Gastos com a mensalidade escolar: o que deve pesar na hora da matrícula

Folha de pagamentos e despesas fixas entram na balança e impulsionam colégios a investir em infraestrutura e tecnologia para encantar pais e familiares

Em ano marcado por eleições presidenciais, Copa do Mundo e incertezas no cenário econômico, as mensalidades escolares acompanham o índice da inflação que deve terminar 2022 próximo aos dois dígitos. De acordo com a lei, as escolas particulares têm autonomia para reajustar os preços das mensalidades. Entre os fatores que determinam a construção da mensalidade está, por exemplo, a folha de pagamentos dos colaboradores, que costuma representar quase 60% dos custos da escola. Também entram nessa conta, o número de alunos previsto para o ano seguinte, os custos e despesas fixas, além dos gastos variáveis com alimentação, material didático e energia elétrica, por exemplo.

Gabriela Cardoso, diretora de Sucesso do Cliente da amais educação, destaca que para definir o valor da mensalidade é fundamental conhecer a capacidade máxima de alunos por turma e definir uma meta de captação de novos estudantes. “Entender a capacidade da instituição é essencial, assim como conhecer os concorrentes próximos e avaliar parcerias estratégicas e ações em condomínios ou comércios, por exemplo”. 

Ao mesmo tempo, é importante conquistar a confiança dos familiares. Por isso, muito antes do tema preço, vale encantar pais e alunos com os diferenciais e a infraestrutura da escola. “O interesse pela matrícula começa no primeiro dia de aula, no dia a dia da escola. As rotinas com os professores, a metodologia exclusiva, a evolução do aprendizado é o que garantem que o aluno seja rematriculado”, comenta Gabriela. 

Gestão na nova era

Um dos mais desafiadores papéis, o do gestor escolar, vai além das funções de liderança, já que impacta diretamente os resultados financeiros da instituição de ensino. É preciso ter clara a importância do lucro, mas, ao mesmo tempo, ter habilidade para lidar com os sonhos e as realizações da comunidade escolar e por tudo isso, uma das soluções mais eficientes é se adaptar às novas tecnologias. 

“A proposta pedagógica da escola deve ser construída com todo o corpo docente com foco na metodologia escolhida pela instituição. É recomendável aliar a este trabalho uma plataforma de gestão escolar que garanta o acompanhamento integral com qualidade. E principalmente, um LMS – Learning Management System – que ofereça ao aluno espaço para incluir suas sugestões e percepções”, comenta Gabriela que cita o Estuda+, a plataforma LMS completa para turmas, alunos e professores. 

Segundo Gabriela, é fundamental que esse canal pedagógico tenha datas de atualização e que seja um formato vivo e adequado para a melhora da performance dos alunos. Mais do que isso, a tecnologia aliada à gestão escolar permite oferecer soluções totalmente integradas que atuam da captação de alunos à emissão de históricos escolares, passando pelo aspecto financeiro, sem qualquer desgaste. 

Sobre a amais educação:  

Nascida da transformação da educação, a amais educação aplica tecnologia para entregar soluções que otimizem o dia a dia de escolas, aproximem o relacionamento com as famílias e aumentem o engajamento e o aprendizado dos alunos.

A edtech oferece um hub de soluções que reúne ferramentas de gestão, de aprendizagem, de comunicação e de conteúdo que atendem desde a Educação Básica ao Ensino Superior. Os recursos facilitam a digitalização das instituições de ensino de ponta a ponta, proporcionam agilidade aos processos administrativos por meio da gestão escolar data driven, possibilitam o acompanhamento dos dados administrativos e pedagógicos em tempo real, dispõe de recursos de aprendizagem adaptativa e metodologias ativas de ensino, além de oferecer conteúdo exclusivo criado especialmente para os brasileiros. 

Atualmente, a amais reúne mais de 400 instituições da educação básica ao ensino superior e mais de 560 mil usuários em todo o país.   Conheça todas as soluções e conteúdos oferecidos pela amais e acompanhe as novidades nas redes sociais (Facebook | Instagram | LinkedIn). E caso precise de imagens e outros materiais de apoio sobre a edtech, acesse a aba imprensa no site da amais.