Bolsonaro pede a adversários que abandonem o “ódio sem necessidade”

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, passará dois dias e meio em Brasília esta semana. Às vésperas da viagem, ele enviou uma mensagem aos adversários para destacar que o momento é de paz. Ele apelou para que “relaxem” e abandonem o “ódio sem necessidade”.

“Estou vendo muitos derrotados politicamente pregando ódio sem necessidade, relaxem, cultivem o que dizem pregar que a alma fica em paz. Um conselho de quem quer ver todos bem”, afirmou Bolsonaro, na sua conta no Twitter, por volta das 23h de ontem (2).

A expectativa esta semana para a definição dos nomes dos titulares para os ministérios do Meio Ambiente e o de Cidadania (direitos humanos, mulheres e minorias). Bolsonaro chega à capital amanhã (4) para reuniões com as bancadas do MDB, PRB, PR e PSDB.

A primeira reunião nesta terça-feira será com a deputada federal Tereza Cristina (DEM-MS), confirmada para o Ministério da Agricultura. Bolsonaro já disse que o titular do Meio Ambiente terá de ter uma boa relação com a Agricultura. Inicialmente, pensou em unificar as duas pastas, mas depois, resolveu manter a separação.

Amanhã, acompanhado do ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni, que assumirá a Casa Civil, Bolsonaro se reunirá com as bancadas do MDB e PRB. As duas bancadas estão entre as maiores na próxima legislatura, com mais de 30 parlamentares cada.

Na quarta-feira (5), Bolsonaro e Onyx se reunirão com as bancadas do PR e PSDB. Também há encontros com embaixadores e audiência no Quartel General do Exército.

Ontem (2), o presidente eleito indicou que pretende decidir o nome que ocupará o Ministério do Meio Ambiente ainda esta semana. “A gente espera que se resolva a questão do Ministério do Meio Ambiente. E, daí, fechou a questão”, disse. Segundo Bolsonaro, estava avaliando “meia dúzia” de nomes.

Para o novo ministério a ser criado (Cidadania) que deverá reunir direitos humanos, mulheres e família, o nome cotado é o da advogada Damares Alves, assessora do senador Magno Malta (PR-ES). Porém, no fim de semana, Bolsonaro disse que ainda estava analisando nomes.

Bolsonaro sinalizou que pretende reduzir de 29 para 22 ministérios.

“Os anos foram de luta e dedicação”, afirma Ney em carta

O início de sua militância no PT, quando ainda tinha 15 anos de idade, foi um dos pontos ressaltados pelo deputado Ney Amorim, na sua carta de desfiliação, entregue à Executiva Regional da sigla, na tarde desta quinta-feira, 8.

Como é da sua personalidade, o presidente da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Estado do Acre optou por um discurso pacífico em que relembra que teve muito êxito na melhoria da vida das pessoas, enquanto membro do partido.

“Tudo que começa na vida da gente, certamente um dia acaba, e então nós precisamos estar, suficientemente, preparados para isso”, diz o deputado, no início do documento.

Em outro trecho, relembra “que no início desejava apenas buscar benefícios simples para nossa comunidade, mas no final percebemos que tudo poderia resultar na transformação de vida de muitas pessoas, nas mais diferentes partes do nosso estado”.

E prossegue: “Os anos que se seguiram foram de luta, dedicação, suor e comprometimento com os que eram nossos líderes”.

Mais abaixo, Ney Amorim destaca a honradez ao partido. “Nossa maior e mais eloquente fidelidade foi colocada em primeiro lugar a todo o momento. Nunca! Absolutamente nunca faltou um mísero segundo sem que a defesa fiel de todos os princípios partidários fosse colocada acima de tudo”.

Depois de três mandatos como deputado estadual, tendo, nestas últimas eleições, uma votação expressiva como candidato ao Senado, mais de 115 mil votos, Ney ainda não divulgou para qual partido seguirá.

A carta, endereçada a André Kamay, presidente da Executiva Regional do PT no Acre, foi registrada no 2º Tabelionato de Notas e 2º Registro Civil de Rio Branco.

Encontro entre Gladson e Dória discute segurança pública e infraestrutura

O senador e governador eleito pelo Acre para o quadriênio 2019-2022, Gladson Cameli (Progressistas), esteve na manhã deste domingo (04) reunido com o governador eleito de São Paulo, João Dória (PSDB), para discutir ações a serem implementadas no estado do Acre nas áreas de segurança pública e infraestrutura a partir do próximo ano.

Cameli, que pretende rever as políticas de segurança pública para o estado, investindo na estrutura das Polícias Civil e Militar com a contratação de candidatos aprovados em concursos públicos e a aquisição de equipamentos, fardamentos e treinamentos, disse que o Acre precisa seguir o exemplo de estados que trabalham pelo progresso, e para isso é preciso buscar modelos de gestões que estão dando certo.

Outro setor discutido entre Gladson e Dória foi o da infraestrutura, que segundo Cameli é a ponte principal para qualquer governo que pensa em atrair investimentos para seu estado. Gladson, que é engenheiro civil, pretende alavancar o setor de infraestrutura local buscando recursos junto ao Governo Federal para recuperação e manutenção das BR´s 364 e 317, o anel viário de Brasileia, e a conclusão da ponte sobre o rio Madeira, interligando o Acre ao restante do Brasil e implementando de uma vez por todas a rota para o Oceano Pacífico.

