Bocacrense ganha prótese mecânica no Acre

Segundo Moisés, as maiores dificuldades enfrentadas por uma pessoa deficiente é o preconceito das pessoas, a rejeição, até mesmo para conseguir emprego.

O bocacrense Moisés Rodrigues dos Santos de 33 anos, teve sua perna amputada em março de 2018, após se envolver em um acidente de trânsito, envolvendo uma motocicleta e uma camionete, o que acarretou na perda de sua perna direita, ele que nasceu no Seringal Cametá. Rodrigues não teve ajuda nem dos envolvidos, nem muito menos de ninguém em Boca do Acre, principalmente da classe política, que virou as costas para a nova fase de sua vida, agora, um deficiente que não tinha mais condições de trabalhar.

“Lá em Boca do Acre procurei o atual prefeito, e o gestor não se sensibilizou com o que aconteceu comigo, inclusive, fui eleitor dele, mas nada. Sei que existem programas e convênios para este tipo de ajuda, o que não foi explorado pela máquina pública. Até fiz consultas jurídicas e disseram que eu tinha direito”, desabafa.

“Depois procurei um ex-prefeito, que também somente me fez promessas, todos mentirosos”, completa.

Na política recebi ajuda sim, de um cidadão chamado Denis do Antero e de um vereador, filho de um líder religioso da cidade.

AJUDA CHEGA EM RIO BRANCO

Como o senhor conseguiu a perna mecânica?

“Tive o prazer de conhecer um conterrâneo de Boca do Acre chamado Valtemir Evangelista, ele é professor universitário, e me ofereceu ajuda, me estendeu a mão. Ele disse que ia entrar comigo nesta luta, apesar de não me conhecer, nunca ter me visto. Todos sabem que o custo de uma perna mecânica é muito alto, mas o Valtemir tinha conhecimento com o sr. Jamell Martins, tendo em vista que sua esposa trabalha com próteses, fazendo assim o canal, a viabilização e doação da minha atual perna, que com certeza me trouxe mais qualidade de vida”, conta.

Segundo Moisés, as maiores dificuldades enfrentadas por uma pessoa deficiente é o preconceito das pessoas, a rejeição, até mesmo para conseguir emprego tem que existir políticas de trabalho das empresas com vagas para deficiente, porém, é muito limitada as vagas, não havendo assim espaço para todos.

AGRADECIMENTO

“Hoje eu agradeço primeiramente a Deus, que sem Ele ninguém nunca chega a lugar nenhum. Em segundo lugar aqui na terra ao professor Valtemir Evangelista, que foi fundamental para a realização desta conquista, e principalmente ao senhor Jamell Martins e sua esposa, além do Governo do Estado do Acre

MENSAGEM PARA OS DEFICIENTES

“Para os irmãos com deficiência, venho dizer que não desejo o mal de nenhum, mas que todos possam vir a ter humildade e principalmente perseverança, e que mesmo com suas limitações, possam ajudar o próximo, e não ter orgulho de ser ajudado”.