Cia Fluxo de Dança apresenta o espetáculo “O Boto” no III Fedaquiry

A Cia Fluxo de Dança marca presença no III Fedaquiry (Festival de Dança do Aquiry), promovido pela Cia Garatuja de Artes Cênicas. O espetáculo de dança contemporânea “O Boto” será apresentado, gratuitamente, na próxima segunda-feira (12/04), às 20h, ao vivo pelo Facebook (perfil da Cia Garatuja) e plateia reduzida na Casa de Cultura da Gameleira. O público também poderá acompanhar a apresentação pelo perfil do Instagram @fluxociadedanca.

“O Boto” estreou em dezembro de 2019 e traz a lenda do boto cor de rosa por meio da dança e do teatro. Anos atrás, em uma comunidade ribeirinha da Região Amazônica ,um homem misterioso aparece na noite de São João. Charmoso e vestido de branco ele chama a atenção de todos, mas ele só tem olhos para uma moça: Ana. A jovem virgem se entrega ao Boto e após aquela noite seu amor passa a ser seu maior tormento. Um conto antigo que faz parte do imaginário da nossa cultura, enriquecendo nosso passado e inspirando o presente. As coreografias e direção do espetáculo são de Dheyvison Bruno, que também assina a produção e roteiro junto com Daniel Scarcello, responsável pela co-direção.

Devido à pandemia do novo coronavírus, o grupo precisou adaptar o espetáculo reduzindo assim, a quantidade de encontros do elenco. Durante o processo, os dançarinos usaram máscara e cumpriram as normas sanitárias exigidas. A situação virou mais um desafio para a rotina dos artistas, uma preocupação diária, como conta a atriz Marina Luckner. “A máscara dificulta muito o processo de ensaio, porque exige mais da nossa respiração, do nosso corpo e nós não estávamos preparados para isso, mas sabemos que é necessária. Acaba que o grupo se torna nossa segunda família, temos todos que pensar em cuidar um do outro”, explica.

O Fedaquiry é realizado por meio da Lei Aldir Blanc, e do edital de produção e eventos consolidados da Fundação Elias Mansour, um evento que se mostra ainda mais importante em tempos de isolamento social. O diretor da companhia, Dheyvison Bruno, reforça que estamos passando por um momento delicado para todos e de muitas incertezas para os artistas que não possuem previsão de quando poderão retornar aos palcos. O Festival surge como um incentivo neste período tão difícil.

“Mesmo com a apresentação sendo transmitida pelas redes sociais, o prazer de voltar a fazer o que gostamos é indescritível. Ao ser convidado pela Cia Garatuja a participar do festival não tinha como dizer não. Vai ser bem diferente apresentar com o público nos assistindo pelo celular, mas é prazeroso reunir todos e poder continuar levando arte para as pessoas”, declara Dheyvison.

Sobre a Cia Fluxo de Dança

A companhia de dança acreana surgiu em 2018 com o intuito de somar a cena da dança na região e trazer outras perspectivas artísticas. Em 2018 o grupo já estreou seu primeiro espetáculo “O Boto”, inspirado na lenda amazônica do boto cor de rosa além de realizar a I Mostra de Dança de Capixaba, incentivando a dança no interior do estado. Em 2019, a Fluxo realizou o projeto visual “Os Quatro Elementos”, também disponível no Instagram. Em 2020, durante a pandemia, o grupo produziu o projeto “Lockdown – Arte dentro de Casa”, lançando três vídeos unindo as criações e vivências dos dançarinos neste período.

Elenco: Daniel Ayrton (Boto e Seu Zé), Débora Brilhante (Lavadeira), Dheyvison Bruno (Antônio), Elias Silva (Pescador), Henrique Queiroz (Pescador), Jefferson Santos (Pescador) e Marina Luckner (Ana).

Ficha Técnica: Dheyvison Bruno (Direção, coreografias, produção e roteiro); Daniel Scarcello (Produção, co-direção, roteiro e sonoplastia);  Luís Rabicó (Iluminação); Tereza Leite e Maria José (Figurino); Ulisses e Cia. Fluxo de Dança (Cenário)