Gladson Cameli parabenizou João Dória pela sua vitória e ressaltou que está determinado a unir forças para que o Acre supere o momento de crise pelo qual passa, contando com governantes experientes e que pensam num Brasil melhor para todas as famílias. “Acredito que nós, governadores eleitos, estaremos unindo nossas bancadas de deputados e senadores para fazermos as grandes reformas que o país precisa e então garantirmos tempos de paz e progresso para o nosso povo”, afirmou ele.

João Dória parabenizou Cameli pela vitória para o governo do Acre e disse que São Paulo estará junto com o Acre para apoiar os projetos em prol do seu desenvolvimento. Segundo ele, uma pauta conjunta na área de segurança pública e infraestrutura já está sendo desenhada e deverá ser executada através de novas discussões e ações dos dois governadores eleitos, a partir de 2019.

Eles estarão reunidos novamente em Brasília no dia 14 de novembro quando discutirão questões relacionadas ao Pacto Federativo, que prevê uma repartição mais justa dos recursos e obrigações, entre elas fiscais, entre o Governo Federal, estados e municípios brasileiros.

Major Rocha diz na Câmara as reformas prioritárias para o Estado do Acre

Com o resultado final das eleições, já definidos os novos governadores que vão comandar os estados, muitas pautas de interesse dos eleitos voltarão a ser discutidas na Câmara dos Deputados. Um dos temas centrais é um novo pacto federativo, que redefina as obrigações da União, dos estados, municípios e do Distrito Federal, com a partilha dos recursos provenientes dos tributos cobrados de toda a população. Eleito vice-governador do Acre, o deputado Major Rocha (PSDB) usou a Tribuna da Câmara Federal para apontar as três reformas que mais interessam ao Acre. “Como na maioria dos outros Estados, nós temos problemas sérios na questão previdenciária. A projeção do Tribunal de Contas do estado e da equipe de transição é que, ao final de 2022, nós tenhamos um rombo de R$ 1 bilhão, só o déficit da previdência estadual, o que corresponde hoje a um quinto do orçamento do estado. Já a reforma tributária é muito importante para fazer com que a economia do estado e do país volte a crescer, com que o empresário, com que o investidor possa ter fôlego pra gerar emprego. Também a questão da segurança pública. Nós temos um estado que, segundo os dados do anuário da segurança pública, é o segundo mais violento do Brasil”, observou.

Essas pautas elencadas como as principais estão previstas para serem analisadas nas comissões e no Plenário da Câmara dos Deputados já a partir desta semana.

Saiba o que pode e o que não pode no dia da votação

Neste domingo, 28, eleitores de todo o país irão as urnas para escolher o próximo presidente da República e alguns estados, também governador. Para garantir a tranquilidade da votação os eleitores precisam obedecer algumas regras, estabelecida pela lei eleitoral.

Confira o que pode e o que não pode no dia da votação.

Uso de bandeiras e camisetas do candidato: É liberado a manifestação da preferência do eleitor, desde que seja de maneira individual e silenciosa. São permitidas bandeiras sem mastro, broches ou adesivos no local de votação. Uso de camisetas foi liberado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O eleitor poderá usar a camiseta com nome de seu candidato preferido, sem fazer propaganda eleitoral a favor dele, desde que seja distribuída.

Colinha: O eleitor pode levar, em papel, os números dos candidatos anotados. Não é permitida a “cola” em celular na hora de votar.

Uso de celular: Não é permitido o uso do celular para garantir o sigilo do voto, ou seja, não pode tirar selfie na hora da votação ou tirar foto do voto.

Acompanhante: O eleitor com deficiência ou mobilidade reduzida poderá contar com o auxílio de pessoa de sua confiança na hora de votar, mesmo que não tenha feito o pedido antecipadamente ao juiz eleitoral.

O uso de Alto-falante e carreatas, boca de urna, do consumo de bebidas alcoólicas são proibidos

Gehlen Diniz denuncia falta de médicos em hospital de Sena

O deputado Gehlen Diniz (PP), falou durante a sessão desta quarta-feira (24) que tem recebido muitas denúncias em relação ao hospital João Câncio Fernandes, em Sena Madureira. O parlamentar denunciou que apenas um médico faz o atendimento naquela unidade hospitalar.

“Apenas um médico atende a população e isso causa uma demora absurda. As pessoas buscam o hospital porque não estão bem e lá ainda passam por isso. O tempo de espera para ser consultado chega a ser de 12 horas numa fila. Isso é inaceitável!” Disse.

Gehlen Diniz relatou que buscou uma solução junto à Secretaria Estadual de Saúde, solicitando outro profissional da área médica para o hospital. Ele alega que o governador, apesar de ser médico e ter prometido saúde de primeiro mundo no Estado, vai entregar o governo com o setor em situação lamentável.

“Um médico não é suficiente para atender a população que busca o hospital. Muita gente está tendo que vir à capital em busca de atendimento. Lá atrás eu disse ao senhor Tião Viana que se ele não queria governar direito, que entregasse o cargo. Tenho certeza que Gladson Cameli vai trabalhar para mudar essa situação”, finalizou.

Bancada atua em defesa dos municípios contra o cancelamento de verbas

O senador Sérgio Petecão, coordenador da bancada federal do Acre no Congresso Nacional, anunciou nesta terça-feira (23) o agendamento de reunião entre parlamentares acreanos e o ministro da Defesa, General Joaquim Silva e Luna, na próxima quarta-feira (31), para reverter o possível cancelamento de recursos aos municípios que descumpriram regra que limita gasto com pessoal.

