Detecção da aids cresce, mas Estado ainda tem a menor incidência do País

O Acre é o Estado menor incidência de aids no Brasil. Em 2017, o Acre registrou 8,8 casos por grupo de 100 mil habitantes, segundo o boletim epidemiológico do Ministério da Saúde divulgado nesta terça-feira, 27. Entre as capitais, apenas Rio Branco e Brasília tiveram taxas inferiores à nacional – 14,6 e 14,3 casos/100 mil habitantes, respectivamente. Apesar da menor taxa entre os Estados, a detecção da aids cresceu 0,4% entre 2007 e 2017 –de 8,4% para 8,8%.

O ranking dos Estados referente às taxas de detecção de aids mostrou que os estados de Roraima e Amapá apresentaram as maiores taxas, com 36,8 e 29,8 casos por 100 mil habitantes, respectivamente. Além disso, observou-se que, entre as Unidades da Federação, 14 apresentaram taxas inferiores à nacional (de 18,3/100 mil habitantes). Porto Alegre apresentou taxa de 60,8 casos/100 mil habitantes, em 2017, valor superior ao dobro da taxa do Rio Grande do Sul e 3,3 vezes maior que a taxa do Brasil.