Integração entre Acre e Peru é tema de encontro com governador

O governador, Gladson Cameli, acompanhado do secretário da Casa Civil, José Ribamar, recebeu nesta terça-feira, 5, o cônsul Geral do Peru, Teobaldo Martin e o diretor Comercial do Peru na região Norte do Brasil, Vitor Hugo Rondón. Durante a visita de cortesia os representes do Peru apresentaram sobre a abertura comercial para importação e exportação de produtos do agronegócio entre o Acre e o Peru.

De acordo com Vitor Hugo os acordos bilaterais têm apresentado evolução, mas alguns pontos precisam ser melhorados, como por exemplo, questões relativas à infraestrutura e a maior fluidez da comunicação. “Apresentamos um material que relata o fluxo da relação comercial. Temos trabalhado em sinergia e esperamos que durante a nova gestão, nós consigamos aprimorar os processos”, disse.

O cônsul peruano aproveitou o momento para parabenizar o governador Gladson e se colocar à disposição para ampliar a integração entre o Acre e Peru. “Esta é uma visita oficial do governo do Peru para falarmos da parte comercial, de temas que são convenientes para a integração, como o comércio e o turismo. Estou satisfeito com as diretrizes políticas do novo governo”, destacou Martin.

Cameli detalhou seu plano de governo falando da política de fomentar o agronegócio, utilizando áreas abertas de forma eficaz, e enfatizou como o Peru pode ser uma alternativa para a exportação de produtos agrícolas. “O nosso compromisso já está firmado. A pauta do comércio exterior será levada aos Ministérios brasileiros e também à Bancada Federal”, declarou.

O governador determinou que a equipe macroeconômica de seu governo realize o estudo de todas as políticas de incentivo fiscal e creditício adotadas no Acre e que elabore, a partir de novas premissas, uma política de incentivo e atração de negócios para que o Acre possa suplantar todos os entraves aduaneiros, alavancando a economia e a geração de emprego e renda.

Durante a reunião, o governador falou, ainda, da importância da retomada das obras de recuperação das estradas e outras políticas de incentivo aos negócios e ao empreendedorismo.

Governo acreano busca fortalecimento da integração comercial com o país vizinho

Em reunião com representantes peruanos da Câmara Comercial de Madre de Dios, o governador Tião Viana debateu sobre os caminhos para o fortalecimento da integração entre o estado do Acre e o Peru. O encontro ocorreu na manhã desta quinta-feira, 9, na Casa Civil. Ainda nesta tarde, o grupo irá dialogar com empresários acreanos para buscar novos mercados.

Para o governador, o sentimento é de buscar diminuir entraves burocráticos para aumentar o trânsito de produtos brasileiros e peruanos no estado. “Queremos a reciprocidade e valorização para consolidar a integração, e assim todos ganharem. Queremos fortalecer essa parceria entre o Peru e o estado do Acre”, afirmou.

Acre e Peru já tem relação comercial com alguns produtos, atualmente, o principal é o pescado vendido pela indústria Peixes da Amazônia para os mercados de Madre de Dios. Samuel Bocangel Ramirez, diretor presidente da Câmara explica que o grupo de empresários busca aumentar esta parceria, incluindo a compra do suíno, frango, carne bovina e alimento para animais.

“Aproveitando que temos uma rodovia consolidada, queremos fortalecer nossas parcerias. Aqui, queremos definir quais passos podemos avançar para nos integrarmos ainda mais. Pois existem detalhes em relação ao governo federal do Brasil que impedem a viabilidade do comércio”, afirmou Samuel. O governador Tião Viana se comprometeu em realizar alguns diálogos com a União para avançar nestas questões.

Cameli agradece visita do ministro da Integração Nacional aos desabrigados

Helder Barbalho ouviu atentamente reinvidicação de parlamentares acreanos e prefeitos de Tarauacá e Cruzeiro do Sul – Foto/Cedida

O senador Gladson Cameli (PP-AC) agradeceu nesta sexta-feira (03) a visita do ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, aos municípios de Cruzeiro do Sul e Tarauacá. Barbalho esteve no Acre durante todo o dia, realizando visita aos abrigos de famílias atingidas pelas cheias dos rios Juruá, Môa e Envira depois de receber o convite da bancada federal do Acre em audiência realizada esta semana em Brasília.