Segundo entendimento do Programa Calha Norte, departamento ligado ao Ministério da Defesa, os municípios que não comprovarem o cumprimento de obrigações constitucionais com relação a despesas com pessoal terão os convênios cancelados.

Levantamento da Associação de Municípios do Acre (AMAC) mostra que o possível cancelamento pode totalizar a perda de R$ 14,245 milhões das emendas parlamentares, afetando os municípios de Acrelândia, Bujari, Cruzeiro do Sul, Jordão, Mâncio Lima, Manoel Urbano, Marechal Thaumaturgo, Porto Acre, Porto Walter, Rodrigues Alves, Santa Rosa do Purus e Senador Guiomard.

Para Sérgio Petecão, as emendas impositivas são garantidas pela Constituição Federal e não podem ser canceladas com base na alegação apresentada pelo Programa Calha Norte. “É inadmissível o cancelamento dessas verbas que nós, senadores e deputados, destinamos aos municípios. São emendas impositivas! A bancada vai lutar para garantir esses investimentos” disse o senador.

Reunião da bancada do Acre com ministro-chefe garante mais recursos ao Estado

Ontem, quarta-feira (18), a Bancada do Acre no Congresso Nacional se reuniu com o Ministro Carlos Marun. Estiveram presentes o Senador Sérgio Petecão (PSD), líder da bancada, e os Deputados Alan Rick (DEM), Rocha (PSDB), Jéssica Sales (MDB) e Flaviano Melo (MDB). O objetivo do encontro foi garantir o pagamento dos recursos de emendas de bancadas apresentados em 2016 e 2017.

Uma das emendas que começará e ser paga em breve diz respeito à serviços de pavimentação e drenagem de vias urbanas em Rio Branco. Essa emenda, de R$ 8.783.455,00, foi alocada em 2016, quando Alan Rick era o coordenador da bancada. As obras estão previstas para se iniciarem ainda este ano.

Outra emenda, de R$ 39.363.501,00 e destinada à Segurança Pública, já teve parte dos recursos liberados. Dessa forma, o estado poderá iniciar a aquisição de viaturas e outros equipamentos, a fim de estruturar melhor a polícia do Acre e garantir aos agentes de segurança mais material de trabalho.

A questão mais sensível da reunião foi a emenda de bancada alocada para a manutenção dos ramais do estado, no valor de R$ 99.746.494,00. A Caixa Econômica Federal, responsável por executar o convênio, estabeleceu duas condições para prosseguir: implantação de nova infraestrutura nas estradas e estudos geotécnicos para melhor planejamento do projeto. Em um cenário ideal, essas condições seriam muito favoráveis para a construção de ramais mais duradouros, mas, atualmente, isso geraria um custo extra de aproximadamente R$ 19 milhões para o Governo do Acre, e o estado afirma não ter como bancar. Dessa forma, corre-se o risco de perder o recurso. A bancada, no entanto, já marcou nova reunião com o Presidente da Caixa para a próxima terça-feira, 23, a fim de solucionar a questão.

“Estamos muito felizes com o resultado da reunião. O Ministro Marun se mostrou sensível às necessidades do Acre. Estou especialmente grato pelo compromisso de pagamento da emenda que aloquei para Rio Branco”, ressaltou o Deputado Alan Rick.

Governo do Estado avança na política habitacional

Com ações que trazem dignidade às famílias que mais precisam, o governo do Acre segue avançando em sua política habitacional, com mais de 14 mil casas entregues à população que vivia em áreas de risco, somente na gestão do governador Tião Viana.

Em setembro deste ano, o governo entregou 56 novas casas a custo zero do Loteamento Andirá, em Rio Branco, que se somam às primeiras 48 unidades do conjunto habitacional, de um total de 344 residências que serão todas entregues até o Natal, num investimento de R$ 27 milhões financiado pela Caixa, por meio do programa Minha Casa, Minha Vida.

Na contramão de outros estados, cujas obras do maior programa habitacional do país, o Minha Casa, Minha Vida, estão paradas por falta de recursos e problemas burocráticos, entre outros, o Acre reafirma seu compromisso com essa política pública em prol de uma sociedade mais igualitária em oportunidades.

Maior projeto habitacional do estado

Para proporcionar conforto, segurança e dignidade às famílias que viviam em áreas de risco, o governador Tião Viana desenvolveu a Cidade do Povo, um espaço que abrange, além das casas, estrutura completa para atender crianças, jovens e adultos com quadras de esporte e lazer, Unidade de Pronto Atendimento (UPA), creches e escolas, entre outros.

São 3.348 unidades habitacionais entregues no conjunto habitacional. Atualmente, cerca de 16 mil pessoas residem no local.

Moradora da Cidade do Povo há dois anos, Maria de Fátima Albuquerque por décadas morou no bairro Preventório. Com a nova moradia, ela comemora as grandes mudanças em sua vida. “Tudo para mim hoje é felicidade. Eu morava num canto em que já estava com medo de o barranco cair e levar minha casa com tudo dentro. Mas ganhei este lar aqui, com conforto para mim e meus filhos”, disse.

Reconhecimento nacional

Durante o 63º Fórum Nacional de Habitação de Interesse Social realizado em Goiânia (GO), em 2016, a Cidade do Povo recebeu o Prêmio Nacional de Habitação com o Selo de Mérito.

