Gladson Cameli, do PP, é reeleito governador do Acre

Gladson Cameli, do PP, foi reeleito neste domingo (7) governador do Acre para os próximos quatro anos. Ele toma posse em 1º de janeiro de 2023, e terá como vice a senadora Mailza Gomes (PP) — Foto: Aline Nascimento/g1

Gladson Cameli, do PP, foi reeleito neste domingo (7) governador do Acre para os próximos quatro anos. Ele toma posse em 1º de janeiro de 2023, e terá como vice a senadora Mailza Gomes (PP).

Com 56,75% dos votos válidos, Cameli teve 242.100 votos , contra 24,21%, sendo 103.265 votos de Jorge Viana, PT.

Ainda em Cruzeiro do Sul, Gladson garantiu que vai cumprir com suas promessas de campanha e falou, especificamente, sobre as áreas da educação e saúde.

“Vamos continuar respeitando a democracia, a liberdade de imprensa e, ao mesmo tempo, cumprir com o que falamos em relação à redução do alto índice de desemprego para que a gente possa, além de gerar emprego, aquecer a economia. Queremos também criar mais oportunidades em todas as áreas como universalizar, por exemplo, um prato extra em todas as escolas estaduais. Temos um programa criado no primeiro ano de governo onde nós vamos comprar tudo aquilo que o pequeno produtor produzir nas suas localidades para que a gente possa utilizar nas refeições dos nossos alunos. Na saúde queremos acabar com as filas eletivas e humanizar mais a saúde, além do atendimento através da telemedicina.”

Quando chegou em Rio Branco Gladson recebeu a imprensa e agradeceu ao povo que o elegeu e disse que a caminhada continua.

“Em primeiro lugar, quero agradecer por esta caminhada. Tentamos levar uma mensagem às pessoas, aos lugares mais difíceis levando em conta que eu, como governador, ainda tinha as obrigações governamentais. Quero agradecer meu chefe maior, que é Deus, à Mailza, o Ney e o meu povo que reconheceu o que fizemos, cobrou o que ainda não fizemos, e, principalmente, confiou em tudo o que ainda vamos fazer.”

Gladson comemorou ao lado de sua vice, Mailza Gomes  — Foto: Aline Nascimento/g1

Gladson comemorou ao lado de sua vice, Mailza Gomes — Foto: Aline Nascimento/g1

O governador eleito agradeceu também à família e a todos os que o ajudaram a ser reeleito.

“Quero agradecer a minha família, meu filho, a Ana Paula, que estão em Cruzeiro, e a todos os coordenadores, os que balançaram bandeira, porque foram essas pessoas as responsáveis por levar a mensagem ao eleitor que estava indeciso. As urnas não mentem, a votação deu a cada um o tamanho que realmente tem. Para mim, o recado foi claro mais uma vez, o recado foi claro, o povo me deu oportunidade de seguir à frente a agora com a responsabilidade dobrada de promover os avanços que o nosso Acre necessita. Aos meus adversários com mandato quero assegurar que a eleição termina agora, já nessa segunda-feira a gente vai sentar para unir as forças para melhorar de fato a vida das pessoas parabéns.”

Apuração no AC

  • Gladson Cameli (PP) – 56,75% – votos;
  • Jorge Viana (PT) – 24,21% – votos;
  • Mara Rocha (MDB) – 11,06% – votos;
  • Petecão (PSD) – 6,42% – votos;
  • Marcio Bittar (União Brasil) – 1,12% – votos;
  • Professor Nilson (Psol) – 0,26% – votos;
  • David Hall (AGIR) – 0,18% – votos.

Perfil

Gladson, que tem 43 anos, já ocupou o cargo de Senador da República. Ele entrou na vida pública aos 28 anos, quando foi eleito pela primeira vez deputado federal com 18.886 votos. Em 2010, foi eleito pela segunda vez deputado federal com 32.623 votos.

Filho de Eládio Messias Cameli e Maria Lindomar de Lima Cameli, Gladson de Lima Cameli é natural de Cruzeiro do Sul, segunda maior cidade do Acre, é casado com a advogada Ana Paula Correia da Silva Cameli e pai de Guilherme Correia Cameli, de 8 anos.

O governador nasceu no dia 26 de março de 1978. É bacharel em engenharia civil desde 2001 e formado pelo Instituto Luterano de Ensino Superior de Manaus Ulbra, no Amazonas. Sua trajetória política vem de família, já que é sobrinho do ex-governador do estado Orleir Cameli.

Em seu segundo mandato como deputado federal, se destacou à frente da Comissão da Amazônia, através da indicação da Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia (Cindra).

Foi filiado ao PFL durante (2000-2003) e ao PPS durante (2003-2005). É filiado ao Progressistas desde 2005 permanecendo até os dias atuais.

No Senado Federal, Gladson Cameli é membro de várias comissões, entre elas a Comissão de Serviços de Infraestrutura, Comissão Senado do Futuro, Comissão Especial de Desenvolvimento Nacional, Comissão de Educação, Cultura e Esporte, entre outras. Tem sido um dos maiores articuladores junto ao setor empresarial de debates para saídas da crise econômica que vive o Acre e o país.

Propostas

Ao todo, durante a campanha, Gladson afirmou que pretende levar à frente 23 propostas durante seu governo, dentre elas:

  • Emprego – a principal proposta é tentar diminuir o alto índice de desemprego no estado e fortalecer o agronegócio, através da infraestrutura, geração de emprego no lançamento de obras e conclusão de obras
  • Infraestrutura – reformar o presídio de Tarauacá.
  • Segurança – fazer concurso para a polícia penal.
  • Saúde – concurso público para contratação de pessoal.
  • Assistência Social – retornar com o cartão do Bem, mas com abrangência maior para a população de baixa renda, logo após o período eleitoral o candidato garantiu que voltar com o programa.
  • Saúde – fazer com que o TFD [Tratamento Fora do Domicílio] diminua o máximo de atendimentos. Para isso, vai ser criada a telemedicina no interior para facilitar a presença da saúde no estado. Além disso, concurso na saúde para contratar mais profissionais.
  • Saneamento básico – assumiu um compromisso em relação à na falta de esgoto e de obras isso vai ser tratado como prioridade. Vão ser feitas parcerias com prefeituras, para tentar resolver o problema na saúde .