Curso “Aquiry: povos construtores e paisagens míticas e culturais” acontece em Rio Branco

Nos dias 25, 29 e 30 de novembro, das 13h às 17h acontecerá, em Rio Branco, no Sesc/Centro, o curso “Pré-História de Rio Branco e do Acre – Aquiry: povos construtores e paisagens míticas e culturais”. O curso será ministrado pelo professor Marcos Vinícius Neves, com a produção da também historiadora Flávia Burlamaqui, com o financiamento da Prefeitura de Rio Branco, através da Fundação Garibaldi Brasil – Fundo Municipal de Cultura.

“O Acre conta com registros históricos que documentam a presença humana na região há menos de 200 anos. Os primeiros relatórios de viajantes, exploradores e diretores de índios só começaram a ser produzidos a partir da década de 1850, como se a própria história milenar nativa (indígena) do Acre só tivesse começado a partir desse período. Entretanto, graças aos registros arqueológicos sabemos que diferentes grupos humanos habitavam toda a região dos altos rios acreanos há pelos menos 3.000 anos aP (antes do presente). Ou seja, as informações históricas cobrem menos de 10 % de toda a história humana na Amazônia Acreana”, comenta o professor Marcos Vinícius.

A ideia do curso é apresentar alguns resultados de pesquisas arqueológicas vêm sendo realizadas no município de Rio Branco, bem como no estado do Acre, desde o final da década de 1970 e que muitas vezes ficam restritas aos ambientes acadêmicos. O curso é totalmente gratuito ao público, com duração de 16 horas e atividades presenciais e remotas, alcançando professores da rede pública de ensino e fazedores culturais, especialmente os da área de Patrimônio Cultural. O que se espera é difundir esses importantes saberes, de forma que cheguem às salas de aula e alcancem públicos amplos e diversos.

“O que queremos é compartilhar informações necessárias à compreensão da pré-história acreana em suas muitas dimensões, incluindo conteúdos que vão desde as características teórico-metodológicas da pesquisa arqueológica na Amazônia, passando pelas áreas e sítios já pesquisados, até os resultados das interpretações científicas para a construção de uma historiografia indígena mais ampla, profunda e consistente”, acrescenta Flávia Burlamaqui.

Para participar do curso, é necessário contato prévio com a produção, no WhatsApp 9.9988-9014.