O evento, realizado pela Associação Brasileira de Cohabs (ABC) e pelo Fórum Nacional de Secretários de Habitação e Desenvolvimento Urbano, teve como objetivo estimular e difundir as experiências bem sucedidas desenvolvidas pelos órgãos públicos estaduais e municipais no âmbito da habitação de interesse social.

Janaína Guedes, gestora da Secretaria de Habitação de Interesse Social (Sehab), ressalta a importância desse reconhecimento. “É gratificante termos esse reconhecimento nacional das políticas públicas de governo em habitação e por diversas vezes. Em 2016, recebemos o Prêmio Nacional de Habitação com Selo de Mérito. Em 2014, o Estado ganhou com o Programa Nacional de Habitação [PNH] Indígena, e em 2010, com o Projeto Santa Inês. Nesta edição do fórum, a Cidade do Povo venceu na categoria ‘Relevância Urbana e Social’”, destacou.

Qualificação profissional

Além da moradia, o governo também oportuniza o acesso dos moradores a cursos profissionalizantes, no processo chamado Pós-Ocupação, que dá aos participantes novas perspectivas de vida, por meio do mercado de trabalho. De Maio a Setembro deste ano, já foram mais de 700 pessoas beneficiadas.

André Vinícius é um dos participantes e se considera preparado para enfrentar os novos desafios na carreira profissional. “A oportunidade veio na hora certa. Fazer esses cursos aqui perto de casa sem ter que pegar o ônibus é bem melhor, a gente ganha mais tempo e economiza. Já fiz alguns cursos e pretendo continuar, acho isso muito bom porque a gente tem oportunidade de trabalhar com muitas coisas. Com esses cursos a pessoa fica mais preparada, com mais experiência e mais chance de garantir uma renda. É muito bom para nós”, disse.

Aury Dias do Nascimento é prova disso. Por meio do curso de pintor, ele buscou o aperfeiçoamento a fim de se tornar um profissional e garante que o curso lhe proporcionou grandes oportunidades.

“Eu sempre desejei aprender a pintar de forma profissional porque é uma área que tem muita procura, afinal, toda casa precisa de uma pintura, né? Aprendi novas técnicas e designer que antes eu não sabia como fazer, agora sei como fazer uma pintura que chama atenção das pessoas. Já estou com agenda de trabalho que vai garantir o sustento da minha família”, disse o pintor.

Valter Arauto prevê um 2019 turbulento na política, com corrupção generalizada

Com o fim das eleições ao Senado Federal, à Câmara dos Deputados, aos executivos estaduais e às assembleias legislativas, Valter Arauto, um dos maiores videntes do país, traz novos alertas para a política nacional, a possibilidade de uma recidiva dos males da corrupção, por assim dizer, principalmente, em Brasília.

A observação que o paranormal paulista faz é a de que 2019 será um ano ainda muito conturbado, em que os parlamentares praticarão muita corrupção, ao contrário do que alguns analistas políticos têm falado, sobre a possibilidade de uma renovação ética na política nacional, inclusive com congressistas das fileiras evangélicas.

“A corrupção vai ser geral, porque eles vão falar pouco em Deus”, alerta Valter Arauto, cujo histórico de acertos em previsões é notável, entre eles, o acidente com o avião da LaMia que matou a equipe da Chapecoense, na Colômbia, e do atentado ao presidenciável Jair Bolsonaro, em Minas Gerais, mais recentemente. Foi Valter que também previu o milionário no Acre, em setembro último, quando um acreano acertou o maior prêmio na loteria.

Para Arauto, “se Deus não governar [o país], os governantes não o farão. Então, Deus visitará a terra com caos e catástrofes. Será também o surgimento da doença quântica”. Essa enfermidade, segundo ele, ainda é desconhecida dos seres humanos.

Esta situação terá como prenúncio um tremor de terra que vai acontecer no Planalto Central. “O terremoto de Brasília e Goiás será o sinal [de que Deus estará descontente]”.

Curiosamente, essas eleições do último dia 7 mostraram que o voto suprapartidário, que demonstrou aversão aos políticos tradicionais há décadas no poder, derrotou um grande número de parlamentares da chamada velha política. Essa condição, aparentemente, vai na mão contrária ao que anuncia Valter Arauto.

Outro fato interessante abordado por ele é o retorno dos conselheiros e dos profetas ao seio das administrações públicas e das legislaturas. Ele lembra que no período bíblico, faraós, reis, rainhas e príncipes eram guiados constantemente por esses profetas, que os aconselhavam sobre como proceder em seus governos, de acordo com o que estava escrito no mundo para além do dos homens. Isso vai voltar na política contemporânea.

No AC, eleitores vão poder tirar dúvidas sobre locais de votação e situação do título pelo ‘Disque-Eleições’

Serviço vai funcionar de 3 a 7 de outubro pelo número 0800-649-9218. Mais de 2 mil urnas que vão ser usadas nas Eleições 2018 foram lacradas pelo TRE-AC

Os eleitores do Acre vão poder tirar dúvidas sobre os locais de votação, situação do título eleitoral e outros assuntos por meio do “Disque-Eleições” disponibilizado pelo Tribunal Regional Eleitoral no Acre (TRE-AC).

O número 0800-649-9218 vai funcionar no período de 3 a 7 de outubro. De quarta-feira (3) a sábado (6) o eleitor pode buscar informações nos horários de 8h às 18h. Já no domingo (7), dia do pleito, o telefone vai funcionar de 7h às 17h.