Acompanhado de autoridades municipais, estaduais e federais, o ministro da Integração garantiu a liberação imediata de cerca de R$ 4 milhões para a prefeitura de Cruzeiro do Sul. Também foi firmado um compromisso de apoio imediato junto a prefeitura de Tarauacá. Para Gladson Cameli, a visita do ministro demonstra responsabilidade e compromisso do Governo Federal para com o Acre e as famílias prejudicadas pela alagação.

“Nós estamos muito preocupados, pois sabemos que os riscos das cheias continuam também após as vazantes dos rios quando muitas doenças infectocontagiosas se proliferam. Por isso, precisamos de estrutura que ofereça orientação e segurança no que diz respeito a saúde das famílias atingidas pela alagação. Toda bancada federal acreana está unida com o Governo Federal e estadual no sentido de garantir a solução desses problemas para o nosso povo”, disse Gladson.

O senador esteve visitando os desabrigados pelas cheias em Cruzeiro do Sul e Tarauacá já no início desta semana e retornou ao Acre na manhã de hoje juntamente com o ministro e sua equipe. Segundo ele, na próxima semana as ações de apoio às vítimas da alagação continuarão sendo executadas pelos parlamentares acreanos junto ao Governo Federal.

Governo do Acre e Ministro da Integração anunciam R$ 4 milhões para apoio a Cruzeiro do Sul na alagação

Foto: Secom

Sofrendo atualmente a maior alagação já registrada nas últimas duas décadas, Cruzeiro do Sul teve seu decreto de emergência reconhecido pelo governo federal. O governador Tião Viana e o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, visitaram a cidade nesta sexta-feira, 3, e anunciaram um apoio de R$ 4 milhões em recursos federais para a cidade.

O montante será utilizado principalmente no apoio às vítimas da cheia que estão nos abrigos, além da aquisição de alimentos, colchões e kits de higiene para as famílias quando retornarem para suas casas.

Nesta sexta, o Rio Juruá apresentou uma pequena vazante de quatro centímetros, registrando 14,20 metros. Mais de 3.500 pessoas estão desabrigadas devido à cheia. Governo do Estado e prefeitura têm unido esforços no apoio à população afetada.

“A união de todos está presente aqui. Prefeitura, governo do Estado, governo federal, toda a bancada federal e toda a bancada estadual. O governo está cuidado da parte técnica, com o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil, a prefeitura, da parte operacional e o governo federal trazendo essa ajuda complementar de R$ 4 milhões”, disse o governador Tião Viana.

Todas as esferas unidas

Gestores de todas as esferas do Executivo e Legislativo acreano estiveram presentes em Cruzeiro do Sul durante a visita do ministro Helder Barbalho, entre deputados e senadores.

Eles fizeram sobrevoos para visualizar os estragos da cheia do Rio Juruá e visitaram os abrigos, que já receberam mais de 100 famílias vítimas da alagação.

“Hoje reconhecemos a situação de emergência em Cruzeiro do Sul e já disponibilizamos um montante para buscar minimizar as dificuldades que esta população tem enfrentado, e passaremos a garantir a recuperação das áreas atingidas”, declarou o ministro.

O prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, agradeceu os esforços conjuntos do governo estadual e federal junto à cidade e se prepara para enviar ao governo federal um plano de recuperação das áreas atingidas, para buscar mais recursos após a cheia.

“Eu também agradeço muito à coordenadoria da Defesa Civil estadual e ao governador Tião Viana, que tem trazido, junto com sua equipe, este auxílio para nós”, agradece o prefeito.

Outras cidades alagadas

O ministro da Integração e o governador Tião Viana ainda visitaram Tarauacá. A cidade sofreu uma grande alagação na última semana, mas seu rio apresentou uma vazante considerável desde a última quarta-feira, 1, com o fim da invasão das águas em todo o perímetro urbano.

Helder Barbalho informou que cidades como Tarauacá, Rodrigues Alves e Mâncio Lima, que também estão sofrendo com a cheia de seus rios, devem enviar decretos de emergência para o Ministério da Integração e a Defesa Civil Nacional em busca do apoio federal.