Coluna Opinião: fim do lockdown

“Vou tirar essa palavra do meu vocabulário”.Foi com essa frase que o governador Gladson Cameli anunciou o fim do Lockdown aos finais de semana e feriados. Importante ressaltar que o fim dessa medida não anula as demais, como o uso de máscaras, álcool gel e o distanciamento social. A pandemia não acabou, apenas houve a necessidade de reenquadrar as ações do governo do Estado. Inclusive, a abertura do comércio ocorre após reunião entre Cameli e os prefeitos dos municípios acreanos. O governador ouviu atentamente os gestores que relataram a necessidade e realidade de cada cidade. Desta feita, caberá a cada município adotar suas próprias medidas para combater a Covid-19, em conjunto com Governo do Acre, claro! Gladson tem agido com coerência desde que a pandemia teve início. Já falei diversas vezes isso aqui na coluna e volto a repetir. Quando necessário adotou medidas mais severas e sem medo de receber críticas. Diante de tantas vidas sendo ceifadas pela doença, coube a ele muitas decisões difíceis e impopulares. Acertou, errou! Errou, acertou! Colocou o bem da coletividade acima de qualquer argumento. E não está errado, afinal, não existe preço quando se trata de vida. A torcida é para que os prefeitos possam agir da mesma forma, com pulso firme, sem medo de críticas, sem pensar em voto. E nesse ponto cito uma frase do deputado estadual Daniel Zen na sessão virtual da Aleac na última terça-feira: “Se não tiver pulso firme, não tiver coragem, não quiser aguentar o tranco de tomar as medidas impopulares agora, lá na frente a história também vai cobrar”. Tem razão!!

REVOLTADO

O deputado José Bestene (PP) criticou duramente a Polícia Civil ao citar o indiciamento do genro dele Cristiano Silva, envolvido na Operação Trojan. Em discurso na Aleac o progressista disse que trata-se de uma perseguição política. O delegado Pedro Rezende e o vice-governador foram os principais alvos do deputado. Bestene

AUDITORIA

Em solenidade no Corpo de Bombeiros Militar do Acre, o governador Gladson Cameli (PP) falou a respeito da auditoria feita pela Controladoria Geral do Estado junto à Secretaria de Estado de Educação. Ele citou que não vai tolerar atos de corrupção no governo. Se comprovada as ilegalidades, Cameli vai exonerar os servidores.

ELE DISSE

“Eu não tenho problema quando há indícios. Quando há indícios, não quer dizer que seja verdadeiro. Se eu sou a favor da transparência. Quem estiver fazendo coisa errada se prepare que a caneta vai vir”, disse Gladson Cameli.

NA EQUIPE DO GOVERNO

Tão logo anunciou seu retorno às atividades acadêmicas na Universidade Federal do Acre (Ufac), a ex-prefeita Socorro Neri foi cogitada pelo governador Gladson Cameli para integrar a estrutura de seu governo. Na realidade essa possibilidade já existe desde o dia que Neri deixou a Prefeitura de Rio Branco, mas nunca se concretizou. De toda forma, Gladson mais uma vez reforçou que a quer na equipe. Ainda não sabe em qual função, mas a quer.

QUALIFICADA

Socorro Neri é uma profissional qualificadíssima. Preparada, responsável, proativa. Para o governo será uma ótima aquisição tê-la na equipe. Com a bagagem que a ex-prefeita tem, Gladson está é vacilando em não convidá-la logo.

ACERTANDO

O deputado estadual Roberto Duarte tem levado bons debates para a Assembleia Legislativa do Acre. Na sessão de ontem sugeriu a prorrogação do pagamento do IPVA no Estado. Ele destacou que mesmo com restrições de trafegabilidade o motorista perde o desconto de 20% e terá multas e juros se não pagar.

NOME DE PESO

Quando se fala sobre a eleição de 2022 na disputa as vagas da Câmara Federal, um nome de peso que tem entrado nos debates é o da prefeita de Brasileia, Fernanda Hassem (PT). A petista fez uma boa gestão no primeiro mandato. Tem tudo para continuar esse excelente trabalho agora no segundo mandato. Conhece a realidade e da dificuldade de gerir uma prefeitura, portanto, tê-la em Brasília seria positivo para os prefeitos acreanos.

TUDO TRANQUILO

A possível participação de Fernanda Hassem na disputa a uma das vagas na Câmara Federal em nada atrapalha a reeleição de Léo de Brito, caso decida concorrer novamente. Eleitorados diferentes.

NO JOGO

Ao que tudo indica os petistas Cesário Braga e Marcus Alexandre disputarão uma das vagas da Aleac em 2022. Daniel Zen concorre a reeleição. Será uma disputa complicada.

SAI NA FRENTE

Por já está em um mandato, Daniel Zen saí na frente. Mas não se pode também colocar em xeque os votos de Marcus Alexandre. Tem chance de ficar com umas das vagas.

CRISE NO GOVERNO

A devolução de quatro sargentos ligados ao vice-governador Major Rocha aos seus respectivos quartéis reverberou na Aleac ontem. O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) disse que as devoluções feitas ratificam a crise instalada no Palácio Rio Branco. “Essa fogueira está acesa e o óleo está fervendo e essa crise só se eleva no seu patamar. Faço esse registro porque acho importante pelos debates que virão nesta Casa”, disse ele. E tem bastante razão!!

NA EQUIPE

O prefeito Tião Bocalom (Progressistas) nomeou a pastora e ex-vereadora de Rio Branco, Sandra Asfury (PSC), para assumir cargo de Gerente do Departamento de Educação Especial, da Diretoria de Ensino, na Secretaria Municipal de Educação (Seme). O decreto foi publicado na edição do Diário Oficial do Estado (DOE).

SURPRESA

Sandra, que é esposa do ex-deputado estadual Jamyl Asfury (PSC), fez parte do grupo de apoio durante as eleições referentes ao segundo turno das eleições de 2020. A contratação de Sandra pegou muitas pessoas de surpresa.

MISSÃO BRASIL / RÚSSIA

As primeiras doses das 700 mil vacinas Sputnik, que o estado do Acre vai comprar da Rússia, não chegarão na primeira quinzena deste mês como foi anunciado. Uma equipe da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) será enviada à Rússia para inspecionar as instalações de produção da vacina e de seus insumos.

…CONTINUA

O envio da missão brasileira ao país russo foi tratado diretamente entre os presidentes Jair Bolsonaro e Vladimir Putin, da Rússia.

FORMALIZADO

Por meio do Consórcio Nordeste houve a formalização da compra de 50 milhões de doses do imunizante produzido na Rússia. Para o Acre, o governador Gladson Cameli realizou a aquisição de 700 mil vacinas, assegurando a proteção de mais de um terço da população. O contrato do governo do Acre é no valor de R$ 40 milhões e a compra é feita por meio do consórcio dos governadores do Nordeste e Fundo Soberano Russo.

“Aonde está a Polícia Civil? É morte todo dia. É uma insegurança nos bairros e aí quando você faz uma operação para prejudicar A ou B a chama imprensa. Por que não fizeram uma coletiva na hora de indiciar? Deveria ter sido feita.

Deputado estadual José Bestene, do Progressista, ao criticar a Polícia Civil pelo indiciamento do genro devido a Operação Trojan