Ao todo, dez atendentes passaram por um treinamento ministrado por servidores da Corregedoria Regional Eleitoral. O Disque-Eleições não recebe denúncias. Porém, o Ministério Público do Acre (MP-AC) disponibilizou o número 0800 9702078 para esse serviço.

Urnas lacradas

Na última sexta-feira (28), o TRE iniciou o lacre em 1.010 urnas que serão usadas em Rio Branco, Bujari e Porto Acre. Ao todo, são 2,6 mil urnas espalhadas em 1.924 seções.

No domingo (30), o órgão anunciou que encerrou a Verificação Pré-Pós Eleição (VPP) dos sistemas instalados nas mais de 2 mil urnas da 9ª Zona Eleitoral.

As urnas, após serem lacradas, permanecem no depósito até o dia da eleição. A responsabilidade é do juiz eleitoral e, segundo o TRE, poucos servidores têm acesso aos aparelhos.

Coronel Ulysses critica a esquerda que ataca Bolsonaro

O candidato a governador pelo PSL, Coronel Ulysses Araújo, liderou diversas carreatas Pró-Bolsonaro pelo Estado, no final de semana, levando milhares de seguidores para as ruas, afirmando: “Ele Sim”. O objetivo foi unir os acreanos em torno da mudança esperada para o Brasil, além de rebater as acusações feitas pelos partidos de esquerda.

Para Coronel Ulysses, os “esquerdopatas” usam mentiras para atacar o candidato a presidência da República, Jair Bolsonaro.

“Os petralhas usam a mentira para colocar medo na população, mas eles são os únicos que possuem políticos investigados por corrupção, tendo até um ex-presidente preso em Curitiba”, afirmou.

Bolsonaro defende a castração química de estupradores, é contra homens que batem em mulher e nunca atacou os homossexuais, segundo Coronel Ulysses.

“Ele defende a vida, é contra o aborto, mas acredita que estuprador, agressores e bandidos devem ficar presos. Esses esquerdopatas querem apenas atacar a direita porque não possuem propostas, porque os seus candidatos ao governo e a presidência são incompetentes”, detalhou.

O candidato de Bolsonaro no Acre disse acreditar que o político que acata o “Mito” tem medo de ficar desempregado e não ter competência para trabalhar na iniciativa privada.

“Essas pessoas utilizam a covardia, atacando uma pessoa que estava internada, uma pessoa que sofreu um atentado. Eles atacam porque Bolsonaro acabará com as mordomias do poder”, finalizou.

Nas ruas, Jorge Viana pede mais trabalho e diálogo para tirar o Brasil da crise

A menos de uma semana da eleição, o senador Jorge Viana manteve sua campanha na rua, “olho no olho”, como ele gosta de dizer. Na manhã desta segunda-feira, 01, ele esteve em frente ao Terminal Urbano de Rio Branco conversando com pedestres e motoristas sobre sua trajetória política, sobre o atual momento político do país e defendendo mais trabalho e diálogo para vencer a crise que o país atravessa.

“Minha campanha foi na rua o tempo todo. É uma tradição que tenho mantido. Sigo na rua, conversando com as pessoas, falando da gravidade do momento e da dificuldade que o Brasil vive. Esse confronto que estamos vivendo, nesse ambiente de ódio e intolerância, não vai ajudar, pelo contrário: só vai agravar as coisas”, disse Viana, candidato à reeleição.

Eleito por oito anos consecutivos um dos parlamentares mais influentes do Congresso Nacional pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP), o senador Jorge Viana foi classificado pelo estudo como um parlamentar articulador. O Diap considera articulador o parlamentar “com excelente trânsito nas diversas correntes políticas, cuja facilidade de interpretar o pensamento da maioria os credencia a ordenar e criar as condições para o consenso”.

Para Jorge Viana, é esse espírito de diálogo e de consenso que o país precisa para se reencontrar com a democracia. “Com minha experiência quero ajudar o Acre e o Brasil. O momento é muito grave. O brasileiro é alegre, generoso, acolhedor, mas estamos perdendo isso. Nas ruas, conversando com as pessoas, falamos sobre isso e fiz questão de fazer um alerta: a situação que já está difícil, pode se agravar se fizermos as escolhas erradas”.

Na apresentação de sua carta como candidato à reeleição, Jorge Viana faz questão de resgatar um pouco da sua trajetória política como prefeito de Rio Branco e governador do Acre por dois mandatos. Um trabalho que mudou a realidade do Acre.

“Não estou preocupado com quem vai ser eleito. Nesse ambiente de ódio, quem vai sofrer é o eleitor. É essa minha história de trabalho que ofereço aos eleitores. Estou na campanha porque quero ajudar o Acre e o Brasil”, declarou.

Acre é o 2º Estado com menor número de eleitores com Título cancelado no País

Dados da Justiça Eleitoral mostram que em todo o País mais de 3 milhões 368 mil e 447 eleitores estão impedidos de votar nas eleições gerais 2018 porque tiveram o título eleitoral cancelados. A metade deste total está concentrada em apenas cinco estados.

Os locais onde tem mais eleitores que deixarão de ir às urnas por ter o documento cancelado são: Bahia com 586.333. Na sequência, aparecem São Paulo (375.169), Paraná (257.941), Ceará (234.487) e Goiás (219.426).

