Educação de Rio Branco fica entre as três melhores do país, de acordo com Ideb

Em entrevista coletiva concedida à imprensa nesta terça-feira (4), a prefeita de Rio Branco, Socorro Neri e o secretário de Educação, Márcio Batista, elencaram os motivos que levaram a capital acreana a alcançar 6,5 no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) Rio Branco alcançou o terceiro lugar entre capitais com melhor índice do país. Essa meta, que teoricamente só seria alcançada depois de 2021, foi concretizada cinco anos antes.

A prefeita ressaltou que os avanços são resultados de uma política iniciada pelo ex – prefeito Raimundo Angelim, sequenciada por Marcus Alexandre, e que tem continuidade agora em sua gestão. Para ela, cinco fatores contribuem para os bons resultados: os investimentos feitos na educação infantil e no primeiro ciclo do ensino fundamental, que são superiores aos 25 % obrigatórios por lei; o programa de Formação Continuada; as três avaliações anuais feitas com os alunos; o fato de 100 % dos professores terem nível superior; e o concurso que contratou mais de mil professores para o quadro fixo da prefeitura. Atualmente, 74% dos professores que atuam na rede municipal são concursados. “Os resultados mostram que a educação de Rio Branco segue em espiral crescente e que estamos no caminho certo até agora”, destacou Socorro Neri.

Quando se leva em conta a aprendizagem de Português e Matemática, a capital do Acre está na segunda colocação no ranking das capitais. Ficou com 227,59 pontos em Português e 241,44 pontos em Matemática. Teresina é líder, e Macapá a última.

Desde que o Ideb começou a ser medido, em 2005, em Rio Branco, os números seguem uma crescente: em 2005 foi de 4,1. Em 2007, 4,4. No ano de 2009 subiu para 5,0. Em 2011 o índice ficou em 4,8. Em 2013 chegou a 5,5. No ano de 2015, o Ideb de Rio Branco foi 5,8, e em 2017, 6,5. Duas escolas da capital, a Chico Mendes e a Luís de Carvalho Fontenelle, se destacaram entre as demais da capital, alcançando o Índice de 7,4.

Entre as últimas avaliações, Rio Branco cresceu 0,7 pontos, o mesmo que Teresina, ficando entre as capitais que mais cresceram entre 2015 e 2017.

O secretário Márcio Batista ressalta a qualidade da rotina pedagógica das escolas municipais e acrescenta que os estudantes da rede municipal de Rio Branco deixam o ensino infantil e o primeiro ciclo do Ensino Fundamental, “com habilidades e competências que facilitam o aprendizado nas séries seguintes”.

alunos1

Avanços

No que se refere à estrutura, em 2012 havia 12 unidades de ensino infantil na capital. Em 2018 já são mais de 30 estabelecimentos ligados à rede municipal. Em 2013, a educação contava com 991 profissionais. No ano de 2017, já eram 1.538 docentes e trabalhadores de apoio. Em 2016, a Prefeitura com o ex-prefeito Marcus Alexandre, realizou um grande concurso e contratou 1.043 novos profissionais.

O Ideb é o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, criado em 2007, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), formulado para medir a qualidade do aprendizado nacional e estabelecer metas para a melhoria do ensino.