Atendimento via SUS no Santa Juliana deve se retomado assim que o débito seja quitado

Após a decisão da Diocese de Rio Branco de suspender o atendimento aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) por falta de pagamento, o governo do estado através da Secretaria Estadual de Saúde do Acre (Sesacre) informou que a liberação do pagamento dos meses de novembro, dezembro e janeiro foi feita ontem, 12.

No início da semana, em vídeo, o Bispo Dom Joaquim Pertíñez falou sobre o problema enfrentado pelo Hospital Santa Juliana, por causa da falta de pagamento os médicos não quiseram mais trabalhar.

“O hospital Santa Juliana está aberto a todos como faz há 50 anos prestando seus serviços à população acreana, principalmente aos mais pobres, aos mais necessitados, através do Sistema Único de Saúde, o SUS, mas tivemos que parar porque os médicos não querem trabalhar sem receber”, explicou.

O atendimento para pacientes do SUS está paralisado desde do último sábado, 9. A parceria do governo do estado com a diocese de Rio Branco permite que vários serviços que os hospitais do Acre não comportam sejam realizados no Santa Juliana, como partos, por exemplo.

A funcionária pública Paula Pereira, 31 anos, foi das milhares de mulheres que para dar a luz tiveram que ser transferidas para a o hospital dirigido pela diocese, por falta de leito na maternidade Bárbara Heliodora.

“Cheguei no maternidade mais ou menos umas 7 horas, fiquei na recepção sentindo contrações até mais ou menos umas horas tarde, porque não tinha leito para mim, até felizmente me transferiram junto com uma mãe para o Santa Juliana”, conta.

Retomada do atendimento

Ao JORNAL OPINIÃO a assessoria de imprensa da Diocese informou que tão logo o pagamento caia na conta, os atendimentos serão retomadas. “O atendimento será restabelecido quando o recurso cair na conta do Hospital”, informou padre Jairo Coelho.

No mesmo sentido os médicos afirmam que voltarão a atender assim que receberem seus salários. “A Sesacre acenou para o pagamento dos meses de novembro e dezembro, mas os médicos aguardam que o recurso caia na conta do Hospital para retomarem os serviços”, informou a assessoria do Sindicato dos Médicos do Acre.