A região Norte apresentou o menor número de problemas quanto à regularidade do documento, o Acre aparece em segundo lugar com menor número do problema, 13.564 documentos anulados, perdendo apenas para o estado de Roraima com 12.214 cancelamentos.

De acordo com a Justiça Eleitoral, no total, 3 milhões 368 mil 447 eleitores não vão votar nas eleições de outubro porque não compareceram aos cartórios eleitorais nos municípios em que houve o recadastramento para identificação biométrica ou devido a outras restrições.

Em votação na última quarta-feira, 26, por 7 votos a 2, o Supremo Tribunal Federal (STF) não aceitou o pedido de liminar feito pelo PSB com o apoio de outros partidos políticos para evitar o cancelamento desses títulos.

Apenas três candidatos ao Planalto vieram ao AC

O Acre está entre os onze Estados que recebeu apenas três visitas ou menos dos cadndidatos a presidente da República. Ciro Gomes, Jair Bolsonaro e Geraldo Alckmin estiveram em Rio Branco nesta campanha mas Fernando Hadad, Cabo Daciolo, Amoedo, Vera Lúcia e os demais ainda estão devendo uma visita aos acreanos.

Apesar das centenas de quilômetros percorridos, os candidatos se concentraram no Sudeste até esta altura da campanha. A melhor média de visitas entre 7 e 9 presenças.

ciro

geraldo

Assembleia Legislativa comemora aniversário de obras sociais da Diocese de Rio Branco

Através de requerimento da deputada estadual Eliane Sinhasique (MDB), a Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) homenageou a Diocese de Rio Branco, nesta quinta-feira (27), pelos 50 anos de fundação do Hospital Santa Juliana e de administração diocesana da Casa de Acolhimento Souza Araújo.

Participaram da sessão, o Bispo da Diocese de Rio Branco, Dom Joaquim Pertiñes, o diretor do Hospital Santa Juliana, Marcos Paulo, a diretora da Colônia de Acolhimento Souza Araújo, Irmã Francisca Vieira, o Economo da Diocese de Rio Branco, Padre Jairo Coelho e o administrador da Galeria Meta e membro da Diocese, Marcio Santos.

O Hospital Santa Juliana começou a ser construído no ano de 1969 por iniciativa de Dom Giocondo e da Ordem dos Servos de Maria. “Eram tempos difíceis para a saúde pública, e a Igreja, sempre atenta às necessidades dos seus filhos, soube dar uma resposta sumamente valiosa com sua presença ao lado dos mais pobres e desprotegidos da sociedade”, frisou Sinhasique.

Hoje, também comemora-se os 50 anos em que a Colônia Souza Araújo passou a ser mantida pela Diocese de Rio Branco. “Fundada em 1927, a Colônia abriga os hansenianos que viveram uma época sombria da doença, são pessoas que foram afastadas do convívio da sociedade e de seus familiares, e encontraram naquele lugar, todo o acolhimento e amor necessários para lidar com um problema tão difícil para a época”.

Por esses e outros trabalhos sociais, a deputada Eliane parabenizou a Diocese de Rio Branco. “Parabéns por todo o trabalho social e humanitário que realiza em nosso Estado. Receba o nosso reconhecimento e eterna gratidão”.

“Estamos comemorando a celebração de 50 anos dessas duas importantes obras da nossa Igreja. Não foi fácil e não continua sendo fácil manter o Hospital e a Casa de Acolhimento, mas agradecemos às pessoas que voluntariamente se dedicaram a fazer essas obras”, declarou o Bispo Dom Joaquim Pertiñes.

Durante a sessão, o Bispo Dom Joaquim Pertiñes foi agraciado com a Comenda da Ordem do Mérito Legislativo, maior honraria da Casa Legislativa. A Irmã Maria Inês e para o médico Jessé Câmara foram homenageados com moção de aplauso.

A sessão teve recorde de público, mais de 160 pessoas prestigiaram. O plenário e a galeria da Casa ficaram lotados.

Os dois lados da política

É consenso que estamos vivendo um dos períodos de mais intensa polarização política na história recente do Brasil e do mundo: movimentos extremos ganham voz e mobilizam seguidores em diversos países. A política como instrumento de busca e formação de um ponto de equilíbrio, onde os diversos grupos sociais se sintam representados e não haja um sentimento de derrota de alguns, parece ter perdido força.

Assistimos o desentranhamento de um novo uso para a política: uma ferramenta para impor um lado através da destruição das ideias do oponente. Deixa-se de ter adversários e passa-se a ter inimigos.

Essa visão da política como terreno de confronto parte do pressuposto que é possível uma vitória total, como se fosse possível “aniquilar” o oponente e implanta apenas um lado da agenda. A realidade é que não existe força política no Brasil capaz de tal façanha e na democracia as vitórias são sempre parciais. Ainda bem que é assim.

Nesse contexto, um dos pontos de maior debate é o papel das redes sociais, em seus vários formatos, no engajamento cívico e político dos cidadãos. A primeira questão que se coloca é a dúvida quanto aos pesos dos aspectos negativos e positivos que a nova tecnologia impulsiona: em que medida essas novas ferramentas estão criando um distanciamento e fricção entre os cidadãos e seus representantes e a política, ao exigir um comportamento “purista” e sem concessões dos mesmos.

