Rio Branco tem pré-acordo com treinador português

Com o calendário cheio para 2019, o Rio Branco tem acordo verbal com o técnico português João Mota, 52 anos. O último clube do treinador português diz respeito à equipe Sub-20 da Portuguesa-SP.

As negociações entre clube o treinador português foram confirmada pelo novo gestor de futebol do clube alvirrubro Alex Cavalcante, esse não descartando a assinatura do contrato ainda neste mês. Cavalcante também explicou que a opção de contratar João Mota está relacionado a abertura no mercado do futebol paulista.

Com a contratação do técnico português, a diretoria estrelada espera contratar jogadores bons e baratos. Alex Cavalcante confirmou ainda que o clube já conta com 15 jogadores, podendo o número crescer próximo a 20 com alguns nomes indicados pelo novo treinador.

João Mota começou a carreira no futebol português, precisamente no sub-19 do Farense-POR, passou pelo profissional do clube, trabalhou no Hatta Club, dos Emirados Árabes Unidos, no Aparecida, de Portugal, no Aparecidense-GO, Dibba Al-Hisn e Al Khaleej, ambos dos Emirados Árabes Unidos, e no Guarulhos Sub-20, antes de chegar à Portuguesa Sub-20, em fevereiro deste ano.

Acre avança no ensino de matemática e português revela pesquisa do MEC

O Acre apresentou a 5ª maior evolução no Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e está entre os nove Estados que conseguiram avançar em matemática e português. A grande maioria dos Estados não conseguiu evoluir ou simplesmente retrocederam nessas disciplinas. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira, 30, pelo Ministério da Educação (MEC).

Nesse contexto, é baixíssimo o percentual de brasileiros às vésperas de concorrer a uma vaga no ensino superior com conhecimento adequado em Língua Portuguesa. Apenas 1,62 % dos estudantes da última série do Ensino Médio que fizeram os testes desse componente curricular no Saeb alcançaram níveis de aprendizagem classificados como adequados pelo Ministério da Educação.

Se nada for feito pelo ensino médio brasileiro, em breve os anos finais do Ensino Fundamental vão superar a última etapa da Educação Básica em relação aos ganhos de aprendizagem. O alerta vem dos resultados do Saeb e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). As evidências demonstram um ensino médio praticamente estagnado desde 2009, e que tem agregado muito pouco ao desenvolvimento cognitivo dos estudantes brasileiros.