Ifac inaugura maior campus agrícola da Região Norte na Transacreana

Evento contou com a presença de estudantes, servidores, comunidade, reitores de oito institutos federais, além de autoridades e políticos
437728064_824565663026152_3095370734417278095_n.jpg

“A gente precisa de novos campi, mas precisa também de estruturas. E essa é uma estrutura de luta, de resiliência porque demorou 10 anos para a gente poder chegar até aqui”, afirmou a reitora do Instituto Federal do Acre (Ifac), Rosana Cavalcante dos Santos em seu discurso na inauguração do novo Campus Baixada do Sol nesta sexta-feira, 12 de abril.

A gestora se refere ao processo de mudança da unidade do Ifac, que iniciou ainda em 2015, para o novo local onde funcionava a Escola da Floresta na Estrada da Transacreana, zona rural de Rio Branco. 

A cerimônia de inauguração da sede do Campus Baixada do Sol foi realizada no Ginásio Poliesportivo da unidade e contou com a presença de estudantes, servidores e comunidade.

437573725_824565906359461_3507742205619011928_n.jpg

O evento teve a participação da representante do Ministério da Educação, a diretora de Articulação e Fortalecimento da Educação Profissional e Tecnológica, Carla Jardim. O Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) esteve representado pelo reitor do Instituto Federal de Alagoas, Carlos Guedes. Também marcaram presença na inauguração o chefe da Casa Civil do Estado do Acre, Jonathan Donadoni, representando o Governo do Acre, o prefeito do Município de Rio Branco, Tião Bocalom, além de outras autoridades de órgãos públicos e representantes de instituições privadas.

A primeira pessoa do dispositivo de honra a falar foi o estudante do curso técnico em Agropecuária, Diego Souza. Ele manifestou a satisfação de estar em um novo espaço, tendo em vista que o antigo campus, localizado no bairro Aeroporto Velho, não era adequado para a realização de atividades práticas dos cursos. O estudante também pediu para que os investimentos continuem, para melhorar ainda mais a qualidade de ensino no campus e agradeceu à direção geral e aos professores da unidade.

A representante do MEC, Carla Jardim, rememorou a criação da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica em 2008 no primeiro mandato do presidente Lula. Ela destacou que a expansão da rede, que saiu de 140 unidades para quase 700, permitiu a instalação de campi em pequenos municípios do interior do Brasil, a exemplo das seis unidades existentes no Acre.

Em seu pronunciamento, a reitora do Ifac Rosana Cavalcante dos Santos fez menção à greve nacional dos servidores da educação federal ao afirmar que é consenso entre os reitores da Rede Federal o apoio ao movimento. Ela agradeceu ao comando de greve do Campus Baixada do Sol por permitir a realização da inauguração, mesmo o campus tendo iniciado a greve no dia 08 de abril.

A reitora falou do orgulho de poder estar à frente do Instituto nas inaugurações. “Ser uma reitora que inaugurou todos os campi do seu instituto não é pouco, é um presente. Mas eu também entendo um propósito. Eu sou apenas um instrumento representando voz e fala de 800 servidores e 7 mil alunos que temos espalhados em todo o Estado.”

437660636_824565989692786_5202407092243196986_n.jpgA gestora também se referiu aos estudantes. “Sem nosso aluno e toda nossa comunidade nós não existiríamos. Todas as nossas lutas são por vocês.” 

Ela finalizou sua fala citando, com entusiasmo, os parceiros no projeto do novo Campus Baixada do Sol. Todos receberam placas de homenagem ao final da cerimônia pelo apoio e contribuição.

Foram homenageadas as seguintes autoridades: o governador Gladson Cameli, o senador Sérgio Petecão; a deputada federal Socorro Neri; o ex-governador e presidente da Apex/Brasil, Jorge Viana; o ex-governador do Estado do Acre, Tião Viana, representado pelo irmão Jorge Viana; e o ex-deputado federal Sibá Machado.

Sobre a nova sede – Desde a doação pelo Governo do Acre, da área e das instalações para o Ifac, já foram investidos cerca de R$ 7 milhões em reforma e ampliação do espaço. Além de salas de aula, o campus possui auditório, laboratórios, refeitório, biblioteca, quadra poliesportiva, estacionamento e diversas áreas destinadas para pesquisas científicas e atividades práticas.

O campus fica localizado na rodovia AC 90 (Estrada Transacreana), Km 19, está instalado em uma área de mais de 450 hectares, sendo 200 de floresta. Trata-se do maior campus agrícola da Rede Federal na região norte. Com a mudança, o Ifac proporcionará a oferta de educação profissional, científica e tecnológica na região que é a maior área produtiva rural do estado, onde vivem mais de 10 mil famílias.

A partir da mudança da unidade do Ifac, o Campus Baixada do Sol mudará de nome para Campus Agrícola Transacreana. Além disso, o campus adotará uma nova tipologia que representa a capacidade técnico/administrativa de cada unidade dos Institutos Federais. Isso vai permitir a ampliação do quadro de servidores, passando da tipologia 40/26 para a 70/60 agrícola. Dessa forma, o Ifac poderá atender até 1.400 estudantes.

Atualmente, o Campus Baixada do Sol oferece ensino médio integrado aos cursos técnicos em Alimentos e em Recursos Pesqueiros, cursos técnicos subsequentes em Agroecologia e Zootecnia e pós-graduação lato sensu em Agricultura Familiar. (Fotos: Davi Sopchaki | Ifac)

Bolsonaro convida Renato Feder, secretário do Paraná, para assumir Ministério da Educação

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) convidou o secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, para comandar o Ministério da Educação após a dupla polêmica da saída de Abraham Weintraub e da desistência de Carlos Decotelli.

Antes de Decotelli ser anunciado, na semana passada, Feder chegou a ser um dos mais cotados para chefiar o ministério.

Na ocasião, pesou contra o seu nome o fato de ele ter sido um dos principais doadores da campanha de João Doria (PSDB) ao governo de São Paulo, em 2018.

Nesta semana, após Decotelli pedir demissão do cargo, o secretário do Paraná voltou a se mexer. Feder telefonou para o ministro Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) para falar de seu interesse em ser ministro.

O empresário também buscou contato com Olavo de Carvalho por meio de alunos do escritor, mas o considerado guru ideológico do governo não deu retorno a ele, segundo aliados.

O governador do Paraná, Ratinho Jr. (PSD), também auxiliou Feder na articulação para viabilizá-lo. No governo, o secretário recebeu apoios importantes, como o do ministro Fábio Faria (Comunicações), também do PSD.

No início da tarde desta sexta, Weintraub publicou uma mensagem nas redes sociais desejando sorte a Feder.

“Desejo sorte e sucesso ao novo ministro da Educação, Renato Feder, e ao presidente Jair Bolsonaro. Estarei sempre torcendo pelo bem do Brasil”, escreveu o ex-ministro, que está nos Estados Unidos.

Após Bolsonaro confirmar a aliados que havia escolhido Feder, seguidores de Olavo passaram a reclamar da indicação e pressionar para que o governo reveja a decisão.

Além de Feder, Anderson Correia, atual reitor do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), foi sondado por assessores de Bolsonaro e enviou o currículo para análise, mas não teve resposta positiva do governo.

Outros nomes também fora cotados. Entre eles, o ex-assessor do Ministério da Educação Sérgio Sant’Ana e o conselheiro do CNE (Conselho Nacional de Educação) Antonio Freitas, que é pró-reitor na FGV e cujo nome aparecia como orientador do doutorado não realizado por Decotelli.

folha