A outra hipótese seria a proximidade que a tecnologia permite emular gerar um fortalecimento do exercício da cidadania e, gerar dessa forma, uma aproximação entre o cidadão e as instituições que os representam. Essa aproximação pode permitir a melhor compreensão da dimensão dos desafios que precisam ser enfrentados e as escolhas associados a eles.

Os que acreditam na política como uma ferramenta de formação de um “terreno do entendimento” têm a responsabilidade e obrigação de trabalhar para que as tecnologias sejam um instrumento que também aproxime e engaje o cidadão com os seus representantes, que ajude no entendimento de que compromissos e concessões precisam ser firmados para que o processo político avance objetivamente para impactar nossas vidas.

Não significa que iniciativas que buscam influenciar e legitimamente pressionar para atender a sua agenda não sejam importantes, mas precisamos cuidar para que o espaço da tecnologia não seja preenchido apenas com essa narrativa de confrontamento, que de certa forma impede o exercício da busca dos consensos necessários ao mínimo funcionamento das instituições. Se cairmos na tentação do uso da tecnologia apenas como ferramenta de “marcação” de posições estaremos matando esse espaço da construção do consenso e vamos regredir para a era das pelejas tribais só que na velocidade digital.


Paulo Dalla Nora é cofundador do Poder do Voto, aplicativo que tem como objetivo proporcionar ao eleitor brasileiro maior clareza da representação política e auxiliar na construção do debate político saudável e do acompanhamento voto a voto dos parlamentares.

Minoru Kinpara da Rede apresenta propostas na comunidade São Paulino

O candidato ao Senado (Rede), Minoru Kinpara, visitou no domingo, 23, as comunidades São Paulino, o ramal do Barata e a Gleba São Jorge, localizada no ramal do vinte, quilômetro 7, sentido Sena Madureira/Manoel Urbano. No encontro, Kinpara conversou com pequenos produtores rurais e povos indígenas da região. O candidato ao Senado ratificou a necessidade de investimentos para a comunidade, como a melhoria da infraestrutura de escoamento da produção, com redução dos custos e aumento da renda dos produtores rurais.

Segundo dados do Censo Agropecuário, a agricultura familiar corresponde a 70% dos alimentos consumidos no Brasil e constitui a base econômica de 90% dos municípios brasileiros com até 20 mil habitantes, respondendo por 35% Produto Interno Bruto (PIB).

“Sem investimento em infraestrutura, abertura de ramais, é impossível gerar renda e fortalecer a cadeia produtiva. Compreendo a importância dos pequenos produtores rurais para o fortalecimento da economia”, ressaltou Kinpara na Gleba São Jorge.

Para Kinpara é necessário um olhar atento às políticas públicas voltadas à agricultura familiar, porque o segmento produz 87% da mandioca, 70% do feijão, 46% do milho, 38% do café, 34% do arroz e 21% do trigo do Brasil. Na pecuária, é responsável por 60% da produção de leite, além de 59% do rebanho suíno, 50% das aves e 30% dos bovinos do país.

População de Rodrigues Alves e Mâncio Lima confirma a mudança com Gladson, Rocha, Marcio e Petecão

Os municípios de Rodrigues Alves e Mâncio Lima receberam com comícios em suas principais ruas, na noite deste sábado (22), o candidato ao governo do Acre pela coligação Mudança e Competência, Gladson Cameli, que pediu o apoio da população do Vale do Juruá ao ser eleito para implantar o governo das pessoas, juntamente com seu vice, Major Rocha.

Em Rodrigues Alves, ao lado do candidato ao Senado da República, Márcio Bittar e dos candidatos a deputada federal Jéssica Sales, Antônia Lúcia Câmara e Rudilei Estrela, além do prefeito Sebastião Correia, Cameli se comprometeu, sendo eleito governador, em construir a ponte sobre o Rio Juruá, interligando Rodrigues Alves a Cruzeiro do Sul.

Enquanto Gladson abriu o comício de Rodrigues Alves ao lado de Marcio Bittar, Major Rocha e Petecão faziam suas falas à população de Mâncio Lima, reafirmando o compromisso de lutarem por melhorias para as famílias acreanas.

Nos dois municípios, Cameli destacou seu projeto de trabalhar com todas as prefeituras do estado e os planos de retomar o apoio ao homem do campo com incentivos que permitam ao produtor agrícola ter uma vida digna, gerando emprego e renda, sem perseguição e multas injustas que castigam os moradores da zona rural do Acre.

“Eu sei que Rodrigues Alves e Mâncio nos darão todo apoio necessário para vencermos as eleições e governarmos com toda nossa bancada estadual e federal. Votem nos nossos candidatos ao Senado e nos nossos candidatos a deputados estaduais e federais porque eles têm compromisso e verdade com vocês, pois o exemplo estão nos recursos liberados para beneficiar a população de todo estado”, disse ele.

Em Mâncio Lima, Cameli foi homenageado com entrega simbólica de um coração pelo pequeno Gladson, uma criança de cinco anos, moradora da região, que recebeu esse nome em homenagem a Gladson Cameli e sua família. “É em respeito a essa e a todas as crianças que formam essa e as próximas gerações que eu quero ser governador do Acre para ajudar esse estado a crescer, se desenvolver e contribuir para que o Acre volte a ser dos acreanos e não de um partido político”, concluiu ele.

O candidato a governador, seu vice, Major Rocha, o candidato ao Senado, Marcio Bittar e os demais candidatos da coligação Mudança e Competência seguiram na manhã deste domingo (23) para uma carreata no município de Porto Walter.

