Governo Bolsonaro recebe recado de emissários alemães sobre desmatamento

A ausência de um plano com objetivos concretos não inspira confiança nos alemães

O Palácio do Planalto recebeu um recado direto de emissários do governo alemão: o desmatamento na Amazônia deve ser o obstáculo prioritário a ser superado pelo governo Jair Bolsonaro. Essa é a condição para que acordos de cooperação em outras áreas possam prosperar entre os dois países.

EM TESE

Embora a fala de Jair Bolsonaro (sem partido) durante a Cúpula do Clima tenha sido bem-recebida na semana passada, a ausência de um plano com objetivos concretos não inspira confiança nos alemães. Na ocasião, o presidente comprometeu-se a alcançar a neutralidade climática até 2050 e acabar com o desmatamento ilegal até 2030.

O presidente Jair Bolsonaro, à dir., ao lado do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, antes de discurso na Cúpula do Clima
O presidente Jair Bolsonaro, à dir., ao lado do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, antes de discurso na Cúpula do Clima – Presidência da República via Reuters

SOBREAVISO

Nos últimos dias, o tema foi discutido pela Embaixada da Alemanha com o ministro a Defesa, o general da reserva Walter Braga Netto, e com o ministro das Comunicações, Fábio Faria.

COMPROVANTE

Outro ponto colocado na mesa foi o de que o Fundo Amazônia, paralisado desde 2019 por um impasse entre o governo Bolsonaro, a Alemanha e a Noruega, só será liberado depois que houver progressos no combate ao desmatamento.

DE ONDE VENHO

Entre os emissários alemães, causa estranhamento que a questão ambiental seja tratada no Brasil como uma pauta de esquerda, e não de interesse comum a todas as correntes ideológicas. “Na Alemanha, políticos conservadores falam em preservar a criação de Deus [a natureza]”, diz um deles.

folha