Bélgica goleia Tunísia por 5 a 2 em Moscou

A Seleção da Bélgica não teve qualquer dificuldade para derrotar a Tunísia por 5 a 2, Arena Spartak, em Moscou. Com os seus principais jogadores – Kevin De Bruyne, Lukaku e Hazard – jogando em alto nível, a equipe tunisiana, apesar de algumas jogadas pontuais de ataque, não foi páreo para o forte time belga.

O jogo começou com a seleção da Bélgica no ataque, pressionando a saída de bola da Tunísia. A primeira chance belga ocorreu logo no primeiro minuto em uma falta, na entrada da área, batida pelo meia-atacante Kevin De Bruyne, que procurou o cruzamento na área, mas a bola parou nas mãos do goleiro Ben Mustapha.

Em seguida, o time belga teve outra chance com Lukaku, mas o goleiro da Tunísia colocou a bola para escanteio. Aos quatro minutos, Hazard atacou pela direita numa jogada em direção ao gol, mas foi derrubado dentro da área. Juiz Jair Marrufo, depois de consultar o árbitro de vídeo, confirmou o pênalti batido pelo próprio Hazard, que fez 1 a 0 para a Bélgica.

O primeiro ataque da Tunísia ocorreu aos 14 minutos, com Sassi. Ele tentou uma infiltração pela direita, mas acabou caindo na área, mas o juiz nada marcou. Sassi reclamou do lance e recebeu o cartão amarelo. Um minuto depois, aos 15 minutos, em uma jogada de contra ataque da Bélgica, o camisa 9 Lukaku, avançou pelo meio e, diante do goleiro, bateu cruzado, fazendo 2 a 0 pata a equipe belga.

A Tunísia conseguiu fazer seu gol aos 17 minutos. Numa falta cobrada por Khazri, o zagueiro Bronn subiu mais alto que os defensores da Bélgica e cabeceou para as redes, fazendo o primeiro gol tunisiano. Sete minutos depois, Bronn se machuca, entrando em seu lugar Naguez.

A partir dos 27 minutos, a Seleção da Tunísia passou a equilibrar a partida e teve várias chances. Numa delas, Khazri quase empata aos 30 minutos, em um chute forte no ângulo esquerdo de Courtois, que fez uma grande defesa.

A Tunísia teve outra boa chance de gol aos 37 minutos. Ben Youssef chutou forte de fora da área e a bola passou perigosamente perto do ângulo esquerdo de Courtois, que apenas olhou. Aos 40 minutos o tunisiano Siam Ben Youssef sai do campo machucado e é substituído por Benalouane.

Aos 47 minutos, a Bélgica numa jogada de contra-ataque de Kevin De Bruyne, passa para Lukaku, que quase marca. O terceiro gol da Bélgica acontece logo depois, aos 48 minutos, com Lukaku, após assistência De Bruyne, pela direita. Em seguida, o juiz apita o fim do primeiro tempo.

Segundo tempo

A primeira jogada de ataque no segundo tempo foi da Tunísia. Logo no primeiro minuto, em uma jogada rápida, a bola é passada para Khazri que estava em impedimento. A Bélgica reage. Em uma bola lançada para Lukaku na frente do gol, Meriah consegue desviar de cabeça para escanteio. O quarto gol belga acontece logo depois. De Bruyne, no meio de campo, passa uma bola para Hazard, que ganha da defesa na corrida, dribla Mustapha, e chuta para as redes.

Aos 13 minutos, a Bélgica faz a sua primeira mudança. O treinador Roberto Martínez troca Lukaku por Fellaini. A Tunísia também muda: sai Sassi e entra Sliti. As mudanças não alteraram o ritmo de jogo da equipe belga, que continuou no ataque. Aos 15 minutos, em um chute de fora da área, Carrasco quase faz o quinto, a bola passa muito perto do gol defendido por Mustapha.

