Aneel leiloa 16 lotes de linhas de transmissão e subestações

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) concluiu o leilão de 16 lotes de linhas de transmissão e subestações em 13 estados – Amazonas, Amapá, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rondônia, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins. Durante a manhã, foram arrematados oito lotes e à tarde os oito restantes.

A linha de transmissão para atendimento à região metropolitana de Manaus será construída pelo Consórcio Emtep, que arrematou o lote 9 com oferta de R$ 11,5 milhões, deságio de 58,99%. Serão 13 quilômetros (km) de linhas de distribuição. O lote 10 foi arrematado pelo Consórcio Chimarrão, com oferta de R$ 219,5 milhões e deságio de 42,38%. O empreendimento visa a integração do potencial eólico do estado do Rio Grande do Sul, especialmente na região do Escudo Rio-grandense, litoral sul e Costa da Lagoa dos Patos. Serão 1,193 mil km de extensão com uma subestação de 2,688 mil megavolt-ampere (MVA) de potência.

O lote 11 foi arrematado pela CPFL, com oferta de R$ 33,8 milhões, deságio de 38,51% em relação ao teto estabelecido pela Aneel. Serão construídos 85,4 km de linhas de transmissão para escoamento do potencial eólico do Rio Grande do Sul, e uma subestação com capacidade para 549 MVA de potência. O lote 12, que abrange cidades do Rio Grande do Sul foi vencido pela Taesa, que superou os concorrentes com oferta de R$ 58,9 milhões e deságio de 38,80% em relação ao valor da RAP inicial de R$ 96,3 milhões. Nesse lote há uma obra de reforço para escoamento do potencial eólico do estado, especialmente na região de Coxinha de Santana. A obra prevê a implantação de 587 km de linhas de transmissão.

A Sterlite Brasil venceu a disputa pelo lote 13, com a oferta de R$ 74,7 milhões e deságio de 38,90% em relação à receita inicial ofertada. A previsão é a de que sejam construídos 316 km de linhas de transmissão, e uma subestação com capacidade de 1.544 MVA. As obras visam à integração do potencial eólico do Rio Grande do Sul, especialmente na região da Serra Gaúcha, aumentando a capacidade de suprimento e a confiabilidade da região metropolitana de Porto Alegre. A Neoenergia arrematou o lote 14, com oferta de R$ 120,9 milhões e deságio de 39,99%. O empreendimento beneficiará o Rio Grande do Sul e Santa Catarina, com a integração do potencial eólico das regiões sul e extremo sul de Santa Catarina.

O Consórcio Emtep venceu a disputa pelo lote 15, com oferta de R$ 4,3 milhões, com deságio de 58%. As obras aumentarão a capacidade de atendimento à região de Porto Velho (RO), o que permitirá o desligamento de usinas térmicas responsáveis pelo atendimento local. A linha de transmissão de 11 km possibilitará a integração de Humaitá ao Sistema Interligado Nacional (SIN). O último lote foi vencido pelo Celeo Redes Brasil com a oferta de R$ 120,1 milhões, deságio de 35,73%. Com esse empreendimento serão supridas as cargas das margens direita e esquerda do Rio Amazonas, em especial as cidades de Oriximiná, Óbidos e Juriti no Pará, e Parintins, no estado do Amazonas.

Foram licitadas concessões para construção, operação e manutenção de 80 empreendimentos, dos quais 55 são linhas de transmissão e 25 são subestações. Serão contemplados 7,152 mil quilômetros de linhas de transmissão e subestações com 14,819 mil megavolt-ampere (MVA). As instalações entram em operação no prazo de 48 a 60 meses. A soma dos lotes é de R$ 2,1 bilhões, e os vencedores recebem essas receitas pela prestação do serviço por 30 anos.

Bolsonaro tem quadro estável e faz transmissão ao vivo do hospital

Candidato continua sem febre ou sinais de infecção

O estado de saúde do candidato Jair Bolsonaro é estável, segundo o boletim médico divulgado pelo Hospital Albert Einstein no final da tarde deste domingo (16). Mais cedo, ele recebeu alta dos tratamentos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) passando a receber cuidades semi-intensivos.

Bolsonaro estava na UTI desde a última quarta-feira (12), quando foi submetido a uma cirurgia de emergência para tratar uma aderência que obstruía o intestino delgado. De acordo com o último boletim, ele permanece sem febre ou outros sinais de infecção. O candidato ainda está sendo alimentado somente através de uma sonda, sem ingestão de alimentos.

Antes das complicações, os médicos haviam começado a reintroduzir a alimentação via oral. O candidato está sendo submetido a medidas de prevenção de trombose e fisioterapia respiratória e motora.

Bolsonaro estava na UTI desde a última quarta-feira (12), quando foi submetido a uma cirurgia de emergência para tratar uma aderência que obstruía o intestino delgado. De acordo com o último boletim, ele permanece sem febre ou outros sinais de infecção. O candidato ainda está sendo alimentado somente através de uma sonda, sem ingestão de alimentos.

Antes das complicações, os médicos haviam começado a reintroduzir a alimentação via oral. O candidato está sendo submetido a medidas de prevenção de trombose e fisioterapia respiratória e motora.

Redes sociais

No fim da manhã deste domingo, o deputado Major Olímpio (PSL-SP) publicou um vídeo de pouco mais de 1 minuto em que Bolsonaro aparece caminhando com um andador, nos corredores do hospital, auxiliado por três pessoas. Ele aparece concetado a equipamentos de monitoramento e a uma bolsa de soro.

Já durante a tarde, Bolsonaro fez, pela primeira vez, uma transmissão ao vivo pelo Facebook para falar aos seus apoiadores. Ontem (15), ele havia postado em sua conta de Twitter uma foto tirada dentro do hospital. Na imagem, Bolsonaro aparece na penumbra com as pernas cruzadas.

Bolsonaro sofreu uma facada durante um ato de campanha no último dia 6, em Juiz de Fora (MG) . Após ter sido atendido na Santa Casa da cidade, onde chegou a passar por uma cirurgia, ele foi transferido, a pedido da família, para o Hospital Albert Einstein, na capital paulista, na manhã do dia 7.