Refugiados: Governo federal promove atendimento em Roraima

O presidente da República, Michel Temer, participou, neste sábado (25), no Ministério da Educação, em Brasília, do lançamento da ação médico-humanitária destinada ao atendimento de imigrantes venezuelanos que se encontram no estado de Roraima. Também participaram da solenidade o ministro da Educação, Rossieli Soares, e o presidente da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), Kleber Morais.

Dirigindo-se ao grupo de voluntários, o presidente da República, Michel Temer, agradeceu a participação da equipe e fez um apelo aos demais estados brasileiros. “Eu quero aproveitar para mais uma vez dignificar o gesto dos senhores e das senhoras e dizer, pedir e pleitear que isto sirva de exemplo para outros estados e outras regiões no sentido de termos cada vez mais voluntários para esta tarefa, em Roraima. Aliás, ainda há outros que irão para esta atividade. Isto é integração da sociedade com o poder público”, afirmou.

A ação é promovida pela Ebserh, estatal vinculada ao Ministério da Educação, e visa minimizar o impacto gerado nos serviços públicos do estado, devido ao número crescente de refugiados na região. O mutirão de saúde vai ocorrer no período de 27 de agosto a 1º de setembro, na capital de Roraima, Boa Vista, e na cidade de Pacairama. A cidade, localizada a 215 quilômetros de Boa Vista, faz fronteira com a Venezuela, sendo a principal rota de entrada dos imigrantes no Brasil.

Ao todo, 36 profissionais da área de saúde dos hospitais universitários federais vinculados à Rede Ebserh atuarão como voluntários para oferecer atendimento médico nas especialidades de ginecologia, obstetrícia, pediatria, infectologia, oftalmologia. Os médicos, enfermeiros e técnicos de laboratório terão o apoio do comando da Operação Acolhida, coordenada pela Casa Civil da Presidência da República, envolvendo, além do MEC, as pastas da Defesa, Saúde, Desenvolvimento Social, Trabalho e Emprego e Forças Armadas, bem como da Polícia Federal e da Organização das Nações Unidas (ONU).

O ministro da Educação, Rossieli Soares, destacou a iniciativa como determinante para diminuir os efeitos provocados pela chegada dos imigrantes e reforçou a disposição do povo brasileiro em ajudar a todos que solicitam o apoio do país e enxergam no Brasil a possibilidade de recomeçar a vida e ter um futuro com mais dignidade. “Eu acho que isso salienta, mais uma vez, o espírito do povo brasileiro. Com um breve chamado e sem esforço nenhum, nós tivemos uma série de pessoas que estão doando o seu tempo para apoiar outras que estão necessitando de ajuda”, afirmou.

Em Boa Vista, as ações serão direcionadas aos venezuelanos que ocupam os abrigos na cidade, e, em Pacaraima, haverá vacinação para os imigrantes. Estão previstas atividades educacionais preventivas em saúde, exames, testes para hepatites B e C, HIV e VDRL, glicemia, verificação de pressão arterial e citologia de colo de útero.

Além disso, os beneficiados terão orientação sobre escovação dentária, prevenção e esclarecimentos relacionados a parasitoses intestinais, instruções de nutrição, consultas de oftalmologia, apoio a gestantes e dicas de amamentação, dentre outros procedimentos. Os insumos e materiais a serem utilizados na ação foram fornecidos pelos hospitais universitários federais da Rede Ebserh e Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS-MS).