Galo Carijó terá que pagar dívida de US$ 3 mil a clube mexicano

MANOEL FAÇANHA

Se não bastasse outros problemas vividos pelo Atlético Acreano em tempos de pandemia do novo coronavírus, o clube recebeu uma notificação da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) informando que o clube está proibido de inscrever atletas no Boletim Informativo Diário (BID), isso justificado por uma dívida de US$ 3 mil contraída pelo time celeste junto ao clube mexicano Correcaminos UAT.

Com a saída de Goulart do Galo Carijó, o clube mexicano acionou a Fifa para requerer os valores. Foto/Manoel Façanha
Com a saída de Goulart do Galo Carijó, o clube mexicano acionou a Fifa para requerer os valores. Foto/Manoel Façanha

Os valores estão relacionados ao contrato do atacante Igor Goulart. O atleta chegou ao Galo Carijó para reforçar a equipe na temporada 2018, mas existia uma cláusula no seu antigo vínculo de trabalho com um clube mexicano que garantia à agremiação certa quantia em dólares em caso de transferência do atleta.

Com a saída de Goulart do time celeste, o clube mexicano acionou a Fifa para requerer os valores e, na primeira instância, foi dado ganho de causa em favor dos mexicanos. O time acreano não concordou e recorreu da sentença, mas a decisão do mérito foi desfavorável para o Atlético Acreano.

O presidente celeste Elison Azevedo reconhece a decisão, inclusive, já teria pago uma parcela da dívida, mas busca uma renegociação dos valores para pagar a mesma de forma suave e dentro da realidade do orçamento do clube.