México vence a Coreia por 2 a 1 e chega a seis pontos no Grupo F

Com a vitória de 2 a 1 contra a Coreia do Sul, na Arena Rostov, em Rostov, o México chega a seis pontos e dá um grande passo para se classificar para a próxima fase da Copa do Mundo Rússia 2018. O time que venceu a Alemanha por 1 a 0, na primeira rodada do Grupo F, não encontrou dificuldade de vencer os coreanos neste sábado.

Coreia do Sul e México começaram a partida com muita marcação no meio de campo. Os dois times concentraram as jogadas na parte central do gramado. Diferentemente da partida contra a Alemanha, quando buscou sempre o contra-ataque, o México jogou com seus atacantes mais avançados.

Passados dez minutos de jogo, nenhum dois times em campo havia chutado a gol. Somente aos 12 minutos, em uma falta batida com a bola cruzada na área da Coreia, o atacante Chicharito Hernández cabeceia para fora do gol defendido pelo goleiro Jo Hyeon-Woo. O time coreano respondeu imediatamente. Em um contra-ataque pela esquerda a bola chega para Lee Yong, mas o chute foi bloqueado pela zaga mexicana.

Aos 20 minutos, Son recebeu livre pela direita, avançou em velocidade, fechou para o meio e na hora do chute foi bloqueado. A bola volta para o coreano que chuta e, mais uma vez é bloqueado. Aos 23 minutos, Guardado pela esquerda faz o cruzamento, mas Jang Hyun-Soo intercepta a bola com o braço e o árbitro marca o pênalti. Vela faz a cobrança no meio do gol e marca o primeiro gol do México.

Após o gol mexicano, o técnico coreano colocou mais à frente a sua linha de atacantes. Com uma marcação forte em todo o campo, os jogadores mexicanos conseguiam neutralizar as jogadas ofensivas da Coreia. Aos 38 minutos, o atacante Son é lançado por trás da zaga mexicana, ele desce em velocidade, entra na área e na hora do chute tem a bola travada pelo goleiro Ochoa.

O primeiro tempo termina aos 46 minutos, após uma cobrança de falta. A bola é lançada sobre a área, mas é neutralizada pela defesa coreana.

Segundo tempo

O segundo tempo recomeça com o time mexicano com uma postura mais defensiva, claramente buscando jogadas de contra-ataque. Os coreanos tentam jogar no campo do México. Son, o melhor jogador da Coreia, busca as jogadas de ataque.

Mas é o México que chega primeiro: Layún é lançado pelo meio, recebe livre, mas chuta para fora. Logo depois, em jogada de contra-ataque, Vela desce em velocidade e toca para Chicharito. O atacante, no entanto, chuta forte com a bola passando por cima do gol coreano.

Aos 11 minutos, foi a vez da Seleção da Coreia oferecer perigo. Pelo lardo esquerdo, Ki Sung-Yueng, após uma sobra de bola na entrada da área, chuta forte para uma boa defesa do goleiro Ochoa. Um minuto depois o México responde com Quadrado que bate direto para o gol, obrigando o goleiro Jo Hyeon-Woo fazer uma grande defesa.

Aos 17 minutos, o atacante Lee Seung-Woo entrou no lugar do volante Ju Se-Jong. A mudança feita pelo treinador Tae-Young Shin foi uma tentativa de deixar a equipe mais ofensiva. Mas, logo após a alteração na Coreia, o México faz o segundo gol com Chicharito Hernández, em uma jogada de contra-ataque, enlouquecendo a torcida mexicana em Rostov.

Osório fez a primeira mudança no time aos 25 minutos. Jesús Corona entrou no lugar de Lozano. Com 28 minutos de jogo no segundo tempo, a Seleção Mexicana passou a tocar mais a bola, atraindo os coreanos para o seu campo a fim de sair em jogadas de contra-ataque.

Aos 31 minutos, o México fez mais uma alteração. Osório colocou Giovani dos Santos no lugar de Vela. Faltando dez minutos para o término da partida, os mexicanos mantinham uma marcação firme na defesa, evitando que as chegadas do ataque coreano oferecesse perigo para o gol de Ochoa.

Até o juiz sérvio Milorad Mazic apitar o fim do jogo, os coreanos tentaram várias vezes chegar ao gol mexicano, mas eram contendidos pela zaga do México. Mas de tanto tentar, a Coreia faz o seu primeiro gol nos acréscimos, em uma jogada do craque Son, que, em um chute cruzado de perna esquerda, acerta o canto de Ochoa.

