Alysson vai entregar ao MPT, e aos sindicatos da Saúde, lista de comissionados

O secretário de Estado de Saúde, Alysson Bestene, anunciou nesta segunda-feira, 18, que vai disponibilizar um levantamento dos cargos dentro do Pró-Saúde, mostrando quem recebia, mas não trabalhava ou que estava ali somente por acomodação política, por não ser profissional de Saúde.

Na tarde de segunda-feira, às 14 horas, aconteceu uma reunião, na Casa Civil do Governador, com os sindicatos, com a Secretaria de Fazenda, a de Gestão Administrativa, a Procuradoria Geral da República e os servidores do Pró-Saúde.

Na ocasião, a Secretaria de Saúde vai disponibilizar os dados que revelam uma série de ingerências do governo anterior, incluindo as acomodações de pessoas em cargos políticos que nada tinham a ver com a Saúde. Essa situação contribuiu para o inchaço financeiro e a consequente inviabilidade de programas como o Pró-Saúde, por exemplo.

“Havia pessoas empregadas que não eram para atender a pasta. Um número de cargos comissionados dentro do Pró-Saúde, colocados pelo governo anterior, que não prestava serviços em saúde. E existe uma ação civil pública que exige que essas pessoas sejam demitidas”, ressalta Bestene.

Nesta manhã, em entrevista ao programa Balanço Geral, da TV Gazeta, o secretário reafirmou a realização de concurso público simplificado para 340 profissionais, entre médicos, biomédicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e técnicos em Saúde. O certame, válido por um ano, faz parte do pacote de medidas contidas no decreto que instituiu calamidade financeira na pasta, assinado pelo governador Gladson Cameli, na semana passada.

Secretário de Saúde, Alysson Bestene, em entrevista à jornalista Chrisna Lima, no programa Balanço Geral, da TV Gazeta: concurso para a Saúde à vista (Foto: Celio Negreiro/TV Gazeta)“Nós já consultamos a Procuradoria Geral do Estado para que procedesse a viabilidade do concurso e ela deu positivo para que Secretaria de Gestão Administrativa lance o edital”, disse Alysson Bestene.

“Então, o Ministério Público do Trabalho e os sindicatos estão cientes dessa situação e vamos ter todo o cuidado [no concurso simplificado] para que entrem as pessoas que realmente estão de acordo com as funções que se exigem delas”, completa o secretário.