Comerciantes vítimas do incêndio no Calçadão fazem bazar

Alguns comerciantes que tiveram suas lojas queimadas pelo incêndio no último dia 7, no Calçadão da Benjamin Constant ,começaram ontem, 13, um bazar para vender o que conseguiram salvar. As peças em bom estado, estão com preços acessíveis que variam de R$ 5,00 a R$ 40,00 (calças jeans adulto). São três participantes: Bom Preço Calçados, Estilo Magazine e Cantinho do Bebê. Tem uma variedade grande de peças entre calçados adulto e infantil, masculino e feminino, camisas, vestidos, roupas íntimas, calças jeans entre outras.

O bazar foi idealizado para ajudar a reerguer os comerciantes após o incêndio e está montado em tendas cedidas pela Prefeitura, parceira da iniciativa. Funciona das 8h30 às 18h até durar o estoque. Com pouco tempo a procura já está grande e tem quem foi comprar com a intenção de ajudar, mais do que por necessidade das peças, como é o caso da autônoma Mariana Queiróz. “Estou comprando desde ontem, não muito mas já ajuda eles. Nessa crise no Brasil em que muitos pais não tem dinheiro para comprar um sapato para o filho, veio a calhar. Tomara que eles consigam se recuperar logo”, diz.

Léo Frota, proprietária da Estilo Magazine diz que conseguiram salvar apenas 5% da mercadoria e que o prejuízo foi muito grande. “Não tenho noção em reais mas o que conseguimos salvar em bom estado está aqui para vender. Conseguimos isenção do IPTU com a Prefeitura, mas a expectativa agora é uma conversa com o governo porque tem os outros impostos. Eu digo que não vamos começar do zero e sim do negativo porque há compromissos que já existiam antes do incêndio”, lamenta Léo.

Bazar no Calçadão

Das 8h 1as 18h

Preço: de R$ 5,00 a R$ 40,00

Até quando durarem o estoque

No AC, bandidos entram armados em loja e levam dinheiro, jóias e celulares de funcionários e clientes

Assalto ocorreu em uma loja de confecções no Centro de Cruzeiro do Sul, interior do Acre, neste sábado (22)

Dois homens entraram armados em uma loja de confecções no Centro de Cruzeiro do Sul, interior do Acre, neste sábado (22), e obrigaram os funcionários e clientes a entregar celulares, dinheiro, cordões e outros objetos.

Para não serem facilmente identificados, os homens entraram na loja usando bonés e começaram a escolher roupas como se fossem clientes. Um deles ainda entrou várias vezes no provador para experimentar camisetas.

No momento em que levava mais roupas para que o suposto cliente provasse, uma das funcionárias teve um revólver apontado para a cabeça. Foi o momento em que os bandidos anunciaram o assalto e exigiram a todos que estavam na loja que não reagissem e entregassem os objetos pessoais.

A loja estava cheia na hora do assalto. Segundo os funcionários que têm medo de serem identificados, a dupla teria ficado mais de 10 minutos recolhendo os pertences das vítimas e ainda teve tempo de escolher as peças de roupas que queria levar.

Depois de embalar todos os produtos roubados em sacolas, um dos bandidos foi ao caixa e pegou o dinheiro, em seguida os suspeitos saíram e entraram em um carro que estava estacionado em frente da loja onde um motorista aguardava para ajudar na fuga. A gerência do comércio não soube informar o valor do prejuízo e nem quantos clientes estavam no local.

Uma das vítimas conseguiu ver a placa do veículo e passou o número para uma equipe da Polícia Militar que circulava nas proximidades.

Com as informações, e depois de ver as características dos bandidos nas imagens das câmeras de monitoramento, os policiais saíram em busca dos criminosos e conseguiram localizar o carro e o motorista.

Os outros integrantes do grupo já tinham sido deixados em um bairro distante do Centro e continuam sendo procurados por viaturas da PM.