Acre participa de oficina sobre testes rápidos de doenças virais

O Ministério da Saúde encerrou nesta quinta-feira, 10, a 2ª oficina sobre estratégias de ampliação do uso e distribuição dos testes rápidos de HIV, sífilis e hepatites B e C, em Brasília.

Coordenadores, gestores e técnicos de saúde de todo o Brasil participam do evento que tem como objetivo qualificar profissionais de saúde responsáveis pela ampliação de diagnósticos na rede de atenção básica os testes rápidos para HIV, sífilis e hepatites virais.

Hoje no Acre, todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) oferecem e disponibilizam a realização de testes rápidos. Além de garantir agilidade no serviço, é também o meio mais rápido e que garante discrição dos resultados.

Durante o encontro, diferentes eixos são discutidos com o intuito de fortalecer o serviço e a praticidade no resultado dos testes rápidos nas UBS. Temas como projeto de resposta rápida a sífilis, auto teste de HIV e acolhimento e aconselhamento são alguns dos motes em discussão.

Para o coordenador da Divisão Estadual de IST/AIDS e Hepatites Virais da Sesacre, Nelson Guedes, a oficina é um momento de fortalecimento e otimização para o estado, pois com o reforço de disponibilidade de testes rápidos nas UBS, o diagnóstico precoce é uma arma para o melhor resultado do tratamento.

“O uso de preservativo é ainda a melhor forma para se proteger contra a sífilis e demais doenças sexualmente transmissíveis. Estamos aqui discutindo justamente isso, o fortalecimento de ações de combate a essas doenças, e a disponibilidade de testes rápidos, pois toda e qualquer pessoa pode se dirigir a UBS mais próxima e solicitar a realização do teste sem nenhuma restrição”, explica.