Por volta dos 20 minutos, começou a chover a Arena Spartak. Aos 22 minutos, Roberto Martínez faz a segunda alteração na Bélgica no ataque. Ele tira Hazard e coloca Batshuayi. Após a mudança, o time belga passa a tocar mais a bola, diminuindo o ritmo do jogo. Aos 30 minutos, Batshuayi recebe uma bola pelo meio, tira o goleiro Mustapha da jogada, chuta para o gol, mas zaga tunisiana consegue evitar que a bola entre. Quatro minutos depois, Batshuayi perde mais uma chance de fazer o quinto gol belga. Ele chuta forte e a bola encontra a trave. Aos 35 minutos, mais uma vez Batshuayi tenta o gol, mas Mustapha faz uma grande defesa.

Completamente dominada em campo, a Seleção da Tunísia só fazia se defender. Com o jogo praticamente definido, Roberto Martinez tirou o atacante Mertens e, em seu lugar, colocou o volante Tielemans. Finalmente, depois de três tentativas sem sucesso, Batshuayi consegue, aos 44 minutos, fazer o quinto gol belga, após cruzamento de Tielemans. A Tunísia fez o seu segundo gol aos 47 minutos, com Khazri após um cruzamento de Naguez. Em seguida, o árbitro Jair Marrufo terminou o jogo.

Jogando no Florestão, Galo Carijó canta alto e atropela o Cancão de fogo: 5 a 0

Com um futebol veloz e bastante eficiente o Atlético Acreano continua surpreendendo na disputa do Campeonato Brasileiro da Série C. Na tarde e noite deste domingo, nas dependências do estádio Florestão, o Galo Carijó atropelou a Juazeirense-BA por 5 a 0. O resultado colocou o time celeste na liderança isolado do grupo 1 do Campeonato Brasileiro da Série C. Os gols do triunfo celeste foram marcado por Neto (três vezes), Kássio e Rafael.

Classificação

Com a quarta vitória na competição, o Galo Carijó chegou aos 12 pontos, dois a mais que o vice-líder Confiança, que empatou no sábado com o ABC por 2 a 2. Já a Juazeirense-BA continua com seis pontos, caindo para a sexta posição na tabela de classificação, mas perderá uma posição na segunda-feira, pois Santa Cruz e Globo se enfrentam e, qualquer que for o resultado, algum deles ultrapassará o Confiança.

Próximos jogos

No próximo domingo (20), às 17h de Brasília, na cidade de Ceará Mirim-RN, o Atlético encara o Globo-RN. Já o Juazeirense-BA retorna a campo diante do Náutico, em casa, no sábado, às 16 horas.

Jogo

O Atlético começou a partida de forma avassaladora e ainda no primeiro minuto de partida abriu o placar numa sobra de bola aproveitada pelo volante Kássio. Bem postando em campo e pressionando a saída de bola do time baiano, o Galo Carijó ampliou aos oito minutos. Neto entrou pelo lado direito, fintou o goleiro Tigre e mandou para a rede.

Com a vantagem de dois gols, a equipe celeste tirou o pé e o time baiano equilibrou as ações, mas não tinha poder de fogo de diminuiu a vantagem do time acreano.

Na etapa complementar, a Juazeirense voltou mais agressiva e criava as melhores oportunidades de gols nos pés dos jogadores Victor Sapo e Enercino. Os dois atletas entraram durante o intervalo e deram uma nova dinâmica no ataque do Cancão de ferro e não diminuiu a vantagem graças ao pé salvador do lateral direito Januário. No entanto, aos 20 minutos, o atacante Rafael Barros entrou pela direita, fintou o zagueiro e acertou um belo chute para marcar o terceiro gol celeste, aos 19 minutos.

O terceiro gol celeste foi um banho de água fria na reação do time baiano, apesar de Ernerstino acertar o travessão de Ruan, aos 21 minutos, mas a reação do Cancão de fogo ficou por aí.

Nos minutos finais, o Galo Carijó aproveitou o cansaço do adversário e matou o jogo com dois gols do atacante Neto, mas antes, o meia celeste Marquinhos já havia carimbado o travessão do time baiano.