Raimundinho da Saúde: “Estou fazendo uma campanha honesta”

Em pronunciamento na sessão desta quinta-feira (20) o deputado Raimundinho da Saúde (PODE) agradeceu o apoio que tem recebido da população acreana durante a campanha. O parlamentar, que é candidato à reeleição, frisou que sua campanha está sendo realizada de maneira honesta e tranquila.

“Tenho recebido tanto carinho. Eu e meu irmão Railson Correia estamos fazendo uma campanha honesta, com os pés no chão. Eu posso afirmar que em cada canto do Estado tem uma pessoa que está voluntariamente pedindo voto para mim. Em Cruzeiro do Sul fizemos uma carreata grande e todos que participaram foram por livre e espontânea vontade. Não tem ninguém recebendo para balançar bandeira para mim”, disse o parlamentar.

O deputado também falou sobre a carreata que acontecerá no próximo sábado (22). “Quero convidar os amigos para participar da maior carreata do Estado. Nós sairemos do Ceasa e vamos percorrer parte de Rio Branco. Tenho certeza que será um sucesso”, concluiu.

“O incentivo ao produtor vai mudar para melhor a política social ”, defende Rocha

Na manhã desta domingo (16), o município de Bujari recebeu a visita do candidato a vice-governador, Major Rocha, que percorreu as ruas da cidade conversando pessoalmente com os moradores e apresentando as propostas para o caminho do desenvolvimento no Acre.

Para Major Rocha, o crescimento econômico dos municípios acreanos pelo fortalecimento da agricultura e a criação de uma infraestrutura que permita ao produtor rural viver da atividade do setor primário trata-se de uma prioridade do Plano de Governo.

“Esse é um pleito comum de todos os lugares por onde temos passado, Gladson e eu, que é a recuperação dos ramais para que o produtor consiga escoar sua produção. Isso é importante para a economia do estado. Por isso, precisamos apoiar o homem do campo, melhorando a infraestrutura e garantido a compra por um preço justo”, disse o candidato a vice-governador.

Uma das propostas do Plano de Governo da coligação Mudança e Competência é implantar o programa Prato Fácil, restaurante popular que irá oferecer refeições diariamente às pessoas em situação de insegurança alimentar.

“Isso faz parte da nossa política social, do sentimento de solidariedade, dedicação e da preocupação com a nossa gente. O nosso compromisso é oferecer uma alimentação saudável e balanceada à população carente”, explica o candidato a vice-governador.

Dentre as propostas para os produtores rurais apresentadas por Major Rocha constam assessoria técnica, estímulo ao cooperativismo, recuperação e incorporação ao sistema produtivo, retomada da produção de grãos, reestruturação da piscicultura, incentivo à agroindústria, bem como a manutenção dos ramais.

“O governo não atende aos pleitos dos verdadeiros donos do Acre: o povo. Queremos trazer de volta a dignidade e o respeito que eles merecem. Sei que se formos eleitos as dificuldades serão muitas. Mas, juntos vamos colocar o estado de volta ao eixo”, conclui Major Rocha demonstrando sensibilidade as situações envolvendo centenas de trabalhadores.

No Alto Acre, Gladson garante concluir obras e apoiar prefeituras

Diversas demonstrações de carinho e respeito foram feitas pelos moradores do Alto Acre ao candidato a governador do Acre, Gladson Cameli, nesta sexta-feira (14), quando esteve nos municípios de Assis Brasil, Brasileia e Epitaciolândia para apresentar as propostas do Plano Governo.

O sentimento de mudança foi a marca principal das caminhadas e encontros que serviram para fortalecer o diálogo acerca de temas primordiais para a vida dos acreanos, entre eles segurança, saúde, educação e infraestrutura.

Agradecido, Gladson ressaltou que o contato direto com os cidadãos o motiva a fazer um trabalho que ajude as pessoas a melhorarem de vida.

“Quando decidi ser candidato foi para lutar por melhorias para nossa população. O governo atual não tem projetos que proporcionem qualidade de vida aos acreanos. Não dar para ficar vendo nosso povo desempregado, sem segurança, sem saúde e ficar de braços cruzados. Precisamos resgatar a dignidade das nossa gente”, disse o candidato ao governo.

Entre as propostas previstas no Plano de Governo de Gladson em prol do Alto Acre estão a criação do Batalhão de Fronteira em Assis Brasil, conclusão do Hospital Geral de Brasileia, a construção da nova ponte ligando Brasileia e Epitaciolândia e do Anel Viário, o que consolidará a integração com o Oceano Pacífico.

“Nós vamos tirar o Acre do isolamento. Vamos firmar convênio com todas as prefeituras, independente de partido político. Vamos concluir todas as obras inacabadas no estado. Vamos facilitar a entrada de investimentos e fomentar o turismo na região do Alto Acre. É tempo da mudança!”, afirmou Gladson.

Na oportunidade, nos três municípios percorridos, Gladson reuniu-se com apoiadores políticos, lideranças das localidades e prestigiou o trabalho desenvolvido por candidatos a deputados estadual e federal. Na comitiva também estavam presentes Ana Paula Cameli, esposa do candidato a governador, e Márcio Bittar (MDB), candidato a senador da República.

Na manhã deste sábado (15) Gladson Cameli e Márcio Bittar seguem com vários candidatos proporcionais para uma caminhada no município de Xapuri.