Pesquisadora realiza vivência sobre culturas afro-brasileiras

A diversidade da cultura afro-brasileira está espalhada por todo o Brasil, se ramificando e criando novas e ricas vertentes.  O “Terecô” ou “Tambor da Mata”, por exemplo, tem origem nos estados do Maranhão e Piauí, reunindo diferentes influências da religiosidade matriz africana, apresentando muitas simbologias e significados culturais.

Como pesquisadora e apreciadora das culturas afro-brasileiras, Ariady Andrade tem realizado atividades voltadas para sua valorização e difusão, desde as bonecas Abayomis, com as quais trabalha há alguns anos, até as indumentárias afro-brasileiras. O Terecô a encantou e despertou a vontade de mergulhar em suas experiências e as compartilhar com o público local.  Assim nasceu a I Vivência em Terecô: cultura e tradição afro-brasileira, que vai acontecer no próximo dia 29, no Ilê Axé Afefé Oya Igbalé, casa de santo localizado na Estrada do Barro Vermelho, zona rural de Rio Branco, sob a direção de Pai Léo Ti Oyá. Trata-se de uma atividade de formação e de difusão, incluindo dança, toques, adereços e degustação de comidas afro-brasileiras.

“A ideia é trazer o universo do Terecô, com ornamentação, vestimentas tradicionais, música, dança, banquete afro-brasileiro, dando ao projeto todo o seu contexto simbólico, ritual e cultural. Para isso, contaremos com dois ogãs e com Pai Léo, que compartilharão conosco um pouco das suas experiências”, explica Ariady Andrade, pesquisadora e responsável pelo projeto.

A I Vivência em Terecô é uma atividade formativa, que será oferecida gratuitamente aos frequentadores do Ilê Axé Afefé Oya Igbalé e ao público em geral interessado, compartilhando saberes e fazeres inerentes ao Terecô presentes em nosso município como um elemento de afirmação das raízes culturais brasileiras.