Decreto de insalubridade vai beneficiar somente 46 servidores da Saúde, diz Adautivo

O decreto 066/2020, assinado pelo Prefeito Zeca Cruz, que garante o pagamento de insalubridade aos servidores da Saúde, mais precisamente aos que estão na linha de frente no combate ao Novo Coronavírus, foi alvo de críticas duras por parte do vereador Adautivo da Silva, que não economizou em acusar o mandatário de, entre outros termos pejorativos, incompetente e irresponsável.

Ainda de acordo com o vereador, o decreto é injusto e excludente, pois, segundo informações do próprio parlamentar, de mais de 300 servidores da Secretaria Municipal de Saúde, somente 46 receberão o adicional de insalubridade prometido pelo prefeito, que constam em uma lista enviada pelo secretário municipal de Saúde ao prefeito. Essa lista são os que o mandatário considera que estão na linha de frente.

Todos estão na linha de frente
Para Adautivo, todos os servidores da Saúde estão na linha de frente, todos correm risco de infecção. “Faltou ao prefeito especificar quem está na linha de frente. São os servidores que dão a bênção ao prefeito, são os servidores mais chegados do prefeito, digo isso porque no parágrafo único no artigo terceiro do mesmo decreto, diz que é o prefeito que irá selecionar os servidores que se enquadram nesse perfil”, falou o vereador.

Diferença de ganhos
Adautivo disse ainda que no ofício enviado da Secretaria Municipal de Saúde ao prefeito, há servidores com diferença no percentual de insalubridade: uns com 30% e outros com 40%. “Quer dizer que a servente que trabalha na UBS Francisca Amélia, os servidores do Evandro Chagas, do Maria Cláudia, não terão direito não”? Questionou o parlamentar.

O vereador afirmou que somente servidores da UBS José Barros e do hospital serão contemplados. “Nenhum servidor das outras unidades básicas de saúde será contemplado. Vale salientar que a Praia do Gado é o bairro com maior incidência de Covid-19, essas pessoas procuram a UBS e automaticamente, os servidores lotados estão correndo risco, ou seja, eles estão no combate ao prestar serviço e porque não têm direito a esse benefício”, disse.

“O prefeito está demonstrando que não tem respeito para com as suas bases. Recursos têm, eu digo e provo. Gastou 200 mil reais apenas com combustível e alimentação. Tem recurso para agraciar esses servidores que estão dando a vida por nós, e será mais uma molecagem desse prefeito desonesto se ele fizer o que diz o decreto, ele tem que corrigir o que diz o decreto”, falou Adautivo.

Requerimento
Adautivo finaliza o áudio dizendo que acredita que a Câmara Municipal de Boca do Acre, irá aprovar a lei que um requerimento protocolado por ele, há duas semanas, que pede a regulamentação do pagamento do adicional de insalubridade para todos os servidores do sistema municipal de saúde, do vigia ao médico.