipamentos antigos e de difícil manutenção, a Difusora Acreana foi a primeira rádio AM do Sistema Público de Comunicação a realizar a transição de transmissores valvulados para um novo transmissor de tecnologia transistorizada, com áudio digital e maior facilidade na obtenção de peças sobressalentes, tanto para a manutenção preventiva quanto corretiva.

Governo do Estado entregou a reforma da Rádio Difusora de Feijó no último dia 18. Foto: Marcos Vicentti/Secom

Além de novos transmissores, as unidades da Difusora Acreana também foram gradualmente beneficiadas com revitalizações, ampliações nas instalações físicas, atualização de equipamentos, melhorias na climatização e na sonorização dos estúdios, condições que proporcionam a elevação da qualidade dos serviços oferecidos à população.

Mesas de som, ares-condicionados, computadores, nobreaks, microfones, links de transmissão e processadores de áudio são alguns dos equipamentos levantados pelo governo do Acre, buscando um melhor desempenho do trabalho radiofônico.

Um exemplo é que em maio de 2022, o prédio da Difusora de Tarauacá recebeu equipamentos que proporcionaram a chegada da era digital e a consolidação do veículo como potência em radiodifusão na região do Juruá.

Reforma do prédio e investimento em transmissor moderno consolidou a rádio como potência do município de Tarauacá. Foto: Cleiton Lopes/Secom

Além-mar

A Voz das Selvas ecoa para além do país, fato que gera satisfação da equipe que já recebeu reconhecimento e carinho de diversas pessoas que têm a rádio como hobby. Um deles veio por carta, por meio do remetente que se apresenta como Jawahar Almeida, um aficionado por rádio que se deparou com a transmissão da Rádio Difusora Acreana ao navegar no sul da Jamaica. 

O ouvinte reside em Goa, na Índia, e tem como passatempo o DX, que em radioamadorismo é a sigla que significa contato a longa distância, em que se ouve emissoras de radiodifusão de diversas partes do globo.

Carta enviada em 2018 destaca o apreço do entusiasta de rádio, que apreciou a programação da Difusora Acreana. Foto: Neto Lucena/Secom

A carta destaca a admiração por música brasileira e traz detalhes da recepção sonora, como a frequência, equipamento utilizado e a data da transmissão, além de imagens da coleção de equipamentos utilizados para possibilitar o contato com rádios de todo o mundo.

Conheça a história

A sede da Difusora Acreana, sediada no coração de Rio Branco, encontra-se no cruzamento das ruas Benjamin Constant e Floriano Peixoto. Suas portas estão abertas para receber visitantes interessados em explorar o museu integrado à unidade, proporcionando à população a oportunidade de aprofundar-se na relação entre a história do estado e a esfera da comunicação pública.

Equipamentos utilizados no passado hoje servem para contar a história da comunicação do Acre. Foto: Neto Lucena/Secom
Museu integrado à unidade, proporciona à população a oportunidade de aprofundar-se na relação entre a história do estado e a esfera da comunicação pública. Foto: Neto Lucena/Secom

O museu materializa a história da transmissão de rádio no Acre, exibindo uma coleção notável de equipamentos antigos e visualmente impressionantes. Entre esses artefatos, destacam-se a primeira mesa de som, um toca-discos que reproduzia a programação musical em vinil, um gravador de rolo, que capturava e ecoava sinais de áudio, e uma admirável compilação de microfones, fitas, CDs e vinis.

Serviço

Ouça diariamente a programação da Rádio Difusora Acreana sintonizando em 1400AM ou por meio do site oficial: http://difusora.ac.gov.br/.