Acreano 2021 não tem data para começar e clubes alegam prejuízo

MANOEL FAÇANHA

Com a alta da pandemia nas regionais acreanas com o sistema de saúde em colapso, o futebol acreano segue sem previsão de retomada após a participação de Imperador Galvez e Atlético Acreano nas disputas das copas Verde e Brasil.

A Federação de Futebol do Acre (FFAC) tinha agendado o início do Campeonato Acreano-2021 para o primeiro final de semana do mês de março, mas a nova classificação de risco para o novo coronavírus impede a realização de atividades esportivas nas regionais acreanas, conforme normativa do Comitê Estadual de Combate à Covid-19 e reforçada pelo decreto estadual para conter o avanço da pandemia.

Classificação de risco para o novo coronavírus impede a bola rolar para o Campeonato Acreano. Foto/Manoel Façanha
Classificação de risco para o novo coronavírus impede a bola rolar para o Campeonato Acreano. Foto/Manoel Façanha

Com as restrições da legislação, a Federação de Futebol do Acre (FFAC) vai aguardar por posicionamento do Comitê Estadual de Combate à Covid-19 para tomar uma decisão sobre o futuro do Campeonato Acreano 2021.

– Vamos aguardar. Essa coisa toda depende do Comitê. Enquanto não tiver definição, não adianta nada. Não adianta falar sobre hipótese, porque a covid-19 ninguém sabe quando acaba. É imprevisível – disse o presidente Aquino Lopes (FFAC) para a equipe do ge.

Articulação

Nas últimas semanas, os dirigentes de clubes estiveram reunidos para tratar da problemática e também da buscar por um encontro com os representantes do Comitê Estadual de Combate à Covid-19 para, então, colocar seus pontos de vistas a respeito da retomada do futebol. No entanto, não tiveram o sucesso desejado, mas continuam pregam a liberação do futebol mesmo enquanto o Acre estiver na bandeira vermelha da pandemia, a mais restritiva, segundo matéria vinculada nesta segunda-feira (22) pelo ge.

Alegam prejuízo

Com o calendário paralisado, dirigentes de clubes alegam prejuízos financeiros e não descartam a liberação de seus atletas das atividades para conter despesas com salários, alimentação entre outras. Um encontro envolvendo dirigentes de clubes profissionais, ocorrido na última sexta-feira (18), na sede da FFAC, também discutiu a possibilidade de transferência do estadual para o mês de julho.