Mulheres concentram 52% de diagnósticos no Acre e câncer de mama está entre os mais comuns

Dados da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon), do Hospital das Clínicas do Acre, apontam que as mulheres concentram 52% dos casos de câncer diagnosticados no Acre durante este ano. Dos mais de 500 registros contabilizados de diversos tipos da doença entre janeiro e setembro em todo estado, cerca de 300 foram em mulheres adultas. Câncer de mama, do colo uterino e do útero são os mais frequentes entre as mulheres conforme o levantamento feito.

Dos 300 exames de biópsia que tiveram resultado positivo, 85 são de câncer do colo uterino, 63 de mama e cinco de útero. Esses são os tipos mais diagnosticados no público feminino nas 22 cidades acreanas. Gerente do Unacon, Áurea Freitas lembra que até o fim do mês passado foram diagnosticados 581 novos casos de câncer. Segundo ela, o número geral de casos diagnosticados este ano deve se igualar ao do ano passado, com 715 confirmações, ou até mesmo ultrapassar 2018.

“Talvez chegue a 100 ou ultrapasse. É difícil a gente prever. Atualmente, o paciente só começa a fazer o tratamento no Unacon a partir do diagnóstico positivo”, explica a gerente. Ela destaca que atualmente cerca de 400 aplicações de quimioterapia são realizadas no Unacon. Desse total, 42 pacientes são crianças que tratam algum tipo da enfermidade. “Há casos que a pessoa recebe o diagnóstico aqui, mas vai para outro estado receber o tratamento porque é com radioterapia e não temos”.

E é com o objetivo de combater o câncer de mama que o Estado do Acre e o Município de Rio Branco desenvolvem uma série de atividades com a comunidade durante este mês. Palestras, exames de mamografia, orientações, panfletagens e diversas outras ações integram a programação elaborada pelas secretarias Municipal (Semsa) e Estadual de Saúde (Sesacre). A ideia é mobilizar as mulheres para a prevenção da doença e alertar sobre a importância de realizar exames de rotina visando o cuidado com a saúde em vários aspectos.

Tanto o Centro de Controle Oncológico do Acre (Cecon), responsável pela programação do Estado, como a Semsa focarão no atendimento as mulheres acima dos 40 anos. A atenção maior do órgão estadual nesse grupo será para quem nunca realizou a mamografia. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), a doença que afeta as mamas é a principal causa de mortalidade por câncer em mulheres. Em 2018 foram estimados cerca de 59.700 novos casos em todo o Brasil.

O Município mobiliza todas as Unidades de Referência em Atenção Primária (Urap’s), centros e postos de saúde para realizar palestras, orientações e acompanhamento em todos os pontos da cidade. Além da mamografia, outros exames como ultrassons de mama e transvaginal, rastreamento da mamografia, aferição de pressão arterial e testes rápidos são feitos. A expectativa é atender o maior número de mulheres e aumentar a oferta dos serviços prestados pelas unidades.

“As palestras são feitas para criar uma conscientização massiva sobre a importância de se fazer a mamografia. Quando a doença é detectada precocemente a chance de cura é muito maior do que a descoberta em um estágio mais avançado. Em todas nossas unidades as ações rotineiras foram intensificadas. As unidades de saúde desenvolverão palestras focadas no público alvo abordando todos os aspectos do câncer de mama”, fala Pablo Carvalho, diretor Assistencial de Saúde da Semsa.

Ele afirma ainda que a orientação é de que mulheres abaixo dos 35 anos façam o exame de mamografia a partir de recomendação médica, não sendo necessário fora desse aspecto. Segundo o Centro de Controle Oncológico, durante 2018 foram tratadas 54 pacientes com câncer de mama no Acre. Porém, o número de casos pode ser bem maior já que notificações de registros foram feitas em outras unidades e o tratamento realizado fora do estado, além de casos não diagnosticados.

Além de palestras para mobilizar mulheres acima dos 40 anos que nunca fizeram a mamografia, o Cecon também realizará panfletagens em diversos pontos de Rio Branco, intensificação na realização de mamografia, testes rápidos e atendimentos clínicos. Outros trabalhos como oferta de tratamentos de estética e beleza, coleta de PCCU e atividades recreativas serão feitas no mês. A expectativa do Centro é atender cerca de mil mulheres somente em Rio Branco durante outubro.

Gerente de Assistência do Cecon, Carina Hechenberger explica que grande parte das atividades são feitas na sede do Centro. Segundo ela, desde 2017 as mulheres têm se mobilizado mais intensamente para realizar a mamografia e outros exames. Apesar disso, a profissional relata que entre as mulheres a partir dos 40 anos a procura pelos cuidados preventivos em relação ao câncer de mama é quase nula, o que fez com que esse público fosse escolhido como foco das atividades no mês.

“O nosso objetivo é conseguir fazer com que essas mulheres façam a mamografia. Paralelo a isso, estamos trabalhando em aspectos como qualidade de vida, autoestima, nutrição e atividade física, que são dois fatores importantíssimos para a prevenção do câncer de mama, além das atividades lúdicas. Durante o Outubro Rosa a procura sai de 400 pessoas por mês, média normal, para 1000. Por isso, estamos realizando quase tudo aqui para proporcionar as atividades as mulheres”, diz Carina.

Para realizar a mamografia e demais exames é necessário que as interessadas estejam com cartão do SUS, documento de identificação válido e comprovante de endereço. O mesmo requisito também é necessário para ter acesso aos serviços prestados pelas unidades do Município. No Cecon, 40 vagas para o exame de mamografia são disponibilizadas de segunda a sexta-feira. Caso não haja disponibilidade no momento da procura, um agendamento para o dia seguinte será feito.

Câncer de mama

Dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) afirmam que 59.700 casos novos de câncer de mama no Brasil devem ser notificados até o fim de 2019 A estimativa do Inca é que haja um risco estimado de 56 casos a cada 100 mil mulheres no país. De acordo com o Ministério da Saúde, o sintoma mais comum da doença, que também pode afetar homens, é surgimento de nódulo, geralmente indolor, duro e irregular ou tumores de consistência branda, globosos e bem definidos.

Desenvolvida por instituições Ministério da Saúde e Instituto Nacional de Câncer, a campanha Outubro Rosa neste ano tem como foco os aspectos da prevenção primária, para reduzir o risco de câncer de mama, diagnóstico precoce , divulgando sinais e sintomas da doença e incentivando a mulher a observar o próprio corpo, e mamografia, que para mulheres entre 50 e 69 anos é recomendada a realização da mamografia de rastreamento [exame de rotina] a cada dois anos.