SESI apresenta plataforma de inteligência em segurança

Empresários reuniram-se na noite da última quarta-feira, 28, na sede da FIEAC, para conhecer a plataforma digital SESI Viva +. Desenvolvida para auxiliar as empresas na gestão do eSocial e dos programas de Segurança e Saúde no Trabalho (SST), a ferramenta surge como uma das mais modernas soluções nessa área, a partir da alimentação de um amplo banco de dados que ajudará os gestores na tomada de decisões.

Entre os principais benefícios do SESI Viva + há um sistema com todos os programas legais do governo dentro dos padrões do Sistema de Escrituração Digital das obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhista (eSocial). A plataforma também dispõe de áreas para tratar de higiene ocupacional, ergonomia, análise de riscos, saúde e segurança no trabalho.

A apresentação da plataforma foi feita pelo médico do trabalho da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Cláudio Patrus, que, nos dias 28 e 29, também realizou na FIEAC uma capacitação com colaboradores da área de mercado e técnicos do SESI/AC, visando aprofundar as interações em saúde e segurança do e-Social e aplicar ferramentas práticas em prol da atuação de soluções integradas da instituição, sob a lógica da abordagem e atendimento consultivo (gestão integrada entre SST + Promoção Saúde.

“O Sesi Viva + vai atender uma demanda do mercado para fazer uma gestão integrada de saúde e segurança na indústria brasileira. Em um primeiro momento, focado em reduzir os riscos legais na implantação do eSocial, mas também é uma estrutura de sistema de informação preparada para que as empresas possam gerir programas de promoção da saúde e gestão de saúde completa”, detalhou Patrus.

O médico do trabalho destacou que é importante encarar a obrigatoriedade do eSocial não apenas como um controle do governo, mas como oportunidade de promover melhorias de processos a partir dos dados coletados. Ela também respondeu às principais dúvidas de empresários e outros profissionais sobre o tema.

“Entidade com atuação de referência na área de Segurança e Saúde no Trabalho (SST), o SESI vem investindo em novas tecnologias e centros de inovação para desenvolver soluções e programas de redução dos afastamentos e dos acidentes no ambiente de trabalho, tendo em vista as demandas da indústria 4.0. A meta é assegurar aumento da produtividade com trabalhadores cada vez mais saudáveis”, afirmou o Superintendente do SESI, César Dotto.

Na visão do vice-presidente da FIEAC e presidente do Sindicato da Indústria de Extração Mineral (Sindmineral), João Paulo Pereira, o SESI Viva + traz soluções adequadas para os empresários. “A plataforma nos ajudará a vencer os desafios diários de modernizar a gestão de saúde e segurança do trabalho nas indústrias, com claros ganhos de produtividade, além da promoção do bem-estar de seus trabalhadores”, garantiu.

Participaram do encontro os diretores da FIEAC e empresários de diversos segmentos industriais. Mais informações estão disponíveis em www.sesivivamais.com.br.

Programa de Inteligência Emocional da educação será adotado em outro estado

A Prefeitura de Baixo Guandu, no Estado do Espírito Santo, estuda adotar em suas escolas a metodologia de Inteligência Emocional e Social utilizada na rede municipal de ensino de Rio Branco. De acordo com textos veiculados pela Secretaria de Educação da capital acreana, o programa Liga Pela Paz, que utiliza a metodologia de Inteligência Emocional e Social, vem transformando completamente a vida dos estudantes e seus familiares. Segundo textos anteriores, ao longo de cinco anos de implantação – de 2013 a 2018 – pesquisa realizada através de questionários validados pelo Conselho Federal de Psicologia e Literatura Psicométrica mostram que 74% dos alunos da rede municipal de Rio Branco melhoraram suas habilidades de relacionamento e estão mais comunicativos, empáticos e carinhosos, o que contribui para a melhoria da convivência. Além disso, a pesquisa mostra que 71% aumentaram as habilidades assertivas, com educandos menos violentos consigo próprio e com os outros na hora de comunicar suas necessidades, auxiliando na prevenção de comportamentos violentos e do bullying – considerado o mal do século nas escolas do mundo inteiro.

O prefeito de Baixo Guandu, Neto Barros, conversou com o Repórter OPINIÃO e confirmou a iniciativa que visa ampliar a derrocada da violência no município. “Estamos há mais de um ano sem homicídios. A média anual chegou a 25 assassinatos em 2011 e desde 2013 esse número vem caindo. Nos falaram do sucesso do trabalho do Márcio Bastista e equipe no Acre e sugeriram que estreitássemos as relações para aprimorar nosso trabalho”, relatou Neto Barros.

Baixo Guandu é um município localizado no interior do Espírito Santo, Região Sudeste do país. Localiza-se no Vale do Rio Doce, a oeste da capital, Vitória, distando desta cerca de 180 quilômetros. Sua população foi estimada em 2017 em 31.794 habitantes.

De acordo com a Wikipedia, a cidade tem uma temperatura média anual de 23,8 °C e na vegetação original do município predomina a Mata Atlântica. Com 77% da população vivendo na zona urbana, a cidade tem Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 0,702, considerando-se como alto em relação ao Estado. Atualmente Baixo Guandu tem o comércio e a mineração de pedras ornamentais como principais fontes de renda. Anualmente é palco de eventos com relevância regional, tais como o aniversário do município, a Festa de São Pedro e a ExpoGuandu, sendo que as cachoeiras, situadas na zona rural, e as pedras e montanhas, propícias a escaladas e saltos, são seus principais atrativos turísticos. “Queremos conhecer o modelo, a metodologia, falar com os envolvidos no programa para ver como funciona e aplicar aqui para aprimorar nossas experiências”, disse o prefeito Neto Barros.

A Prefeitura de Rio Branco, através da Secretaria Municipal de Educação tem sido pioneira com a implantação da educação socioemocional nas escolas, que só no ano passado, em 2017, foi inserida pelo Ministério da Educação na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) em três das dez diretrizes vigentes. O secretário Marcio Batista se disse feliz pelo fato do programa de Rio Branco tornar-se referência por ser eficiente. “O trabalho continua. Sempre acreditamos nesse programa e os resultados estão chamando a atenção de outros gestores”, disse Batista.