Alemanha vira no último lance e continua viva na Copa do Mundo

Alemães vencem Suécia por 2×1 e seguem no grupo F

Independente do futuro de alemães e suecos nesta Copa, o confronto de hoje (23) entre eles foi histórico. A Alemanha virou o jogo – 2 x 1 – no último lance, em uma partida com a dose máxima de todos os contornos dramáticos que o futebol pode ter. O nome do jogo foi Toni Kroos. Ele fez o estádio Fisht, em Sochi, explodir em assombro e êxtase com um gol derradeiro.

A Suécia se defendeu bem o jogo inteiro, puxou bons contra-ataques e abriu o placar. Com uma proposta bem definida de esperar a Alemanha em sua área, a seleção escandinava foi bem-sucedida quase o tempo todo. O abatimento dos suecos e da sua torcida após o apito final denunciou duro golpe sofrido após mais de 90 minutos de uma boa partida.

O jogo

Nos primeiros minutos a Alemanha jogou como um rolo compressor para cima da Suécia. Aos 2 minutos, Granqvist salvou um gol certo do alemão Marco Reus dentro da grande área. Reus pegou o rebote do goleiro, já batido no lance, e chutou de voleio, mas o zagueiro sueco se jogou na frente da bola, desviando o chute.

O domínio alemão era flagrante. Nos primeiros dez minutos de jogo, o time do técnico Joachim Löw trocou 122 passes, enquanto os suecos haviam passado a bola apenas seis vezes. A Alemanha continuou cercando com perigo a área do adversário, mas a Suécia tinha a oportunidade dos contra-ataques.

Na primeira investida sueca em velocidade, Forsberg caiu e reclamou de uma falta antes de entrar na área. Já a segunda foi mais perigosa. Berg entrou na área e, marcado por dois defensores, caiu antes de finalizar. Berg, todo restante do time sueco e grande parte da torcida pediram pênalti, mas o árbitro polonês Szymon Marciniak sequer consultou o assistente de vídeo.

A Suécia conseguiu resistir à pressão inicial dos alemães e foi fatal em um de seus ataques. Aos 30 minutos, chegou ao gol, com Toivonen. Ele recebeu um bom passe na grande área, matou no peito e deu um toque por cima do goleiro Neuer com muita categoria.

Aos 38 minutos, por muito pouco o empate alemão não aconteceu. Gündogan arriscou um chute de longe e o goleiro Olsen fez ótima defesa no canto. Müller não conseguiu aproveitar o rebote.

Segundo tempo

No segundo tempo, a Alemanha voltou a pressionar, assim como no primeiro tempo. Mas dessa vez, o gol saiu. Aos 2 minutos, Reus aproveitou o cruzamento de Mario Gómez e empatou a partida. Curiosamente, Mario Gómez, com 1,89, entrou no segundo tempo da partida para receber cruzamentos na área e não para fazê-los.

Foi o segundo tempo de um time só. A Alemanha pressionava, mas estava nervosa. A Suécia pouco subia ao ataque, satisfeita com o resultado. A expulsão de Boateng, após receber o segundo cartão amarelo, deixou a Alemanha com um a menos nos últimos 15 minutos.

Aos 42 minutos, Gómez fez o que se esperava dele. Após cruzamento na área, o centroavante alemão cabeceou para o gol, mas o goleiro Olsen fez uma grande defesa. Aos 46, quase veio a virada. Brandt acertou um chute de fora da área e a bola explodiu no travessão. Parecia que os deuses do futebol eram suecos. Mas só parecia.

Quando tudo parecia decidido, aconteceu o improvável. Em cobrança de falta, pelo lado esquerdo da área sueca, no último lance da partida, Kroos acertou um lindo chute, no ângulo do gol de Olsen. Kroos chutou com espaço, sem obstáculos à frente. Os dois únicos homens que faziam a barreira sueca não foram suficientes para fechar o ângulo do chute.

Com a vitória, a Alemanha ressurge na competição. E pode se classificar às oitavas de final com uma vitória sobre a Coreia do Sul. Caso a Suécia vença o México, essas duas seleções, além da Alemanha, ficariam com 6 pontos e a definição dos classificados seria por critérios de desempate, como saldo de gols e confronto direto.

Alemanha e Coreia do Sul se enfrentam na quarta-feira (27), às 11h. Suecos e mexicanos jogam no mesmo dia e horário, em Ecaterimburgo.